Alice Bailey & Djwhal Khul   Telepatia e o Veículo Etérico
216 pág.

Alice Bailey & Djwhal Khul Telepatia e o Veículo Etérico


DisciplinaAstrologia619 materiais2.143 seguidores
Pré-visualização45 páginas
de mil pétalas, quando o homem está suficientemente 
desenvolvido. Esse centro é o agente da vontade divina na vida do homem 
espiritual, atuando através da Tríade Espiritual. Só é ativamente útil quando o 
antahkarana está construído ou se acha em processo de construção. 
2. A energia provinda do centro planetário, a Hierarquia, utiliza o centro do 
coração. Esse centro é o agente do amor divino (que manifesta basicamente 
a vontade-para-o-bem), atuando através da alma do aspirante ou discípulo 
individual; isso é possível quando se alcança, em certa medida, o contato com 
a alma e o aspirante está em vias de se tornar uma personalidade fundida 
com a alma. 
3. A energia oriunda do terceiro centro planetário, a Humanidade, utiliza o centro 
laríngeo e atua através da personalidade integrada, usando-o, portanto, 
apenas quando atinge em grau relativamente elevado de desenvolvimento. O 
centro da garganta torna-se, então, criativa e espiritualmente ativo quando a 
 207
natureza inferior foi, até certo ponto, subordinada à aspiração idealista; essa 
aspiração não precisa ser espiritual nem religiosa como costuma ser 
considerada pelo pensador ortodoxo e, portanto, aprisionado. Ele deve, 
todavia, ser aquela de que o homem totalmente integrado seja o instrumento 
e de natureza tão ampla que coloque em atividade sua faculdade criadora. 
Nesse sistema solar, o centro cardíaco é o que comumente desperta e 
entra em atividade primeiro; logo que haja vida e certa atividade nesse centro, os 
outros dois centros maiores começam a despertar. A correspondência disso pode 
ser observada no fato de que a Hierarquia é o mediador ou o fator intermediário 
entre o centro coronário e cardíaco planetários, e entre Shambala e a Humanidade. 
Esse é o motivo pelo qual se enfatiza o aspecto coração em todos os ensinamentos. 
Existem dois centros que são considerados "agentes receptivos e 
distribuidores" de uma maneira singular: 
 
1. O Centro Ajna (entre as sobrancelhas), principalmente nessa etapa do 
desenvolvimento humano, atua em conexão com os três centros maiores, 
como distribuidor da força da alma e da energia espiritual, provenientes dos 
centros cardíacos e laríngeo. 
2. O Centro do Plexo Solar atua em conexão com o centro sacro e com o 
situado na base da coluna, o centro da vida, operando também com todos os 
centros subsidiários que estão abaixo do diafragma, reunindo e transmutando 
suas energias e transmitindo "aquilo que foi purificado" para o centro principal 
superior. 
 
 208
Deve-se-ia acrescentar aqui que a vontade-de-ser é, sob certo ponto de 
vista, a energia da imortalidade; essa flui e atua através do centro coronário, ao 
passo que a vontade-de-viver manifesta-se como o instinto fundamental de auto-
preservação e encontra-se positivamente enfocado no centro localizado na base da 
coluna. Este último relaciona-se à personalidade e está estreitamente aliado ao 
desejo, e, portanto, ao centro do plexo solar; há uma linha direta de energia, até 
então desconhecida, entre o centro inferior da coluna vertebral e o plexo solar; a 
outra está vinculada ao homem espiritual e divino e intimamente aliada à alma e, 
portanto, ao centro cardíaco. 
É difícil para o neófito compreender a complexidade de todas essas 
relações e essa dificuldade aumenta ainda mais devido às numerosas e variadas 
etapas de desenvolvimento, às diferenças de raio, e também aos numerosos 
princípios e ênfases postos sobre os veículos e sobre os diferentes planos e níveis 
planetários de consciência e de existência. Não se pede ao estudante que se ocupe 
disso. Os fatores importantes que ele deveria tentar compreender e sobre os quais 
deve construir o templo de sua vida e seu atual modo de viver são simplesmente os 
mesmos para cada um e para todos, não importa o raio a que pertença nem seu 
grau de evolução: 
 
