A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
47 pág.
direito constitucional 2° bimestre

Pré-visualização | Página 2 de 24

dos votos, presente a maioria absoluta de seus membros.
Emenda: a apresentação de emenda pode ser feita por qualquer legitimado do art. 61, mas apenas os parlamentares podem apresentar emendas supressivas ou modificativas, e os demais legitimados podem apresentar emendas aditivas, e deve ser considerado como nova proposição. E cada alteração feita em uma Casa deverá se analisada pela outro segundo art. 65§ único, e apenas a parte emendada será analisada e não o projeto todo.
Art. 65. O projeto de lei aprovado por uma Casa será revisto pela outra, em um só turno de discussão e votação, e enviado à sanção ou promulgação, se a Casa revisora o aprovar, ou arquivado, se o rejeitar.
Parágrafo único. Sendo o projeto emendado, voltará à Casa iniciadora.
Emenda em projeto de iniciativa exclusiva no art. 63: conteúdos em projeto de lei por iniciativa exclusiva pode ser alterado por emenda apresentada por parlamentar, a constituição confere ao legitimado apenas a definição do momento inicial do processo legislativo, não a palavra final sobre o conteúdo da futura lei.
Art. 63. Não será admitido aumento da despesa prevista - nos projetos de iniciativa exclusiva do Presidente da República, ressalvado o disposto no art. 166, § 3º e § 4º-; -II - nos projetos sobre organização dos serviços administrativos da Câmara dos Deputados, do Senado Federal, dos Tribunais Federais e do Ministério Público.
É imprescindível que a emenda em projeto de iniciativa exclusiva guarde pertinência com o objeto do projeto de lei apresentado, sob pena de usurpação direta da iniciativa atribuída com exclusividade.
A constituição veda projetos de emendas com aumento de despesas nos projetos referentes à organização dos serviços administrativos das câmaras.
Aprovação: o quórum mínimo para aprovação de leis ordinária é a maioria relativa, simples, após a aprovação o projeto seguirá para autografo, sendo posteriormente enviado para o presidente da republica para a sanção. Caso seja rejeitado o projeto será arquivado
Art. 67. A matéria constante de projeto de lei rejeitado somente poderá constituir objeto de novo projeto, na mesma sessão legislativa, mediante proposta da maioria absoluta dos membros de qualquer das Casas do Congresso Nacional.
A matéria constante de projeto de lei arquivado ou não sancionado só poderá ser novo objeto na mesma seção legislativa, mediante iniciativa da maioria absoluta.
A seção legislativa corresponde a um período anual no qual estão compreendidos dois períodos legislativos semestrais, não deve ser entendido com legislatura cuja duração é de quatro anos.
Sanção: é a deliberação do chefe do poder executivo, é o momento final da fase constitutiva, pode ser expressa, manifestada no prazo de 15 dias ou tácita, quando silencia neste período. Quanto à extensão pode ser total ou parcial, é por meio da sanção que o projeto se transforma em lei.
 Art. 66. A Casa na qual tenha sido concluída a votação enviará o projeto de lei ao Presidente da República, que, aquiescendo, o sancionará.
§ 1º - Se o Presidente da República considerar o projeto, no todo ou em parte, inconstitucional ou contrário ao interesse público, vetá-lo-á total ou parcialmente, no prazo de quinze dias úteis, contados da data do recebimento, e comunicará, dentro de quarenta e oito horas, ao Presidente do Senado Federal os motivos do veto.
§ 2º O veto parcial somente abrangerá texto integral de artigo, de parágrafo, de inciso ou de alínea.
§ 3º Decorrido o prazo de quinze dias, o silêncio do Presidente da República importará sanção.
§ 4º O veto será apreciado em sessão conjunta, dentro de trinta dias a contar de seu recebimento, só podendo ser rejeitado pelo voto da maioria absoluta dos Deputados e Senadores.  .
§ 5º Se o veto não for mantido, será o projeto enviado, para promulgação, ao Presidente da República.
§ 6º Esgotado sem deliberação o prazo estabelecido no § 4º, o veto será colocado na ordem do dia da sessão imediata, sobrestadas as demais proposições, até sua votação fina.
