Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade, Auditoria e Perícia
455 pág.

Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade, Auditoria e Perícia


DisciplinaAuditoria3.499 materiais14.168 seguidores
Pré-visualização50 páginas
poderão manter a mesma classificação/pontuação que 
lhes foi atribuída originalmente.
g) de forma análoga, cursos (credenciados) oferecidos por capacitadoras que 
atuam em âmbito nacional, que preservam as características anteriores (progra-
mação, carga horária, instrutores), independentemente do estado em que forem 
ministrados, poderão manter a classificação/pontuação que lhes foi atribuída. 
2.3 \u2013 As capacitadoras natas mencionadas no item 4.6.4 necessitam cumprir 
apenas os requisitos estabelecidos na alínea d\ufffd
2.4 \u2013 As instituições (municipais, estaduais e federais) de ensino superior de-
vem cumprir os requisitos estabelecidos na alínea d, com exceção da metodologia 
de ensino, dos recursos de apoio e da bibliografia mínima na apresentação de 
cursos de pós-graduação.
2.5 \u2013 As demais instituições de ensino superior, na apresentação dos cursos 
de pós-graduação, com o curso de graduação credenciado no MEC, devem cum-
prir os requisitos estabelecidos nas alíneas a, b e d, com exceção da metodologia 
de ensino, dos recursos de apoio e da bibliografia mínima.
3 \u2013 Com base nestas informações, a CEPC-CRC efetuará uma avaliação pré-
via da qualidade da capacitadora e da pontuação dos cursos, enviando o seu pa-
recer à CEPC-CFC para decisão. Se aprovado o credenciamento, o CRC emitirá 
ofício de aprovação como capacitadora credenciada, com sua denominação ou 
razão social, com validade em território nacional, o número designado e a vigência 
da autorização, que lhe permitirá reconhecer as horas válidas para a Educação 
Profissional Continuada.
3\ufffd1 \u2013 A divulgação da pontuação atribuída aos eventos está condicionada à 
prévia análise dos respectivos processos pela CEPC-CFC.
3.2 \u2013 A validade do credenciamento da capacitadora é por tempo indetermina-
do e a validade do credenciamento dos cursos corresponde ao triênio/calendário, 
desde que mantidas as mesmas características previamente aprovadas.
DOS ATESTADOS EMITIDOS PELAS CAPACITADORAS
4 \u2013 As capacitadoras devem emitir aos participantes dos eventos atestados 
diplomas, certificados ou documento equivalente, contendo, no mínimo, os requi-
sitos estabelecidos no item 5.
204
5 \u2013 Uma vez atendidos aos critérios mínimos de avaliação e freqüência, a ca-
pacitadora emitirá atestados, contendo, no mínimo, os seguintes requisitos:
a) nome da capacitadora e número de registro perante a Comissão de Educa-
ção Profissional Continuada do CRC;
b) nome e número de registro no CRC do participante;
c) nome do expositor e assinatura do diretor ou do representante legal da 
capacitadora;
d) nome do curso e datas nas quais foi ministrado;
e) duração em horas; e
f) especificação dos pontos válidos e homologados pela CEPC-CFC como Edu-
cação Profissional Continuada, observando-se o indicado nas Tabelas de Eventos 
vigentes, aprovada pela Comissão de Educação Profissional Continuada.
6 \u2013 As capacitadoras podem modificar o seu programa de cursos para incluir 
eventos não-credenciados, devendo apresentar para a CEPC, por escrito, com 
sessenta dias de antecedência, um programa para cada curso a ser ministrado, 
que deve conter, no mínimo, as informações nas letras d e e do item 2. O trâmite 
para as modificações dos programas dos cursos pelas capacitadoras será o mes-
mo dos cursos iniciais.
7 \u2013 As capacitadoras devem enviar, até 15 de janeiro de cada ano, respectiva-
mente, relatórios anuais à CEPC-CRC, em cuja jurisdição desenvolvam atividades 
nas quais reportarão:
a) os eventos realizados;
b) a relação de expositores; e
c) a relação dos participantes que tenham concluído, satisfatoriamente, os 
eventos de acordo com o plano aprovado pelo CEPC-CRC.
d) programação dos cursos do ano vigente, validando os cursos já credenciados.
8 \u2013 O CRC manterá à disposição dos interessados a relação atualizada das 
capacitadoras autorizadas e os respectivos eventos credenciados no Programa 
de Educação Profissional Continuada (PEPC).
