Alice Bailey & Djwhal Khul   Iniciação Humana e Solar
106 pág.

Alice Bailey & Djwhal Khul Iniciação Humana e Solar


DisciplinaAstrologia619 materiais2.143 seguidores
Pré-visualização49 páginas
inteiramente do progresso que ele realiza no 
serviço de sua raça, e no desenvolvimento daqueles poderes da alma que são urna 
seqüência natural do desenvolvimento espiritual. 
A aplicação do Cetro da Iniciação pelo Bodhisattva, nas duas primeiras iniciações, permite ao iniciado 
controlar e utilizar a força do eu inferior, a verdadeira energia santificada da personalidade em 
serviço; na terceira iniciação, a aplicação do Cetro pelo Iniciador Único torna muito mais amplamente 
disponível a força do Eu Superior, ou Ego, e traz à ação no plano físico, a total energia armazenada 
durante numerosas encarnações no veiculo causal. Na quarta iniciação, o Ego se apropria da energia 
de seu grupo egóico para usá-la em bem da evolução planetária e, na quinta iniciação, a força ou 
energia do planeta (compreendida esotericamente e não meramente a força ou energia do globo 
material) está à sua disposição. Durante estas cinco iniciações, aqueles dois grandes seres, primeiro 
o Bodhisattva e depois, o Iniciador Único, o Senhor do Mundo, Sanat Kumara, são os 
administradores ou hierofantes. Após estas cerimônias, se o iniciado escolhesse atingir as duas 
iniciações finais que podem ser atingidas neste sistema solar, um tipo de energia em expressão ainda 
mais alta do Eu Uno, que apenas vagamente pode ser pressentida, viria à ação. Na sétima iniciação, 
o Uno do Qual Sanat Kumara é a manifestação, o Logos de nosso esquema no Seu próprio plano, se 
torna o Hierofante. Na sexta iniciação, a expressão desta Existência num plano intermediário, um Ser 
Que no presente deve permanecer anônimo, maneja o Cetro e administra o juramento e o segredo. 
Nestas três expressões de governo hierárquico - Sanat Kumara na periferia dos três mundos, o Ser 
Inominado nos confins dos planos superiores da evolução humana e o próprio Espirito Planetário na 
etapa final - temos as três grandes manifestações do Próprio Logos Planetário. Através do Logos 
Planetário, na grande iniciação final, flui o poder do Logos Solar, e é Ele Quem revela para o iniciado 
que o absoluto é a (93) consciência em sua mais completa expressão, embora na etapa da existência 
humana, o Absoluto deva ser considerado como inconsciência. 
 
Cada uma das grandes iniciações é, apenas, a síntese das menores e somente quando o homem 
procura sempre expandir sua consciência nos assuntos da vida diária, pode ele esperar atingir 
aquelas etapas finais que não são senão culminações das muitas anteriores. Os estudantes devem 
se livrar da idéia de que, se eles forem "muito bons e altruístas, de repente, um dia, achar-se-ão 
perante o Grande Senhor. Eles estão pondo o efeito antes da causa. Bondade e altruísmo crescem 
da conscientização e do serviço, e a ciência que um homem produz dentro de si mesmo, através do 
esforço e empenho extremos. Portanto, é aqui e agora que um homem pode preparar-se para a 
iniciação e isto ele o faz, não por dar ênfase ao aspecto cerimonial, como muitos o fazem em 
antecipação excitada, mas trabalhando sistemática e perseverantemente no desenvolvimento firme 
do corpo mental, pelo intenso e árduo processo de controlar o corpo astral, de tal maneira que ele se 
torne capaz de responder a três vibrações: 
 46
 
a) A do Ego. 
b) A do Mestre. 
c) As de seus irmãos, ao seu redor, em toda parte. Ele se torna "sensível" à voz de seu Eu 
Superior, assim removendo o carma, sob a direção inteligente de seu próprio Ego. Ele se 
torna cônscio, através do Ego, da vibração que emana de seu Mestre, ele aprende a senti-la 
sempre mais e mais, e a ela responder sempre mais plenamente: por fim, ele se torna cada 
vez mais sensível às alegrias e dores e tristezas daqueles que ele contata diariamente; ele as 
sente como sendo suas e, todavia, não é incapacitado por elas 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CAPÍTULO X 
A UNIVERSALIDADE DA INICIAÇÃO 
 
