Violência sexual no Brasil Perspectivas e Desafios - 2005
98 pág.

Violência sexual no Brasil Perspectivas e Desafios - 2005


DisciplinaDireito Penal I67.005 materiais1.077.343 seguidores
Pré-visualização43 páginas
pluralidade cultural, as questões de
gênero, classe, etnia e a preservação do meio ambiente promovam o
desenvolvimento sustentável, viabilizando, assim, o exercício pleno da
cidadania. Seu público-alvo são as crianças e adolescentes; organizações
populares e movimentos sociais; mulheres e a população em geral.
Em nível nacional, destacamos a Rede Nacional Feminista de Saúde e
Direitos Reprodutivos, uma articulação do movimento de mulheres que
está completando 13 anos em 2004. Reúne 113 entidades, entre grupos
de mulheres, organizações não governamentais, núcleos de pesquisa,
organizações sindicais/profissionais e conselhos de direitos da mulher \u2013
além de profissionais de saúde e ativistas feministas, que desenvolvem
trabalhos políticos e de pesquisa nas áreas da saúde da mulher e direitos
sexuais e reprodutivos. A Rede Saúde também implementa, com apoio do
UNFPA, o projeto Articulando em Redes para o Controle Social das Políticas
de Saúde, com relevância para o tema de violência sexual, tendo seu enfoque
na capacitação de conselheiras de saúde nos diversos níveis de gestão,
com o intuito de garantir o monitoramento qualificado das política de
saúde sexual e reprodutiva.
O CESeC (Centro de Estudos de Segurança e Cidadania), da Universidade
Cândido Mendes, surgiu em abril de 2000, reunindo um grupo de
especialistas com experiência de trabalho acadêmico, de participação em
movimentos sociais e de formulação e implantação de políticas públicas.
Dedica-se à realização de pesquisas aplicadas, fóruns e atividades de ensino
124 125
Cecília de Mello e Souza - Leila Adesse Violência Sexual no Brasil: perspectivas e desafios
organizasse no sentido de defender os direitos destas pessoas de conquistar
e construir uma sociedade justa e democrática. Sua missão é promover a
cidadania, denunciar a violência, defender a vida, estimular as organizações
populares e registrar a luta do povo.
O Coletivo Mulher Vida (CMV - Olinda, PE) começou em 1991 com a
necessidade de combater a violência contra a mulher, a partir de uma
perspectiva de gênero, buscando as causas da violência e não apenas a
denúncia. O grande objetivo era provocar uma mudança de atitude com
cada mulher para que, assim, elas rompessem com o ciclo de violência em
que viviam. Sua missão é prevenir e lutar contra a violência doméstica e
sexual de crianças, adolescentes e mulheres, dentro de uma perspectiva de
gênero.
A partir de 1991, o Serviço à Mulher Marginalizada (SMM) começou seu
trabalho na Pastoral da Mulher Marginalizada com o objetivo de ser um
Centro de Pesquisa e Divulgação das questões relacionadas à exploração
sexual de mulheres, adolescentes e crianças. Tinha também o objetivo de
assessorar as equipes dessa Pastoral, colaborando na formação dos seus
agentes. Sua missão é combater a exploração sexual e comercial de crianças,
adolescentes e mulheres adultas.
O Centro de Direitos Humanos Henrique Trindade (CDHHT - Cuiabá, MT)
nasceu no contexto pós-ditadura militar, com índice crescente de violação
de direitos humanos (arbitrariedade policial, conflito agrário, de moradia,
assassinatos, torturas), e ainda a necessidade de se criar uma entidade
que articulasse as questões de direitos humanos no estado. Sua missão é
promover a ação de cidadania para a construção de uma sociedade justa,
que supere todas as formas de violência.
gral, buscando a otimização de recursos humanos e materiais nas unidades
de atendimento de Goiânia.
A Themis realiza, desde 1999, o projeto Violência Sexual e Prevenção de
DST/Aids, em parceria com o Ministério da Saúde e com o apoio das
Secretarias Municipal e Estadual de Saúde e Secretaria de Segurança Pública
do Estado do Rio Grande do Sul. O projeto tem como objetivo geral a
prevenção e redução da incidência da infecção pelo vírus HIV/Aids e de
outras doenças sexualmente transmissíveis, tendo como público-alvo
prioritário as mulheres de baixa renda e, em especial, aquelas em situações
de violência sexual.
