Alice Bailey & Djwhal Khul   Telepatia e o Veículo Etérico
216 pág.

Alice Bailey & Djwhal Khul Telepatia e o Veículo Etérico


DisciplinaAstrologia620 materiais2.143 seguidores
Pré-visualização45 páginas
que os salvaguardará de qualquer 
ambição de poder. Desse modo vocês preservarão a integridade daqueles a quem 
procuram ajudar e estarão aptos a sugerir, fortalecer e ensinar subjetivamente, sem 
nenhuma influência indevida, sem forçar e sem ferir a liberdade e os direitos 
individuais da pessoa em questão. Essa é uma tarefa difícil, meus irmãos, mas para 
a qual vocês estarão preparados, se derem a devida atenção e obedecerem às três 
recomendações referidas acima e que dizem respeito ao motivo, à técnica e ao 
método. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 55
VII. A CIÊNCIA DA IMPRESSÃO 
 
O tema da comunicação telepática pode ser abordado por um título ou por 
uma expressão mais subjetiva, desde que expresse um estágio anterior e mais 
universal que o da recepção telepática direta. O ocultista sempre aborda primeiro o 
tópico relacionado ao processo evolutivo do todo e então o da parte, da periferia 
para o centro, do universal para o particular. Entre os Mestres, não se considera a 
telepatia como uma ciência que requeira atenção, esforço e divulgação; interessa-
lhes, principalmente, a Ciência da Impressão. O termo que eles empregam com mais 
freqüência é o equivalente esotérico daquilo que a pessoa comum quer dizer quando 
afirma: "Tenho a impressão que...". Impressão é a reação mais sutil (mais ou menos 
precisa) de algum grupo à atividade mental vibratória de uma outra mente ou grupo 
de mentes, à medida que sua influência vibratória afeta o ente ou conjunto de entes. 
O primeiro estágio de uma correta recepção telepática consiste no registro 
de uma impressão. Geralmente isso é um tanto vago no início, mas à medida que 
um pensamento, idéia, propósito ou intenção do agente emissor se concretiza, 
passa-se então à segunda etapa, que surge como um pensamento-forma definido. 
Finalmente, esse pensamento-forma produz seu impacto na consciência cerebral no 
ponto situado justamente atrás do centro ajna e, por conseguinte, na área do corpo 
pituitário. Esse impacto pode aparecer também na região do plexo-solar. Entretanto, 
para aquelas Vidas que superaram a vida nos três mundos e que não estão 
condicionadas ao tríplice mecanismo da personalidade, a impressão é o fator de 
maior importância. Sua consciência é impressionada e Sua resposta é de tal modo 
sensível à impressão superior que Elas absorvem ou se apropriam da impressão, 
convertendo-a numa parte de Sua própria "energia impulsiva". 
Não é fácil para mim elucidar esse tema por duas razões: 
 56
1. os próprios membros da Hierarquia (entre Os Quais sou considerado Mestre)\u2217 
estão aprendendo essa Ciência da Impressão. Eles o fazem nos níveis da 
mente abstrata, da intuição ou de "manas" e "budi". 
2. Até agora, esta ciência não tem vocabulário próprio. Ela não está limitada, em 
nenhum estágio, por pensamentos-forma, mas sim, pelas palavras. 
Conseqüentemente, torna-se difícil para mim fornecer qualquer informação 
sobre esse método sutil de comunicação do qual, na realidade, a telepatia 
nada mais representa do que uma exteriorização exotérica. 
 
A Impressão, como uma arte a ser dominada tanto do ponto de vista do 
agente impressor quanto do receptor impressionado, encontra-se definitivamente 
relacionada com o mundo das idéias. No que concerne à nossa Vida planetária, 
existem certas grandes fontes de impressão das quais uma ou duas devem ser aqui 
mencionadas; com isso, vocês terão uma idéia da sutileza do tema em seu todo, 
assim como de sua estreita relação com os impactos energéticos e da sua recepção 
grupai com um todo diferenciado de recepção individual, conforme ocorre em 
qualquer relacionamento telepático. 
 
