UC8   Economia Rural
102 pág.

UC8 Economia Rural


DisciplinaAgroindústria e Agronegócio80 materiais1.346 seguidores
Pré-visualização20 páginas
o custo médio \u2013 CMe é 8,75 (17,50/2). Quando se 
produzem três unidades, o custo médio \u2013 CMe é 6,92 (20,75/3), e assim sucessivamente.
6. Custos total, fixo e variável
O custo total \u2013 CT é a soma do curso fixo total \u2013 CFT e do custo variável total \u2013 CVT. Essa 
relação é mostrada na equação 8:
CT = CFT + CVT
Equação 8
Considerando que o custo total \u2013 CT é composto do custo fixo total \u2013 CFT e do custo variável 
total \u2013 CVT, podem-se encontrar dois novos termos: custo fixo médio \u2013 CFMe e custo variável 
médio \u2013 CVMe, dividindo-se estes custos pela quantidade produzida. Veja a representação 
dessas fórmulas nas equações 9 e 10.
CMe = = = +
CT 
Q
CFT 
 Q
CVT 
 Q
CFT + CVT
Q
Tem-se que:
CFMe = 
CFT 
Q
Equação 9
CVMe = 
CVT 
Q
Equação 10
Além disso, destaca-se que o custo médio \u2013 CMe é igual à soma do custo fixo médio \u2013 CFMe ao 
custo variável médio \u2013 CVMe. Essa relação é mostrada na equação 11.
CMe = CFMe + CVMe
Equação 11
Economia Rural
71
d
Comentário do autor
Em uma propriedade rural, os custos fixos são aqueles que ocorrem 
independentemente do nível de produção, por exemplo, o Imposto sobre a 
Propriedade Territorial Rural \u2013 ITR. Então, mesmo se o produtor não utilizar 
a terra para plantar ou criar algum tipo de animal, ele deverá pagar esse 
imposto por causa da posse da terra.
Por outro lado, se há algum tipo de produção na propriedade rural, têm-se os custos variáveis. 
Por exemplo, a mão de obra contratada, a compra de sementes e fertilizantes, a compra de 
rações e vacinas para os animais, entre outros.
A soma dos custos fixos com os custos variáveis resulta no custo 
total do produto rural.
7. Comportamento dos custos no curto prazo
Para analisar o comportamento dos custos no curto prazo, observe as informações de uma 
propriedade rural descritas na tabela a seguir. Considere que, a cada nova unidade produzida 
na empresa rural, ocorre uma mudança nos tipos de custos.
Informações de custo de uma empresa rural qualquer
Produto CFT CVT CT CMg CTMe CVMe CFMe
(1) (2) (3) (4) (5) (6) = (4) / (1) (7) = (3) / (1) (8) = (2) / (1)
0 10,00 0,00 10,00
1 10,00 4,00 14,00 4,00 14,00 4,00 10,00
2 10,00 7,50 17,50 3,50 8,75 3,75 5,00
3 10,00 10,75 20,75 3,25 6,92 3,58 3,33
4 10,00 13,80 23,80 3,05 5,95 3,45 2,50
5 10,00 16,70 26,70 2,90 5,34 3,34 2,00
6 10,00 19,50 29,50 2,80 4,92 3,25 1,67
7 10,00 22,25 32,25 2,75 4,61 3,18 1,43
8 10,00 25,10 35,10 2,85 4,39 3,14 1,25
9 10,00 28,30 38,30 3,20 4,26 3,14 1,11
10 10,00 32,30 42,30 4,00 4,23 3,23 1,00
Curso Técnico em Agronegócio
72
Produto CFT CVT CT CMg CTMe CVMe CFMe
(1) (2) (3) (4) (5) (6) = (4) / (1)
(7) = (3) / 
(1)
(8) = (2) / 
(1)
12 10,00 47,30 57,30 9,00 4,78 3,94 0,83
13 10,00 60,30 70,30 13,00 5,41 4,64 0,77
14 10,00 78,30 88,30 18,00 6,31 5,59 0,71
15 10,00 102,30 112,30 24,00 7,49 6,82 0,67
Fonte: Elaborado pelo autor.
Observe a quinta coluna e perceba que, inicialmente, o custo total médio \u2013 CTMe começa a 
diminuir (no nível de produção de 1 a 9 unidades), atinge o menor valor (ponto de mínimo) na 
décima unidade produzida (unidade número 10) e começa a aumentar a partir da produção 
de onze unidades. Atente-se para esse raciocínio, pois será importante no conteúdo a seguir.
8. Os custos no longo prazo
No longo prazo, é possível que a empresa venha a se adaptar às mudanças de mercado, 
como, por exemplo, expandindo a capacidade produtiva (aumentando a produção total da 
empresa) \u2013 as empresas têm a possibilidade de alterar a quantidade dos fatores de produção, 
tanto variáveis quanto fixos, que são utilizados para a produção de bens e serviços.
No entanto, os custos totais de produção se elevam à medida que se aumenta a quantidade 
produzida, já que os custos tendem a se elevar com o incremento da produção. Dessa forma, é 
interessante para o empresário analisar como ocorre a expansão desses custos totais de produção.
 
