Alice Bailey & Djwhal Khul   Telepatia e o Veículo Etérico
216 pág.

Alice Bailey & Djwhal Khul Telepatia e o Veículo Etérico


DisciplinaAstrologia619 materiais2.140 seguidores
Pré-visualização45 páginas
só é possível a telepatia direta, a qual é de dois tipos: 
 
1. Telepatia simpática ou compreensão imediata, percepção de fatos, captação 
de acontecimentos e identificação com as reações da personalidade. Tudo 
isso está ligado à atividade do plexo solar da personalidade e, quando a 
natureza do amor ou segundo aspecto está desenvolvido ou em 
desenvolvimento, essa se torna o "germe ou semente" da faculdade intuitiva. 
Todo o progresso é, portanto, búdico-astral e envolve, como agente, os 
aspectos inferiores da Mente Universal. 
2. Telepatia mental ou interação dos pensamentos transmitidos. Apesar de ser 
um fenômeno freqüente entre pessoas de grande desenvolvimento 
intelectual, esse tipo raramente é reconhecido, suas leis e modos de 
expressão são ainda desconhecidos, e as melhores mentes e intérpretes que 
se acham nos níveis subjetivos confundem-na com as reações do plexo solar. 
Essa é uma ciência relativamente nova e inexplorada, mas o campo de sua 
atividade não é astral e, portanto, não está ligado ao plexo solar, pois a 
 123
substância por meio da qual esta ciência se desenvolve não é astral mas, sim, 
mental, estando, portanto, envolvido e sendo empregado outro veículo, que é 
o do corpo mental. Ela é a "semente ou germe" dos contatos superiores e das 
impressões provenientes de níveis mais elevados que o búdico ou intuitivo. 
Está relacionada com o aspecto superior da Mente Universal, a Vontade 
Inteligente. Em ambos os casos estão envolvidos o aspecto inferior do amor 
(resposta astral, emocional e sensitiva) e o puro amor da alma. 
 
A sensibilidade astral, simpática, é falível, dando, freqüentemente, 
margem a conjecturas e interpretações errôneas. A telepatia superior - outra forma 
de sensibilidade, e que é como ponto de partida e conceito \u2014 finalmente torna-se 
infalível; nas etapas iniciais (concernentes aos métodos de interpretação e dedução) 
ela pode freqüentemente falhar. 
A telepatia mental direta é uma das manifestações elevadas da 
personalidade; tem a natureza de uma faculdade conectora, pois é um dos principais 
passos rumo à impressão superior: pressupõe sempre um estágio relativamente 
elevado de desenvolvimento mental, sendo essa uma das razões pela qual ainda 
não é considerada uma capacidade honrada, comprovada e provável do ser 
humano. Nesse caso, a mente é, na realidade, o "matador do Real", e as fontes e as 
modalidades do conhecimento subjetivo permanecem ainda em uma área obscura 
da consciência humana. Todavia, os processos normais da evolução provarão 
incontrovertidamente a existência de faculdades que permitem que as impressões 
espirituais e subjetivas sejam possíveis e, finalmente, normais. 
Como já se explicou, essa "Suprema Ciência de Contato" pode ser 
classificada nas seguintes fases que se desenvolvem progressiva e separadamente 
 124
uma das outras. Não se esqueçam da inevitável continuidade, característica 
marcante do processo evolutivo. 
 
1. Percepção astral sensitiva. Baseia-se nas reações do plexo solar, e todo o 
processo se desenvolve no plano astral e com substância astral. Em sua 
forma mais elevada, é um fator que, mais tarde, tornará possível a percepção 
e a sensibilidade intuitivas; a partir daí, o processo se realiza com substância 
búdica. Deve-se lembrar que, em determinada etapa de seu 
desenvolvimento, os aspirantes são de natureza fortemente astral-búdica. 
2. Telepatia mental. Envolve, naturalmente, duas ou mais mentes, e o 
processo desenvolve-se na substância do plano mental. Esse é o fator que 
torna possível a atividade a que chamamos "impressão". Essa impressão 
provém, em grande escala, de certos aspectos do plano mental, tais como: 
 
