Tabernáculo de Moisés Kevin J. Conner  completo por yanna
50 pág.

Tabernáculo de Moisés Kevin J. Conner completo por yanna


DisciplinaTeologia12.678 materiais29.953 seguidores
Pré-visualização50 páginas
seriam santas ao Senhor. O altar santificava a oferta (Êxodo 29.37; Mateus 23.19) e o ofertante.
Quando nós nos apresentamos a Deus em sacrifício vivo, Ele nos santifica. \u201cOra, tanto o que santifica quanto os que são santificados provêm de um só. Por isso Jesus não se envergonha de chamá-los irmãos\u201d (Hebreus 2.11).

18. Pois a vida da carne está no sangue, e eu o dei a vocês para fazerem propiciação por si mesmos no altar; é o sangue que faz propiciação pela vida (Levítico 17.11).
As cinco ofertas levíticas deveriam ser apresentadas sobre o altar de bronze (Levítico 1 a 7). A mensagem principal revelada por esse altar, portanto, deve ser vista com relação ao sangue da expiação (Apocalipse 5.9,10). Este altar, que representa a cruz, era o único lugar onde deveria ser derramado o sangue da expiação e do sacrifício. Deus não revelou nenhum outro lugar para os israelitas sacrificarem, nenhum outro seria aceitável diante de Deus. Todos deveriam vir através do sangue derramado sobre o altar. Todos tinham que reconhecer e aceitar \u201co lugar do sacrifício\u201d no altar de Deus.
No dia da dedicação todas as outras peças da mobília tinham que ser aspergidas com o sangue trazido deste altar. O candelabro de ouro, o altar de ouro do incenso, a mesa dos pães da Presença, a pia, o propiciatório, enfim, todos os elementos eram aspergidos. Só depois de ter sido aspergido com sangue é que o tabernáculo tornava-se um lugar de ministração. Só quando eles foram aspergidos pelo sangue que Deus pôde selar a sua obra com glória!
Deus somente poderia habitar naquele local por causa do sangue. Foi o sangue que transformou tudo; foi sangue que foi derramado para redimir a alma (Levítico 17.11-14). Deus prometeu: \u201cQuando eu vir o sangue, passarei adiante\u201d (Êxodo 12.12,13; Romanos 5.9,10; 3.24,25).
Não há nenhuma beleza no sacrifício de animais. Não há nada belo no corpo e no sangue das vítimas sacrificadas. A visão dessas coisas era provavelmente uma visão repugnante, repulsiva, que exalava mau cheiro. De fato, o sacrifício não tinha o propósito de ser algo atraente. Aquele era um lugar de juízo, era uma cena de fogo, fumaça e derramamento de sangue.
Esta cena aponta para o Calvário. O Calvário foi uma cena de pecado, de sofrimento, sangue e morte. Ali o pecado foi tratado por Deus. Foi o lugar do sacrifício do Cordeiro de Deus, e é o único lugar do universo onde o sangue de Jesus foi derramado pelos pecados. Foi uma cena do juízo contra o pecado e derramamento de sangue. Certamente aquela não foi uma bela cena. Mas sem derramamento de sangue não haveria perdão de pecados. Sem derramamento de sangue não haveria vida! Os homens tentam esconder a cruz para tornar a salvação mais atraente para o mundo pagão, mas a cruz nunca foi atraente, desde os dias bíblicos. A cruz era o instrumento ou lugar de morte!
O Calvário foi o lugar onde Cristo foi julgado por nossos pecados. Todos nós nascemos no pecado e temos participação no pecado, por isso merecemos receber o salário do pecado. \u201cPois o salário do pecado é a morte\u201d (Romanos 6.23; Gênesis 2.17). Jesus Cristo, o único Justo, escolheu tomar sobre si o castigo. O sangue derramado no Calvário é a evidência de que morreu em nosso lugar. Este sangue está agora no céu. Ele foi levado para dentro do véu do Santuário celestial e apresentado ao Pai. Ele agora concede poder no céu e na terra a todos que aceitam este poder. É este sangue que torna a presença de Jesus no Santuário terreno (a Igreja) possível.
Para o israelita, o sacrifício de animais era um assunto de fé. Deus prometera encontrar o homem no altar para julgar seu pecado. O pecador deveria trazer seu sacrifício. O ato de colocar as mãos identificando-se com o sacrifício e confessando seus pecados sobre ele era um exercício de fé. Sem fé é impossível agradar a Deus. Esta é uma verdade tanto para os dias de hoje, como na dispensação da Lei. No altar de bronze, os israelitas expressavam e declaravam sua fé em Deus através da morte substitutiva de um animal inocente. Eles criam no sangue como o modo de se aproximar de Deus (João 14.1,6; Hebreus 7.25,26).
O modo de Deus para os israelitas se aproximarem dele era primeiramente entrar pelo portão do pátio, numa atitude de arrependimento. O próximo passo era vir até o altar receber a justificação pela fé através do sangue. A condição espiritual no Antigo Testamento foi julgada com base na valorização que davam a este altar e na atitude assumida diante dele. Nós somos julgados da mesma forma.
Muitos atualmente rejeitam a mensagem da cruz e sua remissão pelo sangue por a considerá-la \u201csanguinária\u201d. Qualquer um que rejeita o sangue de Jesus Cristo está negando o critério de Deus. Uma religião que não aceita o sangue de Cristo é simplesmente uma abominação para Deus. Aqueles que rejeitam o sangue estão seguindo o \u201ccaminho de Caim\u201d. Deus quer que todos sigam o \u201ccaminho de Abel\u201d, o caminho da fé através do sangue de Jesus (Judas 11; Hebreus 11.4).
O ponto culminante em relação ao sangue era o grande dia da expiação. Nesse dia, os pecados de toda a nação eram julgados e os quatro chifres do altar de bronze eram aspergidos com sangue por sete vezes (Levítico 16.18,19). Sete é o número da perfeição. O sangue permitia que a nação pudesse vislumbrar a perfeição da ausência de pecado, ao abrir caminho para a entrada do sumo sacerdote na própria sala do trono de Deus, através do sangue derramado.
O Senhor Jesus Cristo deixou-nos uma vasta herança através de sua obra na cruz. É o poder do seu sangue que levará a Igreja à perfeição no final dos tempos. O poder do sangue está disponível a todas as pessoas do mundo.

