A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
47 pág.
direito constitucional 2° bimestre

Pré-visualização | Página 8 de 24

de quaisquer recursos repassados pela União mediante convênio, acordo, ajuste ou outros instrumentos congêneres, a Estado, ao Distrito Federal ou a Município;
VII - prestar as informações solicitadas pelo Congresso Nacional, por qualquer de suas Casas, ou por qualquer das respectivas Comissões, sobre a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial e sobre resultados de auditorias e inspeções realizadas;
VIII - aplicar aos responsáveis, em caso de ilegalidade de despesa ou irregularidade de contas, as sanções previstas em lei, que estabelecerá, entre outras cominações, multa proporcional ao dano causado ao erário;
IX - assinar prazo para que o órgão ou entidade adote as providências necessárias ao exato cumprimento da lei, se verificada ilegalidade;
X - sustar, se não atendido, a execução do ato impugnado, comunicando a decisão à Câmara dos Deputados e ao Senado Federal;
XI - representar ao Poder competente sobre irregularidades ou abusos apurados.
§ 1º No caso de contrato, o ato de sustação será adotado diretamente pelo Congresso Nacional, que solicitará, de imediato, ao Poder Executivo as medidas cabíveis.
§ 2º Se o Congresso Nacional ou o Poder Executivo, no prazo de noventa dias, não efetivar as medidas previstas no parágrafo anterior, o Tribunal decidirá a respeito.
§ 3º As decisões do Tribunal de que resulte imputação de débito ou multa terão eficácia de título executivo.
§ 4º O Tribunal encaminhará ao Congresso Nacional, trimestral e anualmente, relatório de suas atividades.
Algumas vezes ocorre que o tribunal de constas faz controle de constitucionalidade incidental, suma 347, apreciar a constitucionalidade incidental das leis e dos atos do poder publico. 
O processo administrativo do tribunal de contas deve obedecer o processo legal, tem contraditório, muitas vezes pode ser revista pelo judiciário, que pode ser mantida ou anulada a decisão.
27-04-2016
O PARTIDO POLITICO NA CONSTITUIÇÃO DE 1988
Premissa art. 1°CF democracia
Limites- princípios constitucionais
Soberania nacional: compromisso com os valores nacionais
Pluripartidarismo: tem haver com o pluralismo politico, institucionalização do pluralismo politico que é um dos fundamentos do estado
Regime democrático: democracia dentro dos partidos, para que os mais influentes não interfiram nas decisões politicas.
Direitos fundamentais da pessoa humana: não pode ser criado partidos que afrontem ou desrespeitem direitos fundamentais. Mas cada partido é livre para interpretar os direitos fundamentais como quiser.
Além dos limites existem as exigências constitucionais para criação dos partidos
Necessidade do partido ter caráter nacional: o caráter nacional e âmbito nacional, o partido deve ser registrado no DF por ser nacional, e não pode ter o âmbito regional
Prestação de contas: deve ser feita anualmente (até 30/04 de cada ano) origem dos recursos e destinação. Receitas que recebeu e gastos que executou.
Funcionamento parlamentar AR 12 e 13 da lei 9096/95: o partido fazer parte das bancadas e lideranças nas casas legislativas.
Os partidos políticos sofrem algumas vedações:
O partido não pode receber receita oriunda de origem estrangeira;
Utilização de organização paramilitar. Significa que o partido politico tem que seguir o regime democrático
Garantias conferidas pela constituição aos partidos políticos
Autonomia partidária. Desde que não incida nas proibições e respeite os princípios constitucionais o partido é livre ele tem autonomia para estabelecer suas regras de organização, funcionamento e disciplina partidária. Esta autonomia não significa que o partido esteja imune ao ordenamento jurídico.
Democracia interna;
Fidelidade partidária. Assume duas dimensões, a primeira é ser fiel a proposta do partido, votar de acordo com os princípios e ideais do partido. A segunda dimensão é não sair do partido que o elegeu, pois o mandato é do partido. O entendimento atual é que o cargo majoritário (prefeito, senador) se o cargo é decorrente do poder legislativo em regra se perde o mandato.
