Alice Bailey & Djwhal Khul   Telepatia e o Veículo Etérico
216 pág.

Alice Bailey & Djwhal Khul Telepatia e o Veículo Etérico


DisciplinaAstrologia619 materiais2.143 seguidores
Pré-visualização45 páginas
se torna um "agente transmissor" ou comunicador. As impressões recebidas 
da alma, e as intuições registradas através dela, procedentes da Tríade 
Espiritual, são agora formuladas em pensamentos; as idéias vagas e as 
visões até então não expressas podem agora ser revestidas com uma forma e 
enviadas ao cérebro do discípulo como formas de pensamento corporificadas. 
No tempo oportuno, e como resultado de treinamento técnico, o discípulo 
pode, por esse meio, atingir a mente e o cérebro de outros discípulos. Esse é 
um estágio sumamente interessante. Constitui ele uma das maiores 
recompensas da correta meditação e implica uma grande e real 
responsabilidade. Vocês encontrarão maiores informações sobre este estágio 
 35
da telepatia em meus outros livros, particularmente em Um Tratado de Magia 
Branca\u2217. 
 
O que mencionei até aqui é praticamente tudo o que diz respeito ao 
homem em seu próprio trabalho, treinamento e contatos individuais internos. 
Entretanto, há toda uma gama de contatos telepáticos que deveria ser considerada 
porque eles constituem a meta para a humanidade. 
 
7. Trabalho telepático entre um Mestre (ponto focal de um grupo) e o discípulo 
no mundo. Constitui verdade ocultista o fato de que nenhum homem é 
realmente admitido no grupo de um Mestre, como discípulo já aceito, até que 
ele tenha se tornado espiritualmente impressionável e possa funcionar como 
mente em colaboração com a sua própria alma. Antes disso, ele não pode 
constituir parte consciente de* um grupo que atua nos planos internos, 
reunido em torno de uma força personalizada, o Mestre; nem pode trabalhar, 
de alguma forma, como alma consciente, então o Mestre pode começar a 
impressioná-lo com as idéias grupais através de sua própria alma. Depois ele 
se manterá por um certo tempo na periferia do grupo. Finalmente, à medida 
que a sua sensibilidade espiritual aumenta, pode ser definitivamente 
impressionado pelo Mestre, sendo-lhe ensinada, então, a técnica de contato. 
Mais tarde, o grupo de discípulos, atuando como um pensamento-forma 
sintético, poderá atingi-lo, e então ele, automaticamente, torna-se um deles. 
Para os que possuem o verdadeiro sentido esotérico, o que se disse acima 
transmitirá uma boa quantidade de informação, até então oculta. 
 
\u2217
 Págs 176, 180, 415,422, 428, 477, 478 
 36
8. Trabalho telepático entre um Mestre e Seu Grupo. Este é o modo de trabalho 
por meio do qual um Mestre treina seus discípulos e trabalha através deles, 
impressionando-os simultaneamente com uma idéia ou um aspecto da 
verdade. Pela observação de suas reações Ele pode avaliar a atividade 
conjunta do grupo e a simultaneidade de suas respostas. 
9. Trabalho telepático entre grupos subjetivos e objetivos. Eu não me refiro aqui 
ao contato entre um grupo interno de discípulos, atuando conscientemente 
em níveis subjetivos, nem à forma externa que tal grupo assume. Refiro-me, 
sim, a um grupo interno e a um grupo ou grupos externos diferentes. Esses 
grupos, em ambos os níveis, podem ser bons ou maus, de acordo com a 
qualidade ou a categoria de seus componentes e de seus motivos. Isso abre 
um largo campo de contatos e é uma das maneiras segundo as quais a 
Hierarquia de Mestres trabalha, como seres individuais. Entretanto, não é 
possível para grupos no plano externo responder a esse tipo de contato até 
que todos os seus membros tenham tido o centro cardíaco despertado. Com 
relação a isso, um ponto muito interessante deveria ser observado. O 
despertar do centro cardíaco indica exclusividade, apreciação e contato 
grupais, assim como pensamento de grupo e vida em atividade grupal. A 
menos, porém, que o centro da cabeça também esteja desperto e ativo, a 
alma não é capaz de exercer controle, e essa atividade cardíaca não é 
necessariamente o que chamamos uma atividade boa ou espiritual. Ela é 
bastante impessoal, assim como o sol, do qual o coração é, como se sabe, o 
símbolo. Ele brilha igualmente sobre o bom e o mau; e a atividade grupal, 
como resultado do despertar do coração pode incluir tanto os maus como os 
bons grupos. Por conseguinte, você podem perceber a necessidade de se 
 37
despertar o centro da cabeça e de deixar que ele controle o aspecto alma. Daí 
a ênfase colocada na formação do caráter e a necessidade da meditação. 
10. Trabalho telepático entre a Hierarquia de Mestres, como um grupo, ou de uma 
parte da Hierarquia e grupos de discípulos. Pouca coisa posso dizer-lhes a 
esse respeito e mesmo assim vocês não iriam ou não poderiam compreender. 
O experimento que estamos realizando agora, em conexão com o Novo 
Grupo de Servidores do Mundo, está relacionado com esse método de 
trabalho telepático. 
 
