António Rodrigues   Radiestesia Clássica e Cabalística
274 pág.

António Rodrigues Radiestesia Clássica e Cabalística


DisciplinaAstrologia619 materiais2.143 seguidores
Pré-visualização50 páginas
do radiestesista. 
2.° método: Diagnóstico radiestésico e valorização do remédio 
Técnica dos pioneiros da radiestesia: Bouly, Mermet, Bovis, etc, etc. 
Pesquisa dos indícios das doenças; localização anatômica, números de 
série, raios fundamentais, regulagens, cores, índices de doenças, índices de 
órgãos, etc. 
Encontrada a doença se pesquisará então qual ou quais remédios 
prescrever. Normalmente é usada sempre a mesma gama de produtos. 
Aspectos positivos: O diagnóstico radiestésico é controlado por um fio 
condutor lógico. Normalmente o número de remédios limita-se a uma botica, 
tornando fácil conhecer suas características e dominar suas formas de aplicação. 
Aspectos negativos: O largo espectro de aspectos possíveis das doenças 
se apresentarem pode induzir o radiestesista a pistas falsas. A complexidade do 
diagnóstico demanda um longo tempo de análise, aumentando assim o fator 
erro. 
3.° método: Pesquisa tipológica e medicina psicossomática 
Técnica inspirada nos métodos dos radionicistas, sobretudo em David 
V. Tansley. 
Este tipo de pesquisa analisa todos os aspectos da anatomia sutil do 
homem, corpos, chakras e raios. Análise dos fatores emocionais, astrológicos, 
cármicos, etc. O tratamento objetiva a causa profunda tentando reconduzir o 
paciente a sua condição original. 
 
 
177 
Aspectos positivos: Diagnóstico mais abrangente em virtude da 
análise dos fatores sutis e dos aspectos psíquicos. Tendência para curas mais 
demoradas, porém mais profundas que nos outros métodos. 
Aspectos negativos: O radiestesista precisa ter sólidos conhecimentos 
em áreas tidas como esotéricas, ocultas e que, por falta de algum tipo de 
ensino ortodoxo, são normalmente apresentadas como formas de religião, 
magia, misturadas com crenças, superstição e atavismos. Êta terreno 
escorregadio! 
A radiestesia na área da saúde revela-se de uma extraordinária 
utilidade quando usada em conjunto com outras técnicas de diagnóstico, por 
exemplo, a cinesiologia, a pulsologia, o RAC, ou o O Ring-test. 
Utilize sempre um testemunho do paciente para fazer o diagnóstico, 
mesmo que o paciente encontre-se à sua frente. Desta maneira facilitará seu 
questionamento mental. No caso de proceder à análise a distância, é 
obrigatório o uso de testemunho, se tentar o mesmo exclusivamente por 
sintonia mental seu índice de erro será tão maior que o objetivo da pesquisa 
"radiestesia na área da saúde", ou o bem-estar dos outros, não será alcançado. 
A técnica para a escolha de remédios deverá ser sempre a mesma, 
independente do método usado. Coloque na sua frente a botica de remédios 
(caso não encontre uma à venda poderá confeccioná-la, bastando uma caixa 
baixa ou pequena maleta e remédios homeopáticos em baixa dinamização em 
vidros de dose única; faça uma separação de cartão entre as várias fileiras de 
vidros). O testemunho do paciente deverá ficar à sua direita, sob o pêndulo. 
Com o indicador da mão esquerda ou com um ponteiro vá indicando um a um 
os remédios, retire da botica aqueles que o pêndulo indicar, através de seu giro 
horário. Ao fim desta primeira parte, afaste um pouco a botica e disponha os 
remédios escolhidos em fileira à sua frente. Repita a operação de escolha. Irá 
constatar que dos sete ou oito remédios iniciais serão agora selecionados 
provavelmente um máximo de quatro. 
Qualquer que seja a análise a efetuar, proceda sempre da forma 
descrita acima: material a investigar colocado à sua esquerda ou à frente e o 
testemunho do paciente sempre à direita, num local que seja confortável para 
operar o pêndulo, de jeito que o braço direito não fique em posição incômoda. 
Ao trabalhar sobre atlas anatômico, lista de remédios, lista de 
especialidades terapêuticas, utilize sempre um ponteiro de ponta fina. 
 
