Tabernáculo de Moisés Kevin J. Conner  completo por yanna
50 pág.

Tabernáculo de Moisés Kevin J. Conner completo por yanna


DisciplinaTeologia12.678 materiais29.953 seguidores
Pré-visualização50 páginas
para servir. O Evangelho de Marcos demonstra o ministério de Jesus como servo.

	Todas essas cores estavam presentes no véu. O véu era um trabalho gracioso e feito com habilidade através da capacitação concedida pela sabedoria e pelo Espírito de Deus. Ele deveria ser feito de acordo com o padrão divino. Isso simboliza a riqueza de detalhes e o maravilhoso trabalho que atuaram na pessoa, na vida e no ministério do Senhor Jesus Cristo, a Palavra que se fez carne, pelo Espírito Santo.

3. ... e mande bordar nele querubins (Êxodo 26.31).
Assim como as cortinas de linho fino eram bordadas com figuras de querubins, também o véu que separava o Lugar Santíssimo do restante do Santuário deveria ter querubins bordados. Esta era a única diferença entre o véu e a porta do Santuário. Querubins não eram meramente anjos, como nós já vimos. Eles são vistos através das Escrituras como representações da divindade. Nós observamos que foram os querubins que guardaram o caminho para a árvore da vida com uma espada flamejante (Gênesis 3.24). Na tampa da arca da aliança, os querubins ficavam de frente um para o outro, com o rosto voltado para a tampa, contemplando o propiciatório (trono de misericórdia) aspergido com o sangue (Êxodo 25.18-22). Aqui, os querubins são bordados no véu, o qual Paulo menciona como representativo da carne de Cristo, guardando o Santíssimo Lugar contra qualquer tentativa de entrada indevida.
O véu era uma obra esmerada e seus fios eram trançados pela sabedoria e pelo Espírito de Deus de acordo com o padrão divino, representando detalhadamente o maravilhoso projeto realizado através da vida e do ministério do Senhor Jesus Cristo, a Palavra que se fez Carne, pelo Espírito Santo.
Assim como os querubins estavam bordados no tecido do véu, também o Filho de Deus estava \u201ctrançado\u201d ou junto com o Pai e o Espírito Santo, \u201cPois em Cristo habita corporalmente toda a plenitude da divindade\u201d (Colossenses 2.9; 1.19; João 4.34; 14.10).

4. Pendure-o com ganchos de ouro em quatro colunas de madeira de acácia revestidas de ouro (Êxodo 26.32).
O véu deveria ser pendurado com ganchos em quatro colunas de madeira de acácia revestidas de ouro. Novamente, vemos o conceito das duas naturezas em uma única pessoa (coluna). É interessante que havia quatro colunas sustentando o véu, que Paulo afirma representar o corpo de Cristo (Hebreus 10.20). A porta do Santuário era sustentada por cinco colunas. As quatro colunas parecem sustentar o corpo de Cristo ou, poderíamos dizer, o ministério de Cristo na carne. Essas quatro colunas podem estar representando os quatro evangelhos. Há somente quatro livros no Novo Testamento que tratam do ministério terreno de Jesus Cristo, sua morte, sepultamento e ressurreição. O livro de Atos e as epístolas tratam do ministério celestial de Cristo. Portanto, assim como as quatro colunas sustentam o véu, os quatro evangelhos sustentam a revelação de \u201cCristo segundo a carne\u201d (2Coríntios 5.16,17 \u2013 ERA). Eles mostram Deus \u201cmanifestado em corpo\u201d (1Timóteo 3.16).
Nota: um estudo bastante interessante seria comparar os quatro seres viventes encontrados em Ezequiel 1 e Apocalipse 4.6-8 com essas quatro colunas.
5. ... fincadas em quatro bases de prata (Êxodo 26.32).
Como veremos mais adiante, as cinco colunas da porta eram apoiadas em bases de bronze. Mas no segundo véu, as quatro colunas eram apoiadas em bases de prata. Essa prata foi obtida através do \u201cdinheiro do resgate\u201d durante o recenseamento dos israelitas (vide referência no capítulo que trata da estrutura do Tabernáculo). Essas colunas se apoiavam no metal da redenção e representavam o preço de 24.000 almas redimidas. Vinte e quatro é o número dos turnos sacerdotais visto no Tabernáculo de Davi e no Templo de Salomão. No livro de Apocalipse nós vemos 24 anciãos representando os redimidos de cada povo, nação, língua e tribo (Apocalipse 4.4; 5.9,10).