a. a alma do indivíduo telepático, empregando as pétalas do 
conhecimento do lótus egóico \u2014 uma forma elevada de inteligência 
mental; 
b. a denominada mente abstrata. Esse aspecto da substância mental é 
amplamente utilizado pela Hierarquia para chegar à mente dos 
discípulos. Somente nos últimos séculos é que a Hierarquia deslocou o 
foco de sua atenção vital para o plano búdico e para fora do plano 
mental. Isso foi possível porque os aspirantes do mundo atualmente 
são sensíveis a contatos baseados numa consciência astral-búdica, 
mas que são estritamente levados a cabo dentro da substância mental. 
Isso envolve necessariamente os três aspectos da mente, ali 
 125
encontrados: a mente concreta, o Filho da Mente, e a sensibilidade ou 
reação abstrata. No plano físico, isso envolve certa atividade do corpo 
pituitário (como se pode ver facilmente) e também o emprego do centro 
ajna. 
 
3. A Ciência Ocultista da Impressão. Torna-se possível quando as outras 
duas formas de relação telepática se acham presentes e estão-se 
desenvolvendo rumo a um certo grau de precisão. Depende também da 
construção do antahkarana e da firme orientação do aspirante ou discípulo 
para a Tríade Espiritual; também se torna possível quando a mente abstrata 
está desenvolvida e é sensível, podendo, então, converter-se na semente ou 
germe da Vontade espiritual, o que implicará a capacidade de responder ao 
propósito divino. O aspecto superior da mente abstrata é o plano átmico. 
Seria útil compreender a natureza substancial desses dois níveis de 
consciência. É dentro da substância do plano átmico que se inicia essa 
atividade que pode impressionar a mente abstrata, a qual então se converte 
na sede da consciência do homem espiritual; esse, ao mesmo tempo, 
continua a possuir e a utilizar ativamente sua personalidade, bem como a 
empregar a mente concreta. Entretanto, nesse caso, a sensibilidade astral 
começa a situar-se abaixo do umbral da consciência, chegando, assim, a 
constituir parte desse grande conjunto de instintos e reações instintivas que o 
ser humano possui e que o introduzem na vida e na consciência 
condicionada de tudo que existe nos três mundos, incluindo os três reinos 
sub-humanos da natureza. É com esses instintos sublimados e controlados 
 126
que trabalham aqueles Mestres e discípulos cuja tarefa consiste em 
supervisionar a evolução das formas nos reinos sub-humanos. 
As formas superiores da telepatia mental, compreendendo a alma e a mente 
abstrata, concernem unicamente ao Plano divino \u2014 à medida que a 
Hierarquia o desenvolve nos três mundos. Por conseguinte, a Ciência da 
Impressão ocupa-se principalmente, com o Propósito divino tal como 
Shambala o está desenvolvendo e também com aqueles aspectos superiores 
do trabalho hierárquico que nada têm a ver com o trabalho nos três mundos. 
Gostaria que refletissem sobre esses pontos. 
Devido ao curioso estágio da evolução alcançado pelo reino humano, hoje 
em dia foi instituído um aspecto intermediário entre as três formas de 
impressão mencionada acima; é como um período intermediário existente 
entre a,expressão humana plena e a plena expressão do reino das almas. A 
isso chamamos: 
4. A Ciência da Invocação e Evocação. Essa ciência pode usar \u2014 e 
realmente usa \u2014 os impulsos ignorantes e os anseios superiores (ainda 
incipientes) das multidões, expressos de um modo invocativo: isto é feito com 
a finalidade de eliminar a lacuna existente na consciência entre a vida do 
homem comum, a vida da personalidade integrada e a vida da alma. 
Mediante a utilização desta demanda invocativa \u2014 freqüentemente inaudível 
e inconsciente \u2014 os discípulos do mundo podem enfocar-se; podem 
empregá-la e, desse modo, gerar uma energia suficientemente forte para 
provocar um verdadeiro impacto e uma impressão definida nos Seres e Vidas 
que se encontram em níveis mais elevados que aqueles dos três mundos. 
Esse impacto evoca uma reação desses Seres superiores e estabelece um 
 127
intercâmbio espiritual e inteligente