19. O sacerdote vestirá suas roupas de linho e os calções de linho por baixo, retirará as cinzas do holocausto que o fogo consumiu no altar e as colocará ao lado do altar. Depois trocará de roupa e levará as cinzas para fora do acampamento, a um lugar cerimonialmente puro... (Levítico 6.10,11)
As cinzas indicavam que a obra estava consumada. Estas cinzas deveriam ser levadas para fora do acampamento, a um lugar cerimonialmente limpo (Levítico 4.12; Números 19). Tudo isso aponta para o Senhor Jesus Cristo, que sofreu fora do acampamento (Hebreus 13.11-13) e consumou a obra da redenção (João 19.30; 17.1-5). Ele foi o holocausto que se tornou em cinzas (Salmo 20.3).
Estas cinzas, como já dissemos, deveriam ser levadas para fora do acampamento, a um lugar cerimonialmente limpo. Isso significa que havia lugares limpos e lugares imundos fora do acampamento. Examinaremos brevemente esses dois lugares:

	1. Fora do acampamento \u2013 o lugar limpo: as cinzas do sacrifício eram levadas para \u201cfora do acampamento, a um lugar cerimonialmente limpas\u201d, e guardadas para serem usadas na água da purificação (Levíticos 4.11,12; Números 19.9).
Este aspecto é significativo pelo fato de que Jesus Cristo foi levado para \u201cfora do acampamento\u201d do judaísmo, sofrendo fora dos muros da cidade de Jerusalém, no Calvário. O Calvário tornou-se o lugar limpo diante de Deus, o único lugar de purificação do pecado e da impureza; o único meio de limpeza, purificação e separação das impurezas trazidas pela corrupção do pecado (Hebreus 13.12-14).
Nós devemos ir a Ele \u201cfora do acampamento\u201d, carregando a desonra que Ele suportou, assim corno Levi foi até Moisés (que costumava armar a Tenda do Encontro \u201cfora do acampamento\u201d), para concordar com Deus e Moisés contra a adoração idólatra ao bezerro de ouro.

2. Fora do acampamento \u2013 o lugar impuro: Havia também lugares fora do acampamento que estavam associados com a corrupção, por exemplo:

a. Os mortos eram sepultados fora do acampamento (Levítico 10.5). Não poderia haver morte nem qualquer coisa dentro do acampamento de Israel, o acampamento do Senhor.
b. Todos os leprosos ficavam fora do acampamento (Levítico 13.46)
c. Todas as outras impurezas deveriam estar fora do acampamento (Deuteronômio 23.10-13)
d. Os blasfemadores deveriam ser apedrejados fora do acampamento (Levítico 24.14)

Deus estava no meio do acampamento de Israel, portanto ele deveria ser
Diogenes
Diogenes fez um comentário
amigo vc dispõe dos outros dois da coleção ?
0 aprovações
Josiel
Josiel fez um comentário
affz
0 aprovações
Carregar mais