Tutoria 1 UC10 - Proliferação celular
9 pág.

Tutoria 1 UC10 - Proliferação celular


DisciplinaProliferação6 materiais65 seguidores
Pré-visualização4 páginas
Matheus Carvalho Diniz
UC-10 - Problema 1
1-Identificar os fatores de risco para o câncer de mama. 
O câncer de mama não tem uma causa única. Diversos fatores estão relacionados ao aumento do risco de desenvolver a doença, tais como: idade, fatores endócrinos/história reprodutiva, fatores comportamentais/ambientais e fatores genéticos/hereditários.
A idade, assim como em vários outros tipos de câncer, é um dos principais fatores que aumentam o risco de se desenvolver câncer de mama. O acúmulo de exposições ao longo da vida e as próprias alterações biológicas com o envelhecimento aumentam o risco. Mulheres mais velhas, sobretudo a partir dos 50 anos, são mais propensas a desenvolver a doença.
Fatores endócrinos ou relativos à história reprodutiva - Referem-se ao estímulo do hormônio estrogênio produzido pelo próprio organismo ou consumido por meio do uso continuado de substâncias com esse hormônio. Esses fatores incluem: história de menarca precoce (idade da primeira menstruação menor que 12 anos); menopausa tardia (após os 55 anos); primeira gravidez após os 30 anos; nuliparidade (não ter tido filhos); e uso de contraceptivos orais e de terapia de reposição hormonal pós-menopausa, especialmente se por tempo prolongado.O uso de contraceptivos orais também é considerado um fator de risco pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (Iarc) da Organização Mundial da Saúde (OMS), embora muitos estudos sobre o tema tenham resultados controversos
Fatores relacionados a comportamentos ou ao ambiente - Incluem ingestão de bebida alcoólica, sobrepeso e obesidade após a menopausa e exposição à radiação ionizante (tipo de radiação presente na radioterapia e em exames de imagem como raios X, mamografia e tomografia computadorizada). O tabagismo é um fator que vem sendo estudado ao longo dos anos, com resultados contraditórios quanto ao aumento do risco de câncer de mama. Atualmente há alguma evidência de que ele aumenta também o risco desse tipo de câncer.
O risco devido à radiação ionizante é proporcional à dose e à frequência. Doses altas ou moderadas de radiação ionizante (como as que ocorrem nas mulheres expostas a tratamento de radioterapia no tórax em idade jovem) ou mesmo doses baixas e frequentes (como as que ocorrem em mulheres expostas a dezenas de exames de mamografia) aumentam o risco de desenvolvimento do câncer de mama.
Fatores genéticos/hereditários - Estão relacionados à presença de mutações em determinados genes transmitidos na família, especialmente BRCA1 e BRCA2. Mulheres com histórico de casos de câncer de mama em familiares consanguíneos, sobretudo em idade jovem; de câncer de ovário ou de câncer de mama em homem, podem ter predisposição genética e são consideradas de risco elevado para a doença.
2- Relação entre a Proliferação celular e ação dos vírus.
Os vírus de DNA tumoral (HTLV, HPV, hepatite B), em fase de latência, podem acidentalmente ativar algumas proteínas virais que normalmente seriam ativadas na fase replicativa para permitir que o DNA viral se replique independentemente do ciclo celular. Esse acidente pode desencadear a proliferação persistente da célula hospedeira, levando ao câncer. 
A ação oncogênica desse vírus (HPV) parece estar relacionada a interferências em mecanismos importantes que controlam a proliferação celular. As oncoproteínas virais E6 e E7 são as mais importantes nesse processo, pois são capazes de ligarem-se às proteínas p53 e pRb, respectivamente, e interferirem em suas funções normais. Além disso, a proteína E6 também apresenta importante papel na ativação da telomerase, contribuindo para o processo de imortalização dos ceratinócitos.
Tendo em vista o papel das oncoproteínas virais (principalmente E6 e E7) dos HPVs de alto risco na desregulação do controle da proliferação celular, estudos têm avaliado se lesões cancerizáveis e malignas HPV-positivas exibem níveis de proliferação celular aumentados em relação às HPV-negativas
3-Ciclo celular e seus mecanismos de regulação.
