Tabernáculo de Moisés Kevin J. Conner  completo por yanna
50 pág.

Tabernáculo de Moisés Kevin J. Conner completo por yanna


DisciplinaTeologia12.698 materiais30.050 seguidores
Pré-visualização50 páginas
foi o antítipo ou sacrifício definitivo para o qual todos os sacrifícios de animais apontavam. O sangue derramado é o antítipo de todo sangue de animal derramado sob a aliança mosaica. A água que fluiu do lado perfurado de Cristo cumpriu tudo que as lavagens cerimoniais da antiga aliança representavam. Por causa disso, o sangue e a água são partes vitais da nova aliança.
Estes dois agentes de purificação permanecem na Igreja do Novo Testamento. Não os mesmos sangue e água vistos em relação aos filhos de Israel, mas à realidade espiritual, a qual é eterna pelo próprio Espírito do Senhor Jesus Cristo. Não se trata de sangue de animal nem de lavagens cerimoniais!
	É o sangue que nos purifica do pecado. À medida que nos lavamos no sangue de Cristo, nossas vestes se tornam brancas (Apocalipse 1.5; 7.14; 22.14), porque o sangue de Jesus Cristo nos purifica de todo pecado (1 João 1.6, 7, 9).
É a água que nos purifica de toda a nossa corrupção. Nós devemos passar \u201cpelo lavar regenerador\u201d (literalmente, bacia \u2013 Tito 3.5), devemos ser \u201cpurificados pelo lavar (literalmente, bacia) da água mediante a Palavra\u201d (Efésios 5.26). Esta água é para limpar, santificar e aperfeiçoar a Igreja.
A água também pode ser interpretada em relação a vários ministérios da divindade em sua busca pelo homem:

Água do juízo: A terra, que era coberta pelas águas no começo da Bíblia, de acordo com Gênesis 1, recebe o segundo batismo pelas águas do grande dilúvio dos dias de Noé (Gênesis 7-8). Nos dois casos a água está relacionada ao juízo e ao Deus-Pai.
Água da purificação: Esta água diz respeito ao Filho, o Senhor Jesus Cristo, que é a Palavra que se fez carne. Jesus demonstrou essa verdade quando Ele (a Palavra) lavou os pés dos discípulos. Eles foram purificados pelo lavar da água mediante a Palavra (João 13; Tito 3.5; Efésios 5.26).
Água para beber: A água que Jesus nos oferece destaca a ação do Espírito Santo. Ele é o único capaz de fazer jorrar uma verdadeira \u201cfonte de águas vivas\u201d no interior do crente (João 7.37-39).

5. Coloque-a entre a Tenda do Encontro e o altar, e mande enchê-la de água (Êxodo 30.18)
A água deveria ser colocada na bacia. A água enfatiza a lavagem da água pela Palavra, mas há também aqui uma relação adicional com a Igreja do Novo Testamento. Nós podemos ver a água mencionada em duas situações:

A água na regeneração: Isto indica que Ele \u201cnos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo\u201d. Jesus disse: \u201cNinguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo\u201d (João 3.3). A regeneração e a renovação correspondem ao novo nascimento (ou nascer do alto). Esta é a lavagem inicial, uma limpeza, uma purificação em relação à antiga maneira de viver (compare com Atos 15.9; 1Tessalonicenses 4.7; 2 Coríntios 5.17). É isso que nos transforma em novas criaturas. Paulo diz: \u201cMas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus\u201d (1 Coríntios 6.11). Jesus disse: \u201cQuem já se banhou ...está limpo. Vocês estão limpos\u201d (João 3.10). Tudo isso se refere à limpeza inicial que acontece na vida do crente quando ele realmente nasce de novo.
A água no batismo: O crente é lavado pelo sangue de Jesus e pela água da regeneração. Depois da lavagem inicial, o próximo passo é o batismo nas águas. O batismo no Novo Testamento não é uma opção, mas sim um mandamento (compare com Atos 2.36-38, 41; Hebreus 6.1,2; Marcos 16.16; Romanos 6.1-4; Colossenses 2.12,13 e Mateus 28.18-20). Se queremos realmente obedecer a Jesus, então devemos ser batizados. Deixemos as seguintes Escrituras falarem por si mesmas:

\u201cArrependam-se, e cada um de vocês seja batizado...\u201d (Atos 2.38)
\u201cE agora, que está esperando? Levante-se, seja batizado e lave os seus pecados, invocando o nome dele\u201d (Atos 22.16)
Nós fomos \u201csepultados com ele no batismo\u201d (Colossenses 2.12)
\u201cApenas algumas pessoas, a saber, oito, foram salvas por meio da água, e isso é representado pelo batismo que agora também salva vocês - não a remoção da sujeira do corpo, mas o compromisso de uma boa consciência diante de Deus - por meio da ressurreição de Jesus Cristo\u201d (1 Pedro 3.20,21).

