Conservação da Natureza - E eu com isso?
91 pág.

Conservação da Natureza - E eu com isso?


DisciplinaEcologia4.462 materiais42.333 seguidores
Pré-visualização50 páginas
de lixo à deriva, plataformas de gás e petróleo 
perfurando frágeis ecossistemas, milhares de embarcações deixando sujas 
pegadas pelos sete mares, redução das massas de fitoplâncton e alterações 
do nível do mar e das correntes. Bilhões de pessoas à beira-mar minerando 
os recursos naturais; cidades, indústrias e portos famintos devorando 
dunas, mangues, praias, marismas, recifes, falésias e praias arenosas.
 Até onde vamos nessa insaciável sede de consumo humano e 
erosão dos recursos naturais?
O despertar da sociedade civil: a experiência do 
NEMA, uma ONG com 26 anos de praia!
 Os anos eram da década de 80, o Brasil recém liberto de 
uma ditadura militar ainda não concebia a liberdade de expressão e a 
66 67CONSERVAÇÃO DA NATUREZA
autonomia de buscar um ideário diferente da representação ideológica 
de um regime autoritário. A tropicália já havia acontecido, o movimento 
beat, a liberação feminina, o \u201cpaz e amor\u201d já haviam sido experimentados 
pelos exilados jovens políticos, músicos e pensadores. Neste contexto, 
os movimentos sociais e ambientais se organizam e buscam um resgate 
da cidadania e da consciência crítica nacional. Outra cultura estava se 
desenvolvendo.
 
Uma imensa praia oceânica, um estuário 
que abriga inúmeras espécies marinhas e costeiras, 
ambientes como dunas, lagoas, banhados, 
pântanos salgados, matas, campos, arroios... 
Paisagem selvagem de rara beleza... 
 Foi neste cenário que, em 1985, a história do Núcleo de Educação 
e Monitoramento Ambiental - NEMA4 teve início, quando um grupo 
de estudantes de Oceanologia, preocupados com a situação ambiental, 
mobilizou-se junto ao Departamento de Oceanografia da FURG e a 
Prefeitura do Rio Grande num ato de intuição e criatividade. Iniciaram as 
ações de Educação Ambiental - EA e a realizar Projetos de monitoramento 
costeiro, implantação de Unidades de Conservação, pesquisa e elaboração 
de metodologias para recuperação de áreas degradadas.
 Na atmosfera do barraco de madeira, sua sede à beira-mar na 
praia do Cassino - Rio Grande, RS, as pessoas e as ideias conduziram o 
NEMA a assumir personalidade jurídica no ano de 1987 - Associação 
privada sem fins lucrativos \u2013 solução para autonomia e continuidade de 
seus desafios. No mesmo ano tornou-se instituição de utilidade pública 
municipal e em 2005 obteve a qualificação de OSCIP - Organização da 
Sociedade Civil de Interesse Público - Ministério da Justiça. 
 Sua declaração de princípios definiu seu rumo filosófico, técnico 
e jurídico e estabeleceu como prioridades: a harmonização da relação 
ser humano-ambiente; a melhoria da qualidade de vida; o despertar 
de uma consciência conservacionista na comunidade; a orientação do 
desenvolvimento no sentido de minimizar os conflitos; a conscientização 
dos valores e limitações do ser humano, sua cultura e a defesa do 
patrimônio histórico e a pesquisa para preservar o ambiente como um 
todo, seja em relação à água, solo, ar e paisagens, quanto incluindo os 
aspectos sociais, econômicos e culturais.
 Ao longo de sua trajetória de 26 anos de atuação na zona costeira, 
centenas de pessoas das diferentes áreas do conhecimento vivenciaram 
o dia-a-dia do NEMA, com criatividade e livre pensar, fortalecendo a 
missão institucional e fundamentando os conceitos do fazer. 
As bases conceituais: buscas e encontros 
 Experiência, intuição, leitura e pesquisa levaram a instituição a 
internalizar e adotar conceitos como alicerces essenciais para a sua práxis. 
Incorporamos o conceito de meio ambiente definido por Reigota5 , sendo 
este \u201co lugar determinado ou percebido, onde os elementos naturais e 
sociais estão em relações dinâmicas e em interação. Essas relações 
implicam processos de criação cultural e tecnológica e processos históricos 
e sociais de transformação do meio natural e construído\u201d. Este conceito 
vinculado à visão sistêmica descrita por Capra 6 , a qual \u201cfundamenta-se 
na consciência do estado de inter-relação e interdependência de todos os 
fenômenos físicos, biológicos, psicológicos, sociais e culturais\u201d, nos leva à 
nossa concepção de Educação Ambiental. 
 Quando fazemos Educação Ambiental, acreditamos num 
processo permanente que pode acontecer em qualquer lugar: no interior 
do ser humano, em casa, na escola, no trabalho, nas manifestações 
culturais, em áreas naturais e urbanas. 
 O conceito de EA estabelecido em Tbilisi foi nosso referencial 
inicial, o qual considera a Educação Ambiental como a \u201cdimensão dada ao 
conteúdo e à prática da educação orientada para resolução dos problemas 
concretos do meio ambiente, através de enfoques interdisciplinares e de 
uma participação ativa e responsável de cada indivíduo e da coletividade\u201d. 
Integramos também o Tratado de EA do Fórum Global, no qual a EA 
incorpora \u201cas dimensões sócio-econômica, política, cultural e histórica, de 
cada país, região e comunidade, permitindo a compreensão da natureza 
complexa do meio ambiente e a utilização racional dos recursos do meio 
na satisfação material e espiritual da sociedade no presente e no futuro\u201d.
5 Meio	Ambiente	e	representação	social,	Marcos	Reigota,	1994.
6	O	Ponto	de	Mutação,	Fritjof	Capra,	1994.
Educação Ambiental é querer um mundo diferente, com cidadania, 
paz, alegria, comida, educação, emprego, liberdade... É buscar ações de 
transformação para uma vida melhor no presente e no futuro.
É olhar para a natureza com os olhos do coração e respeitar todas as 
formas de vida, considerando a inter-relação e interdependência entre 
todos os elementos presentes no meio ambiente.
4 O NEMA tem sua sede na Rua Maria Araújo, 45O Praia do Cassino, Rio Grande, RS. nema@nema-rs.org.br; www.nema-rs.org.br 
68 69CONSERVAÇÃO DA NATUREZA
 Importante em nossa trajetória foi a identificação de nossas 
práticas com a visão de Soulé7 da Biologia de Conservação: ciência que 
\u201ctrata da escassez e da diversidade dos recursos vivos e ecossistemas, 
considerando que a integração criativa das áreas das ciências naturais, 
sociais e políticas são essenciais para implantar medidas de proteção dos 
sistemas naturais onde o homem faz parte da paisagem\u201d. No mundo 
real, a maioria dos problemas ambientais possui validade provisória e 
é imprescindível a tomada de decisões antes mesmo de se ter dados que 
suportem completamente a decisão, uma vez que os riscos da não ação 
podem ser maiores do que uma ação inadequada. 
Os caminhos do fazer ...
 