Ciclo celular: E o mecanismo essencial pelo qual todos os seres vivos se reproduzem, em que ocorre uma sequencia organizada de eventos para duplicacao do conteudo celular e em seguida divisao para formacao de duas copias completas. 
Interfase: E o periodo que precede qualquer divisao celular, sendo de intensa atividade metabolica. Ha preparacao para a divisao celular, que envolve a duplicacao do DNA, crescimento e sintese. E dividida em 3 periodos.
S: Ocorre a duplicacao do DNA, requer de 10 a 12 horas e ocupa cerca de metade do tempo do ciclo celular
G1: Intervalo entre a fase M e a fase S, antecede a duplicacao do DNA (GAP)
G2: Intervalo entre a fase S e a fase M, antecede a divisao celular.
Fase M/ Divisao celular: Compreende dois eventos principais a divisao nuclear, ou mitose, durante a qual os cromossomos sao copiados e distribuidos em um par de nucleos filhos; e a divisao citoplasmatica, ou citocinese, quando a propria celula se divide em duas.
Profase: Ocorre a organizacao e condensacao das moleculas de DNA formando as cromatides irmas, que permanecem ligadas pela coesao de cromatides irmas. Posteriormente, o envelope nuclear se desmantela e as cromatides ficam ligadas ao fuso mitotico, que e formado por microtubulos.
Metafase: Os cromossomos sao alinhados no equador do fuso, a meio caminho entre os polos do fuso.
Anafase: Ocorre a destruicao da coesao de cromatides irmas, as separando e sendo puxadas para polos opostos do fuso.
Telofase: O fuso e desmontado e os cromossomos segregados sao empacotados em nucleos separados.
Sistema de controle do ciclo celular:
E como um cronometro rigidamente programado que propicia uma quantidade fixa de tempo para a conclusao de cada evento do ciclo celular.
E altamente adaptavel e pode ser modificado para se adequar a tipos celulares especificos e para responder a sinais intracelulares ou extracelulares especificos.
O sistema de controle do ciclo celular ativa a progressao do ciclo celular em tres principais pontos de verificacao:
1. Inicio: esta no final de G1, onde a celula se compromete a entrar no ciclo celular e a duplicacao dos cromossomos.
2. Ponto de verificacao G2/M: o sistema de controle desencadeia os eventos mitoticos iniciais que levam ao alinhamento dos cromossomos no fuso metafasico.
3. Transicao entre metafase e anafase: o sistema de controle estimula a separacao das cromatides irmas, levando a conclusao da mitose e citocinese.
\u2192O sistema de controle do ciclo celular dependente de proteina-cinase dependente de ciclinas (CdKs) ciclicamente ativadas: as atividades dessas cinases sobem e descem a medida que a celula avanca no ciclo celular, levando a mudancas ciclicas na fosforilacao de proteinas intracelulares que iniciam ou regulam os principais eventos do ciclo celular.
G1/S- ciclinas: ativam Cdks no final de G1 e ajudam a desencadear a progressao ao inicio.
S-ciclinas: se ligam a Cdks logo apos a progressao ao inicio e ajudam a estimular a duplicacao dos cromossomos.
M-ciclinas: ativam Cdks que estimulam a entrada na mitose no ponto de verificacao G2/M.
G1-ciclinas: ajudam a regular ao G1/S-ciclinas.
obs.: O mesmo complexo de ciclina-cdk tambem pode induzir diferentes efeitos em diferentes etapas do ciclo.
\u2192A fosforilacao inibidora e as proteinas inibidoras de cdk(ckls) podem suprimir a atividade das cdks: A fosforilacao de um par de aminoacidos no topo do sitio da cinase inibe a atividade de um complexo de ciclina-Cdk
Wee1: inibe a atividade da Cdks
Cdc2S: aumenta a atividade de CDKs
Proteinas inibidoras de Cdks: sao usadas primordialmente para auxiliar na regulacao das atividades de G1/S-ciclinas e S-Cdks.
\u2192Proteolise: (hidrolise de proteina): leva aos estagios finais de divisao celular.
Complexo promotor da anafase/ciclossomo (APC/C): E o principal regulador entre a transicao de metafase a anafase. Ele catalisa a ubiquitinacao e a destruicao de duas proteinas principais: securina (protege a ligacao proteica que mantem as cromatides irmas unidas) e, S-ciclinas