Alice Bailey & Djwhal Khul   Telepatia e o Veículo Etérico
216 pág.

Alice Bailey & Djwhal Khul Telepatia e o Veículo Etérico


DisciplinaFísica I27.942 materiais917.260 seguidores
Pré-visualização45 páginas
modo: O 
Plano constitui ou é composto da substância com a qual os Membros da Hierarquia 
trabalham constantemente. Vamos tomar esse importante conceito e analisá-lo nas 
partes que o compõe a fim de esclarecê-lo. Estou enfatizando enormemente essas 
palavras porque esse conceito é de uma importância quase além da compreensão 
humana, e porque entendê-lo pode levá-los a rever e revitalizar a total aproximação 
do Plano, capacitando-os, portanto, a trabalhar de uma forma inédita inteiramente 
nova: 
 132
1. O Plano É substância. É essencialmente energia substancial. E energia é 
substância e nada mais. 
2. A substância (que é o Plano) é dinâmica por natureza, e está, por 
conseguinte, impregnada da energia da VONTADE. 
3. O Plano constitui uma reserva de substância energizada, mantida em solução 
pela VONTADE de Sanat Kumara e incorporando Seu propósito intangível 
(intangível para nós, mas não para Ele). 
4. É essa Substância planetária que os "agentes impressores" \u2014 os 
Nirmanakayas, os Membros da Hierarquia e os discípulos ativos do mundo, 
assim como também todos os sensitivos espirituais de certo grau \u2014 devem 
conduzir. 
5. Os receptores da impressão desejada devem tornar-se sensíveis a essa 
energia substancial. 
 
Toda essa proposição pode remontar-se ao Pensador original Que trouxe 
à existência nosso mundo manifestado e Que, seqüencialmente, e sob a Lei da 
Evolução, está trazendo à manifestação o objetivo de Seu Pensamento. Num 
sentido mais amplo, constitui a soma total do mar de energias no qual "vivemos, nos 
movemos, e temos nosso ser." E este é o sétuplo corpo dos Logos planetário. 
Todavia, não estamos considerando aqui o Todo maior, mas estamos 
tratando de uma área específica e enfocada na consciência planetária, que se 
encontra na metade do caminho entre o plano superior, onde se acham a Câmara 
do Conselho do Grande Senhor e os três planos que constituem o campo ativo do 
trabalho hierárquico \u2014 os três níveis de consciência da Tríade Espiritual. Essa "área 
enfocada" tem sido precipitada pelos Agentes da Vontade divina; Eles conhecem o 
 133
propósito básico de Sanat Kumara e o mantêm sempre presente e ao alcance dos 
Mestres de Sabedoria, que podem atuar como "Agentes impressores da Vontade de 
Sanat Kumara". São eles o Manu, o Cristo, e o Mahachohan, o Senhor da 
Civilização. 
Dever-se-ia mencionar aqui que os três Budas de Atividade são os 
Agentes impressores mais importantes e que os três Grandes Senhores são os 
"Receptores da impressão" num nível muito elevado, o nível átmico de percepção, 
zona energizada pela Vontade divina. 
Ao tratar do quinto Ponto de Revelação\u2217, afirmei que ele concernia ao 
aspecto superior da Vontade \u2014 aquele que produz a síntese superior, a síntese 
final. O propósito planetário constitui a síntese final do pensamento inicial do Logos 
planetário, e a esse pensamento se dá o nome (incapaz de expressar o seu 
verdadeiro sentido) de "GLÓRIA"; isso é tudo que podemos conceber acerca do 
propósito divino; para nós, ele é o "resplendor de glória". A mente humana acha-se 
numa etapa (em termos de tempo e espaço) em que é incapaz de registrar qualquer 
aspecto do Propósito; tudo que podemos fazer é cooperar com os esforços da 
Hierarquia, a fim de ativar fatos e acontecimentos que finalmente permitirão a 
manifestação do Propósito, propósito esse que constituirá a revelação final para a 
última raça-raiz humana; está, portanto, muito além de nossa atual etapa de 
evolução. 
Farei aqui uma declaração que provavelmente não transmitirá coisa 
alguma à inteligência do discípulo comum, masque pode constituir um pensamento-
semente frutífero, proveitoso para o iniciado que ler estas palavras: 
 
