A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
60 pág.
Psicologia Aplicada a Saude U1

Pré-visualização | Página 10 de 15

de Castells; Cardoso (2005) 
segundo a qual as redes são novas maneiras de organização social – tanto do 
Estado quanto da sociedade civil. Para os autores, as redes são fortemente 
estruturadas por meio de tecnologia de informação e baseiam-se na cooperação 
entre unidades com importante grau de autonomia. 
Quadro 1.4 | Rede de Atenção à Saúde
tipo de 
atenção
Complexidade Serviço prestado (exemplos)
local de 
atendimento
território Sanitário
Atenção 
primária
Baixa Consultas
Postos de 
saúde
Município/
microárea
Atenção 
secundária
Média
Serviços médicos 
especializados, apoio 
diagnóstico e terapêutico, 
atendimento de urgência e 
emergência.
Hospitais e 
ambulatórios 
com 
especialistas
Microrregião
Atenção 
Terciária
Alta
Transplantes e outras 
cirurgias complexas e parto 
de alto risco.
Hospitais de 
referência 
para alta 
complexidade
Macrorregião
Fonte: Adaptado de Erdmann et al. (2013).
A partir do conhecimento sobre o comportamento humano, a psicologia 
pode prevê-lo. Dessa forma, a ciência psicológica pode evitar o surgimento 
de comportamentos prejudiciais ao indivíduo ou a outras pessoas sob a 
responsabilidade deste indivíduo (LÖHR et al., 2013). Portanto, a psicologia 
tem importante contribuição para oferecer às políticas públicas de promoção, 
prevenção e de reabilitação em saúde. As ações de promoção de saúde visam à 
redução de fatores de risco que ameaçam a saúde e podem causar incapacidades 
Conceitos básicos de Psicologia e saúde
U1
39
e doenças às pessoas. Entre as ações que podem promover saúde estão: educação 
em saúde, alimentação e nutrição adequadas, adoção de estilo de vida saudável, 
aconselhamentos de cunho genético e sexual, incentivo à prática de exercícios 
físicos, hábitos de higiene pessoal, domiciliar e ambiente. Também compõe as 
ações de promoção à saúde a conscientização sobre comportamentos que 
a comprometem, como: tabagismo, sedentarismo, alcoolismo, consumo de 
drogas. Outro importante grupo de ações visa à prevenção da saúde. As políticas 
preventivas de saúde são ofertadas por meio de campanhas educativas dirigidas 
à população e estão sob a responsabilidade do Governo. Uma ação bastante 
conhecida no Brasil são as campanhas de vacinação. Além destas, há vigilância 
epidemiológica, saneamento básico, vigilância sanitária, exames médicos e 
odontológicos periódicos. Todas essas ações previnem a deterioração da saúde 
à medida que o acompanhamento do estado de saúde da comunidade possibilita 
intervenção precoce. Além de promover saúde e prevenir doenças, é importante 
haver a oferta de ações de reabilitação da saúde. 
A reabilitação surge após a instalação da doença ou da redução da 
capacidade de locomoção, indicando, portanto, que as ações de 
promoção e prevenção à saúde não foram suficientes ou efetivas para 
evitar a doença. Dessa forma, conclui-se que investir em prevenção 
tem relevância na obtenção de baixos índices de danos à saúde e 
aumento da qualidade de vida.
Reflita
Entre as ações de reabilitação incluem-se o diagnóstico e o tratamento 
de doenças, acidentes, danos, limitação ou invalidez. Elas têm como objetivo 
a recuperação total ou parcial das capacidades no processo de doença e na 
reintegração da pessoa as suas atividades sociais e laborais. 
Sem medo de errar
Conforme a situação hipotética apresentada nesta Seção 1.3, foi solicitado que os 
alunos elaborassem e apresentassem um seminário. Agora cada grupo deve elaborar 
um seminário sobre esses temas. Apresentarão, de forma resumida, as interfaces 
da psicologia e o trabalho interdisciplinar – entre psicologia e as demais disciplinas 
da área da saúde – e, por fim, terão que contar como as abordagens psicológicas 
podem favorecer a ideia de promoção, prevenção e reabilitação da saúde. 
