A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
198 pág.
Tabernáculo de Moisés Kevin J. Conner  completo por yanna

Pré-visualização | Página 42 de 50

santo para que Deus pudesse permanecer em seu meio (Deuteronômio 23.14).
Este aspecto fala da Nova Jerusalém final, a cidade santa, a eterna habitação de Deus e dos santos, o acampamento do Senhor. Não haverá nada impuro ou corrupto neste acampamento. Todos os mentirosos, impuros, assassinos e os feiticeiros estarão “fora do acampamento”, no lugar imundo chamado geena, ou lago de fogo (Apocalipse 21.27; 22.15).
É melhor estar “fora do acampamento” da apostasia, no lugar limpo chamado Calvário, com Cristo e sua Igreja agora, do que estar “fora do acampamento” do Senhor, num lugar imundo chamado “Inferno”, junto com Satanás, os apóstatas e os não-regenerados, por toda a eternidade!
20. Estudos complementares
Há muito mais coisas a serem estudadas nas Escrituras em relação ao tema do altar de Deus. Os que desejarem aprofundar seus estudos fariam bem em meditar nos itens abaixo:
1. A dedicação do altar de Bronze no Tabernáculo de Moisés (Êxodo 29.35-37, Números 7): Esta dedicação se relaciona aos doze líderes de Israel e suas ofertas especiais. A quantidade de ofertas e sacrifícios se caracteriza por números múltiplos de doze ou sete. Na dedicação da dispensação da Igreja (o Santuário de Deus) temos os doze apóstolos do Cordeiro (Apocalipse 21.14) e o sacrifício único, perfeito, sem pecado do Senhor Jesus Cristo.
2. Salomão e toda a assembléia oferecem sacrifício no altar (2 Crônicas 1.1-13): Quando Salomão e toda a assembléia vieram até o altar em Gibeom, Deus concedeu-lhe sabedoria e conhecimento (1 Coríntios 1.30; 12.8; Colossenses 3.3, 9,10).
3. A dedicação do Templo de Salomão (2 Crônicas 5.11-14): Havia 120 sacerdotes tocando suas cornetas na consagração do Templo. Havia 120 pessoas reunidas no cenáculo na dedicação da Igreja da nova aliança (Atos 12). Estes permaneciam de pé, na extremidade oriental do altar (Levítico 1.6; 6.11; Salmo 20.3), onde as cinzas eram derramadas. 
4. O altar de bronze no Templo de Salomão (2 Crônicas 4.1): Este grande altar media 20 x 20 x 10 côvados, equivalente a 4.000 côvados cúbicos. Esses 4.000 côvados cúbicos eram o único lugar onde poderia haver derramamento de sangue. Também representa os 4.000 anos transcorridos da queda de Adão até Cristo, quando foi derramado todo o sangue sacrificial.
5. A plataforma de bronze e a dedicação (2 Crônicas 6.13): Salomão ajoelhou-se sobre esta plataforma de bronze que media 5 x 5 x 3 côvados (Êxodo 27.1; Romanos 12.1,2). Isso demonstra que Salomão ofereceu a si mesmo como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus.	
6. Isaias no altar (Isaias 6.1-7): Para Isaías, o altar era um lugar de purificação, expiação e compromisso. 
7. A restauração do altar (Esdras 3.1-3): Na restauração após o cativeiro babilônico, a primeira coisa a ser restaurada foi o altar (oferta de sangue). A reforma da igreja na Idade Média teve início com a mensagem da justificação pela fé no sangue de Jesus.
8. O juízo começa no santuário de Deus, no altar (Ezequiel 9.1-7; compare com 1 Pedro 4.17).
9. Altares falsos: 	
a. O altar de Acaz (2 Reis 16.10-16).
b. O altar de Jeroboão (1 Reis 12.25-33; 13.1-5): O altar se fendeu e as cinzas se espalharam, conforme o juízo que o Senhor havia dito.
c. O altar ao Deus desconhecido (Atos 17.23): Representou o ápice da cultura grega.
d. Os altares a Baal e aos falsos ídolos (1 Reis 18): Estes altares eram construídos no alto dos montes, e os postes sagrados eram edificados debaixo das árvores frondosas. Todos, os altares idólatras e os postes sagrados, são abominações ao Senhor e um insulto ao seu altar.
Os altares idólatras erguidos pelas religiões dos homens são abomináveis ao Senhor, pois representam um insulto ao altar do Calvário. Há somente um altar no universo: a cruz de Jesus. O Calvário aboliu todos os demais altares do Antigo Testamento, sejam de terra, de pedra ou de bronze, que nada mais eram do que representações do Calvário. “Nós temos um altar no qual não têm direito de comer os que ministram no tabernáculo” (Hebreus 13.10).