\u2217
 Discipulado na Nova Era, Volume II. 
 134
"O Propósito de Sanat Kumara é criado, no 
presente, pela síntese revelada pela natureza dos sete últimos 
Caminhos. É adaptado, em tempo e espaço, à inteligência 
humana, pelo Plano apresentado, e \u2014 na glória da 
consumação \u2014 o Plano realizado revelará o Propósito em 
todos os sete planos da evolução. Então a evolução, tal como 
formulada e imposta pela Hierarquia, terminará e uma 
expressão dinâmica ainda maior ocorrerá\u201d. 
 
Vocês observarão que, em todos os campos do ensinamento, chega-se a 
uma combinação e fusão finais e que, num certo ponto do desenvolvimento da 
consciência, os inumeráveis aspectos da aproximação espiritual reduzem-se a 
poucas linhas de percepção espiritual consciente. O mesmo se dá com os detalhes 
do processo evolutivo, com a formulação do Plano hierárquico e com o 
reconhecimento do Propósito. Falando praticamente (e isso é de suma importância), 
poder-se-ia dizer que a evolução controla a forma do Propósito; o Plano concerne ao 
reconhecimento hierárquico do Propósito, enquanto que este é o Pensamento 
sintético que aflui à consciência divina do Senhor do Mundo através dos Sete 
Caminhos, dos quais os Mestres se tornam conscientes em uma iniciação muito 
elevada. 
As sete grandes energias fluem ao nosso mundo manifestado através dos 
Sete Caminhos; elas não são energias que provenham diretamente dos Sete Raios, 
pois concernem à consciência de um dinâmica não será aproveitada nem os 
discípulos poderão trabalhar verdadeiramente com o Plano até que o antahkarana 
esteja, em certa medida, adequadamente construído, ainda que não perfeito. 
 135
Entretanto, é de grande valia para o aspirante e o discípulo conhecer a 
natureza dos Agentes Que podem situar sua aura magnética e nela impressionar 
Sua compreensão do Plano; tais Agentes podem ser discípulos aceitos ou iniciados 
e Mestres; então o aspirante ou discípulo deve encontrar aqueles sobre os quais 
poderá atuar pessoalmente como agente impressor. Conseqüentemente, ele deve 
estudar-se a si próprio tanto como receptor quanto como agente, como fator sensível 
e também originador e impressor. Isso deve ser considerado como uma abordagem 
científica, de grande valor, da vida espiritual, já que a necessidade de servir está 
implícita na de receber: tudo estando, portanto, relacionado à Invocação e 
Evocação. 
No nosso próximo tema básico, a natureza do corpo etérico, 
encontraremos novamente as relações superiores e a interdependência de muitos 
fatores afins. Esta interdependência surge de maneira mais aguda à medida que se 
progride no esquema das correspondências. 
Finalmente um ponto de fusão é alcançado. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 136
XV. RELACIONAMENTOS INTER-PLANETÁRIOS E EXTRA-
PLANETÁRIOS 
 
 O tema referente ao corpo etérico de todas as formas e do Logos 
planetário é, sem dúvida alguma, da maior importância em qualquer reflexão sobre a 
Suprema Ciência do Contato. O que quero enfatizar, à medida que estudamos os 
três pontos ou conceitos básicos já mencionados nó capítulo anterior, é o conceito 
de contato sensível. Todos os termos tais como planos, grupos, Hierarquias 
criadoras e centros são simplesmente modismos para designar relação, interação e 
impressão mútua entre os seres ou vidas que compõem a totalidade do nosso 
universo manifestado; eles são, no entanto, sinais de que estamos chegando a uma 
síntese ou integridade planetária, de natureza ainda nem mesmo imaginada pelo 
homem. 
Inevitavelmente, esse é um tema de imensa dificuldade, pois todos os 
seres humanos pensam em termos de seus próprios contatos e relacionamentos, 
que são muito limitados e não se expressam em termos de Vida Una que flui através 
de todas as formas e reinos, e também das diferentes evoluções planetárias (sobre 
as quais vocês nada sabem). Com isso, cria-se, em termos de tempo e espaço, uma 
Entidade planetária viva e inteligente,