História da América 1 Cederj
320 pág.

História da América 1 Cederj


DisciplinaHistória da América I1.171 materiais44.042 seguidores
Pré-visualização50 páginas
mouros, também foram 
preteridos, inicialmente, nessa tarefa. Em seu lugar, foram os serviços 
das ordens mendicantes os preferidos. Os franciscanos foram os 
primeiros a chegar ao México, em 1524, e, em 1534, ao Peru. 
Além desses, os dominicanos, os agostinianos e os mercedários 
tiveram uma ação bastante visível na América. Entre 1568 e 1572, 
os jesuítas, de ordem recém-fundada na Europa, viriam a se juntar 
a essas quatro. No início, o clero chegou à América de maneira 
mais espontânea, mas, a partir da segunda metade do século XVI, 
deu-se maior regulação desse processo. O século XVI foi o período 
em que se buscou implantar as estruturas formais da Igreja no Novo 
Mundo, porém, a partir do XVII, buscou-se a expansão dos domínios 
eclesiásticos. Tribunais da Inquisição: Lima (1570), México (1571), 
Cartagena de las Índias (1610). Ofi cialmente, tinham jurisdição 
sobre os cristãos, reprimindo o protestantismo e o judaismo. 
A utopia americana foi, por Fray Bartolomé de las Casas, 
imaginada como uma oportunidade de um novo começo. Neste 
sentido, imaginou-se o território do Novo Mundo como o espaço em 
que o paraíso terreal se localizaria. Por esse caminho, os indígenas 
eram representados como criaturas em estado de pureza, tal como 
16 
História da América I
no princípio dos tempos. No entanto, apesar de certa longevidade 
da utopia americana, o que se viu mesmo foi a crueldade intrínseca 
à obra da conquista. Conforme denunciava Fray Batolomé de las 
Casas, a destruição de quase todas as comunidades indígenas no 
Mar do Caribe foi uma realidade muito difícil de se enfrentar. 
Os conquistadores e seus descendentes formavam o que se 
poderia chamar de nobreza da terra, o grupo social mais complexo, 
pois a elite criolla, ao longo do processo de colonização, exerceu 
papel fundamental no Novo Mundo. Sua origem, muitas vezes, não 
correspondia às linhagens tradicionais do velho continente, não 
sendo poucos os casos de serem esses nobres elementos oriundos 
de setores rigorosamente não nobilitadas da sociedade. No entanto, 
como vários estudos acentuaram, era bastante comum, no âmbito da 
cultura política que orientava a ação desse grupo, o uso de formas 
de tratamento tipicamente nobilitantes: gentilhombre, Caballero, 
hijodalgo. Neste sentido, havia por certo um ethos aristocrático 
verdadeiramente presente na América. Eram os encomenderos, setor 
escravista. Exerciam sua infl uência nos cabildos, nas audiências, 
mas a Coroa evitou sempre que chegassem aos cargos de Vice-Rei 
e a comandar as audiências. A nobreza da terra e as estratégias 
de acrescentamentos eram o clientelismo, a luta na corte, em busca 
das mercês(mercedes, em espanhol), a lógica da nobilitação. 
A Inquisição foi criada para combater as heresias albigenses. 
Em 1478, o papa Sixto IV autorizou a coroa espanhola a 
nomear inquisidores, fazendo nascer a Inquisição espanhola. A 
novidade era que a inquisição hispânica era quase que totalmente 
subordinada ao Rei. A fi gura do inquisidor geral, por exemplo, 
era da competência da realeza escolher. A Inquisição restringia-se aos 
cristãos, não sendo da sua competência os não-crentes. Na Península 
Ibérica havia repressão para os casos de apostasia e de heresia. A 
inquisição, em tese, jamais perseguiu judeus, índios ou mulçumanos.
