UC7   Técnicas de Produção Vegetal
151 pág.

UC7 Técnicas de Produção Vegetal


DisciplinaAgroindústria e Agronegócio80 materiais1.346 seguidores
Pré-visualização35 páginas
se atualizou com relação a alguns aspectos econômicos das principais cul-
turas agrícolas e suas representatividades no cenário do agronegócio brasileiro, e aprendeu o 
conceito de produção vegetal, o que é sistema de produção sustentável e quais são seus tipos 
(Agricultura Orgânica, Produção Integrada Agropecuária e Integração Lavoura-Pecuária-Flo-
resta e suas modalidades), além de conceitos importantes, tais como ecossistema e agroecos-
sistema. No próximo tema, abordaremos os fatores que são a base da produção vegetal \u2013 o 
sistema solo-planta-atmosfera.
Atividade de aprendizagem
1. Na teoria de Malthus, a produção de alimentos crescia de forma aritmética, enquanto o 
crescimento populacional crescia de forma alarmante. No entanto, essa previsão não se 
confirmou. Por quê?
a) Porque ele não contava com o desenvolvimento da tecnologia agrícola, com o emprego 
de fertilizantes, com o melhoramento genético, entre outros fatores que levam ao 
desenvolvimento da agricultura.
b) Porque a população parou de crescer de forma alarmante.
c) Porque a produção de alimentos cresceu somente a partir do emprego de fertilizantes.
d) Porque o melhoramento genético foi o único fator que contribuiu para o desenvolvimento 
da agricultura.
2. Quais são as premissas dos sistemas sustentáveis de produção vegetal?
a) Convencional, cultivo mínimo e plantio direto. 
b) Convencional, Agricultura Orgânica e Produção Integrada Agropecuária.
c) Convencional, Agricultura Orgânica e Produção Integração Lavoura-Pecuária-Floresta.
d) Agricultura Orgânica, Produção Integrada Agropecuária e Integração Lavoura-Pecuária-
Floresta.
02
Sistema Solo-Planta-Atmosfera
Curso Técnico em Agronegócio
24
Tema 2: Sistema Solo-Planta-Atmosfera
Este tema é de fundamental importância para que se entenda a produção vegetal em geral. 
A partir dos conceitos e das explicações aqui abordados, será mais fácil entender os aspectos 
agronômicos das principais culturas agrícolas do país. 
O ecossistema é o conjunto formado por todos os fatores bióticos (diversas populações de 
plantas, animais e microrganismos) e abióticos (água, sol, vento e fatores químicos e físicos 
do solo). Um agroecossistema é o conjunto de todos esses fatores somado à presença de 
pelo menos uma espécie agrícola e que conta com a atuação do homem para desenvolvê-la. 
Você verá, neste tema, que a alteração de um único elemento desses fatores pode causar 
modificações em todo o sistema, levando à perda do equilíbrio existente. 
Este tema foi elaborado para que você desenvolva as seguintes competências:
\u2022 identificar a importância do sistema solo-planta-atmosfera;
\u2022 analisar o papel do solo na nutrição das plantas;
\u2022 conhecer os principais fertilizantes e técnicas de manejo de solo.
Tópico 1: Solo, Planta e Atmosfera
Um sistema deve ser ao mesmo tempo equilibrado e dinâmico. Isso significa que, apesar das 
mudanças e do movimento, o equilíbrio se mantém com o tempo. Para manter esse equilíbrio 
dinâmico, todos os ecossistemas requerem quatro elementos básicos: 
1. substâncias inorgânicas: gases, minerais e íons;
2. plantas: que convertem as substâncias inorgânicas em alimentos;
3. consumidores (animais e humanos): que utilizam os alimentos;
Técnicas de Produção Vegetal
25
4. decompositores (microrganismos): que transformam o protoplasma, ou material bioló-
gico, em substâncias que possam ser reutilizadas por plantas, consumidores e também 
pelos próprios decompositores, fechando assim o ciclo.
Em geral, apenas as plantas possuem a capacidade de usar a energia solar e produzir 
tecido vivo. O reino vegetal sustenta o reino animal, e ambos deixam seus restos para os 
decompositores. O uso eficiente dos produtos de decomposição pela natureza é também 
fator fundamental na formação do solo. 
Esse processo é tão delicado e complexo que se estima que a 
