UC7   Técnicas de Produção Vegetal
151 pág.

UC7 Técnicas de Produção Vegetal


DisciplinaAgroindústria e Agronegócio80 materiais1.346 seguidores
Pré-visualização35 páginas
118
Para garantir a qualidade, pode-se, ainda, efetuar o tratamento das sementes com fungicidas 
\u2013 eles garantem melhor estabelecimento da população de plantas por controlarem patógenos 
(agentes causadores de doenças) transmitidos pelas sementes.
O tratamento de sementes com fungicidas, inseticidas, micronutrientes e inoculantes pode 
ser feito nessa ordem e com máquinas específicas de tratar sementes, desde que haja 
recomendação e acompanhamento de um técnico especializado no assunto.
Tópico 4: Controle de Plantas Daninhas, Pragas e Doenças
As plantas daninhas são um grande problema para a cultura da soja, pois as perdas podem 
ser significativas. Assim, é inevitável controlá-las, analisando-se cada espécie, a densidade 
e a distribuição na lavoura. A invasora prejudica a cultura porque, como ela compete pela 
luz solar, pela água e pelos nutrientes, pode, inclusive, dificultar a operação de colheita e 
comprometer a qualidade do grão.
Os métodos mais utilizados para controlar as invasoras são o mecânico, o químico e o cultural. 
Quando possível, é aconselhável utilizar a combinação de dois ou mais métodos.
c
Leitura complementar
Saiba mais sobre o controle de plantas daninhas lendo o texto Plantas daninhas 
na cultura da soja, disponível na biblioteca do AVA.
Em relação às pragas, a cultura da soja está sujeita, durante todo o seu ciclo, ao ataque de 
diferentes espécies de insetos. Embora estes tenham suas populações reduzidas, quando 
atingem quantidades elevadas, são capazes de causar perdas significativas no rendimento 
da cultura e necessitam ser controlados. Em geral, predadores, parasitoides e doenças já 
reduzem a população de insetos, além disso, ela pode ser influenciada pelas condições 
ambientais e, claro, pelo manejo de pragas que se pratica.
 