 17
Aula 3 \u2013 Expedições de descobrimento e as primeiras etapas da conquista
CRONOLOGIA
Com as viagens de Colombo de 1493, 1498 e 1502, 
reconhece-se a originalidade das ilhas caribenhas e da Terra 
Firme (o continente, na altura do que hoje é a Venezuela e 
a costa antilhana da América Central). É essa a "América" de 
Cristóvão Colombo, que pensara, como escreveu ao descobrir o 
litoral continental, ter chegado ao "paraíso terrestre". Foram viagens 
longas, cercadas das difi culdades de navegação, da exploração das 
rotas, da conquista das terras e de seus habitantes (chamados de "índios", 
por ter-se presumido estar nas "Índias"): a primeira durou cerca de sete 
meses; a segunda, com a qual iniciou-se o processo de colonização 
e exploração, levou Colombo a permanecer quase três anos em seus 
"domínios"; a terceira, trinta meses a percorrer o litoral sul-americano, 
até que as cobiças e as movimentações políticas fazem-no voltar, sob 
escolta, em outubro de 1500; a quarta e última viagem, pelas rotas já 
reconhecidas da "carreira das Índias", realiza-se durante trinta meses, 
de 9 de maio de 1502 a 7 de novembro de 1504, pelas costas da 
América Central e pelas ilhas do Caribe. A América \u2014 cujo nome só 
se consagraria mais tarde \u2014 escapara, contudo, ao Almirante Dom 
Cristóvão Colombo, já desde 1498. Alquebrado pela doença e pelo 
desaparecimento de seu mecenas, a rainha Dona Isabel de Castela, 
morre em 1506, em Valladolid. 
Fim do Boxe de Curiosidade
1415 \u2013 Os portugueses conquistam Ceuta.
1420 - Os portugueses chegam à Ilha da Madeira.
1427 \u2013 Os portugueses chegam aos Açores.
1434 \u2013 Gil Eanes cruza o Cabo Bojador.
18 
História da América I
 1344-1435 \u2013 Portugueses e espanhóis disputam o 
Arquipélago das Canárias.
 1437 \u2013 Os portugueses conquistam Tânger.
 1458 \u2013 Os portugueses conquistam Alcácer-
Cequer.
 1469 \u2013 Celebrou-se o matrimônio com Fernando, rei 
da Sicília e herdeiro de Aragão, com Isabel , herdeira 
da coroa de Castela. Os portugueses ocupam Cabo 
Verde.
 1471 \u2013 Os portugueses ocupam São Tomé.
 1474 \u2013 Isabel é coroada rainha de Castela.
 1478 \u2013 Instituição da Inquisição na Espanha.
 1479 \u2013 Coroação de Fernando, o Católico, como 
rei de Aragão.
 1487 \u2013 Bartolomeu Dias ultrapassa o Cabo 
das Tormentas, depois nomeado Cabo da Boa 
Esperança.
 1492 \u2013 Tomada de Granada, impressão da 
Gramática Castelhana, de Nebrija. Chegada de 
Colombo ao Novo Mundo.
 1498 \u2013 Vasco da Gama chega a Calicute.
 1500 \u2013 Pedro Álvares Cabral desembarca na costa 
nordeste do que seria conhecido mais tarde como 
Brasil.
 1511 - Ocupação de Cuba, que serviu de base para 
a ocupação do continente. 
 1513 \u2013 Balboa descobre o Pacífi co e submete o Istmo 
do Panamá.
 1512-13 \u2013 Ponce de Léon alcança as Bahamas e a 
Flórida.
 19
Aula 3 \u2013 Expedições de descobrimento e as primeiras etapas da conquista
 1517 \u2013 Uma primeira expedição espanhola chega 
à costa do México.
 1519 - Cortéz chega à costa do México.
 1521- Cortéz se apodera da Cidade do México-
Tenochtitlan e, até o fi m dessa década, a maior parte 
do México estará conquistada.
 1533 - Pizarro conquista Cuzco.
 1535 \u2013 Fundação da cidade de Lima.
A Conquista e as formas de resistência 
indígena na América Hispânica
No Peru, a primeira grande rebelião contra a dominação 
espanhola foi a liderada por Manco Ina, fi lho de Huayna Capac. 
Manco sitiou Cuzco de março de 1536 até abril de 1537. Após 
suspender o cerco, refugiou-se nas montanhas praticamente 
inacessíveis de Vilcabamba, região que incluía Machu\u2013Pichu, 
santuário inviolável dos sacerdotes andinos, que permaneceu 
desconhecido dos europeus até o início do século XX. Após sua 
morte, seu fi lho Sayri Tupac continuou a resistência durante dez 
anos mais. No norte do México, deu-se a Guerra de Mixton (1541-
1542), liderada por Tenamaxtle - Don Diego el Zavcateco, nome 
de batismo. E foi sufocada por D. Antonio de Mendonza. Enfi m, 
os povos indígenas não aceitaram passivamente a dominação 
européia, e a resistência direta e explícita, principalmente nas 
fronteiras da colonização, foi durante todo o período colonial um 
fenômeno presente. Os espanhóis se estabeleceram no México 
e no Peru, onde já existiam centros consolidados de poder e, na 
prática, o estabelecimento dos Vice-Reinados da Nova