Exercicios IS LM BP

@formacao-economica-do-brasil USJT

Pré-visualização

e expectativas estáticas sobre a taxa de câmbio nominal, esta será determinada pela oferta e demanda de moeda estrangeira.

④	Se a taxa nominal de câmbio – e – mede a quantidade de reais por dólar, a curva IS é negativamente inclinada no plano (Y, e).




43 – (ANPEC 2006) - Avalie as afirmativas com respeito a uma pequena economia aberta, com perfeita mobilidade de capitais:

Ⓞ	A paridade descoberta de juros implica que a taxa de juros doméstica é igual à taxa de juros internacional mais a taxa de depreciação esperada da moeda.

①	Em um regime de câmbio flexível, quando há expectativa de desvalorização do câmbio, a renda aumenta.

②	Em um regime de câmbio fixo, quando há expectativa de desvalorização do câmbio, a renda não se altera.

③	Em um regime de câmbio flexível, quando a taxa de juros internacional aumenta, a renda também aumenta.

④	Em uma economia com regime de câmbio fixo, a política fiscal tem efeito pleno.


44 – (ANPEC 2006) - Avalie as assertivas abaixo referentes ao modelo Mundell-Fleming:
Ⓞ	Em regime de câmbio fixo, é impossível implementar uma política monetária independente.
①	Em regime de câmbio flutuante e perfeita mobilidade de capital, uma política monetária expansionista causa depreciação da moeda doméstica, enquanto uma política fiscal expansionista causa sua apreciação.
②	Se um aumento de renda doméstica piorar a balança comercial, o déficit resultante poderá ser financiado por um influxo de capital externo desde que a taxa de juros doméstica aumente.
③	Em regime de câmbio flutuante e perfeita mobilidade de capital, a taxa de juros doméstica (ajustada para risco) não se desvia da taxa de juros internacional por períodos prolongados.
④  É possível melhorar a conta corrente mediante uma expansão monetária.

45 – (ANPEC 2007) – Considerando o modelo IS-LM-BP, julgue as afirmativas:

(0) A política fiscal no modelo Mundell-Fleming não exerce influência sobre a renda agregada quando a taxa de câmbio é flutuante.

(1) Em regime de câmbio fixo, a política monetária no modelo Mundell-Fleming, mantido constante o crédito interno líquido, é incapaz de alterar a demanda agregada.

(2) Em uma economia sem mobilidade de capitais e com regime de câmbio fixo, uma política fiscal expansionista é capaz de afetar o nível de renda.

(3) Em uma economia com imperfeita mobilidade de capitais e regime de câmbio fixo, política monetária expansionista somente terá efeito sobre o produto se a inclinação da curva BP for maior que a da curva LM.

(4) Em uma economia sem mobilidade de capitais e regime de câmbio flutuante, uma política fiscal expansionista levará ao aparecimento de um déficit temporário no balanço de pagamentos.

75 - (ANPEC 2008) – Em um modelo IS-LM-BP, com livre mobilidade de capitais e taxa de câmbio nominal fixa, o Banco Central detém as reservas cambiais suficientes para manter a paridade cambial. Com base nessas premissas e sob a hipótese de que tudo o mais é mantido constante, julgue as afirmativas:

(0) Se comprar títulos no mercado aberto, o Banco Central perderá reservas cambiais.

(1) Aumento de gastos públicos elevam o saldo da balança comercial.

(2) Uma queda na renda do resto do mundo reduz tanto exportações quanto importações. 

(3) Um aumento na taxa real de juros externa provoca acumulação de reservas cambiais pelo Banco Central.

(4) Um aumento de impostos provoca elevação do estoque real de moeda.


76 - (ANPEC 2008) – Julgue a afirmativa:


Considerando o modelo Mundell-Fleming para uma economia pequena e aberta, com perfeita mobilidade de capital, uma contração fiscal sob câmbio flexível é eficaz quanto à sua capacidade de alterar o nível de renda. 


77 - (ANPEC 2009) - Considere uma economia caracterizada pelo modelo IS-LM em economia aberta (Mundell-Fleming). O público mantém uma fração c de sua moeda na forma de moeda manual; os bancos mantêm uma fração r dos depósitos à vista na forma de reservas (o restante é emprestado). Há livre mobilidade de capitais. Julgue as seguintes afirmativas, supondo tudo o mais constante:

(0) Em um regime de câmbio flexível, um aumento no parâmetro r leva a uma apreciação da moeda doméstica.

