A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
311 pág.
EXERCÍCIOS HISTORIA COC

Pré-visualização | Página 2 de 50

morte dos principais reis gregos, quando retornavam da Guerra de
Tróia.
8. UFCE Analise o texto abaixo.
“E repare o leitor como a língua portuguesa é engenhosa. Um contador de histórias é justamen-
te o contrário do historiador, não sendo um historiador, afinal de contas, mais do que um conta-
dor de histórias.(...)”
ASSIS, Machado de. Apud: CHALHOUB, S. e PEREIRA L. A. de M.(Org) A História Contada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira,
1998, p. 67.
Antes as novas tendências interpretativas da História, há uma diferença entre o contador
de histórias e o historiador, de acordo com o qual é correto afirmar que:
a) a literatura torna-se inexpressiva ao historiador, que se fundamenta nos documentos
manuscritros e impressos;
b) o contador de história recorre à ficção e o historiador, envolve-se com o real, de acor-
do com a sua interpretação e as práticas sociais consideradas;
c) a interpretação do historiador, apesar de valorizar a diversidade de informações, deve
limitar-se à do contador de histórias;
d) a história do cotidiano passou a ser depreciada pelos profissionais da História por
menosprezar a análise social;
e) a autenticidade dos fatos históricos exclui a força da subjetividade, presente na re-
construção do passado.
9. UnB-DF A História, um dos ramos nobres das ciências sociais, padece das inse-
guranças e incertezas que caracterizam a própria condição humana, objetivo por
excelência da investigação histórica. Moderam-se os riscos externos da parcialida-
de e da intervenção subjetiva do historiador graças aos métodos de pesquisa, cada
vez mais rigorosos e sustentados na ampliação das fontes. Os documentos exercem
um grande fascínio sobre o historiador ao convidá-lo à reflexão crítica e profissio-
nal dos vestígios que permitem reconstruir uma explicação acerca de fenômenos e
processos ocorridos no passado recente ou remoto. Quanto ao papel das fontes,
dos documentos e dos arquivos para a pesquisa histórica, julgue os itens que se
seguem.
( ) Os documentos, imprescindíveis ao labor historiográfico, contêm a História em
si, tornando desnecessária a tarefa de construções de perguntas, hipóteses e ex-
plicações.
( ) No Brasil, a ausência de cuidado com vários arquivos, muitos deles impossibilita-
dos de oferecer condições de trabalho para o pesquisador, expõe a falta de ênfase à
formação da memória nacional.
( ) As fontes para a pesquisa histórica ampliam-se à medida que as sociedades con-
temporâneas inventam meios para registrar suas memórias, criando novas formas
de consolidar fatos e processos que serão objeto de investigação para o historiador
do futuro.
( ) Articulado com os métodos e as mais variadas técnicas e aproveitando-se do avan-
ço tecnológico que permite a adoção de novas estratégias de acesso à informação,
inclusive a eletrônica, o historiador não, é mais aquele que apenas trabalha com
documentos e monumentos.
HISTÓRIA - O modo de produção asiático, Grécia antiga e mundo romano
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
4
10. U.F.São Carlos-SP
“Há muitas maravilhas, mas nenhuma
é tão maravilhosa quanto o homem.
(…)
Soube aprender sozinho a usar a fala
e o pensamento mais veloz que o vento
e as leis que disciplinam as cidades,
e a proteger-se das nevascas gélidas,
duras de suportar a céu aberto…”
SÓFOCLES, Antígona. trad. KURY, Mário da Gama. RJ: Jorge Zahar Editor, 1993, p. 210-211.
O fragmento acima, apresentação do coro de Antígona, drama trágico de autoria de Sófo-
cles, manifesta uma perspectiva típica da época em que os gregos clássicos
a) enalteciam os deuses como o centro do universo e submetiam-se a impérios centrali-
zados.
b) criaram sistemas filosóficos complexos e opuseram-se à escravidão, combatendo-a.
c) construíram monumentos, considerando a dimensão humana, e dividiram-se em cida-
des-estados.
d) proibiram a representação dos deuses do Olimpo e entraram em guerra contra a cida-
de de Tróia.
e) elaboraram obras de arte monumentais e evitaram as rivalidades e as guerras entre
cidades.
