UC8   Economia Rural
102 pág.

UC8 Economia Rural


DisciplinaAgroindústria e Agronegócio80 materiais1.346 seguidores
Pré-visualização20 páginas
nacional.
Veja, a seguir, duas representações gráficas de cadeias produtivas do agronegócio brasileiro.
Cadeia produtiva de carne bovina
Insumos
Produção Animal
Frigoríficos
Subprodutos 
Comestíveis
Subprodutos 
Não-comestíveis
Food Service Supermercados
Açougues
Boutiques
Entrepostos
Revendedores
Atacadistas
Varejo
Cons. Institucional
(Mercado Interno 
e Externo)
Consumidor Final
(Mercado Interno)
Indústria de Defensivos
Alimentação Animal
Genética Animal
Atividades de Apoio
Sistema Financeiro
Políticas Governamentais
Embalagens
Aditivos
Sistema de Inspeção Sanitária
Transportes
Sistema de P&D
Associações de Classe
Políticas de Comércio Exterior
Políticas de Renda
Fonte: Adaptado de CNA (2000, p. 22).
Economia Rural
17
Cadeia produtiva de carne de aves
Importação de ovos de avós
Fábrica de
Rações
Fábrica de
Insumos
Avozeiros
Matrizes
Incubatórios
Frango Inteiro
Frango em cortes
Frango Inteiro
Frango em cortes
Industrializados
Abatedouros
(1º Processamento)
Frigorífigos
(1º e 2º Processamentos)
Criadores de Frango
Mercado Interno Mercado Externo
Supermercado OutrosFeiras Avícolas Açougues
Fonte: Adaptado de MARTINS (1996, p. 56).
As cadeias produtivas mostradas anteriormente mostram o relacionamento dos diversos 
agentes econômicos que atuam nas cadeias produtivas de carnes bovina e de aves.
Em suma, as cadeias produtivas agropecuárias apresentam uma estrutura-padrão composta 
basicamente por cinco grupos, que são: 
\u2022 a indústria de insumos; 
\u2022 os produtores agropecuários; 
\u2022 a indústria de processamento (agroindústria);
\u2022 o setor de atacado e varejo; 
\u2022 o consumidor final. 
Curso Técnico em Agronegócio
18
Vale destacar que, quanto mais organizada a cadeia produtiva, com um bom relacionamento 
entre seus agentes, maior será a satisfação do consumidor final com os bens produzidos. 
Caso a cadeia produtiva seja desorganizada, com um fluxo inadequado de informações entre 
os agentes econômicos, haverá um problema na adequação do produto final aos gostos e 
às preferências dos consumidores finais, e isso pode representar prejuízo para todos os 
membros da cadeia produtiva. Veja um exemplo na figura a seguir.
Cadeia produtiva agroindustrial desorganizada
Insumos Agropecuária Processamento Cliente FinalAtacado/Varejo
No caso de uma cadeia produtiva agroindustrial organizada, com um bom fluxo de informações 
entre os elos da cadeia, os produtos finais terão aderência ao mercado e satisfarão os gostos 
dos consumidores. Observe um exemplo na figura:
Cadeia produtiva agroindustrial organizada
Insumos Agropecuária Processamento Cliente FinalAtacado/Varejo
Economia Rural
19
6. Economia Rural (ou Economia do Agronegócio)
A Economia Rural, ou Economia do Agronegócio, é um campo de estudos da Economia voltado, 
principalmente, para a análise das atividades econômicas relacionadas ao setor agropecuário 
e agroindustrial (agronegócio). 
O
Informação Extra
De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento \u2013 
Mapa, o agronegócio deve ser entendido como a cadeia produtiva que envolve 
desde a fabricação de insumos, passando pela produção nos estabelecimentos 
agropecuários e pela transformação, até o seu consumo final. 
Essa cadeia produtiva incorpora todos os serviços de apoio: pesquisa e assistência técnica, 
processamento, transporte, comercialização, crédito, exportação, serviços portuários, 
distribuidores e consumidor final. 