(95) Foi multas vezes salientado, nos ensinamentos ocultos, que o processo de iniciação, como é 
usualmente entendida, é anormal e não normal. Todo progresso, no reino da consciência, é feito 
naturalmente, através de um despertar gradual, mas isto prosseguiria muito mais vagarosamente e 
cobriria um período de tempo mais longo do que é o caso sob nossas presentes condições 
planetárias. Este método particular de desenvolvimento da consciência da família humana foi iniciado 
pela Hierarquia durante a raça-raíz Atlante, no último período da quarta sub-raça, e persistirá até o 
meio da próxima ronda. Por esse tempo, o estímulo necessário terá sido dado e, como três quintos 
da família humana terão esotericamente "posto seus pés no caminho" e uma grande porcentagem 
destes estará, então, em processo de se tornar o próprio Caminho, a rotina mais normal será 
reassumida. 
 
A Iniciação nos Vários Planetas 
 
O processo de estímulo de Egos humanos por meio de instruções graduais e a aplicação da força 
elétrica dinâmica do Cetro são empregados, na época atual, em três dos planetas de nosso sistema. 
Ele é instituído durante cada quarta ronda e seu interesse peculiar jaz no fato de que a ênfase para a 
quarta Hierarquia Criadora, em cada quarta cadeia e globo, durante a quarta ronda, é posta na quarta 
iniciação, a da Crucificação. A quarta Hierarquia Criadora é a grande expressão da vontade 
consciente e do sacrifício do Logos Solar e o grande símbolo da união inteligente do espirito com a 
matéria. Eis por que a quarta iniciação, com sua apresentação destas verdades cósmicas e sua 
epitomização do propósito dente sacrifício fundamental, tem um lugar proeminente. 
 
O estudante deve lembrar-se que os outros esquemas planetários, embora, fundamentalmente iguais 
ao nosso quarta esquema, têm, todavia, diferenças profundas na manifestação, devido às variadas 
características e ao carma individual do Logos Planetário, ou Raio, em encarnação. Estas diferenças 
afetam: 
 
d) O processo iniciático, em ambos seus aspectos, cerimonial e altruístico. (96) 
 
 47
e) A aplicação do Cetro, pois o tipo de força que ele manifesta, quando trazido em conjunção 
com a força diferenciada do tipo planetário, produz resultados variados em natureza e grau. 
 
f) As épocas de iniciação. Os egos em encarnação, em qualquer planeta, serão \u2014 de acordo 
com o tipo de raio \u2014 facilmente estimulados, ou não, conforme seja o caso, de acordo com 
as condições astrológicas e isto produzirá períodos mais curtos ou mais prolongados de 
desenvolvimento, anteriores a cada uma, ou entre as iniciações. 
 
g) O fenômeno elétrico produzido nos planos superiores, à medida que as unidades humanas 
mais e mais "se acendem" esotericamente. Deve ser lembrado que o sistema solar inteiro, 
com tudo que está incluído nele, está-se expressando em termos de luz, e que a iniciação 
deve, portanto, ser considerada como um processo em que os diferentes pontos de luz (ou 
centelhas humanas) são estimuladas, sua irradiação e temperatura aumentadas e o raio da 
esfera da influência de cada luz, ampliado. 
 
Os três esquemas planetários onde a grande experiência da iniciação está sendo tentada, são a 
Terra, Vênus e um outro. Vênus foi a primeira esfera de experimentação e o sucesso do esforço e da 
forca gerada foi causa do esforço similar que está sendo feito em nosso planeta. Nenhum planeta 
aumenta seu armazenamento de força e, conseqüentemente, sua esfera de influência, sem incorrer 
em obrigações e afetar outros esquemas; o intercâmbio de força e energia entre esses dois planetas, 
Terra e Vênus, é continuo. Um processo similar foi ultimamente instituído num outro esquema 
planetário e quando, na próxima ronda, nossa Terra atingir um ponto na evolução, análogo ao 
esquema venusiano na época em que sua influência foi sentida por nós, então ainda ajudaremos no 
estímulo a um outro grupo de Egos planetários; auxiliaremos na instituição de um processo similar, 
entre os filhos dos homens em um outro esquema.