11. UFMS O texto a seguir refere-se à Revolução Neolítica, ocorrida na Pré-História :
 “A primeira revolução que transformou a economia humana deu ao homem o controle sobre
o abastecimento de sua alimentação. O homem começou a plantar, cultivar e aperfeiçoar, pela
seleção, as ervas, raízes e árvores comestíveis. E conseguiu domesticar e colocar sobre sua depen-
dência certas espécies de animais, em troca do alimento, da produção e da previsão que podia
oferecer. Os passos estão intimamente relacionados.”
CHILDE, Vere Gordon. A Evolução Cultural do Homem.
5ª ed, Rio de Janeiro: Zahar, 1986, p.770.
Sobre esse assunto, é correto que:
01. a domesticação de cabras, gado de chifre, ovelhas e porcos não fez parte da Revolu-
ção Neolítica no Velho Mundo.
02. o cultivo da cevada e do trigo também favoreceu um aumento da produção de ali-
mentos e, por conseguinte, um significativo crescimento da população humana no
vale do Nilo, região localizada no continente africano.
04. há cerca de 100.000 anos, aproximadamente 25% da população humana exis-
te no planeta passou a adotar uma economia baseada na produção de vegetais
e na criação de animais, abolindo a caça e a coleta de suas atividades econô-
micas.
08. o cultivo de batatas, cucurbitáceas, feijões e milhos, somando à criação de Lha-
mas e porcos da Índia, também marcaram a economia neolítica em algumas regi-
ões da América do Sul e constituem um dos legados dos povos ameríndios à
humanidade.
16. as revoluções econômicas ocorridas na Pré-história só foram possíveis porque os
homens dispunham de um conjunto de experiências e conhecimentos acumulados
ao longo de várias gerações.
Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.
HISTÓRIA - O modo de produção asiático, Grécia antiga e mundo romano
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
5
12. UFPB A periodização é parte fundamental do saber histórico. Nesse sentido, afirma-se:
I. O marco histórico pode ser definido como qualquer acontecimento cuja importância
social o transforma em referência na explicação histórica.
II. A consagrada divisão temporal de História Antiga, História Medieval, História Mo-
derna e História Contemporânea reflete o eurocentrismo da idéia de História Univer-
sal linear.
III. A periodização é um recurso metodológico do saber histórico que serve para orientar
a compreensão de acontecimentos e processos vividos como forma de evitar o ana-
cronismo, ou seja, evitar atribuir a uma época o que a ela não pertence.
Considerando as afirmações, está(ão) corretas(s):
a) somente I; d) somente III;
b) somente I e II; e) todas.
c) somente II e III;
13. UECE Por muito tempo, os historiadores acreditaram que deveriam e poderiam repro-
duzir os fatos “tal como haviam ocorrido”. Dentre as características do conhecimento
histórico que assim produziam, podemos assinalar corretamente:
a) ao privilegiarem a realidade dos fatos, os historiadores esperavam produzir um conhe-
cimento científico, que analisasse os processos e seus significados;
b) era uma história linear, cronológica, de nomes, fatos e datas, que pretendia uma ver-
dade absoluta, expressão da neutralidade do historiador;
c) como se percebeu ser impossível chegar à verdadeira face do que “realmente aconte-
ceu”, todo o conhecimento histórico ficou marcado pelo relativismo total;
d) os fatos privilegiados seriam aqueles poucos que eram amplamente documentados,
como as festas populares e a cultura das pessoas comuns.
14. F.M. Itajubá-MG O sistema econômico, social e político do Império Romano funcio-
nou bem nos três primeiros séculos da Era Cristã; a partir de então, começou uma crise
que o levou à desintegração no século V. Qual dos itens a seguir indica uma das causas
reais da queda do Império Romano?
a) O governo de Sila, que entre outras medidas, elevou para 600 o