Violência sexual no Brasil Perspectivas e Desafios - 2005
98 pág.

Violência sexual no Brasil Perspectivas e Desafios - 2005


DisciplinaDireito Penal I66.892 materiais1.073.797 seguidores
Pré-visualização43 páginas
na data de 16 de julho
de 2004.
BARSTED, L. A. L. Violência contra a mulher. Biblioteca Virtual da Mulher.
http://www4.prossiga.br/bvmulher/cedim/index.htm, em 16 de março de 2003.
BENDITA. http://www.benditazine.com.br/
BURBOS, G.J.; ORTOLANI, I.V. Violência doméstica, in. PsiqWeb, http://
www.psiqweb.med.br/infantil/violdome.html 2003.
CÂMARA DOS DEPUTADOS / DEPUTADO EDUARDO BARBOSA
http://www.camara.gov.br/eduardobarbosa/
noticias_CPI%20Explora%C3%A7%C3%A3o%20Sexual.htm
CECRIA. www.cecria.org.br
CEDIM. http://www.cedim.rj.gov.br/ Em 16 de março de 2003.
CENTRO DE DEFESA DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE \u2013 CEDECA.
http://www.violenciasexual.org.br/
180 181
Cecília de Mello e Souza - Leila Adesse Violência Sexual no Brasil: perspectivas e desafios
FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO. http://www.fpabramo.org.br
GROSSI, Mirian. Violência contra a mulher. São Paulo, 1994.http://
www.psiqweb.med.br/infantil/violdome.html
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA \u2013 IBGE. http://
www.ibge.gov.br.
MANUAL DO ADOLESCENTE. http://www.adolescente.psc.br/pesqviolen.htm
MINISTÉRIO DA SAÚDE. Anticoncepção de emergência. http://
portalweb01.saude.gov.br/saude/area.cfm?id_area=152, em 16 de março de
2003.
MINISTÉRIO DA SAÚDE. Violência doméstica e sexual. http://
portalweb01.saude.gov.br/saude, em 16 de março de 2003.
MINISTÉRIO DA SAÚDE. http://www.portalsaude.gov.br
MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. http://www.mre.gov.br
MINISTÉRIO DE RELAÇÕES EXTERIORES. http://www.mre.gov.br. 2003.
PORTAL NEWS. http://www.portal364.com/news/ler.asp?ID=3341, pesquisado na
data de 20 de Julho de 2004.
PROGRAMA DE ATENÇÃO ÀS VÍTIMAS DE ABUSO SEXUAL \u2013 P.A.V.A.S. http://
www.hospvirt.org.br/medlegal/port/pavas.htm
PROJETO PIRACEMA. http://go.to/piracema/
PISQWEB Psiquiatria Geral. Violência Doméstica. http://www.psiqweb.med.br/
infantil/violdome.html
PORTAL SOCIAL CEFETMINAS. Portais do Alvorada participam de campanha de
CFEMEA. http://www.cfemea.org.br
CENTRO REGIONAL DE ATENDIMENTO AOS MAUS TRATOS NA INFÂNCIA \u2013
CRAMI. http://www.c2imagens.com.br/crami/
CONSULTOR JURÍDICO, MP altera estrutura da Presidência e dos Ministérios. In
http://conjur.uol.com.br/textos/16507/ Em 13 de setembro de 2004
COORDENAÇÃO NACIONAL DE DST E AIDS. http://www.aids.gov.br
CONJUNTURA CRIMINAL. http://www.conjunturacriminal.com.br1
COUTINHO, Maria Júlia; CAMARGO. Marina. Lar, violento lar.
http://biondi.fcl.com.br/facasper/jornalismo/esquinas/
noticia.cfm?secao=4&codigo=93, em 22 de março de 2003.
CRESCE DENÚNCIA DE ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL. Notícia: 23/01/03http://
www.noolhar.com/opovo/fortaleza/219473.html
DIRETORIA EXECUTIVA DE POLÍCIA DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE.http://
www.brasil.terravista.pt/PraiaBrava/3264/
EMAÚS. http://www.emauscrianca.org.br/pop_inf_juvenil.htm
FAÚNDES, Anibal; LEOCÁDIO, Eucylene e ANDALAFT NETO, Jorge. Relatório Final:
VII Fórum Interprofissional para Atendimento Integral da Mulher Vítima de
Violência Sexual. http://www.rhamas.org.br/arquivos/relatorio2002.doc, em 25 de
fevereiro de 2004.
FOLHA DE SÃO PAULO. Violência sexual e assalto lideram no Rio. http://
ww.conjunturacriminal.com.br/artigos/il...folha050198.htm. Em 05/01/98.
FÓRUNS EM TODO ESTADO LUTAM PELA PROTEÇÃO DAS CRIANÇAS. http://
www.ufsc.com.br. Notícia: 25/09/98.