formação de alguns centímetros de solo fértil leve séculos.
Os ecossistemas são regidos por uma série de leis fundamentais à manutenção do equilíbrio 
da vida. Uma delas é a adaptação: cada espécie encontra um lugar preciso no ecossistema 
que lhe fornece alimento e ambiente. Ao mesmo tempo, todas as espécies têm o poder 
defensivo de se multiplicar mais rapidamente que a sua própria taxa de mortalidade. Como 
resultado, predadores tornam-se necessários para manter a população dentro dos limites de 
sua disponibilidade de alimento. A diversidade também é outra lei necessária \u2013 quanto mais 
espécies diferentes existirem em uma área, menor será a chance de uma delas proliferar e 
dominar a região. A diversidade é a tática de sobrevivência na natureza.
O sistema solo-planta-atmosfera, como parte 
da biosfera, está sujeito a todas essas leis e 
princípios. Do ponto de vista do homem, esse 
sistema fornece substâncias inorgânicas, é 
responsável pela produção de seus alimentos 
e faz o processo de decomposição que 
permite que o ciclo se feche. Entretanto, o 
homem tem violado as leis do equilíbrio e 
tem ameaçado tanto a natureza como sua 
própria existência no planeta. 
O principal fator de desequilíbrio é a explosão demográfica, que contraria a lei da diversidade 
da natureza. A enorme população do planeta e sua elevada taxa de crescimento é o funda-
mento de uma série de outros problemas que ameaçam os ecossistemas, dentre os quais se 
destaca a poluição ambiental. As fontes de poluição podem ser as mais variadas possíveis: 
\u2022 urbana: esgoto e lixo, principalmente;
\u2022 industrial: efluentes inorgânicos e orgânicos, calor, queima de combustíveis fósseis; 
\u2022 energética: queima de combustíveis fósseis, com carros, caminhões, motos etc.;
\u2022 agrícola: adubos, pesticidas, inseticidas, herbicidas e erosão;
\u2022 resíduos radioativos: usinas nucleares, equipamentos hospitalares etc.;
\u2022 grandes obras: intervenções nos ecossistemas e geração de resíduos.
No sistema solo-planta-atmosfera, cada constituinte sofre uma influência típica do homem. 
Em primeiro lugar, trataremos da água.
Curso Técnico em Agronegócio
26
1. Água
A água é essencial à vida. Ela é encontrada na face da Terra em maiores quantidades do que 
qualquer outra substância, todavia, apenas 3% da água do planeta não é salgada.
Distribuição de água na Terra Distribuição de água doce na Terra
Água doce (2%)
Água salgada (98%)
Prontamente disponíveis (0,3%)
Não prontamente disponíveis (0,9%)
Subterrâneas (30%)
Geleiras (69%)
Distribuição da água na Terra | Distribuição da água doce na Terra
Fonte: STIKKER (1998).
Das águas prontamente disponíveis, 65% são utilizados pelas atividades agrícolas; 22%, pela in-
dústria; e 7%, pelos municípios/cidades, sendo perdidos os 6% restantes. É importante destacar 
que, quando falamos em águas prontamente disponíveis, estamos tratando da quantidade de 
água que sobra depois de atendidos o consumo humano e a dessedentação de animais.
 
Isso significa que a agricultura utiliza 65% do excedente de água, 
que seria, de forma geral, destinado aos oceanos. Dessa forma, 
o consumo de água na agropecuária não pode ser considerado 
responsável pela falta de abastecimento em outros locais.
A água é uma das substâncias mais importantes para os processos vitais e físico-químicos. 
Em mais de dois terços de nosso planeta, a água está nas formas líquida e sólida. Na forma 
gasosa, é constituinte da atmosfera, estando presente em toda parte. Sem a água, não seria 
possível a vida como a conhecemos. Os organismos vivos originaram-se em meio aquoso e se 
tornaram absolutamente dependentes dele no decurso de sua evolução. A água constitui 95% 
do protoplasma (materiais biológicos vivos) em seu peso total. No protoplasma, ela participa 
de diversas reações metabólicas, como a fotossíntese, por exemplo. 
Como solvente universal, possibilita a maioria das reações químicas. Nas plantas, tem a função 
de manter a turgor celular, que é a força exercida