Conceitos básicos de Psicologia e saúde
U1
40
Atenção!
Para ter sucesso no seminário é necessário elaborá-lo de forma clara e 
objetiva, assegurando uma ordem lógica na apresentação dos temas.
Vamos, então, elaborar a apresentação. Iniciaremos informando que, em 
função da psicologia ter por princípio compreender a subjetividade do indivíduo e 
esta ser constituída a partir das relações que o homem estabelece no meio onde 
vive, a psicologia também adota como princípio conhecer os diversos âmbitos da 
vida das pessoas. Para tanto, busca a troca com variadas disciplinas por meio do 
diálogo com os profissionais que nestas atuam, como fisioterapeuta, assistente 
social, médico, enfermeiro, terapeuta ocupacional, entre outros. A troca ou a 
interdisciplinaridade promove conhecer visões que se complementam e, dessa 
forma, ampliam o entendimento sobre o indivíduo. 
O psicólogo lança seu olhar para o indivíduo a partir da abordagem 
psicológica que escolheu para aprimorar seus conhecimentos e atuar 
com as pessoas (psicanálise, behaviorismo, Gestalt, etc.). Contudo, 
qualquer que seja a abordagem, seu trabalho inclui a interdisciplinaridade.
Lembre-se
É importante conhecer o maior o número possível de aspectos que atuam no 
adoecimento do paciente e relacioná-los com sua subjetividade. A partir desse ponto, 
os profissionais da saúde compreenderão de forma mais ampla o comportamento 
do indivíduo diante da doença e poderão favorecer uma resposta mais adequada 
à situação. Contudo, o modelo que contempla essa forma de trabalhar na área da 
saúde, o modelo biopsicossocial, é relativamente novo. Por muito tempo, o modelo 
biomédico levou os profissionais a adotarem uma visão unilateral que pregava uma 
única causa para a doença. Superada essa fase, o Sistema Único de Saúde instituiu 
a interdisciplinaridade e, com isso, aumentou o espaço de atuação de diversas 
disciplinas na área da saúde. O SUS busca promover a integralidade, a equidade e a 
universalidade por meio das redes de atenção à saúde, as quais se baseiam no grau 
de complexidade para oferecer atendimento à população brasileira.
Vale ressaltar que no Brasil o ingresso da psicologia na área da saúde deu-se no 
contexto hospitalar, o que nomeou o trabalho do psicólogo nesse ambiente. Em 
seguida, surgiu a psicologia da saúde, trabalhando não só com atendimento ao 
paciente e à equipe, mas também participando da elaboração de políticas públicas 
e das ações de promoção, prevenção e reabilitação da saúde. 
Conceitos básicos de Psicologia e saúde
U1
41
Avançando na prática
Pratique mais
Instrução
Desafiamos você a praticar o que aprendeu transferindo seus conhecimentos para novas situações 
que podem ser encontradas no ambiente de trabalho. Realize as atividades e depois compare-as com 
as de seus colegas.
“Atuação interdisciplinar”
1. Competência de Fundamento 
de Área
Conhecer o comportamento humano e as relações subjetivas 
que indivíduo estabelece no meio em que vive.
2. Objetivos de aprendizagem
Identificar como ocorre a interface entre psicologia e as 
demais disciplinas da saúde; contextualizar o surgimento da 
psicologia hospitalar e da saúde; relacionar a importância da 
psicologia no Sistema Único de Saúde.
3. Conteúdos relacionados
Surgimento da Psicologia como ciência independente; 
modelos biomédico e psicossocial; abordagens psicológicas.
4. Descrição da SP
Imagine que sua faculdade está organizando a Semana da 
Psicologia e sua turma tornou-se responsável por encenar 
situações que mostrem aos demais alunos temas da 
Psicologia. Seu grupo vai encenar uma reunião de discussão 
do caso de um paciente internada. A finalidade é transmitir 
como se dá a atuação interdisciplinar na área da saúde. 
Pense nos conceitos estudados para organizar a fala dos 
participantes. Avante!
5. Resolução da SP
A situação descrita acima permite variadas possibilidades de 
diálogo. Contudo, o que validará a adequação do trabalho 
interdisciplinar (na reunião