EMPRESAS DE AUDITORIA INDEPENDENTE CREDENCIADAS COMO CA-
PACITADORAS
9 \u2013 As empresas de auditoria independente que desejarem ter os seus cur-
205
Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade 
AUDITORIA E PERÍCIA
sos de capacitação interna ou para terceiros reconhecidos por este Programa 
de Educação Profissional Continuada devem requerer seu credenciamento como 
capacitadoras, cumprindo o disposto nesta Resolução.
INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR CREDENCIADAS COMO CAPACI-
TADORAS
10 \u2013 As instituições de ensino superior que desejarem credenciar cursos de 
pós-graduação e/ou outros e que possuam curso regular de Ciências Contábeis, 
e que sejam devidamente reconhecidas pelo MEC, ficam dispensadas da apre-
sentação da documentação indicada na letra c do item 2 deste anexo \u2013 Diretrizes 
para o Registro das Capacitadoras.
DOS CONTROLES DAS CREDENCIADAS COMO CAPACITADORAS
11 \u2013 A CEPC-CRC manterá banco de dados com informações sobre o desem-
penho das capacitadoras, elaborando, anualmente, um relatório a ser enviado à 
CEPC-CFC até o final de março do ano subseqüente.
12 \u2013 A CEPC-CRC manterá um processo para cada capacitadora credenciada, 
que deve conter:
a) a documentação prevista para o credenciamento da autorização;
b) cópia do ofício de Credenciamento como Capacitadora Autorizada;
c) relatório/parecer sobre a avaliação inicial da capacitadora para o creden-
ciamento;
d) parecer da CEPC-CFC.
e) programas de cursos a serem ministrados;
f) modificação dos programas de cursos a serem ministrados;
g) relatórios anuais dos cursos ministrados;
h) relatórios emitidos pelo Comitê de Avaliação do Programa de Educação Pro-
fissional Continuada (PEPC).
i) denúncias e investigações especiais;
j) cartas de observações dirigidas à capacitadora;
k) correspondências recebidas pela capacitadora em relação aos cursos de 
Educação Continuada; e
l) qualquer outro documento relacionado com a capacitadora.
206
ANEXO III
PROgRAMA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CONTINUADA
De acordo com a Resolução CFC nº 1.074/06, Anexo I \u2013 Tabela de Pontuação
RELATÓRIO DAS ATIvIDADES 
PERÍODO: 1º/1/........... a 31/12/..........
I. AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTOS
CURSO/EvENTO CAPACITADORA Nº DA CAPACITADORA
DATA OU 
PERÍODO
CÓDIgO DO 
CURSO
CRÉDITOS DE 
PONTOS
II. DOCÊNCIA
DISCIPLINA
CAPACITADORA / 
INSTITUIÇÃO DE 
ENSINO
Nº DA 
CAPACITADORA
DATA OU 
PERÍODO
CÓDIgO DO 
CURSO
CRÉDITOS DE 
PONTOS
III. ATUAÇÃO COMO PARTICIPANTE (COMISSÕES TÉCNICAS E PROFISSIONAIS)
COMISSÃO ENTIDADE DATA OU PERÍODO CRÉDITO DE PONTOS
Iv. PRODUÇÃO INTELECTUAL (LIvROS, ARTIgOS E PESQUISAS)
TITULO FONTE DATA PUBLICAÇAO CRÉDITO DE PONTOS
TOTAL DE PONTOS 
DECLARO SOB RESPONSABILIDADE QUE SÃO VERDADEIRAS AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO.
CRC Registro nº 
Local: de de 200X
Nome:
Endereço preferencial para comunicação ( ) Com. ( ) Res.:
Rua / Av.: nº
Bairro: Cidade: UF: Cep:
Telefones ( ) Com. ( ) Res.: Fax: 
Correio eletrônico:
Empresa na qual trabalha: 
CRC ____ nº___________/____-____
Auditor Responsável - CVM Nº 
Quadro funcional ( )
Inscrito no CNAI. Nº 
________________________________
Assinatura
207
Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade 
AUDITORIA E PERÍCIA
RESOLUÇÃO CFC nº 1.109/07
Dispõe sobre a NBC P 5 \u2212 Norma sobre o Exame 
de Qualificação Técnica para Registro no Cadas-
tro Nacional de Auditores Independentes (CNAI) 
do Conselho Federal de Contabilidade (CFC).
O Conselho Federal de Contabilidade,