A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
aulas 10 e 11 O Pensamento de Jean Jacques Rousseau

Pré-visualização | Página 1 de 1

Ciência Política 
Aulas 10 e 11 – O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Prof. Rodrigo Salgado
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Introdução: a vida de Rousseau
Prof. Rodrigo Salgado
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Jean-Jacques Rousseau
(28/06/1712 a 2/07/1778)
Viveu entre a Suíça, Inglaterra e a França
Escritor, poeta, compositor, filósofo e teórico político 
Principais obras 
Discurso Sobre as Ciências e as Artes
Discurso Sobre a Origem e os Fundamentos da Desigualdade Entre os Homens
Do Contrato Social
Emílio, ou da Educação
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Nascido em Genebra, filho de um relojoeiro
Temperamento difícil
Sucessivas brigas com pensadores e filósofos importantes de sua época
Questões familiares
Resultado: vida em constante mudança
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Discutiu questões sobre
A literatura
A música
Teoria política
O iluminismo
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Rousseau e a razão
Ao contrário dos seus contemporâneos iluministas
A razão não necessariamente traz a felicidade e a melhora dos valores morais
Ao contrário: poderia corromper ainda mais a sociedade
Para ele a verdadeira filosofia é a virtude
Não bastaria buscar a razão. Esta busca deve ser encarada sem orgulho ou sem buscar a glória
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
O Contrato Social em Rousseau
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
“O homem nasce livre, e por toda parte encontra-se aprisionado. O que se crê senhor dos demais, não deixa de ser mais escravo do que eles. Como se deve esta transformação? Eu o ignoro. O que a legitima? Creio poder resolver esta questão.”
J.J. Rousseau. Do Contrato Social. 
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Rousseau: contratualista
Porém, diferente de Hobbes e Locke
Homem no estado de natureza tem sua liberdade natural
Liberdade natural: possibilidade de buscar todas as suas paixões e vontades
Ligada apenas à sua vontade individual
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Estado de natureza: a liberdade natural e a desigualdade
A liberdade natural promove a satisfação da vontade natural e nada mais
O estado de natureza é a vida humana apenas pelas suas necessidades. Não pensa no futuro ou na vida em sociedade
O estado de natureza vai permitir a criação da propriedade privada
Fonte de toda desigualdade
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Propriedade privada no estado de natureza
Cria a desigualdade
Permite a guerra de todos contra todos
Guerra de todos contra todos
No estado de natureza: ocorre pela falta de instituições políticas e regras para evitá-la 
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Guerra de todos contra todos
Solução: contrato social
Contrato social
Cria instituições e regras para mediar as disputas
Legitima a desigualdade
Porém, funda o Estado Civil
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Contrato social
Homem perde sua liberdade natural – direito ilimitado de ter tudo aquilo que sua vontade pode alcançar
Porém, ganha a chance de criar a liberdade civil
É a liberdade guiada pelos limites da vida no Estado Civil
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Estado Civil
Fundado pelo contrato social
Substitui o “apetite individual” pelo direito
Força o homem a agir baseado em outros princípios (além dos próprios interesses)
Deve ser guiado pela vontade geral (volontè generale) ao invés da vontade indivual
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
DIFERENÇASNA IDEIA DE CONTRATO SOCIAL
ThomasHobbes
John Locke
J.J. Rousseau
Estadode natureza
Era a guerra de todos contra todos
Relativa paz, com direitos naturais à vida, liberdade e bens
Liberdade natural. Homem nãovive em sociedade, realiza só suas vontades
Contrato social
Pacto de associação (fundaa sociedade) e submissão (celebrado apenas entre os súditos)
Pacto deconsentimento para preservar e consolidar os direitos que possuíam.
Pacto que funda o Estado Civil. Respostaà guerra de todos contra todos (criada pela propriedade privada)
Sociedade Civil
Reitem poderes absolutos. O povo não participa do pacto político.
O consentimento do contrato social obriga o governante a garantir a propriedade, a liberdade e a vida.
Fundado pela vontade geral. Organiza a sociedade desigual
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
A Soberania Popular – a ideia de “Vontade Geral”
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Vontade geral
Deve dirigir as ações do Estado Civil
Mas o que é a vontade geral?
Oposta à vontade individual
Deriva do contrato social
Instituída para buscar o bem comum
Deve governar os governos – ou seja, deve guiar as ações do Estado Civil e dos governantes
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
A soberania é então “apenas o exercício da vontade geral”
Logo, não pode ser exercida sobre os desejos de uma vontade individual – é inalienável 
Se a soberania é fruto da vontade geral, não pode ser divisível
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Vontade geral ≠ da vontade de todos
Vontade de todos
Soma das vontades particulares de cada um
Vontade geral
Tende sempre à utilidade pública
É a vontade comum
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Vontade geral
Expressão da vontade pública
Interesse público é = à soma de interesses privados?
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
A Legitimidade do Poder
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Quem da legitimidade ao poder?
Antes: qual a melhor forma de governo?
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Formas de governo
Democracia
Aristocracia
Monarquia
Para Rousseau:
Democracia – pequenas nações
Aristocracia – nações médias
Monarquia – grandes nações
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Porém, de onde vem a legitimidade de um governo?
Na manutenção da vontade geral
Ela gera o Estado Civil e ele deverá sempre mantê-la
Ou seja: o Estado Civil só terá legitimidade se o governante buscar a vontade geral
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
A contratualização dos atos e sua validade em função da lei
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Se a soberania não é divisível nem alienável, como pode haver a representação?
A vontade não se representa, mas um governo precisa do sistema representativo
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Sistema representativo
Autoridade soberana (Executivo) precisa de controle
Por isso, há a necessidade de representantes no Legislativo
Mandato fixo
Consolidação da vontade geral
Para criação de leis
O pensamento de Jean-Jacques Rousseau
Vontade geral
Gera um pacto que aliena a vontade do particular
Logo, a representação política está no Legislativo
Os atos do Estado Civil só serão contratualmente válidos se feitos por leis