 
178 
Todos os aspectos envolvidos devem ser medidos no biômetro de Bovis. O 
diagnóstico radiestésico é uma tarefa demorada. 
Todos os remédios, homeopáticos, extratos florais, vibracionais de 
gemas, fitoterápicos, etc. devem ser escolhidos radiestesicamente, assim como 
suas diluições, dinamizações, formas de aplicação e horários. 
Todos os testemunhos lexicais novos devem ser valorizados 
obrigatoriamente no decágono. 
O que se segue é uma proposta de trabalho, seguramente haverá outras. 
Cabe aqui um trecho do texto de La Foye "O pêndulo não pode fazer 
tudo, nem resolver tudo, e - excluindo faculdades excepcionais bastante raras - 
não é seguro empregá-lo fora de sua própria atividade profissional que permite 
controles." 
Boa parte dos pacientes que procuram alguma técnica de terapia 
alternativa, ou alguma das chamadas "artes da cura", são aqueles para os quais a 
medicina ortodoxa não apresentou resultados positivos, aqueles que não 
reagiram positivamente a nenhum tratamento. 
Trabalharemos na execução do diagnóstico em dois tipos de campos 
distintos. 
1) Procederemos à elaboração do diagnóstico clássico, dos aspectos físicos 
presentes. A vantagem deste procedimento é de obter um parecer que pode 
ser comparado aos exames clínicos que seguramente o cliente terá e, assim, 
consolidar uma opinião sobre o caso. 
2) Análise dos fatores energéticos, impossíveis de serem pesquisados pela 
medicina tradicional. 
Para se obter bons resultados em radiestesia na área da saúde, algumas 
condições se fazem necessárias: 
1) Radiestesista bem treinado. (Treinamento com respostas aferíveis. Afinidade 
com o trabalho em saúde.) 
2) A análise partiu de um pedido expresso do paciente?, ou este está ciente do 
fato? 
3) Tem sua anuência para realizar uma eventual terapia energética? 
4) Um sistema racional de diagnóstico que permita progredir na pesquisa, 
como por exemplo: 
a) Um conjunto de pranchas, gráficos ou listagens, contendo todos os 
sistemas do corpo humano, por onde se iniciará o trabalho. 
b) Listagem dos órgãos divididos por sistemas. 
 
 
179 
c) Lista dos principais fatores causadores de desordens. 
d) Lista da anatomia sutil do homem. 
e) Lista de causas esotéricas causadoras de desordens. 
f) Repertório de técnicas terapêuticas. 
g) Repertório de remédios homeopáticos e energéticos vários. 
h) Botica com os principais remédios homeopáticos e energéticos. 
i) Conjunto de pêndulos para radiestesia cabalística, pêndulos para 
uso geral, bússola, biômetro de Bovis, conjunto de gráficos emissores 
apropriados, pilhas radiestésicas ou emissores do espectro 
diferenciado, equipamentos radiônicos. 
5) Avaliação intelectual do diagnóstico obtido, para o que se faz 
indispensável o conhecimento de anatomia, patologia, psicologia, etc. 
A energia imanifesta 
No homem em condições normais de saúde, a força vital anima a 
matéria física e mantém todo o organismo numa operação harmoniosa. 
Quando a pessoa adoece é porque esta força vital sempre presente foi afetada 
pela influência de algum agente mórbido inimigo da vida. Assim se expressava 
Hahnemann em 1810, no "Organon...". Postulava também a existência de 
padrões de desequilíbrio da energia vital a que chamou miasmas. 
A ação do miasma está relacionada com a expressão de certas forças 
atuando na matéria, no caso matéria viva. 
Miasmas não são infecções causadas por microorganismos. Miasmas 
são desequilíbrios de origem energética habitando o corpo etérico, são o 
resultado de práticas ou hábitos, de doenças ou contaminações, poderão 
também ser uma conseqüência de padrões hereditários. 
Os miasmas estão relacionados com a constituição e temperamento do 
indivíduo e são a base de toda condição crônica. Por serem de natureza 
dinâmica, só podem ser eliminados dinamicamente. O mais importante dos 
miasmas é a psora e é a base constitucional de qualquer doença. Quando