Algumas dessas formas de trabalho telepático têm, inevitavelmente, seus 
reflexos distorcidos no plano físico. É preciso que você se disponham a refletir sobre 
isso e procurem identificar as correspondências entre eles. O que é a "psicologia de 
massa" com o seu caráter de irracionalidade e a sua cega atividade, senão uma 
reação da massa às impressões do plexo solar transmitida de grupo para grupo? O 
que é a chamada "opinião pública" a não ser vagas relações mentais da massa 
humana que começa a tatear o seu caminho mental, até à atividade e atuação das 
mentes mais ativas e mais poderosas? As palavras escritas ou faladas não são em 
si mesmas adequadas para avaliar a manifestação da moderna opinião tal como a 
temos hoje. O que é essa informação tida como precisa, que circula tão rapidamente 
entre as raças selvagens, senão uma expressão dessa telepatia instintiva que 
emprega o corpo vital e os fluidos prânicos como meios de expressão? 
 
 
 
 
 38
IV. OS TRÊS TIPOS DE ENERGIA ENVOLVIDOS 
 
 
A inter-relação telepática entre os membros de um grupo cresce através 
da atitude constante do pensamento reflexivo e de um firme amor de uns pelos 
outros. Eu gostaria de relembrar-Ihes que, quando uso esses termos, refiro-me aos 
dois principais tipos de energia existentes hoje no mundo. A energia é, 
essencialmente, substância ativa. Esses dois tipos de força são de uma vitalidade e 
potência tais e de substância tão sutil, que podem atravessar e impelir à atividade 
"os fluidos prânicos que constituem a essência do corpo etérico (aos quais já me 
referi anteriormente)\u2217 . O trabalho telepático, portanto, relaciona-se com três tipos de 
energia que se revelam como forças com poder para motivar: 
 
1. A força do amor, com seu caráter negativo, a qual 
 
a. atrai o material necessário para revestir a idéia, o pensamento ou o 
conceito a se transmitir, sendo também um meio de atração utilizado 
pelo receptor. A partir daí, tanto o transmissor quanto o receptor, 
trabalham com o mesmo instrumento, mas o transmissor usa a energia 
do amor de um todo maior, ao passo que o receptor concentra, sobre o 
transmissor, a energia do amor de sua própria natureza. Assim sendo, 
pode-se compreender por que enfatizo a necessidade do amor e da 
atitude de não criticar. 
b. constitui a propriedade de coesão que une o transmissor ao receptor e 
que também produz a coesão do que se transmite. 
 
\u2217
 Um Tratado Sobre os Sete Raios, II, 113 
 39
Conseqüentemente, ficará claro para vocês que, somente na época atual, 
podemos começar a procurar uma expressão mais ampla e geral do processo 
telepático, pois apenas hoje o princípio do amor está realmente começando a afetar 
o mundo em maior escala. O amor a uma causa, a um partido ou a uma idéia está 
prevalecendo cada vez mais, produzindo, nos estágios iniciais, as aparentemente 
profundas divisões com as quais estamos tão familiarizados