Apesar de os danos causados na cultura da soja serem, em alguns 
casos, alarmantes, não se indica a aplicação preventiva de produtos 
químicos, pois, além do grave problema de poluição ambiental, a 
aplicação desnecessária eleva os custos da lavoura e contribui para 
o desequilíbrio populacional dos insetos.
O controle das principais pragas da soja deve ser feito com base nos princípios do manejo 
integrado de pragas: consiste em tomadas de decisão de controle com base no nível de ataque, 
no número e no tamanho dos insetos-pragas, e no estágio de desenvolvimento da soja. Essas 
informações são obtidas em inspeções regulares na lavoura. Em situações adversas, como 
déficit hídrico ou excesso de chuvas, o técnico também deverá considerar o porte das plantas, 
o tamanho da área a ser tratada e a disponibilidade de equipamentos.
Técnicas de Produção Vegetal
119
Existem muitos produtos para o controle químico das pragas da soja. Na escolha do produto, 
devem-se levar em consideração a toxicidade, o efeito sobre os inimigos naturais e o custo 
por hectare.
A
Link
No AVA, você encontra um guia completo e atualizado sobre os conhecimentos 
e as práticas integradas e sustentáveis de manejo dos principais insetos e de 
outros artrópodes-praga da soja. Acesse e confira!
1. Doenças e medidas de controle
Entre os principais fatores que limitam a obtenção de altos rendimentos em soja estão as 
doenças. Aproximadamente 40 doenças causadas por fungos, bactérias, nematoides e vírus 
já foram identificadas no Brasil. Esse número continua aumentando com a expansão da soja 
para novas áreas e como consequência da monocultura. O impacto econômico de cada doença 
varia de ano para ano e de região para região, dependendo das condições climáticas de cada 
safra. Estima-se que de 15% a 20% da produção seja perdida anualmente por doenças. 
A maioria dos patógenos \u2013 agentes causadores de doenças \u2013 é transmitida pelas sementes, 
e, portanto, o uso de grãos sadios ou o tratamento deles é essencial para a prevenção ou a 
redução das perdas. Os exemplos mais evidentes de doenças que são disseminadas pelas 
sementes são a antracnose (Colletotrichum dematium var. truncata), a seca da haste e da 
vagem (Phomopsis spp.), a mancha púrpura da semente e o crestamento foliar de cercóspora 
(Cercospora kikuchii), a mancha \u201colho de rã\u201d (Cercospora sojina), a mancha parda (Septoria 
glycines) e o cancro da haste (Diaporthe phaseolorum f.sp. meridionalis). 
Legenda: Sintomas de ferrugem (esquerda) e antracnose (direita).
Fonte: Instituto Phytus.
Curso Técnico em Agronegócio
120
A seguir, algumas das principais doenças que ocorrem na soja:
\u2022 ferrugem (Phakopsora pachyrhizi): ferrugem \u201camericana\u201d, ferrugem \u201casiática\u201d;
\u2022 mancha \u201colho de rã\u201d (Cercospora sojina); 
\u2022 oídio (Microsphaera diffusa); 
\u2022 mela da soja (Rhizoctonia solani AG1); 
\u2022 cancro da haste (Diaporthe phaseolorum f.sp. meridionalis; Phomopsis phaseoli f.sp. 
meridionalis); 
\u2022 antracnose (Colletotrichum dematium var. truncata); 
\u2022 seca da haste e da vagem (Phomopsis spp.); 
\u2022 mancha alvo e podridão da raiz (Corynespora cassiicola); 
\u2022 podridão vermelha da raiz \u2013 PVR (Fusarium solani f.sp. glycines);
\u2022 podridão de carvão (Macrophomina phaseolina); 
\u2022 podridão da raiz e da base da haste (Rhizoctonia solani); 
\u2022 crestamento bacteriano da soja (Pseudomonas savastanoi pv. glycinea); 
\u2022 mosaico comum da soja (vírus do mosaico comum da soja \u2013 VMCS); 
\u2022 necrose da haste da soja (vírus da necrose da haste, Cowpea mild mottle virus); 
\u2022 nematoides de galhas (Meloidogyne spp.); 
\u2022 nematoide de cisto da soja (Heterodera glycines).
A irrigação do cultivo da soja no cerrado, por exemplo, possibilita a sua expansão e a produção 
de sementes entre o outono e o inverno. Mas, ao mesmo tempo, esse cultivo favorece a 
sobrevivência dos fungos causadores da antracnose, da ferrugem, do cancro da haste, da 
podridão-branca da haste, da podridão vermelha da raiz e dos nematoides de galhas e de 
cisto. Os cultivos de feijão, ervilha, melancia e tomate, que são também realizados sob irrigação 
na mesma época, são afetados pela podridão-branca da haste, pela podridão radicular e 
pela mela de Rhizoctonia (R. solani), e pelos nematoides de galhas e de cisto (feijão e ervilha), 
aumentando o potencial de contaminação da safra de soja.
Técnicas de Produção Vegetal
121
Encerramento do tema
A soja é a cultura agrícola brasileira que mais cresceu nas últimas três décadas e corresponde 
a 49% da área plantada em grãos do país. Neste tema, você pôde conhecer mais sobre essa 
cultura, que é o principal produto agrícola de exportação do Brasil graças ao aumento da 
produtividade associado aos avanços tecnológicos, ao manejo e à eficiência dos produtores. 
Viu, ainda, que o grão é componente essencial na fabricação de rações animais, na produção 
de óleo de cozinha e com uso crescente na alimentação humana. No próximo tema, você verá 
algumas características gerais de outras culturas populares no Brasil.
Atividade de aprendizagem
1. Dentre as várias práticas de manejo sustentável, quais são destaques no cultivo da soja?
a) Plantio direto, cultivo convencional e FBN.
b) Plantio direto, FBN e manejo integrado de pragas e doenças.
c) Cultivo convencional, FBN e manejo integrado de pragas e doenças.
d) Cultivo convencional, adubação nitrogenada com adubos químicos e manejo integrado 
de pragas e doenças.
Outros Produtos Brasileiros
07
Técnicas de Produção Vegetal
123
Tema 7: Outros Produtos Brasileiros 
Nos temas anteriores, você pôde se aprofundar nas culturas do café, da cana-de-açúcar e da 
soja. Agora, você verá informações sobre a área plantada e a produtividade de outros grãos, 
fibras e oleaginosas produzidos no Brasil. Também verá algumas peculiaridades do cultivo de 
frutas e hortaliças. 
Ao final deste tema, você deverá ser capaz de:
\u2022 conhecer as principais características do cultivo de alguns grãos, oleaginosas e fibras;
\u2022 conhecer as peculiaridades do cultivo de frutas e hortaliças;
\u2022 identificar a