A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
Metodologia Científica Livro texto II Prof. Livaldo  (2)

Pré-visualização | Página 2 de 5

dos fatos. Pode ser classificada quanto: 
 
 
– À natureza 
• Pesquisa teórica 
• Pesquisa empírica 
• Pesquisa aplicada 
– Aos objetivos 
• Pesquisa exploratória 
• Pesquisa descritiva 
• Pesquisa explicativa 
- Aos procedimentos 
• Pesquisa de campo 
• Pesquisa bibliográfica 
• Pesquisa de laboratório 
. Pesquisa experimental 
– À forma de abordagem 
• Pesquisa quantitativa 
• Pesquisa qualitativa 
 
 
2.1 Quanto à natureza 
2.1.1 Pesquisa teórica 
 
Pesquisa direcionada a levantar e colecionar todos os conhecimentos teóricos 
existentes sobre o assunto pesquisado. Conceitos, ideias, ideologias, polêmicas, 
visando aprimorar os fundamentos teóricos. 
 
Não implica em uma intervenção direta na realidade dos fatos, mas nem por isso 
deixa de ser importante, devido à criação de condições para uma intervenção 
futura. 
Quanto maior o conhecimento teórico maior será o rigor conceitual, acarretando: 
 análise acurada; 
 desempenho lógico; 
 argumentação diversificada; e 
 capacidade explicativa. 
 
 
 
2.1.2 Pesquisa empírica 
 
Pesquisa baseada na análise dos fatos e verificação dos resultados experienciais. 
Trata da face empírica e factual da realidade ao produzir e analisar os dados 
sempre com uma visão factual e mantendo o controle empírico. 
 
Devido a sua base factual acaba por oferecer maior concretude e fundamentação 
sólida às argumentações e afirmativas. O resultado da pesquisa bibliográfica, o 
conhecimento teórico existente, viabiliza a análise e o entendimento dos fatos e 
dados factuais, através da aplicação destes conhecimentos à realidade dos fatos. 
2.1.3 Pesquisa aplicada 
 
Objetiva gerar conhecimentos para aplicação prática, visando à solução de 
problemas específicos. De acordo com os interesses imediatos, busca-se a 
solução para problemas concretos e imediatos. Tem fins explícitos de intervenção, 
não perdendo porém, o rigor metodológico e científico. 
 
2.2 Quanto aos objetivos 
2.2.1 Pesquisas exploratórias 
 
Ao analisar o tema, deve-se investigar e apurar o maior volume possível de 
informações. É importante buscar e descobrir teorias e práticas que modificarão as 
existentes. A recuperação de informações disponíveis para criar maior 
proximidade com os fatos e eventos. 
Deve-se identificar os pesquisadores e novas tecnologias que possam contribuir 
para o entendimento dos fenômenos que se apresentam. Acontece através de 
levantamentos bibliográficos; entrevistas com profissionais da área; visitas a 
instituições, empresas etc.; websites, entre outros. 
 
 
A principal finalidade é aprimorar, esclarecer e modificar conceitos, visando o 
enunciado de problemas e respectivas hipóteses pesquisáveis. Este tipo de 
 
pesquisa é realizado especialmente quando o tema escolhido é pouco explorado e 
se torna difícil formuIar hipóteses completas e operacionalizáveis. Com os estudos 
preliminares, obtém-se um problema mais claro e mais suscetível a uma 
investigação, mediante procedimentos sistematizados (GIL, 1991). 
 
2.2.2 Pesquisas descritivas 
 
Observa, registra e analisa os fenômenos, sem manipulá-los, e é muito utilizada 
em pesquisas sociais. Procura descobrir a frequência com que o fenômeno ocorre, 
sua natureza, suas características, sua relação com outros fenômenos. 
Em geral, é executada após a pesquisa exploratória e implica a realização de 
observação sistemática e não participante com o uso de técnicas padronizadas de 
coleta de dados (questionário e observação sistemática). 
 
