Tabernáculo de Moisés Kevin J. Conner  completo por yanna
50 pág.

Tabernáculo de Moisés Kevin J. Conner completo por yanna


DisciplinaTeologia12.678 materiais29.953 seguidores
Pré-visualização50 páginas
se trata de uma \u201ccobertura\u201d (Números 3.25 e 4.25). O carneiro era usado na oferta pela culpa (Levítico 5.15), no holocausto (Levítico 8.18) e nas ofertas pacíficas (Levítico 9.4). Também é chamado de \u201ccarneiro da consagração\u201d (Êxodo 29.15-22 \u2013 ERA). O carneiro era usado na ordenação dos sacerdotes (Levítico 8.22). A primeira vez que a Bíblia menciona o sacrifício de um carneiro como substituto foi quando Deus providenciou um carneiro para ser usado como oferta em lugar de Isaque, o filho unigênito de Abraão, no Monte Moriá (Gênesis 22.8-13).
Esse é um episódio profético do \u201cFilho de Deus, Jesus Cristo, que tornou-se o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo\u201d (João 1. 29,36), revelando Cristo como:

Aquele que se ofereceu de uma vez por todas, em sacrifício único a Deus (Hebreus 9.26-28).
O único capaz de ser nosso substituto ao morrer em nosso lugar (1Coríntios 15.4; Gálatas 1.4).

O único perfeitamente santo, comprometido em fazer a vontade de Deus (Hebreus 7.25-28)

É através desta cobertura que Cristo providenciou para a Igreja que nós tomamos parte da sua natureza e Espírito (Romanos 12.1,2; Romanos 4.25). Devemos oferecer nossas próprias vidas em sacrifício vivo e santo a Deus.
As peles de carneiro deviam ser tingidas de vermelho. Vermelho é a cor do sacrifício de sangue e identifica a purificação do pecado. As peles de carneiro tingidas de vermelho eram a cobertura central do Tabernáculo, apontando para a figura central da divindade, o Senhor Jesus Cristo. Essas peles simbolizam o sacrifício do Senhor Jesus e seu sangue derramado por nossos pecados. Ele é o nosso redentor, o carneiro da consagração que se submeteu à vontade do Pai e trouxe-nos a aliança eterna de salvação (Hebreus 13.20). \u201cEmbora os seus pecados sejam vermelhos como escarlate, eles se tornarão brancos como a neve; embora sejam rubros como púrpura, como a lã se tornarão\u201d (Isaias 1.18).
Na primeira vinda de Cristo, suas vestes foram manchadas de vermelho pelo sangue da expiação. Na segunda vinda, suas vestes também ficarão manchadas de vermelho, mas pelo sangue dos seus inimigos. Essas roupas manchadas de vermelho não se referem à expiação, mas estão relacionadas ao juízo de Jesus Cristo sobre os pecadores. \u201cQuem é aquele que vem de Edom, que vem de Bozra, com as roupas tingidas de vermelho? Quem é aquele que, num manto de esplendor, avança a passos largos na grandeza da sua força? \u2018Sou eu, que falo com retidão, poderoso para salvar. \u2019 \u2018Por que tuas roupas estão vermelhas, como as de quem pisa uvas no lagar? \u2019 \u2018Sozinho pisei uvas no lagar; das nações ninguém esteve comigo. Eu as pisoteei na minha ira e as pisei na minha indignação; o sangue delas respingou na minha roupa, e eu manchei toda a minha veste\u2019\u201d (Isaias 63.1-3). Na cena final do livro do Apocalipse nós vemos um cavaleiro num cavalo branco cujas vestes estão manchadas de sangue (Apocalipse 19.11-14).

9. ... e por cima desta uma cobertura de couro... (Êxodo 26.14)
A última cobertura, colocada sobre todas as outras, era a de couro. Assim como não há registro das medidas dessas coberturas de pele de carneiro, também não sabemos as medidas dessa cobertura. É sugestivo que as peles dessa cobertura fossem de animais marinhos. De fato, a Septuaginta menciona \u201cpeles de cor azul\u201d. Seja como for, estas peles agiam como proteção contra as tempestades e o calor do deserto. Estas peles de couro eram usadas como cobertura para todos os utensílios do Tabernáculo, quando em trânsito.