O valor agregado do agronegócio, também chamado de \u201ccomplexo agroindustrial\u201d, passa, 
obrigatoriamente, por cinco mercados:
Suprimentos Produção Processamento Consumo FinalDistribuição
O setor rural apresenta algumas particularidades:
I. Os produtos agropecuários são produzidos em forma bruta, necessitando sempre 
de algum tratamento ou processamento para o seu consumo final. Como exemplo, o 
simples ato de lavar a folha de alface para consumo ou venda direta ao consumidor 
constitui um processamento necessário ao seu consumo. Da mesma forma, a produção 
de óleo de cozinha requer o processamento industrial da soja, assim como o consumo 
de carne pressupõe o abate do animal e o seu processamento.
II. Os produtos agropecuários são, em geral, perecíveis. Essa realidade implica que o 
produtor rural deve comercializar rapidamente sua produção para não arcar com o 
prejuízo da perda total do produto ou da perda de sua qualidade. Exemplo típico das 
consequências da perecibilidade da produção agrícola ocorre nas feiras, em que os 
feirantes reduzem os preços no final do período das vendas, quando os produtos já 
começam a perder qualidade. 
Curso Técnico em Agronegócio
20
III. A perecibilidade dos produtos agropecuários implica na necessidade de a sociedade \u2013 
produtores rurais, empresários, cooperativas, consumidores ou governos \u2013 construir uma 
grande infraestrutura de armazenagem (armazéns, galpões, sistemas de refrigeração 
etc.) para a conservação e a comercialização da produção rural, reduzindo assim as 
perdas naturais dos produtos agropecuários. 
IV. Os produtos agropecuários são produzidos em larga escala por um grande número 
de produtores, o que implica, de um lado, grande concorrência entre os produtores/
vendedores, mantendo os preços reduzidos (a chamada \u201cconcorrência perfeita\u201d), e, de 
outro, em elevados custos de transporte e armazenamento dos produtos.
V. A sazonalidade da produção significa que a produção agrícola só ocorre em determinados 
períodos do ano em função da natureza das plantas. O período em que ocorre a produção 
agrícola de determinado produto é denominado de \u201cperíodo de safra\u201d, variando de 
acordo com o produto e o clima. 
VI. Os produtos agropecuários sofrem forte influência de fatores climáticos e biológicos. A 
produção agropecuária pode ser afetada por fatores como o frio, a seca, as doenças e 
as pragas, que podem comprometer a qualidade e a produtividade da plantação ou da 
criação de animais. 
VII. As variações na qualidade dos produtos agropecuários ocorrem tanto pela grande 
variedade de plantas e animais, quanto por problemas climáticos ou biológicos, ou ainda 
pelas diferentes condições de armazenagem e distribuição.
A área de estudos da Economia Rural abrange muitos segmentos do agronegócio, com 
destaque para os seguintes: 
\u2022 comercialização agrícola;
\u2022 políticas públicas do setor rural; 
\u2022 finanças do setor rural; 
\u2022 desenvolvimento econômico rural; 
\u2022 administração rural; 
\u2022 extensão rural; 
\u2022 planejamento rural;
\u2022 economia regional rural; 
\u2022 sociologia rural; 
\u2022 meio ambiente;
\u2022 pesquisa agropecuária; 
\u2022 industrialização da produção agropecuária; 
\u2022 produção rural; 
\u2022 estrutura fundiária. 
Entretanto, ao longo de uma cadeia produtiva agroindustrial, têm-se os segmentos \u201cantes da 
porteira\u201d, \u201cdentro da porteira\u201d e \u201cdepois da porteira\u201d . 
Economia Rural
21
O segmento \u201cantes da porteira\u201d é caracterizado pelas atividades produtivas 
relacionadas com a aquisição de sementes, mudas, fertilizantes, agroquímicos, 
tratores e implementos, equipamentos de irrigação e embalagens. Ou seja, ele é 
definido, principalmente, pelas empresas que fornecem os insumos necessários 
para que os produtores rurais possam produzir alimentos e carnes.
Já o segmento \u201cdentro da porteira\u201d é caracterizado pela própria produção 
agropecuária e atividades relacionadas, como arroz, café, carne avícola, carne 
bovina, carne suína, feijão, florestas plantadas, frutas, hortaliças, turismo 
rural, entre outros. Os principais agentes econômicos desse segmento são os 
produtores rurais.
Por fim, o segmento \u201cdepois da porteira\u201d é caracterizado, principalmente, pelas 
atividades de armazenamento, beneficiamento, comercialização, industrialização 
e transporte dos produtos agropecuários. Ou seja, é composto,