A Casa Renascer (Natal, RN) foi fundada em 1991 pela psicóloga Dilma
Felizardo com o objetivo social de realizar atendimentos
sociopsicopedagógicos a crianças e adolescentes da cidade de Natal em
situação de risco pessoal e social. Originalmente, surgiu com a finalidade
de atender meninas em situação de rua e/ou exploradas sexualmente. Seu
propósito político-pedagógico, desde sua origem até o presente, é atuar de
formas ativas, críticas e propositivas na implantação das políticas públicas:
saúde, educação, trabalho, lazer, cultura, moradia, alimentação. A Casa
Renascer procura realizar um trabalho com crianças, adolescentes e mulheres
em situação de vulnerabilidade na perspectiva de gênero, objetivando
monitorar e propor políticas públicas para contribuir no fortalecimento da
cidadania e de uma sociedade democrática e igualitária.
O Centro dos Direitos Humanos Maria da Graça Braz (CDHMGB - Joinville,
SC) foi fundado em 1979. A violência generalizada da ditadura militar e as
indústrias que exploravam seus empregados fizeram com que um grupo
de pessoas comprometidas com os pobres e os excluídos da sociedade se
126 127
Cecília de Mello e Souza - Leila Adesse Violência Sexual no Brasil: perspectivas e desafios
e Fase. No início, tratava-se de um grupo de reflexão sobre a condição
feminina, passando, logo a seguir, a desenvolver pesquisas, organizar de-
bates e produzir vídeos. Pioneira no Nordeste como ONG feminista, sua
aproximação com os movimentos sociais antecedeu o relacionamento com
as outras ONGs, que se constituíram mais tarde, em meados de 1985.
Busca contribuir para a democratização da sociedade brasileira por meio
da promoção da igualdade de gênero com justiça social.
Iniciativa do Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam) e do
Instituto de Estudos da Religião (Iser), com apoio do Fundo de
Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (Unifem), o Programa
de Pesquisa e Assessoria em Políticas Municipais de Combate à Violência
Contra a Mulher tem como objetivo auxiliar a formulação de políticas
municipais integradas de combate à violência contra a mulher, nas 21
cidades brasileiras que fazem parte da Rede Mercocidades. Outros projetos
recentes do Iser incluem Evangélicos e Políticas de Redução da Violência
Doméstica, que faz um mapeamento das opiniões, práticas e valores sobre
relações de gênero, família e violência doméstica entre lideranças e fiéis
evangélicos; e um levantamento da estrutura organizacional desenvolvida
pela rede associativa evangélica para a redução dos conflitos domésticos
e sua interface com o Estado.
O Ibam tem página eletrônica \u2013 Violência contra mulheres e as ações
municipais das mercocidades brasileiras. O objetivo central desta experiência
é divulgar o Programa de Assessoria Técnica para os Governos Locais das
Mercocidades Brasileiras sobre Ações e Políticas Públicas de Combate à
Violência contra Mulheres, bem como fornecer às mercocidades brasileiras,
e aos demais interessados, um conjunto de informações básicas (experiências
municipais, legislações, textos técnicos e acadêmicos, etc.) para a
implementação ou desenvolvimento das ações de combate e prevenção à
violência contra a mulher.
Fundada em 1990, a Cepia (Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e
Ação - Rio e Janeiro, RJ) procura contribuir para a ampliação e efetivação
dos direitos humanos e fortalecimento da cidadania, especialmente dos
grupos que, na história de nosso país, vêm sendo tradicionalmente excluídos
de seu exercício. Tem buscado introduzir a perspectiva de gênero para dar
visibilidade às discriminações que recaem sobre as mulheres, colaborando
para a superação desses obstáculos.
O Centro Feminista de Estudos e Assessoria (CFemea -Brasília, DF) luta
pela plena cidadania das mulheres, por relações de gênero eqüitativas e
solidárias, e por uma sociedade justa e um Estado democrático. A
instituição tem como traço característico o trabalho junto