§ 7º Se a lei não for promulgada dentro de quarenta e oito horas pelo Presidente da República, nos casos dos § 3º e § 5º, o Presidente do Senado a promulgará, e, se este não o fizer em igual prazo, caberá ao Vice-Presidente do Senado fazê-lo.
Veto: discordância do presidente aos termos de um projeto de lei, um direito, um poder ou um poder-dever. No veto jurídico tem a analise da constitucionalidade do projeto de lei, o veto politico aquele que considera o projeto é contrário ao interesse publico.
Só pode haver rejeição integral ou parcial nunca um acréscimo ou adição. O veto parcial deve abranger todo o texto do artigo, inciso, ou paragrafo, ou alínea, não podendo incidir sobre algumas palavras ou expressões.
O veto é relativo, podendo ser rejeitado pela maioria absoluta dos membros da casa em seção conjunta.
 A mais complexa do processo, vai compreender a deliberação. Discussão do projeto, votação, após a votação, a aprovação do projeto e após a sanção ou veto. Nesta fase de discussão o projeto vai passar pela comissão que vai analisar a constitucionalidade e pela comissão temática que vai apreciar o conteúdo e desta fase vai resultar o parecer técnico (constitucionalidade + conteúdo). Então vai para a votação, na fase da votação esse parecer é levado para plenário, mas, dependendo algumas matérias previstas no regimento interno da casa não precisam ser levadas para plenário, mas nesse caso pode haver recurso da decisão e a matéria vai para plenário ou comissão (1/10 dos parlamentares da casa devem recorrer). A lei ordinária é aprovada com maioria simples regra do art. 47. Se o projeto for rejeitado o projeto só pode ser reapresentado na mesa seção legislativo (no mesmo ano) mediante proposta da maioria absoluta art. 67. Se o processo for aprovado vai para a casa revisora que é o senado, se tivesse o inicio no senado iria para os deputados. Indo para o senado, se o senado propuser uma emenda ele volta para a câmara doa deputados aprovar, a emenda só deve voltar para a casa que iniciou se tiver uma alteração substantiva, se a emenda for para alterar a técnica não precisa voltar. Se o projeto for rejeitado no senado ele deve morrer ali ou seguir o art. 67. Depois pode ocorrer à sanção ou veto o chefe do poder executivo concordar ou não com aquele projeto de lei. Essa sanção pode ser expressa ou tácita. Quando o presidente diz que sanciona o projeto de lei e tácita é diante do silencio, quando o presidente não sanciona e decorre o prazo de 15 dias ocorre à sanção tácita. Quando o presidente da republica pode fazer o veto integral ou parcial, integral quando veta o todo, e o veto parcial, para artigo, paragrafo, inciso ou alínea. Art. 66§2 e 3. CF. o veto deve ser sempre motivado, e o motivo pode ser de ordem jurídica ou politica. É possível que o congresso derrube o veto com uma seção conjunta com maioria absoluta. 66§ 4. Se foi aprovada o ato já foi constituído (quando a iniciativa é do presidente da republica a lei pode ser emendada pela câmara de deputados ou senado, existem dois limitações, a emenda não pode mudar o projeto a ponto de desfigura-lo, tirar a originalidade daquele projeto e a ementa não pode implicar em aumento de despesa).
- FASE COMPLEMENTAR: ocorre a promulgação da lei e a publicação: nesta fase o ato já está constituído. Já é lei, nesta fase tem a promulgação da lei que é um atestado de existência da lei e dar executoriedade da lei. Após a promulgação vem à publicação, dar publicidade ao ato legislativo e a lei passa a ser obrigatória, pois se presume que chegou ao conhecimento da sociedade.
PROJETO LEGISLATIVO SUMÁRIO... ART. 64 o que difere o processo legislativo do sumário é a fixação de prazo máximo para apreciação do projeto de lei. O Presidente da republica poderá solicitar ao congresso nacional urgência na apreciação de projeto de lei de sua iniciativa. A cada casa terá 45 para aprecia-lo (o prazo não corre em período de recesso) quando acaba o prazo o projeto deverá ser incluído na ordem do dia, sobressaltando sobre