6. Arão e seus filhos lavarão as mãos e os pés com a água da bacia. Toda vez que entrarem na Tenda do Encontro, terão que lavar-se com água, para que não morram. Quando também se aproximarem do altar para ministrar ao SENHOR, apresentando uma oferta preparada no fogo, lavarão as mãos e os pés para que não morram (Êxodo 30.19-21).
Os sacerdotes deveriam lavar as mãos e os pés na bacia antes de qualquer ministração. Eles não podiam entrar no Santuário para exercer qualquer serviço diante do Senhor enquanto não tivessem passado pela bacia. Eles não podiam servir junto à mesa do Senhor, ou no altar do incenso ou no candelabro, pois todos se encontravam no Lugar Santo (Salmo 119.9; 1 Pedro 1.22; Hebreus 10.22). Além disso, não lhes era permitido ministrar no altar de bronze ou no pátio, a menos que primeiro se lavassem. Todos aqueles que transportavam os utensílios do Senhor deveriam estar limpos (Isaías 52.11).
O significado espiritual desse fato é evidente. Absolutamente nenhum ministério era aceitável ao Senhor sem que antes houvesse purificação. Antes de poder ministrar, o sacerdote tinha que se submeter à Palavra do Senhor. Tão séria era qualquer violação desta ordem divina que eles seriam mortos se não agissem desta forma.
Quantas \u201cmortes espirituais\u201d acontecem na Igreja do Novo Testamento hoje porque os crentes falham ao se preparar para entrar no santuário, deixando de passar pela bacia, antes de entrar para adorar. A Igreja de Corinto ilustra esta verdade: \u201cPor isso há entre vocês muitos fracos e doentes, e vários já dormiram. Mas, se nós tivéssemos o cuidado de examinar a nós mesmos, não receberíamos juízo\u201d (1 Coríntios 11.30,31). Se nós julgarmos a nós mesmos na bacia de bronze, então não seremos julgados na mesa dos pães da Presença!
Somos chamados para ser sacerdotes do Senhor em uma casa espiritual. Mas precisamos estar certos de que estamos limpos para carregar os utensílios do Senhor. Precisamos continuamente da limpeza sacerdotal para poder servir em seu Santuário.
7. Esse é um decreto perpétuo, para Arão e os seus descendentes, geração ap6s geração (Êxodo 30.21).
Moisés lavou inteiramente Arão e seus filhos na limpeza inicial (\u201cde uma vez por todas'\u201d). Dali em diante os sacerdotes deveriam manter essa limpeza usando a bacia nas lavagens diárias de suas mãos e pés (Êxodo 29.4; 40.12). Jesus Cristo, o nosso Moisés, ministrou o batismo inicial da regeneração, mas é nossa responsabilidade pessoal manter a limpeza diária de nossas mãos e pés (1 Pedro 1.22; 2 Coríntios 7.1; Efésios 5.26; 1 Coríntios 6.11). Paulo nos exorta: \u201cPurifiquemo-nos de tudo o que contamina o corpo e o espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus\u201d (2 Coríntios 7.1). Ele diz também que devemos nos aproximar de Deus tendo \u201cos nossos corpos lavados com água pura\u201d (Hebreus 10.20-22). A responsabilidade para manter essa condição é colocada sobre nós. De fato, devemos ajudar uns aos outros a preservar a limpeza lavando os pés uns dos outros (João 13.1-4).
Não importa se os sacerdotes estavam a par dos princípios e regras. Ignorar tal sujeira era indesculpável. Deus providenciou a bacia de água e deixou-a à disposição dos sacerdotes. Ela estava ali, disponível. Se eles se recusassem a usá-la, sofreriam as conseqüências. Ao ministrar diante do Senhor, os sacerdotes deveriam ter as mãos e os pés limpos. Mãos limpas representavam sua função diante do Senhor. Eles deveriam levantar mãos santas (Salmo 24.3,4; 1 Timóteo 2.1,8; Tiago 4.8 e Isaías 1.16). Pés limpos indicavam o modo como viviam na presença de Deus (Hebreus 12.13; Efésios 4.1-3 e João 13.1-8). Os sacerdotes deveriam ter uma conduta pura e reta diante do Senhor. Se essas purificações não ocorressem, por ignorância ou negligência do sacerdote, o juízo cairia sobre ele. O povo redimido deve ser um povo limpo. Judas foi um homem que sentou-se à mesa sem limpar as mãos e
Diogenes
Diogenes fez um comentário
amigo vc dispõe dos outros dois da coleção ?
0 aprovações
Josiel
Josiel fez um comentário
affz
0 aprovações
Carregar mais