Avaliação
4 pág.

Avaliação


DisciplinaHistória Moderna: da Formação do Sistema Internacional200 materiais1.397 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Avaliação: CEL0486_AV» HISTÓRIA MODERNA: DA FORMAÇÃO DO SIST. INTERNAC. 
Tipo de Avaliação: AV 
Aluno: 
Professor: ADRIANA DE SOUZA CARVALHO Turma: 
Nota da Prova: 5,0 Nota de Partic.: 0 Av. Parcial 2 Data: 17/06/2016 21:31:16 
 
 
 1a Questão (Ref.: 201407402972) Pontos: 0,5 / 1,0 
A Igreja foi uma das principais forças institucionais durante o período 
medieval, mas muitas vezes é inteiramente esquecida na Idade 
Moderna. Seus movimentos permaneceram presentes na sociedade 
após a Contra reforma, são uma força importante nas 
colônias. Discuta a o papel da Igreja Católica na Europa dos século 
XVII e XVIII. 
 
 
 
Resposta: A Igreja Católica nos séculos XVII e XVIII vinha se reerguendo após sua "crise" durante o período 
medieval. Estava, aos poucos, retomando sua forte influência nas decisões do estado. 
 
 
Gabarito: O aluno deve sinalizar seu papel intelectual e na associação com importantes monarquias. Uma das 
formas de identidade nos próprios Estados Nacionais é o reconhecimento religioso. 
 
 
Fundamentação do(a) Professor(a): Deveria ter discorrido um pouco mais em sua análise do quadro histórico da 
atuação da Igreja Católica na modernidade 
 
 
 
 2a Questão (Ref.: 201407593896) Pontos: 1,0 / 1,0 
O liberalismo econômico, que incorporou a máxima "deixai fazer, deixai passar", criada em meados do século 
XVIII, objetivava romper com as práticas tradicionais do mercantilismo. a) Aponte duas características do 
liberalismo que o diferenciavam do mercantilismo. b) Explique como o liberalismo econômico contribuiu para o 
fim do sistema colonial. 
 
 
 
Resposta: A) O Mercantilismo visava o lucro da metropole, de forma que a balança comercial deveria ser 
sempre superavitária, e as produções da colônia deveriam atender aos interesses metropolitanos por lucro, 
produzindo e extraindo da terra somente o que era exigido pela metropole, priorisando as necessidades 
externas por produtos que só a colonia tinha solo/clima favoráveis à produção, e então esses produtos eram 
exportados para outros países. Já no liberalismo, não havia essas exigências de produção voltada à exportação 
e lucro da metrópole. B) Como o liberalismo tornava a produção colonial independente dos interesses 
metropolianos, acabou por tornar desnecessário o sistema colonial, pois não havia mais o lucro significativo da 
metrópole. 
 
 
Gabarito: a) A condenação da intervenção do Estado na economia e a afirmação do trabalho humano como 
fonte geradora das riquezas constituem-se em fundamentos do liberalismo. b) O liberalismo econômico, ao 
condenar as idéias de monopólio e de pacto colonial, características essenciais do sistema colonial, propiciou 
uma série de reivindicações que resultou no processo de independência das colônias americanas, pondo fim ao 
sistema colonial. 
 
 
 
 3a Questão (Ref.: 201407438456) Pontos: 0,0 / 1,0 
Analise as afirmativas abaixo sobre a Monarquia Absolutista Européia: 
 
I- O Absolutismo foi um desejo dos povos que, pela concentração dos poderes nas mãos de um homem, viam a 
sua salvação. 
II- No Absolutismo europeu, nota-se a ausência do Regime do Ministério, que só surgiu após a Gloriosa 
Revolução Inglesa. 
III- A confiança que o Rei da França devotava aos seus ministros transformava-se numa grande dor, quando da 
morte de algum deles. 
IV- A vida burocrática administrativa desapareceu em toda parte onde o Absolutismo se desenvolveu. 
 
Com base na análise, podemos afirmar que: 
 
 
 
somente a I está correta. 
 
somente a II e a IV estão corretas. 
 
somente a I e a III estão corretas 
 
somente a I, a II e a III estão corretas. 
 
somente a III e a IV estão corretas. 
 