Devemos honrar a cruz de Jesus e seu sangue remidor, dando-lhes a importância que Deus lhes dá em sua Palavra!
A BACIA DE BRONZE
_____________________Êxodo 30.17-21; 38.8____________________
ﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻﺻ
1. Faça uma bacia... (Êxodo 30.18)
Moisés foi instruído a fazer uma bacia que deveria ser colocada na área do pátio, entre a Tenda do Encontro e o altar de bronze (Êxodo 40.7,30). A Bíblia não fornece muitos detalhes dessa peça, chamada de:
Bacia de bronze (Êxodo 30.18; 38.8)
Bacia (Êxodo 30.28; 31.9; 35.16; 39.39; 40.7, 11, 30)
Não há medidas específicas nem algum tipo de modelo registrado. Todas as informações que temos sobre esta peça foram obtidas pela tradição. Ela é descrita como um utensílio de bronze contendo água e apoiada num pedestal ou base. Provavelmente formava um conjunto dividido em duas partes, pois as referências mencionam “uma bacia de bronze com uma base de bronze” (Êxodo 30.18). A base literalmente significa “pedestal” ou “suporte” (compare com Levítico 8.11).
O dicionário bíblico apresenta três definições para esta bacia:
1. “Um utensílio de lavagem, tigela ou bacia, com água para a purificação”.
2. “Um utensílio do Tabernáculo de Moisés para os sacerdotes se lavarem”.
3. “Um utensílio do Templo de Salomão para os sacrifícios serem lavados”.
Outros sugerem que a bacia era um reservatório onde se armazenava água para os sacerdotes poderem lavar os pés. Os sacerdotes deveriam lavar as mãos na bacia. Seja como for, a função principal das bacias era fornecer água para a limpeza dos sacerdot6s. As outras peças da mobília eram usadas particularmente com referência a Deus, mas a bacia era usada especificamente para os sacerdotes. O altar de bronze era para o sacrifício oferecido ao Senhor, a arca da aliança era o seu trono, a mesa era a mesa do Senhor, mas a bacia era para a limpeza do sacerdote. A palavra hebraica “kiyyor” significa “bacia”, “pote” ou “tacho”. Tratava-se provavelmente de um grande tacho ou lavatório com a água necessária para limpar os sacerdotes antes de começarem a ministrar.
2. ... de bronze com uma base de bronze... (Êxodo 30.18)
A bacia deveria ser colocada no pátio. O pátio era principalmente visto em conexão com o bronze. As colunas eram provavelmente de bronze, os ganchos (colchetes) e as estacas eram de bronze, o altar de sacrifício era revestido de bronze e a bacia, da mesma forma, era feita de bronze. Nesta peça da mobília não havia madeira; a bacia deveria ser de bronze maciço.
O fato de ser feita de bronze maciço coloca uma forte ênfase na natureza da função da bacia. O bronze, conforme já dissemos, é um símbolo de força, firmeza, perseverança e juízo contra o pecado. O bronze é citado nos seguintes textos:
1. As portas de bronze (Salmo 107.16)
2. Trancas de bronze (1 Reis 4.13)
3. Algemas de bronze (Juizes 16.21)
4. Seus pés eram como o bronze polido (Apocalipse 1.15; Daniel 10.6).
5. A serpente de bronze (Números 21.8,9)
6. Os incensários de bronze (Números 16.36-40)
7. O céu... será como bronze (Deuteronômio 28.23)
A função da bacia aponta para o ministério da Palavra de Deus em nossas vidas. O Espírito Santo, que é um Espírito de julgamento e de fogo, usa a Palavra de Deus para nos convencer do pecado, da justiça e do juízo (Isaias 4.4; João 16.6-12). Jesus Cristo, a Palavra que se tornou carne, recebeu autoridade para exercer juízo contra o pecado (João 5.27). A bacia representa este juízo sobre o pecado operando através da Palavra de Deus. Ela representa a purificação que vem quando a Palavra expõe áreas de nossas vidas que não estão em conformidade com os padrões de Deus. Isso fala da limpeza da água pela Palavra (Efésios 5.26).
Todo pecado deve ser julgado.
O meu pecado deve ser julgado.
O pecado, nosso pecado, é julgado no altar de bronze. 
Na bacia de bronze, o meu pecado é julgado!
A Bíblia ensina que se nós examinássemos a nós mesmos, não seriamos julgados (1 Coríntios 11.31,32). Se