A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
123 pág.
Resolução n. 93 de  2013 Alterada até resolução 126 de 2014

Pré-visualização | Página 20 de 29

§ 5º A Vara Descentralizada do Bairro Novo (Sítio Cercado) possui competência, 
unicamente, sobre os bairros Sítio Cercado, Ganchinho e Umbará. (redação dada 
pela Resolução 126-2014, de 15 de dezembro de 2014). 
§ 6º A cumulação de pedido de caráter patrimonial não altera a competência 
estabelecida no inciso IV. 
§ 6º A verificação da competência territorial dar-se-á mediante apresentação do 
Título Eleitoral, ou outro meio documental idôneo. (redação dada pela Resolução 
105-2014, de 26 de maio de 2014). 
§ 6º A Vara Descentralizada do Boqueirão possui competência, unicamente, sobre 
os bairros Boqueirão, Alto Boqueirão, Hauer e Xaxim. (redação dada pela 
Resolução 126-2014, de 15 de dezembro de 2014). 
§ 7º Cessa a competência do juízo de família desde que se verifique o estado de 
abandono da criança ou adolescente. 
§ 7º A cumulação de pedido de caráter patrimonial não altera a competência 
estabelecida no inciso IV. (redação dada pela Resolução 105-2014, de 26 de maio 
de 2014). 
§ 7º Para fim de competência decorrente do domicílio, residência, local do óbito, 
situação do imóvel, local do fato ou da prática do ato, e semelhantes, os Fóruns 
Descentralizados se consideram distintos entre si e dos Fóruns Centrais. Não será 
admitida competência cumulativa entre juízos dos Fóruns Descentralizados e dos 
Centrais. (redação dada pela Resolução 126-2014, de 15 de dezembro de 2014). 
§ 8º Não integram a competência das Varas Descentralizadas as matérias tratadas 
na Lei Federal nº 11.340/2006. 
§ 8º Cessa a competência do juízo de família desde que se verifique o estado de 
abandono da criança ou adolescente. (redação dada pela Resolução 105-2014, de 
26 de maio de 2014). 
 
 Estado do Paraná 
 
 PODER JUDICIÁRIO 
 
 
 
Desembargador CLAYTON CAMARGO 
 Presidente do Tribunal de Justiça 
 
 
T R I B U N A L D E J U S T I Ç A 
 
 
§ 8º A verificação da competência territorial dar-se-á mediante apresentação do 
Título Eleitoral, ou outro meio documental idôneo. (redação dada pela Resolução 
126-2014, de 15 de dezembro de 2014). 
§ 9º Cessará a competência da Vara descentralizada, no âmbito da Infância e 
Juventude, quando postulada a destituição do poder familiar e/ou inclusão em 
família substituta, ressalvada a apreciação de providência de natureza urgente. 
§ 9º Não integram a competência das Varas Descentralizadas as matérias tratadas 
na Lei Federal nº 11.340/2006. (redação dada pela Resolução 105-2014, de 26 de 
maio de 2014). 
§ 9º A cumulação de pedido de caráter patrimonial não altera a competência 
estabelecida no inciso IV. (redação dada pela Resolução 126-2014, de 15 de 
dezembro de 2014). 
§ 10 Fica vedada a redistribuição de feitos de qualquer natureza entre as unidades 
do Fórum Central e as Descentralizadas, ressalvadas as hipóteses dos §§ 7º e 9º 
deste artigo. 
§ 10 Cessará a competência da Vara descentralizada, no âmbito da Infância e 
Juventude, quando postulada a destituição do poder familiar e/ou inclusão em 
família substituta, ressalvada a apreciação de providência de natureza urgente. 
(redação dada pela Resolução 105-2014, de 26 de maio de 2014). 
§ 10 Cessa a competência do juízo de família desde que se verifique o estado de 
abandono da criança ou adolescente. (redação dada pela Resolução 126-2014, de 
15 de dezembro de 2014). 
§ 11 Fica vedada a redistribuição de feitos de qualquer natureza entre as unidades 
do Fórum Central e as Descentralizadas, ressalvadas as hipóteses dos §§ 7º e 9º 
deste artigo. (redação dada pela Resolução 105-2014, de 26 de maio de 2014). 
§ 11 Não integram a competência das Varas Descentralizadas as matérias tratadas 
na Lei Federal nº 11.340/2006. (redação dada pela Resolução 126-2014, de 15 de 
dezembro de 2014). 
 