6. Pendure o véu pelos colchetes e coloque atrás do véu a arca da aliança. O véu separará o Lugar Santo do Lugar Santíssimo (Êxodo 26.33).
Aqui nos é revelado o propósito do véu. O véu deveria ser uma divisória ou separação entre o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo. A palavra \u201cvéu\u201d literalmente significa \u201cseparação\u201d ou \u201ccortina\u201d ou \u201caquilo que oculta\u201d. Este véu deveria ocultar a glória Shekinah da vista dos homens. Ele agia como uma separação entre o homem pecador e o Deus Santíssimo.
Este véu media 10 côvados quadrados, dando-nos uma figura dos Dez Mandamentos. Qualquer homem que pretendesse vir à presença do Santo de Israel tinha que se defrontar com a Lei. A guarda da Lei conduziria a um relacionamento com Deus, mas ninguém foi capaz de guardar totalmente a Lei. Ninguém, a não ser o Senhor Jesus Cristo. Ele é o único que guardou perfeitamente a Lei. Ele foi o único totalmente sem pecado, que pôde cumprir as condições da aliança mosaica. Somente Jesus merecia receber tudo que esta aliança proporcionava (Salmo 40.7,8).
Este véu revela muito mais do que a Lei para o crente do Novo Testamento. Paulo, o apóstolo, interpreta com clareza o significado do véu de separação: \u201cNo entanto, somente o sumo sacerdote entrava no Santo dos Santos, apenas uma vez por ano, e nunca sem apresentar o sangue do sacrifício, que ele oferecia por si mesmo e pelos pecados que o povo havia cometido por ignorância. Dessa forma o Espírito Santo estava mostrando que ainda não havia sido manifestado o caminho para o Santo dos Santos enquanto permanecia o primeiro tabernáculo. Isto é uma ilustração para os nossos dias...\u201d (Hebreus 9.7-9).
Este véu revela a todos os homens a \u201cbarreira, o muro de inimizade\u201d (Efésios 2.14), que separa Deus e o homem. Antes de qualquer pessoa poder experimentar a restauração, deve avaliar qual sua condição diante do nosso santo Deus. Enquanto o véu permanece, Deus declara um enfático: \u201cEntrada proibida!\u201d. Somente uma vez por ano, no grande Dia da Expiação, Arão, o sumo sacerdote atravessava o véu para fazer expiação pelos pecados do povo.
Quando o Senhor Jesus Cristo morreu na cruz, derramou o seu sangue como sacrifício e como sacerdote, como ofertante e como oferta. Deus, então, milagrosamente, rasgou o véu do Templo: \u201cNaquele momento, o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo\u201d (Mateus 27.51; Marcos 15.38; e Lucas 23.45).
Foi Deus quem fez realmente isso, pois o véu foi rasgado de alto a baixo! Não foi algo feito pelo homem, mas sim um ato divino. Este foi, de fato, um ato da graça de Deus. A graça é Deus se aproximando do homem, e não o homem se aproximando de Deus. Se Deus não tivesse aberto o caminho partindo o véu de separação através do sacrifício de Jesus na Cruz, então a separação provocada pelo pecado permaneceria para sempre. Quando Deus partiu o véu no Templo, isto simbolizava para toda a nação o que Deus tinha feito através de seu Filho. Alguns dos sacerdotes da ordem de Arão aceitaram o milagre do véu partido (Atos 6.7), mas a esmagadora maioria o rejeitou.
O véu partido representava o cumprimento e o fim da antiga aliança, da aliança mosaica e de todos os rituais e cerimônias relativos ao sacrifício de animais. O fim da aliança mosaica marcava o inicio da nova aliança, para a qual todos os rituais da aliança mosaica apontavam, revelando realidades espirituais ocultas nos formalismos e cerimônias (Romanos 2.20).
O véu partido significa que o caminho para o Lugar Santíssimo está agora aberto aos homens. Com a queda, o homem perdeu o caminho para Deus. Em Cristo, o caminho é restaurado. O véu não mais permanece como uma separação entre Deus e o homem. A parede de inimizade foi removida de uma vez por todas. Deus nunca mais voltará para a antiga aliança, a qual foi cumprida e abolida em seu Filho. Deus abriu o caminho. Em Cristo, nós temos acesso à presença de Deus, e podemos entrar \u201calém do véu\u201d para contemplar a glória do Senhor e sermos transformados de glória em glória. \u201cPortanto, irmãos, Redenção Resgate Substituição Reconciliação temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus, por um novo e vivo caminho que
Diogenes
Diogenes fez um comentário
amigo vc dispõe dos outros dois da coleção ?
0 aprovações
Josiel
Josiel fez um comentário
affz
0 aprovações
Carregar mais