Estas pesquisas objetivam descrever as características de determinada população 
ou fenômeno, bem como estabelecer relações entre as diversas variáveis 
identificadas, através de técnicas padronizadas de coleta de dados. 
Os objetivos das pesquisas descritivas compreende o estudo das características 
de uma população: sua distribuição por idade, sexo, procedência, nível de 
escolaridade, opiniões, atitudes, valores, preferências, entre outras. 
Nas pesquisas sociais, as descritivas e exploratórias são imprescindíveis para os 
pesquisadores sociais, sendo utilizadas pelas mais diversas instituições, entre elas 
as universidades e empresas. 
 
 
2.2.3 Pesquisas explicativas 
 
Ampliam as generalizações, definindo leis e estabelecendo modelos, através do 
relacionamento de hipóteses existentes, bem como, a dedução de novas 
hipóteses. 
Grande ênfase na síntese, teorização e reflexão sobre a análise do objeto do 
estudo. Utiliza-se de métodos de modelagem e simulações para identificar e 
 
justificar os motivos dos acontecimentos e fenômenos simulados, visando o 
aprofundamento cognitivo da realidade. 
 
Mesmo buscando identificar as causas que determinam a ocorrência dos fatos e 
fenômenos, utilizando-se do método experimental e observacional, nem sempre é 
possível explicar todos os tipos de fenômenos sociais. 
 
2.3 Quanto aos procedimentos 
2.3.1 Pesquisa de campo 
 
Observação dos fatos, tal e qual eles acontecem, sem a preocupação de isolar e 
controlar as variáveis da realidade analisada, porém atentando para perceber e 
estudar as relações estabelecidas. A pesquisa de campo é imprescindível para a 
realização de ciências e intervenção na realidade. Através de observações, 
levantamento de documentação direta, entrevistas e aplicação de questionários, 
pode-se apreender como os fatos são gerados e acontecidos, principalmente 
dentro de empresas e instituições privadas, quase sempre objeto de estudos 
acadêmicos. 
 
2.3.2 Pesquisa bibliográfica 
 
O uso de livros e obras publicadas deve ser de forma completa, ampla e profunda. 
Através deste aparato alimentador do conhecimento do pesquisador é possível 
definir os objetivos e elaborar problemas e hipóteses, bem como fundamentar e 
justiçar a delimitação do tema da pesquisa. 
 
A pesquisa bibliográfica, através da revisão dos livros e obras publicadas subsidia 
o pesquisador em conhecer os estudos já feitos e publicados, que podem servir de 
ponto de partida ou como complementares, aos estudos que estão em 
andamento. Este levandamento de obras e textos existentes, além de agilizar o 
trabalho de pesquisa, evita que estudos e pesquisas sejam feitos em duplicidade. 
 
 
Este tipo de pesquisa deve anteceder os demais tipos, devido a sua facilidade de 
operacionalização, coloca o pesquisador em contato com o que já existe sobre o 
seu estudo, sendo que horas investidas em bibliotecas economizaram dias ou 
semanas em pesquisas de experimentais ou de campo. 
 
2.3.2.1 Pesquisa documental 
 
Utiliza-se de documentos e não obras publicadas (livros), sendo obtidos em 
empresas privadas ou públicas. São eles: Relatórios, regulamentos, cartas, 
comunicados, demonstrações financeiras, documentos fiscais, ou gerenciais. 
 
2.3.3 Pesquisa de laboratório 
 
Consiste na criação de um ambiente controlado, artificialmente especificado e 
criado, com o intuito de reproduzir fenômenos que se pretende estudar. Dento de 
determinadas condições e variáveis, devidamente controladas, para a reprodução 
do fato, fenômeno ou processo seja reproduzido diversas vezes e estudado para a 
elaboração de uma teoria que o explique. É imprescindível o uso de método 
científico para estabelecer um padrão de reprodução, observação e análise dos 
fenômenos estudados, em curto espaço de tempo. 
 
2.3.4 Pesquisa experimental 
 
O pesquisador manipula deliberadamente aspectos da realidade em estudo, 
seguindo especificações e condições predefinidas. Tenta-se identificar as causas 
e o modo como o evento se reproduz. Apura-se a causalidade, ou seja, relação de 
causa e efeito entre determinadas variáveis. Para evitar interferências emocionais 
ou intencionais