Disciplina partidária: a possibilidade de o partido fazer sua própria disciplina e os filiados obedecer.
Acesso ao fundo partidário
Acesso a radio e televisão gratuitos.
O partido politico é dotado de personalidade jurídica de direito privado; Quando é criado ele é registrado como pessoa jurídica.
O partido politico não integra a estrutura estatal, por isso não é admitida a interferência do Estado no partido.
-união- pessoa jurídica de direito publico interno
-republica federativa – pessoa jurídica de direito publico externo
10-05-2016
PODER EXECUTIVO
Presidencialismo de coalizão (sergio Abranches)
Parlamentares- ministros e secretários, se elege o presidente da republica e ele nomeia dentro do poder executivo seus ministros e secretário. O presidente nomeia os ministros para agradar os partidos, tipo venda de cargo mesmo.
- PRESSIDENTE E VICE PRESIDENTE DA REPUBLICA ART 76
Art. 76. O Poder Executivo é exercido pelo Presidente da República, auxiliado pelos Ministros de Estado.
- SUCESSÃO E SUBSTITUIÇÃO ART 79 
Substituição ocorre quando há impedimento temporário, pode ser voluntário (licença ou viagem) ou involuntário (doença ou cirurgia)
Sucessão, é definitiva, se dá com a vacância do cargo, pode ser com morte, renuncia, incapacidade absoluta 
Art. 79. Substituirá o Presidente, no caso de impedimento, e suceder- lhe-á, no de vaga, o Vice-Presidente.
Parágrafo único. O Vice-Presidente da República, além de outras atribuições que lhe forem conferidas por lei complementar, auxiliará o Presidente, sempre que por ele convocado para missões especiais.
Art. 80. Em caso de impedimento do Presidente e do Vice-Presidente, ou vacância dos respectivos cargos, serão sucessivamente chamados ao exercício da Presidência o Presidente da Câmara dos Deputados, o do Senado Federal e o do Supremo Tribunal Federal.
Art. 81. Vagando os cargos de Presidente e Vice-Presidente da República, far-se-á eleição noventa dias depois de aberta a última vaga.
§ 1º - Ocorrendo a vacância nos últimos dois anos do período presidencial, a eleição para ambos os cargos será feita trinta dias depois da última vaga, pelo Congresso Nacional, na forma da lei.
§ 2º - Em qualquer dos casos, os eleitos deverão completar o período de seus antecessores.
Art. 82. O mandato do Presidente da República é de quatro anos e terá início em primeiro de janeiro do ano seguinte ao da sua eleição.  
Art. 83. O Presidente e o Vice-Presidente da República não poderão, sem licença do Congresso Nacional, ausentar-se do País por período superior a quinze dias, sob pena de perda do cargo.
-ATRIBUIÇÕES: como chefe de estado o PR representa o Brasil nas relações internacionais, e como chefe de governo, trata de negócios de natureza política. Como chefe de administração publica, exerce funções de natureza administrativa. A nomeação de ministros do STF e dos tribunais superiores e de magistrados do TRF, TRT e TER, faz parte da função de chefe de estado. Anoação de governadores de território, procurador geral fa republica, presidentes e diretores do banco central e a advocacia geral da união faz parte das atribuições da chefia de governo, que também pode convocar e presidir o conselho da republica. O conselho de defesa nacional, da chefia de estado.
Art. 84. Compete privativamente ao Presidente da República:
I - nomear e exonerar os Ministros de Estado;
II - exercer, com o auxílio dos Ministros de Estado, a direção superior da administração federal;
III - iniciar o processo legislativo, na forma e nos casos previstos nesta Constituição;
IV - sancionar, promulgar e fazer publicar as leis, bem como expedir decretos e regulamentos para sua fiel execução;
V - vetar projetos de lei, total ou parcialmente;
VI – dispor, mediante decreto, sobre:  
a) organização e funcionamento da administração federal, quando não implicar aumento de despesa nem criação ou extinção de órgãos públicos;  
b) extinção de funções ou cargos públicos, quando vagos