Estas peles de couro não tinham muito valor ou beleza. Portanto, quando as pessoas olhavam para o Tabernáculo não viam nenhuma beleza. Somente os sacerdotes tinham acesso ao interior do Tabernáculo e podiam apreciar sua verdadeira beleza.
Isso também é verdadeiro em relação a Cristo. Isaías declara que \u201cnada havia em sua aparência para que o desejássemos\u201d (Isaias 53.1-3), \u201cporque sua aparência estava tão desfigurada, que ele se tornou irreconhecível como homem; não parecia um ser humano\u201d (Isaias 52.14). Para o homem natural, não-regenerado, não há nenhuma beleza que possa atrai-los em Cristo, mas para aqueles que estão em Cristo, ele é visto em grande glória e beleza (Hebreus 1.13 e Colossenses 1.19). Para aqueles que estão em Cristo, \u201cEle é mui desejável\u201d (Cantares5.16), mas para aqueles que não estão em Cristo, Ele não é nada desejável. Pois \u201cquem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente (1Coríntios 2.14).
Essas são as quatro cortinas e coberturas do Tabernáculo de Moisés. A idéia de cobertura não ocorre somente no Tabernáculo. A arca de Noé possuía uma cobertura (Gênesis 8.13). Todas as coberturas citadas na Bíblia apontam para aquele que oferece a "cobertura" para a Igreja, o nosso Senhor Jesus Cristo. Cristo é nossa:

Cortina de linho - justiça
Cortina de pelos de cabra - oferta pelo pecado
Cobertura de peles de carneiro tingidas de vermelho - substituto
Cobertura de couro - proteção e cobertura

Cristo é a cobertura da Igreja, que é seu Tabernáculo. A cobertura inclui tudo que Ele é, tudo que Ele diz e tudo que Ele faz! \u201cSobre mim pôs o manto da justiça\u201d (Isaías 61.10).

AS ENTRADAS DO TABERNÁCULO
__________________Êxodo 26.31-37; 36.35-38___________________
\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb\ufebb

O Santuário possuía duas entradas, sendo uma chamada \u201co véu\u201d e a outra \u201ca porta\u201d. Em nosso estudo, nós iremos considerá-las nesta ordem.

1. Faça um véu... (Êxodo 26.31).
A primeira entrada é aquela descrita em Hebreus 9.3 como o \u201csegundo véu\u201d. Assim como fez ao descrever a mobília para o Santuário, Deus começa pela entrada mais próxima dele mesmo. Era através deste véu que o sacerdote entrava uma vez por ano na própria presença ou glória Shekinah de Deus. Este era o caminho para o Santo dos Santos ou Lugar Santíssimo. Essa entrada é mencionada nas Escrituras de várias outras maneiras. Vejamos alguns nomes:

Véu (Êxodo 26.31; Hebreus 6.19): Véu é uma espécie de divisória ou cortina de separação geralmente usada para ocultar algo. Essa definição pode ser relacionada a este véu.
Segundo véu (Hebreus 9.3): A porta do Santuário era considerada o primeiro véu pelo qual se chegava ao Lugar Santo. Para se aproximar de Deus, o véu colocado na frente do Lugar Santíssimo era o segundo véu pelo qual o homem precisava passar.
Véu protetor (Números 4.5): Este véu era usado para cobrir a arca da aliança enquanto em trânsito. A arca nunca era vista pelas pessoas.
Véu que esconde as tábuas da aliança (Levítico 24.3): Além de cobrir a arca, o véu também cobria as tábuas da Lei que estavam na arca.
Véu do Santuário (Levítico 4.6): Este era o único véu dentro 40 Santuário que separava o sacerdote e o Lugar Santíssimo.

2. ... de linho fino trançado e de fios de tecidos azul, roxo e vermelho... (Êxodo 26.31)
Este véu era semelhante às cortinas de linho fino colocadas sobre a estrutura do Tabernáculo (veja capítulo anterior, referente às cortinas e coberturas). Assim como as cortinas, também era confeccionado com linho fino trançado em cores iguais. Temos, portanto, aqui simbolizadas as mesmas verdades:

1. O linho fino trançado representa o Senhor Jesus, como aquele que é \u201ca nossa justiça\u201d (Jeremias 23.6; 1Coríntios 1.30; 2 Coríntios 5.21; Apocalipse 19.7,8). Ele é o homem justo descrito no Evangelho de Lucas.
2. Azul é a cor do céu, e Jesus é \u201c... o segundo homem,... o Senhor dos céus\u201d (1 Coríntios 15.47 \u2013 KJV e João 3.13,31). Ele é o homem celestial revelado no Evangelho de João.
3. Roxo é a cor da realeza, freqüentemente associada à majestade e nobreza. Jesus é o Rei dos reis e o Senhor dos senhores. Ele é o herdeiro legítimo do Trono de Davi (Lucas 1.30-33).
A mistura de azul (celestial) e vermelho (sacrifício terreno) produz o roxo (realeza). Jesus é o Rei registrado pelo Evangelho de Mateus.
4. Vermelho é a cor do sangue do sacrifício. Jesus é o Cordeiro de Deus, nosso sacrifício (João 1.29; Mateus 20.28). Ele veio
Diogenes
Diogenes fez um comentário
amigo vc dispõe dos outros dois da coleção ?
0 aprovações
Josiel
Josiel fez um comentário
affz
0 aprovações
Carregar mais