(1) Em um regime de câmbio fixo, um aumento no parâmetro r leva a uma redução do produto.

(2) Em um regime de câmbio flexível, uma redução no parâmetro c leva a um aumento das importações.

(3) Em um regime de câmbio fixo, uma redução no parâmetro c provoca diminuição da base monetária, mas não afeta a oferta de moeda.

(4) Em um regime de câmbio flexível, um aumento equiproporcional dos parâmetros c e r deixa o produto inalterado.


78 - (ANPEC 2009) - Considere uma economia aberta, descrita pelas seguintes funções consumo, investimento, exportações líquidas e demanda por moeda:

C = 100 + 0,6Y.

I = 50 – 4i.

NX = 50 + 0,1Y* – 0,1Y + 70ε.

(M/P)d = 0,5Y/i.


Em que Y é o produto doméstico, Y* = 1.000 é o produto externo, i é a taxa de juros doméstica e ε é a taxa de câmbio real. Os gastos do governo são G = 100; os níveis dos preços interno e externo são iguais a P = P* = 1; a taxa de juros externa é i* = 5. Há livre mobilidade de capitais. O governo deste país adota um regime de câmbio fixo (com taxa de câmbio nominal igual a 1) e não há expectativa que esta paridade será alterada no futuro. Julgue as seguintes afirmativas:


(0) O saldo em conta corrente é de 120.

(1) A poupança nacional é de 160.

(2) A oferta nominal de moeda M é de 120.

(3) Se o governo aumenta seus gastos de 100 para 200, a poupança nacional cai 20 unidades.

(4) Se o governo aumenta seus gastos de 100 para 200, a oferta nominal de moeda aumenta 20 unidades.





































2. Mobilidade Imperfeita de Capitais


2.1 Seção Esaf


07 - (ESAF/AFC-STN/1996) – De acordo com o modelo de Mundell-Fleming, para uma economia aberta grande com uma taxa de câmbio flexível, uma queda na confiança dos consumidores resulta nos seguintes efeitos de curto prazo, exceto:

um aumento da taxa de câmbio;

uma queda na taxa de juros real doméstica;
um aumento do investimento líquido;
um aumento das exportações líquidas;
uma queda do produto.


2.2 Seção Outras Bancas Examinadoras


15 – (Adaptado/2003) - Considere que o gráfico abaixo representa uma economia que opera sob baixa mobilidade de capitais e no regime de taxa de câmbio fixa.


 

Partindo de uma situação de equilíbrio interno e externo (ponto E na interseção das curvas), uma política monetária contracionista terá, após a economia encontrar uma nova situação de equilíbrio interno e externo, os seguintes efeitos sobre a taxa real de juros e o nível de renda real:


	Taxa Real de Juros
	Nível de Renda Real

	(A) aumenta
	 diminui

	(B) aumenta
	 aumenta

	(C)permanece inalterada
	 permanece inalterada

	(D) diminui
	 diminui

	(E) diminui
	 permanece inalterada




16 – (Adaptado/2000) - Considere o modelo IS-LM-BP com taxa de câmbio fixa, onde r é a taxa real de juros e Y é o produto real.


 No ponto A (interseção das curvas IS e LM), a economia encontra-se em equilíbrio doméstico

(A) mas ocorre deficit no balanço de pagamentos, ocasionando perda de reservas internacionais.

(B) mas ocorre superavit no balanço de pagamentos, ocasionando elevação das reservas internacionais.

(C) e externo, não havendo variação no nível das reservas internacionais.

(D) e externo, mas ocorre deficit na conta corrente do balanço de pagamentos, ocasionando redução das reservas internacionais.

(E) e externo, mas ocorre superavit no balanço de pagamentos, ocasionando elevação de reservas internacionais.

Estão corretas:

(A) I, IV e V apenas.

(B) I, III e VI apenas.

(C) II, IV e VI apenas.

(D) II, III e V apenas.

(E) II, III e VI apenas.


Nas questões 17 e 18 considere o modelo IS-LM-BP para uma economia que opera com baixa mobilidade de capitais, representado no gráfico abaixo, onde r é a taxa real de juros

Ainda não temos comentários aqui
Seja o primeiro!