Um passo à frente e você não está mais no mesmo lugar...
Chico Science
 Transformar o conhecimento em sabedoria e a sabedoria em 
ação é um desafio diário que exige criatividade, persistência, continuidade 
e autonomia. Também é essencial conhecer o lugar onde se vive e 
contextualizá-lo nos processos regionais e globais para estabelecer as 
estratégias de ação. Os princípios, os conceitos e as experiências realizadas 
definiram nossos caminhos do fazer.
 A representação de interesses coletivos trazendo a público as 
ideias e uma análise crítica e propositiva para uma sociedade melhor é 
realizada continuamente nos espaços de discussões, fóruns e conselhos. 
Além da participação em audiências, grupos de trabalho, câmaras 
técnicas e reuniões públicas, que acontecem no dia-a-dia da sociedade, 
temos participação efetiva em diferentes Conselhos locais e regionais: 
COMDEMA \u2013 Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente, 
Colegiado do Mar da Reservada Biosfera da Mata Atlântica, Conselho 
Consultivo da Estação Ecológica do Taim e do Parque Nacional da Lagoa 
do Peixe, Comitê da Bacia do Canal São Gonçalo e Lagoa Mirim, Comitê 
Gestor do Projeto Orla, Rede ASO de Tartarugas Marinhas e Comitê de 
Planejamento da Universidade Federal do Rio Grande \u2013 FURG.
 Outro fazer fundamental é a formação e difusão de profissionais. 
Muitos jovens encontram no NEMA um espaço para realizar estágios, 
elaborar monografias, atuar