Angela Maria La Sala Batà   Medicina Psico Espiritual
175 pág.

Angela Maria La Sala Batà Medicina Psico Espiritual


DisciplinaDesenvolvimento Espiritual100 materiais366 seguidores
Pré-visualização45 páginas
o pólo positivo da Alma. Este é o momento em que começa a 
transferência das energias do Centro Sacral para o Centro da Garganta e o 
desenvolvimento da criatividade superior. 
A verdadeira força criadora não é a que se manifesta no plano físico, através 
do Centro Sacral, mas aquela que encontra a sua expressão, a nível mental e 
espiritual, no Centro da Garganta. 
Antes, porém, que o homem possa efetuar a completa transmutação e 
sublimação das energias sexuais, verificam-se sublimações esporádicas e parciais, 
devidas ao excesso de energias, isto é, aquela porção que não pode ser utilizada e 
portanto gera mal-estares, perturbações e desarmonias. De fato, tocando agora no 
aspecto patológico e médico do assunto, os distúrbios e doenças relacionadas com o 
Centro Sacral devem-se, como sempre, à congestão ou à inibição. 
 A congestão se deve, como é fácil depreender, ao uso excessivo das energias, 
o que pode acontecer quando não se tem uma visão justa e uma compreensão sábia 
de determinada função, como no que diz respeito ao sexo. Em nossos dias, 
especialmente após uma época de hipocrisia, repressão e tabus, passou-se para o 
excesso oposto, a completa libertinagem e permissividade. Para isso também 
contribuiu a psicanálise, equivocada ao apontar na falsa expressão da sexualidade a 
principal causa das neuroses. Na realidade, porém, a psicanálise também admite a 
sublimação das energias sexuais, reconhecendo uma tendência espontânea destas 
energias para se exprimirem em atividades, faculdades e manifestações superiores 
(artísticas, místicas, sociais), quando a sua expressão no plano físico é impossível. 
Psicanalistas mais modernos e atuais como Eric Fromm, Victor Frankl e outros, 
exploraram ainda mais a fundo a questão sexual, assumindo, sobretudo, uma 
oposição mais serena e equilibrada a respeito. Afirmam que a repressão sexual é, de 
fato, responsável pelas neuroses somente em alguns casos, pois esse instinto, 
quando não se exprime no plano físico, consegue assim mesmo se manifestar de 
maneira sadia e inofensiva, sem gerar distúrbios no indivíduo, pois existe na natureza 
instintiva um equilíbrio espontâneo que, se não hostilizado, regula a saúde física e 
psíquica de uma pessoa, sobretudo se esta tem uma atitude sã e serena frente ao 
problema. O nocivo, na verdade, e causa verdadeira dos distúrbios neste terreno é o 
sexo "intelectualizado", como o chama Jung, isto é, certo sentimento de dramaticidade 
complicado pela intervenção da mente e de uma emotividade excessiva, distorcido por 
teorias e revestimentos pseudomágicos, inflacionado pela sensualidade e por desvios 
e implicações mórbidas, afastado, assim, de sua pureza e beleza naturais. É o amor, a 
capacidade de dar e criar uma relação harmoniosa, que deveria sempre se fazer 
acompanhar da sexualidade, não a sede de prazer e a sensualidade, dos quais 
resultam o egoísmo e, portanto, o oposto do amor. Mesmo que a sensualidade seja 
uma expressão natural, quando excessiva ela desvia a energia poderosa e límpida da 
verdadeira sexualidade, sendo algo ilusório, algo que faz parte da "maya" universal em 
que o homem se envolve quando escravo das sensações e de seu egocentrismo. 
Por isso, antes de chegar à verdadeira sublimação é preciso passar pela 
purificação que reconduz o Centro Sacral à sua verdadeira função no plano físico, que 
é criativa e liberta a mente de preconceitos e idéias errôneas sobre o assunto. 
Voltando agora aos distúrbios e às doenças, constatamos que elas dizem 
respeito a toda a esfera das glândulas relacionadas ao centro em questão, isto é, as 
gônadas, e com os órgãos de reprodução. A congestão do centro causa inflamações, 