1. O corpo etérico do homem é parte integrante do corpo etérico planetário e 
responde à livre distribuição das inúmeras energias circulantes. 
2. Os três veículos periódicos que compõem a expressão do ser humano e que 
fazem dele o que é (a Mônada, a Alma e a Personalidade) estão relacionados 
com os três centros planetários: Shambala, a Hierarquia, a Humanidade e, 
portanto, com cada um dos três maiores centros do homem individual. 
 209
3. Os três centros do ser humano que se encontram acima do diafragma 
(coronário, cardíaco e laríngeo) são órgãos de recepção das energias 
provenientes dos três centros planetários. 
4. O agente que distribui as energias recebidas pelos centros coronário, 
cardíaco e laríngeo é o centro ajna, situado entre as sobrancelhas. 
5. O agente purificador, transmutador e transmissor das energias de todos os 
centros que se encontram abaixo do diafragma é o centro do plexo solar. Por 
meio dele atua hoje a maioria dos seres humanos, é o centro que exerce 
maior controle, seja para a recepção ou para a transmissão de energias; isso 
ocorrerá até que o centro cardíaco desperte e comece a controlar a 
personalidade. 
Logicamente muito mais poderia ser dito sobre o tema dos centros 
maiores planetários e humanos. Acho que já dei ao estudante suficiente material 
para reflexão (quase diria, sobre o que queimar as pestanas). É importante ter em 
mente as relações que existem entre: 
 
1. Os centros localizados abaixo e acima do diafragma. 
2. Os próprios três centros maiores. 
3. Os três centros maiores e os três planetários. 
 
Tudo isso deve ser considerado em termos de energias que circulam e se 
movem livremente, distribuindo-se por todo o corpo etérico do planeta (e, portanto, 
por todo o corpo etérico humano) de acordo com o propósito essencial de Shambala 
e sob a direção da Hierarquia. 
 210
O tema das relações, conseqüentemente, é que é o padrão básico do 
processo evolutivo de desenvolvimento no atual segundo sistema solar (dos três 
sistemas), que é o do Filho, no qual a qualidade do segundo aspecto divino, o Amor, 
está-se aperfeiçoando. O homem, a princípio, participa inconscientemente nesse 
processo de aperfeiçoamento, durante o longo ciclo do desenvolvimento evolutivo, 
conforme a Lei da Necessidade; mas, quando se converte em aspirante e dá os 
primeiros passos no caminho em direção à maturidade espiritual, ele começa a 
desempenhar um papel crucial, que mantém até obter a liberação espiritual e tornar-
se, ele mesmo, um membro da Hierarquia, do quinto reino ou reino espiritual, 
através do serviço perfeito no quarto reino, o humano. 
A relação entre o quarto e o quinto reinos está aumentando 
continuamente, propiciando novos poderes e uma maior vivência vital na família 
humana, o que é registrado conscientemente por seus membros mais avançados. A 
distribuição de energias a partir da Hierarquia compreende uma seqüência muito 
interessante e algumas delas podem ser consideradas sucintamente. Como 
sabemos, a Hierarquia é o Ashram do Senhor do Amor, o Cristo; também sabemos 
que esse Ashram maior é formado de Ashrams dos sete Raios, tendo cada um deles 
em seu centro um Chohan ou um Mestre de Sabedoria e estando cada um dos sete 
Ashrams vinculado a um ou mais Ashrams subsidiários. 
Um Ashram é uma fonte de onde emana a impressão hierárquica sobre o 
mundo. Suas "energias impulsionadoras" e suas forças estimuladoras estão 
destinadas à expansão da consciência humana, mediante as vidas magnéticas dos 
membros do grupo à medida que desempenham seus deveres, obrigações e 
responsabilidades no mundo externo, sendo ajudado também pela constante 
atividade vibratória dos membros do Ashram que não estão em encarnação física e 
 211
pelo pensar unido e claro e pela firme consciência de todo o Ashram. Os iniciantes, 
como são a maioria dos aspirantes (embora