182 183
Cecília de Mello e Souza - Leila Adesse Violência Sexual no Brasil: perspectivas e desafios
UNESCO. http://www.unesco.gov.br
UNICEF. http://www.unicef.org/
VASCONCELOS, Scheila Magali de. Um olhar: pequenas vítimas num mundo
grande. http://www.ufsc.com.br
VIOLÊNCIA CONTRA MULHER. http://www.novapolicia.rj.gov.br/
SegurancaMulher.HTM#cap2 
VIOLÊNCIA SEXUAL /18 DE MAIO \u2013 http://www.violênciasexual.org.br/18demaio/
legislação.htm
VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA MULHERES E ADOLESCENTES. Brasília, 1999.
http://www.sogesp.com.br/protocolos/manuais/violencia/violencia_sexual_1.htm
http://www.animal.freesites.com.br/brasil/regnorte.htm
combate à violência contra crianças e adolescentes.
http://www.portalsocial-mg.com.br/jornal/2002/2jul02/pg_07.htm
REDE DE INFORMAÇÕES PARA O TERCEIRO SETOR \u2013 RITS
http://www.rits.org.br
REDES HUMANIZADAS AO ATENDIMENTO ÀS MULHERES AGREDIDAS
SEXUALMENTE \u2013 RHAMAS. http://www.rhamas.org.br/
REDE DE DESENVOLVIMENTO \u2013 REDEH. http://www.redeh.org,br/
REDE NACIONAL FEMINISTA DE SAÚDE E DIREITOS REPRODUTIVOS. Dossiê
Adolescentes \u2013 Saúde Sexual e Reprodutiva, http://www.redesaude.org.br/
dossies/.Em 21 de janeiro 2003.
REDE NACIONAL FEMINISTA DE SAÚDE E DIREITOS REPRODUTIVOS. Protocolo
considerações e orientações para atendimento à mulher em situação de violência
na rede pública de saúde. http://www.redesaude.org.br/ jornal/html/jr19-
encarte.html/ Em 21 de janeiro 2003.
REDE NACIONAL FEMINISTA DE SAÚDE E DIREITOS REPRODUTIVOS. Dossiê
Violência contra a Mulher \u2013 Interesse de toda a sociedade. Brasil, 1999. http://
www.redesaude.org.br/dossies. Em 9 de março de 2002.
SAFFIOTI, H. I. B. SAMPAIO, Roberta. Violência Sexual. http://
www.estado.estadao.com.br/jornal/suplem/fem/98/04/18/fe14.html
SENADORA PATRÍCIA SABOYA. http://www.senado.gov.br/web/senador/
PatriciaSaboyaGomes/sala/banco_noticias/20040411/27_casos_Para.htm
SISTEMA DE INFORMAÇÃO NA INTERNET SOBRE VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA
CRIANÇAS E ADOLESCENTES http://www.violenciasexual.org.br/18demaio/
legislacao.htm
184 185
Cecília de Mello e Souza - Leila Adesse Violência Sexual no Brasil: perspectivas e desafios
14. Ipas Brasil
O IPAS é uma organização não governamental com status de OSCIP
(organização da sociedade civil de interesse público) . O objetivo central
do trabalho de IPAS é aumentar a capacidade das mulheres e das
adolescentes de exercerem os seus direitos sexuais e reprodutivos.
No Brasil, IPAS é uma instituição pioneira na introdução de procedimento
e instrumental moderno e seguro para o atendimento à mulher em situação
de abortamento. Desde 1994, o trabalho de IPAS Brasil vem priorizando a
melhoria da qualidade do atendimento \u2018as complicações do abortamento
derivadas de condiçoes sanitárias precárias e de risco; assim como da
atenção multidisciplinar e multiprofissional em casos de violência sexual
contra mulheres e adolescentes. Os cursos, dirigidos a complementar a
formação dos profissionais de saúde, estão centradas na qualidade da
assistência, baseando-se em critérios éticos e nos direitos humanos das
mulheres e das adolescentes, para a garantia do direito à saúde, à não-
discriminação, e o direito a viver uma vida livre de violência.
Iniciativas Globais:
´ Apoio ao direito da mulher em controlar sua própria sexualidade,
fertilidade, saúde e bem-estar no campo da política mundial e nacional.
 Incremento ao acesso da mulher a serviços de Assistência Pós-
Abortamento (APA) de alta qualidade.
186 187
Cecília de Mello e Souza - Leila Adesse Violência Sexual no Brasil: perspectivas e desafios
\u2022 Melhoria no acesso da mulher a serviços de saúde de abortamento legal
de alta qualidade.
Iniciativas Nacionais
´ Convênio com as Secretarias de Saúde para capacitação e supervisão
técnica dos profissionais da rede de saúde em metodologia de Assistência
Pós-Abortamento e melhoria da qualidade da atenção.
 Projetos sociais em comunidades, para formação de adolescentes e jovens
no âmbito da cidadania sexual e direitos humanos, visando à prevenção
de DST/AIDS, gravidez indesejada e violência de gênero.
 Projetos e pesquisas na área da violência contra mulheres e
adolescentes, apoiando a criação dos Serviços de Atenção e
incentivando a formação de redes de ajuda para as vítimas de violência
sexual e doméstica.
 Participação em eventos político-técnicos de expressão, como: Fóruns
Regionais de Combate à Violência de Gênero e Exploração Sexual;
Congressos e Seminários de Ginecologia e Obstetrícia e de Saúde
Coletiva promovidos por FEBRASGO, Conselhos