Por exemplo, é relevante analisar se existe vantagem econômica 
em ser grande, pois uma empresa grande pode produzir bens a 
um custo menor por unidade (custo médio) do que uma empresa 
de pequeno porte ou, ao contrário, pode produzir a um custo mais 
elevado, reduzindo os lucros. Assim, é importante a análise do custo 
médio da firma no longo prazo. É a partir da curva de custo médio de 
longo prazo \u2013 CMeLP que o produtor deverá optar sobre sua escala 
de produção, ou nível de produção da empresa. 
Vale atentar que a curva de custo médio de longo prazo \u2013 CMeLP é composta por diversas 
curvas de custo médio de curto prazo \u2013 CMeCP. Ao longo do tempo, são possíveis diferentes 
níveis de produção. Veja a representação dessa situação:
Economia Rural
73
Curva de custo médio em curto e longo prazos
Custo Médio
Quantidade Produzida
Curva de Custo
Médio de Longo
Prazo (CMeLP)
Curva de Custo
Médio de Curto
Prazo (CMeCP)
Nível ótimo 
de produção
A figura apresenta a configuração clássica dos custos médios de longo prazo que, inicialmente, 
diminuem, atingem um ponto de mínimo e, depois, começam a aumentar. 
O ponto de escolha do empresário para o tamanho ótimo da empresa deve ser aquele em 
que o mínimo de uma das curvas de custo médio de curto prazo \u2013 CMeCP seja igual ao 
mínimo da curva de custo médio de longo prazo \u2013 CMeLP. À medida que vai aumentando 
o nível de produção da empresa, o empresário vai obtendo ganhos de Economia de Escala.
Economia de Escala
São os ganhos que se verificam no produto e nos custos quando se aumenta a capacidade de 
produção de uma empresa.
9. Lucro máximo
Antes de se falar do lucro máximo da empresa, é necessário apresentar o conceito de receita 
marginal \u2013 RMg.
A receita marginal é definida como a variação da receita total da 
empresa quando se vende uma unidade adicional de seu produto.
Curso Técnico em Agronegócio
74
O produtor rural somente irá maximizar o lucro (obter o maior lucro na propriedade) no ponto 
em que igualar o custo marginal à receita marginal. Ou seja, o empresário alcançará o maior 
lucro quando o custo de produzir uma unidade adicional for igual à receita obtida por ela. 
Observe:
Curvas de receita marginal e de custo marginal
CMg
RMg
Receita 
Marginal (RMg)
Custo 
Marginal (CMg)
Quantidade
Lucro Máximo
Qualidade 
ótima
d
Comentário do autor
As condições do mercado dos produtores rurais do agronegócio brasileiro se 
aproximam da estrutura de concorrência perfeita. Por isso, os empresários 
rurais não exercem influência no preço de mercado (são tomadores/
aceitadores de preço).
Dessa forma, o seu preço de venda é fixo, fazendo com que a receita marginal \u2013 RMg seja 
constante (a empresa receberá pela próxima unidade vendida o mesmo valor que recebeu 
pela última). Já o custo marginal apresenta um movimento inicial de queda, depois tem um 
ponto de mínimo e, após isso, começa a crescer. 
O ponto em que a receita marginal \u2013 RMg é igual ao custo marginal \u2013 CMg representa a 
quantidade produzida na qual o lucro é máximo.
Como a obtenção do lucro máximo é um pressuposto da Teoria da Firma, o produtor produzirá 
a quantidade que maximizará o lucro \u2013 irá inserir as curvas CMg e RMg.
Economia Rural
75
Encerramento do tema
Neste tema, você conheceu os principais aspectos conceituais aplicados à Teoria da Firma, 
os principais conceitos relativos a lucro, receitas e custos (fixo e variável), e os aspectos de 
produto marginal, produto médio, custo marginal e custo médio quando o empresário altera a 
capacidade produtiva da empresa. Além disso, compreendeu que a situação de lucro máximo 
na empresa ocorre quando a receita marginal é igual ao custo marginal. 
Atividade de aprendizagem
1. Neste tema, você teve a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os conceitos 
aplicados à Teoria da Firma. Com base neles, o que os