Apostila pascal
51 pág.

Apostila pascal


DisciplinaLógica de Programação e Algoritmos3.066 materiais36.851 seguidores
Pré-visualização11 páginas
ser utilizados normalmente na construção de programas. Exemplos:
 ClrScr : limpa a tela de vídeo
 DelLine : deleta a linha em que está o cursor e assim por diante.
Constantemente, novas procedures e functions estão sendo criadas pela Borland International (criadora do Turbo Pascal), aumentando desta forma o número de identificadores. São UNITS que tornam o Turbo Pascal mais poderoso do que ele já é.
Regras para formação de identificadores:
O usuário também pode definir seus próprios identificadores, na verdade nós somos obrigados a isso. Nomes de variáveis, de labels, de procedures, functions, constantes etc. são identificadores que devem ser formados pelo programador. Mas para isso existem determinadas regras que devem ser seguidas:
1-) O primeiro caractere do identificador deverá ser obrigatoriamente uma letra ou um underscore (_).
2-) Os demais caracteres podem ser letras, dígitos ou underscores.
3-) Um identificador pode ter no máximo 127 caracteres.
4-) Como já dissemos anteriormente, não pode ser palavra reservada.
Exemplos de identificadores válidos:
 Meu_Nome
 MEU_NOME igual ao anterior
 __Linha
Exemplo23
 Exemplos de identificadores não válidos:
 2teste : começa com número
 Exemplo 23 : tem um espaço
3.1.4 - Comentários
Comentários são textos que introduzimos no meio do programa fonte com a intenção de torná-lo mais claro. É uma boa prática em programaçäo inserir comentários no meio dos nossos programas. No Turbo Pascal, tudo que estiver entre os símbolos (* e *) ou { e } será considerado como comentário.
3.1.5 - Números
No Turbo Pascal, podemos trabalhar com números inteiros e reais, sendo que os números inteiros podem ser representados na forma hexadecimal, para tanto, basta precedê-los do símbolo $. Os números reais também podem ser representados na forma exponencial.
Isso tudo varia de versão para versão do turbo Pascal, citarei aqui as faixas de valores válidas para a versão 7.0:
	TIPO
	FAIXA
	FORMATO
	Shorting
	-128..127
	Signed 8-bit
	Integer
	-32768..32767
	Signed 16-bit
	Longint
	-2147483648.. 2147483647
	Signed 32-bit
	Byte
	0..255
	Unsigned 8-bit
	Word
	0..65535
	Unsigned 16-bit
	TIPO
	FAIXA
	DÍGITOS
	BYTES
	real
	2.9e-39..1.7e38
	11-12
	6
	single
	1.5e-45..3.4e38
	 7- 8
	4
	double
	5.0e-324..1.7e308
	15-16
	8
	extended
	3.4e-4932..1.1e4932
	19-20
	10
	comp
	-9.2e18..9.2e18
	19-20
	8
3.1.6 - Strings
Strings são conjunto de caracteres entre aspas simples.
Exemplos:
 'isto é uma string'
 '123456' etc.
3.1.7 - Caracteres de controle
Existem alguns caracteres que têm significados especiais. São os caracteres de controle. Exemplos:
 Control G => Bell ou beep
 Contorl L => Form Feed
 etc.
Em Turbo Pascal, também podemos utilizar estes caracteres. Para tanto, eles devem ser escritos pelo seus valores ASCII correspondentes, precedidos do símbolo #, ou então a letra correspondente precedida do símbolo ^.
Exemplo: Control G => #7 ou ^G
3.2 - Definição de variáveis
Como já dissemos, todas as variáveis que forem utilizadas no corpo do programa, devem ser declaradas numa subárea específica chamada Var.
Para estudarmos essa subárea devemos primeiro ver os tipos de variáveis pré-definidos em Turbo Pascal.
