A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Plano de metas

Pré-visualização | Página 1 de 1

*
O PLANO DE METAS 1956 A 1961
Disciplina: Temas de História do Brasil Contemporâneo.
Professor(a): Msc. Maria Izabel Ladeira Silva 
Alunos: Marcelo Moreira Araujo, Rander Maylan Costa, Samah de Oliveira Santos. 
*
O PLANO DE METAS 
1956 A 1961
 
 
 O decênio que vai 1954 a 1964 é um período em que ocorre forte conflito entre dois caminhos para a economia do país:
 A continuidade do modelo nacional-desenvolvimentista;
 Inauguração de um modelo que implicava maior abertura ao capital estrangeiro.
*
O PLANO DE METAS 
1956 A 1961
 
 
 Esse período começa com a morte de Getúlio Vargas, quando assumiu seu vice Café Filho, e termina com o golpe militar de 1964.
UM MOMENTO IMPORTANTE DESSE PERIODO CORRESPONDE À IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE METAS DE JUCELINO KUBITSCHEK
*
O PLANO DE METAS 
1956 A 1961
 
 
“50 ANOS EM 5” de JK
 JK foi eleito em 03 de outubro de 1955;
 Antes de sua posse, houve uma tentativa de golpe;
*
O PLANO DE METAS 
1956 A 1961
 
 
Ao assumir JK lançou o PLANO DE METAS
01 - Investimentos estatais em infra-estrutura, principalmente transporte e energia elétrica, sendo que, na área de transporte, a ênfase passava da ferrovia para a rodovia;
*
O PLANO DE METAS 
1956 A 1961
 
 
02 – Incentivo ao aumento da produção:
Bens de capital – máquinas e equipamentos;
Bens Intermediários – aço, carvão, cimento;
03 – Incentivo à introdução dos setores de bens de consumo duráveis;
04 – Estímulo à produção de alimentos.
*
JK e o nacional-desenvolvimentismo 
1956 a 1961
 
 
Recusa a aplicar a política do FMI – culminando com o rompimento com essa instituição;
Intensa promoção da indústria pesada sob controle nacional e protecionismo à indústria nascente, à indústria naval e à Marinha mercante brasileira;
*
JK e o nacional-desenvolvimentismo 
1956 a 1961
 
 
Aumento do papel do estado na economia para garantir o desenvolvimento;
Política de preservação e até certa melhoria do salário real médio;
Criação da SUDENE;
Programa de ocupação Centro-Oeste.
*
JK e o Capital Estrangeiro
 
 
 Cerca de 70% desses capitais, máquinas e equipamentos – compostas basicamente de fábricas usadas, obsoletas nos EUA, mas moderna aqui.
A PRODUÇÃO VOLTADA PARA BENS DE CONSUMO DE LUXO – DESTACANDO-SE A INDÚSTRIA AUTOMOBILISTICA.
*
JK e o Capital Estrangeiro
 
 
O Brasil nesse período passou a ser o país de maior desenvolvimento na América Latina.
*
CRESCIMENTO ECONÔMICO ACELERADO
 
 
*
Referência Biblioagráfica:
MARANHÃO, Ricardo. O governo Juscelino Kubitschek. Editora Brasiliense, São Paulo. 1981.
RODRIGUES, Marly. A década de 50: populismo e metas desenvolvimentistas no Brasil. 4. ed. São Paulo: Ática, 2003.
Governo Juscelino Kubitschek (1956-1961). "Anos dourados" e Brasília. Disponível em: <http://educacao.uol.com.br/disciplinas/historia-brasil/governo-juscelino-kubitschek-1956-1961-anos-dourados-e-brasilia.htm> Acesso em 1 de Maio de 2016 às 20:27.
O Brasil de JK > 50 anos em 5: o Plano de Metas. Disponível em: <http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/JK/artigos/Economia/PlanodeMetas> Acesso em 29 de Abril de 2016 às 18:35.