disfunções e doenças diversas, até mesmo tumores em determinados casos. Às 
vezes, quando a congestão não é muito forte, há uma sensação de ardência e de 
sofrimento nas costas, na altura do centro sacral. 
A inibição do centro, ao contrário, manifesta-se, em geral, por distúrbios 
psicológicos na esfera do sexo, por anomalias, perversões, ou pelo deslocamento das 
energias para o centro mais próximo, o da auto-afirmação, com a conseqüente 
manifestação de raiva, agressividade e excessiva combatividade. 
Às vezes, quando ocorre inibição, as energias sexuais sobem para o centro da 
garganta, mas caso esta ainda não esteja ativa e desimpedida, essas não poderão 
exprimir a sua função superior e então "descarregar-se-ão" sobre a glândula 
correspondente, a tireóide, provocando distúrbios e doenças que afetam o seu 
funcionamento (hipertireoidismo, hipotireoidismo, mixedema, papo, etc). Esta situação 
pode ser provocada também pelo celibato forçado, a vida monástica, quando a pessoa 
ainda não está suficientemente madura para efetuar uma verdadeira sublimação e um 
desenvolvimento da criatividade superior. 
É preciso levar em consideração também a situação "cármica" de um indivíduo 
para chegar a compreender a verdadeira causa de certas experiências e 
acontecimentos com que ele, à sua revelia, se depara pela vida, sendo possível que, 
após uma vida de extravagâncias e completo desregramento no campo sexual, 
suceda um período em que tal aspecto seja continuamente obstruído e quase 
forçadamente negado, de modo que o indivíduo se veja obrigado pelas circunstâncias 
exteriores, que ele chama "destino", e não por vontade própria, a uma vida casta. Ou 
então, há nele manifestações psicológicas de medo, tabus e sentimentos de culpa 
que, tidos como sintomas neuróticos, exprimem, ao contrário, uma vontade 
inconsciente de purificação, sublimação e superação de determinada situação. Com 
efeito, é o Si que se revela através desta "vontade inconsciente", pois quase sempre o 
seu objetivo e o seu plano evolutivo para a existência diferem bastante daqueles da 
personalidade inconsciente e limitada. Em outras palavras, é preciso muita prudência 
e sabedoria, é preciso saber compreender a própria situação evolutiva antes de tentar 
forçar uma situação ou livrar de qualquer maneira um bloqueio no campo sexual, o 
que poderia ser o sintoma de um princípio de transferência das energias para a ação, 
ainda não inteiramente completo e harmonizado. 
 Portanto, se após os cuidados físicos e psicológicos necessários a situação 
não muda, é melhor aceitar o fato, e mais, colaborar possivelmente com as forças 
evolutivas e dirigir a atenção e a aspiração para uma meta espiritual. Isso prova como 
é possível que tenhamos um grau evolutivo mais elevado do que aquele que nos 
aparece conscientemente e que talvez o nosso eu pessoal não queira reconhecer. De 
fato, a neurose é considerada por muitos psicanalistas mais abertos como um conflito 
entre a tentativa de uma a expressão de vida e as cristalizações, apegos ao passado e 
hábitos inconscientes, etc. Diz Caruso: "... a neurose é ao mesmo tempo traição da 
vocação e sua inflexível confirmação" (De Psicanálise e síntese da existência). 
Todos nós, portanto, devemos nos examinar com coragem e objetividade 
servindo-nos da intuição interior para entender a nossa própria situação nossos 
verdadeiros problemas e, eventualmente, o nosso momento evolutivo, para então dar 
cumprimento à obra necessária para nos harmonizarmos efetivamente e criarmos um 
equilíbrio entre as energias inferiores e as superiores. 
 
 
 Capítulo XIII 
 TRANSFERÊNCIA DAS ENERGIAS DO CENTRO SACRAL 
 PARA O CENTRO DA GARGANTA 
 (Segunda Parte) 
Quando chega o momento em que nos sentimos preparados para operar a 
sublimação das energias do Centro Sacral para o Centro da Garganta, muitos "sinais" 
no-lo indicam. 
De fato, não é aconselhável fazê-lo prematuramente, somente