 
 
 4a Questão (Ref.: 201407521936) Pontos: 1,0 / 1,0 
O processo de unificação espanhola, importante para a formação da Espanha como um Estado moderno e forte, 
se consolidou através do : 
 
 
 
Casamento dos reis Fernando de Aragão e Isabel de Castela 
 
Monopólio do comércio nas terras do Novo Mundo 
 
Processo de unificação dos reinos de Granada e Navarra 
 
Controle de rotas comerciais no Atlântico, junto com os ingleses 
 
Apoio português na União Ibérica 
 
 
 
 5a Questão (Ref.: 201407912284) Pontos: 1,0 / 1,0 
(Superpro) Os Tratados de Westfália (Münster e Osnabruch), que puseram fim à Guerra dos Trinta Anos (1618-
1648), tiveram ampla repercussão, tendo em vista que: 
 
 
 
consagraram os princípios de uma ideologia católica, absolutista e autoritária, que foram impostos pela 
França. 
 
permitiram à Espanha, então governada por Filipe IV, obter bases marítimas nos Países Baixos e nas 
Províncias Unidas. 
 
atraíram a participação da Inglaterra para a solução dos problemas continentais advindos da evolução 
econômica. 
 
romperam com o estatuto que definia a estabilidade política e religiosa das nações europeias. 
 
acabaram com a política de hegemonia dos Habsburgos e impediram, provisoriamente, a ideia de uma 
unidade imperial da Europa. 
 
 
 
 6a Questão (Ref.: 201407424276) Pontos: 1,0 / 1,0 
Assinale a opção que caracteriza a economia colonial estruturada como desdobramento da expansão mercantil 
européia da época moderna. 
 
 
 
A descoberta de ouro no final do século XVII aumentou a renda colonial, favorecendo o rompimento dos 
monopólios que regulavam a relação com a metrópole. 
 
A produção de abastecimento e o comércio interno foram os principais mecanismos de acumulação da 
economia colonial. 
 
A implantação da empresa agrícola representou o aproveitamento, na América, da experiência anterior 
dos portugueses nas suas colônias orientais. 
 
A lavoura de produtos tropicais e as atividades extrativas foram organizadas para atender aos interesses 
da política mercantilista européia. 
 
O caráter exportador da economia colonial foi lentamente alterado pelo crescimento dos setores de 
subsistência, que disputavam as terras e os escravos disponíveis para a produção. 
 
 
 
 7a Questão (Ref.: 201407530156) Pontos: 0,0 / 0,5 
Segundo a antropóloga Ana Cristina Lopes Nina, em sua obra Ventos da Impermanência, acerca da tomada de 
poder pelos Qing e suas relações com o Tibet, ela explicita que um dos fatores fundamentais para o sucesso da 
invasão e a deposição dos Ming se deve ao fato dos manchus terem prometido que: 
 
 
 
respeitaria os acordos comerciais com a Inglaterra e Japão. 
 
respeitaria a diversidade religiosa tanto chinesa como tibetana. 
 
respeitaria o imperador Ming e o grande Lama tibenato, criando um modelo representativo de 
administração. 
 
respeitaria os princípios islâmicos dos dois povos, mantendo livre o caminho até Meca. 
 
manteria os funcionários públicos em seu cargo, mantendo as caracaterísticas da administração anterior. 
 
 
 
 8a Questão (Ref.: 201407544930) Pontos: 0,5 / 0,5 
A distribuição das propriedades em terras pela classe governante era provavelmente única na Europa Ocidental: 
desde a Revolução de Avis, em 1383, a renda anual da monarquia era quase igual à da Igreja, e as duas 
juntas... maiores que o total dos rendimentos da nobreza... Combinada com a ausência da servidão adscrita e 
com a ascensão do comércio costeiro do século XIII em diante, ela marcou Portugal para um futuro diferente 
desde cedo. (Perry Anderson) Assinale a opção que se refere corretamente ao futuro diferente mencionado no 
trecho. 
 
 
 
A grande influência eclesiástica na política e na economia do Reino, levando-o a defender-se expulsando 
os jesuítas no século XVIII. 
 
A expansão marítima, possibilitada pela centralização da arrecadação da renda nacional e do poder 
político. 
 
A posição proeminente de Portugal nas negociações com a Igreja Católica e com