1. A impressão que Shambala recebe: 
 
a. dos Membros da Grande Loja Branca em Sírio. Os receptores dessa 
impressão são os mais altos Membros do Grande Conselho, presididos 
pelo Senhor do Mundo. Essa impressão é de tal forma sutil, que essas 
 
\u2217
 Discipulado da Nova Era I, pag. 117 
 57
Grandes Vidas só podem recebê-la com precisão quando reunido o 
Conselho em seu todo e também depois da devida preparação; 
b. de uma ou outra das constelações que estiverem, numa determinada 
época, astrologicamente relacionadas com o nosso planeta. Essa 
impressão só pode ser recebida pelo Grande Conselho quando reunido 
em conclave, e estando presente a maioria de seus Membros. É bom 
que se observe que isso não implica o comparecimento de todo o 
Conselho; 
c. de um triângulo de energia circulante, emanando dos dois planetas que, 
juntamente com o nosso planeta Terra, formem um triângulo num 
determinado ciclo. Essa impressão é recebida pelos três Budas de 
Atividade a fim de distribuí-la à Hierarquia; 
d. do planeta Vênus, o "alter-ego" da Terra. Essa impressão penetra 
através do Senhor do Mundo e de três Membros do Seu Conselho 
escolhidos por Ele numa determinada época para atuarem como 
receptores. 
 
Essas são as principais impressões grupais entrantes registradas pelos 
que comumente chamamos de "Mente Universal", a mente de Deus, nosso Logos 
Planetário. Chegam também outras impressões, mas deixo de me referir a elas, uma 
vez que não teriam sentido para vocês. 
 
2. A impressão da Hierarquia 
 
 58
a. por Shambala, por meio de grupos dentro do Grande Conselho, os quais 
reduzem a impressão que registram a fim de que a Hierarquia, como um todo, 
possa cooperar com os propósitos pretendidos por Aqueles que estão 
estabelecendo o Plano necessário; 
b. por certas Grandes Vidas que, em épocas determinadas e de acordo com o 
ritmo cíclico, ou em épocas de emergência, são impelidas a esse tipo de 
atividade. Um desses períodos seria por exemplo, o da Lua Cheia, que é uma 
época de recepção tanto para a Hierarquia quanto para a Humanidade. Um 
exemplo do segundo tipo de atividade seria o Festival de Wesak, ou aquelas 
crises agudas que requerem intervenção de fontes muito mais elevadas do 
que aquelas com as quais o receptor está usualmente em contato, crises 
essas que estão-se aproximando rapidamente. O primeiro tipo de impressão é 
rítmico, periódico e, portanto, acumulativo nos seus efeitos pretendidos. O 
segundo tipo de impressão é o resultado da invocação e evocação e depende 
tanto do receptor quanto do agente emissor; 
c. pelo grande grupo dos divinos Contemplativos, treinados para atuar como 
grupo receptivo intermediário entre Shambala e a Hierarquia. Eles recebem a 
impressão de Shambala e transmitem-na à Hierarquia, possibilitando aos 
Membros desta receberem a impressão como "uma impressão penetrante" e 
registrá-la com exatidão, pois a impressão emanada passou por uma área da 
Mente Divina onde foi intensificada pela percepção treinada e pela firme 
receptividade desse grupo que é chamado no Oriente de divinos 
Nirmanakayas. Só menciono Seu nome esotérico para que vocês aprendam a 
identificá-Los quando haja qualquer referência a Eles; 
 59
d. por Buda, por ocasião do Festival de Wesak. Aí Ele atua como ponto focal ou 
como o distribuidor da impressão, estando por trás d'Ele, (no pouco que se 
pode concebê-la), toda a força impressora dos Budas de Atividade, Que são 
para Shambala o que os Nirmanakayas são para a Hierarquia. 
 
Permitam-me fazer, aqui, uma observação que será útil e esclarecedora. 
Como vocês terão, sem dúvida, observado, estamos tratando da recepção da 
impressão por grupos ou por conjuntos de grupos compostos por Seres viventes que 
possuem Seus próprios agentes de distribuição e de impressão. Toda a história 
evolutiva do nosso planeta consiste em receber e distribuir; tomar e dar. A chave dos 
problemas da humanidade (focalizada, como tem ocorrido,