UC11   Legislação Agrária e Ambiental
103 pág.

UC11 Legislação Agrária e Ambiental


DisciplinaAgroindústria e Agronegócio80 materiais1.346 seguidores
Pré-visualização25 páginas
como patrimônio nacional. O que ocorre é que a lei impõe 
limitações administrativas. 
O Superior Tribunal Federal \u2013 STF se pronunciou sobre o assunto no Recurso Extraordinário \u2013 
RE nº 134.297/1995 da seguinte maneira:
A norma inscrita no art. 225, § 4º, da Constituição, deve ser interpretada de modo 
harmonioso com o sistema jurídico consagrado pelo ordenamento fundamental, 
notadamente com a cláusula que, proclamada pelo art. 5º, XXII, da Carta Política, garante 
e assegura o direito de propriedade em todas as suas projeções, inclusive aquela 
concernente à compensação financeira devida pelo poder público ao proprietário 
atingido por atos imputáveis à atividade estatal. O preceito consubstanciado no art. 
225, § 4º, da Carta da República, além de não haver convertido em bens públicos os 
imóveis particulares abrangidos pelas florestas e pelas matas nele referidas, também 
não impede a utilização, pelos próprios particulares, dos recursos naturais existentes 
naquelas áreas que estejam sujeitas ao domínio privado, desde que observadas as 
prescrições legais e respeitadas as condições necessárias à preservação ambiental.
Quanto às terras devolutas ou arrecadadas pelos estados, são indisponíveis quando 
necessárias à proteção dos ecossistemas naturais. Sobre terras devolutas, estudaremos com 
maior riqueza de detalhes na parte do nosso curso referente ao Direito Agrário.
Terras devolutas
Aquelas que não possuem nenhum uso e nem são de titularidade do poder público.
Tópico 2: A Livre Iniciativa do Trabalho e a Defesa do Meio Ambiente
A Livre Iniciativa do Trabalho é um princípio constitucional que faz parte do nosso conjunto de 
normas jurídicas. De acordo com o art. 1º da Constituição Federal:
A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e 
do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
IV \u2013 os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa.
Curso Técnico em Agronegócio
20
A Constituição de 1988, em seu artigo 170, dispõe:
 
Parágrafo único. É assegurado a todos o livre exercício de qualquer 
atividade econômica, independentemente de autorização de órgãos 
públicos, salvo nos casos previstos em lei.
Esse artigo da norma constitucional introduz um modelo econômico baseado na liberdade de 
iniciativa, que tem por finalidade assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da 
justiça social, sem exclusões nem discriminações.
Daí entende-se que, independentemente de sua natureza, se pública ou privada, toda empresa, 
para desenvolver atividade econômica, seja esta indústria, comércio ou prestação de serviços, 
rege-se pelos princípios contidos nesse artigo.
1. Preservação do meio ambiente X desenvolvimento econômico no agronegócio
A preservação do meio ambiente deve ser pensada no sentido de que os recursos ambientais 
não sejam esgotados na presente geração. É muito importante que as futuras gerações 
possam ter a oportunidade de desfrutar dos mesmos benefícios que nós estamos tendo a 
oportunidade de conhecer. Dessa forma, o desenvolvimento econômico deve ocorrer, sim, e 
é fundamental para o progresso da nação.
Fonte: Shutterstock
Você, futuro técnico em agronegócio, deve buscar fortalecer o desenvolvimento do setor rural 
brasileiro, mas sempre de forma sustentável, pensando na solidariedade intergeracional, 
para que o desenvolvimento de determinada atividade não venha a destruir o meio 
ambiente e, consequentemente, não comprometa a saúde e o bem-estar das populações e 
das próximas gerações.
Legislação Agrária e Ambiental
21
2. Como equilibrar a livre iniciativa com a preservação do meio ambiente?
Pelo princípio do desenvolvimento sustentável, as atividades devem se pautar pela conciliação 
harmônica entre a preservação do meio ambiente e a sua exploração econômica para que os 
recursos ambientais sejam preservados para as presentes e futuras gerações. 
A efetividade do princípio do desenvolvimento sustentável está relacionada com a ética 
solidária entre gerações, uma vez que a utilização econômica dos recursos naturais não 
renováveis pelas gerações atuais não deverá esgotá-los.
Encerramento do tema
No Tema 1: O Pilar Fundamental do Direito Ambiental Brasileiro e sua Aplicação no Agronegó-
cio, você estudou a importância de defender e preservar um meio ambiente ecologicamente 
equilibrado para que as gerações atuais e futuras tenham uma boa qualidade de vida. 
Estudou, também, que essa é uma responsabilidade primária do poder público, mas que todos 
nós, enquanto cidadãos, temos a responsabilidade civil de zelarmos pelo meio ambiente e 
desenvolvermos ações voltadas para a sua sustentabilidade.
Siga em frente e bons estudos!
Atividade de aprendizagem
1. Segundo a Constituição Federal de 1988, o art. 225 estabelece que:
a) todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum 
do povo e essencial à sadia qualidade de vida, sendo facultado ao poder público 
defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.
b) todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum 
do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à 
coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.
c) todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem público e 
essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o 
dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.
d) todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso especial 
do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se apenas à coletividade o 
dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.
Curso Técnico em Agronegócio
22
2. A proteção constitucional do meio ambiente na Constituição Federal de 1988:
a) obriga os municípios a promoverem a educação ambiental no Ensino Fundamental, 
sendo facultado aos demais entes da Federação essa mesma obrigação nos ensinos 
Médio e Superior.
b) não configura um direito fundamental de terceira dimensão, pois está prevista fora do 
rol do artigo 5º da Constituição Federal de 1988.
c) obriga apenas ao poder público o dever de defender e preservar o meio ambiente 
ecologicamente equilibrado.
d) estabelece que as terras devolutas ou arrecadadas pelos estados, por ações 
discriminatórias, necessárias à proteção dos ecossistemas naturais, são indisponíveis.
3. De acordo com o art. 225, caput e parágrafos, da Constituição Federal de 1988, é INCORRETO 
afirmar:
a) São indisponíveis as terras devolutas ou arrecadadas pelos estados, por ações 
discriminatórias, necessárias à proteção dos ecossistemas naturais.
b) As condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente sujeitarão os infratores, 
pessoas físicas ou jurídicas, a sanções penais e administrativas independentemente da 
obrigação de reparar os danos causados.
c) Ao poder público incumbe definir, em todas as unidades da Federação, os espaços 
territoriais e seus componentes a serem especialmente protegidos, sendo a alteração 
e a supressão permitidas por meio de portarias e regulamentos.
d) As usinas que operam com reator nuclear deverão ter sua localização definida em lei 
federal, sem o que não poderão ser instaladas.
4. O artigo 225 da Constituição Federal de 1988 estabelece que constituem patrimônio 
nacional, devendo ter sua utilização prevista na forma da lei dentro de condições que 
assegurem a preservação do meio ambiente, inclusive quanto ao uso dos recursos naturais, 
as seguintes regiões do Brasil:
a) a Floresta Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, o Cerrado, a Serra do Mar, o Pantanal 
Mato-Grossense e a Zona Costeira.
b) a Floresta Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, a Caatinga, o Pantanal Mato-Grossense