3.2.1 - Tipos de dados pré-definidos
Os tipos de dados pré-definidos em Turbo Pascal são divididos em duas categorias:
Escalares Simples:
 - Char
 - Boolean
 - todos os tipos de inteiros citados acima
 - todos os tipos de reais citados acima
Escalares estruturados:
 - String
 - Array
 - Record
 - File
 - Set
 - Text
Inicialmente, iremos estudar os escalares simples e o tipo String pela sua utilização prática inicial. Os demais tipos estruturados serão vistos mais para a frente.
CHAR:
O tipo char corresponde a todos os caracteres que podem ser gerados pelo teclado tais como dígitos, letras e símbolos tais como &, #,* etc.
Os caracteres devem vir entre aspas simples. ('José')
BOOLEAN:
O tipo boolean só pode assumir os valores FALSE e TRUE.
STRING:
Este tipo é chamado de estruturado ou composto pois é constituído a partir de um tipo simples que é o char. O tipo string é composto por um conjunto de caracteres entre aspas simples.
SHORTINT - INTEGER - LONGINT - BYTE - WORD:
Ver tabela acima.
REAL - SINGLE - DOUBLE - EXTENDED - COMP:
Ver tabela acima.
3.2.2 - A declaração Var
Esta é a subárea onde devemos declarar todas as variáveis que iremos utilizar em nosso programa. Exemplo:
 Program Exemplo; (* cabeçalho do programa *)
 Var
 idade,número_de_filhos : byte;
 altura		: real;
 sexo		: char;
 nome		: string[30];
 sim_ou_não	: boolean;
 quantidade	: integer;
 (* aqui começa o programa *)
 Begin
 idade:=34;
 número_de_filhos:=2;
 sexo:='M';
 nome:='José';
 sim_ou_nao:=TRUE;
 quantidade:=3245;
 End.
Observações importantes:
1-) A palavra reservada Var aparece uma única vez num programa
2-) A sintaxe geral para declaração de variáveis é:
 variável_1,variável_2,...,variável_n : tipo;
3-) Os espaços e comentários separam os elementos da linguagem. Você pode colocar quantos espaços quiser. Observe:
 Varidade: integer; o compilador não reconhece a palavra Var
 Var idade:integer; agora sim, ou se preferir
 Var idade
 : integer; dá na mesma.
4-) As instruções são separadas entre si por ponto e vírgula ';'. Se você quiser, pode colocar mais de uma instrução numa única linha. Lembre-se que o limite de caracteres numa linha é de 127
5-) O tipo string deve ser procedido da quantidade máxima de caracteres que a variável pode assumir. Lembre-se que a alocação de espaço de memória para as variáveis é feita durante a compilação, portanto o compilador precisa saber desse dado. Por outro lado, o fato de termos, por exemplo, atribuído o valor máximo de 30 não significa que tenhamos que utilizar os 30 caracteres e sim no máximo 30.
6-) Como última observação, acho muito mais claro e elegante declarar variáveis e ao mesmo tempo informar com linhas comentários os devidos motivos. Exemplo:
 Var
 idade, (* idade de determinada pessoa *)
 i,j (* utilizadas em loops *)
 : integer;
 nome1, (* nome genérico de pessoas *)
 nome2 (* nome genérico de pessoas *)
 : string[50];
3.2.3 - A declaração type
Além dos tipos de dados pré-definidos no Turbo Pascal, podemos também definir novos tipos através da declaraçäo Type. A sua sintaxe geral é:
 Type identificador = (valor1,valor2,valor3,valor4, ... ,valorN);
O identificador deve seguir as regras dadas anteriormente e entre os parentêses estão os valores que podem ser assumidos. Exemplos:
 Type
 cor = (azul,vermelho,branco,verde,amarelo);
 dia_útil = (segunda,terça,quarta,quinta,sexta);
 linha = string[80];
 idade = 1..99;
(* a partir deste instante, além dos tipos de dados pré-definidos, podemos também utilizar os novos tipos definidos cor,dia_útil, linha e idade *)
 Var
 i : integer;
 d : idade;
 nome : linha;
 dia : dia_útil;
 cores : cor;
 (* etc. *)