 Estado do Paraná 
 
 PODER JUDICIÁRIO 
 
 
 
Desembargador CLAYTON CAMARGO 
 Presidente do Tribunal de Justiça 
 
 
T R I B U N A L D E J U S T I Ç A 
 
 
§ 12 Cessará a competência da Vara descentralizada, no âmbito da Infância e 
Juventude, quando postulada a destituição do poder familiar e/ou inclusão em 
família substituta, ressalvada a apreciação de providência de natureza urgente. 
(redação dada pela Resolução 126-2014, de 15 de dezembro de 2014). 
§ 13 Fica vedada a redistribuição de feitos de qualquer natureza entre as unidades 
do Fórum Central e as Descentralizadas, ressalvadas as hipóteses dos §§ 9º e 11 
deste artigo. (redação dada pela Resolução 126-2014, de 15 de dezembro de 
2014). 
Art. 150-A À 62ª e a 94ª Varas Judiciais, ora e respectivamente denominadas 1ª 
Vara de Inquéritos Policiais e 2ª Vara de Inquéritos Policiais compete, por 
distribuição, exercer o controle jurisdicional sobre os inquéritos policiais, quando for 
o caso, bem como o de peças informativas e outros feitos de natureza criminal 
prévios à ação penal, de sua competência. 
Parágrafo único. Compete à 62ª Vara Judicial, com exclusividade, supervisionar o 
serviço de apoio ao Plantão Judiciário no Foro Central da Comarca da Região 
Metropolitana de Curitiba. (artigo e parágrafo único inserido pela Resolução 111-
2014, de 25 de agosto de 2014). 
(art. 150-A, REVOGADO pela Resolução 114-2014, de 22 de setembro de 2014). 
 
Subseção XVI 
Distribuição de competência no Foro Regional de Fazenda Rio Grande 
(Comarca da Região Metropolitana de Curitiba) 
Art. 151 O Foro Regional de Fazenda Rio Grande é integrado pelos Municípios de 
Fazenda Rio Grande, Mandirituba e Agudos do Sul. 
Art. 152 O Foro Regional de Fazenda Rio Grande é composto por 04 (quatro) varas 
judiciais, todas instaladas. 
Art. 153 À 1ª Vara Judicial, ora denominada Vara Cível e da Fazenda Pública são 
atribuídas as seguintes competências: 
I – Cível; 
 
 Estado do Paraná 
 
 PODER JUDICIÁRIO 
 
 
 
Desembargador CLAYTON CAMARGO 
 Presidente do Tribunal de Justiça 
 
 
T R I B U N A L D E J U S T I Ç A 
 
 
II – Fazenda Pública. 
Art. 154 À 2ª Vara Judicial, ora denominada Vara Criminal é atribuída a 
competência Criminal. 
Art. 155 À 3ª Vara Judicial, ora denominada Vara de Família e Sucessões, Infância 
e Juventude, Acidentes do Trabalho, Registros Públicos e Corregedoria do Foro 
Extrajudicial são atribuídas as seguintes competências: 
I – Família e Sucessões; 
II – Infância e Juventude; 
III – Acidentes do Trabalho; 
IV – Registros Públicos e Corregedoria do Foro Extrajudicial. 
Art. 156 À 4ª Vara Judicial, ora denominada Juizado Especial Cível, Criminal e da 
Fazenda Pública são atribuídas as seguintes competências: 
I – Juizado Especial Cível; 
II – Juizado Especial Criminal; 
III – Juizado Especial da Fazenda Pública. 
 
Subseção XVII 
Distribuição de competência na Comarca de Foz do Iguaçu 
Art. 157 A Comarca de Foz do Iguaçu é integrada pelos Municípios de Foz do 
Iguaçu e Santa Terezinha de Itaipu. 
Art. 158 A Comarca de Foz do Iguaçu é composta por 17 (dezessete) varas 
judiciais, todas instaladas. 
 
 Estado do Paraná 
 
 PODER JUDICIÁRIO 
 
 
 
Desembargador CLAYTON CAMARGO 
 Presidente do Tribunal de Justiça 
 
 
T R I B U N A L D E J U S T I Ç A 
 
 
Art. 159 À 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Varas Judiciais, ora e respectivamente denominadas 1ª 
Vara Cível, 2ª Vara Cível, 3ª Vara Cível e 4ª Vara Cível, é atribuída a competência