José Afonso da Silva   Curso de Direito Constitucional Positivo   25ª Edição 2005
927 pág.

José Afonso da Silva Curso de Direito Constitucional Positivo 25ª Edição 2005


DisciplinaDireito Constitucional I62.939 materiais1.454.781 seguidores
Pré-visualização50 páginas
do povo,
nacao ou comunidade; (4) ninguern tern privilegios exclusivos nern
os cargos ou services publicos serao hereditarios: (5) os Poderes Exe-
cutivo e Legislativo do Estado deverao ser separados e distintos do
[udiciario e, para garantia contra a opressao, as membros dos dais
primeiros teriam que ter investidura temporaria e as vagas seriam
preenchidas par eleic;6es frequentes, certas e regulares; (6) as elei-
c;6esdos representantes do povo devern ser livres; (7) eilegitimo todo
poder de suspensao da lei au de sua execucao, sem consentimento
dos representantes do povo; (8) assegurado 0 direito de defesa nos
processos criminais, bern como julgamento rapido par juri impar-
cial, e que ninguern seja privado de liberdade, exceto pela lei da terra
ou por julgamento de seus pares; (9) vedadas fiancas e multas exces-
sivase castigos crueis e extraordinarios: (10) vedada a expedicao de
mandados gerais de busca ou de detencao, sem especificacao exata e
prova do crime; (11) a liberdade de imprensa eurn dos grandes baluar-
tes da liberdade: (12) "que a milicia bern regulada, composta de ele-
mentos do povo, com pratica das armas, constitui a defesa propria,
natural e segura de urn Estado livre; que os exercitos perrnanentes,
em tempo de paz, devem ser evitados, como perigosos para a liber-
dade; e que, em todos os casos, 0 militar deve ficar sob rigorosa su-
bordinacao ao poder civil e por ele governado": (13) todos os ho- .
mens tern igual direito ao livre exercicio da religiao com as ditames
da consciencia.
Ve-se que, basicamente, a Declaracao se preocupara com a estru-
tura de urn govemo dernocratico, com urn sistema de limitacao de
poderes. as textos ingleses apenas tiveram par finalidade limitar 0
poder do rei, proteger a individuo contra a arbitrariedade do rei e fir-
mar a supremacia do Parlamento. As Declaracoes de Direitos, inicia-
das com a da Virginia, importam em limitacoes do poder estatal como
tal, inspiradas na crenca na existencia de direitos naturais e imprescri-
tiveis do homem." Contudo a Declaracao de Independencia, de auto-
ria de Thomas Jefferson e posterior aDeclaracao de Virginia, pois ede
4.7.1776, teve maior repercussao, ainda que nao tivesse natureza juri-
dica como esta ultima. Nela se destaca especialmente 0 seguinte tre-
cho: "Consideramos estas verdades como evidentes de per si, que to-
dos os homens foram criados iguais, foram dotados pelo Criador de
16. Cf. Leon Duguit, Traite de droit constiiutionnel, t. III/601; Georges Burdeau,
Traite de science poliiique, t. IV/79.
FORMA(Ao HIST6RICA DAS DECLARA~6ES I?E DIREITOS 155
certos direitos inalienaveis.que. entre·estes, estao a vida, a liberdade e
a busca da felicidade; que, a fim de assegurar esses direitos, instituem-
se entre as homens os govemos, que derivam seus justos poderes do
consentimento dos governados; que, sempre que qualquer forma de
govemo se tome destrutiva de tais fins, cabe ao povo 0 direito de altera-
la au aboli-la e instituir novo govemo, baseando-o ern tais principios e
organizando-lhe os poderes pela forma que the pare~amais convenien-
te para the realizar a seguranc;a e a felicidade" .17
S'. A Declaracao Norte-Americana
A Constituicao dos EVA' aprovada na Convencao de Filadelfia,
em 17.9.1787, nao continha inicialmente uma declaracao dos direitos
fundamentais do homern. Sua entrada em vigor, contudo, dependia
da ratificacao de pelo menos nove dos treze Estados independentes,
ex-colonias inglesas na America, com que, entao, tais Estados sobe-
ranos se uniriam num Estado Federal, passando a simples Estados-
mernbros deste. Alguns, entretanto, somente concordaram em aderir
a esse pacta se se introduzisse na Constituicao uma Carta de Direitos,
em que se garantissem os direitos fundamentais do hornem. Isso foi
feito, segundo enunciados elaborados por Thomas Jefferson e James
Madison, dando origem as dez primeiras Emendas a Constituicao
de Filadelfia, aprovadas em 1791, as quais se acrescentaram outras
ate 1975, que constituem 0 Bill ofRights do povo americano, em que
se assegurarn os seguintes direitos fundamentais:
(1) liberdade de religiao e cuito, de palavra, de imprensa, de reu-
niao pacifica e direito de peticao (Emenda 1~);
(2) inviolabilidade da pessoa, da casa, de papeis e posses de ob-
jetos (Emenda 4~); .
(3) direito de defesa e de urn julgamento par juiz natural e de
acordo com 0 devido processo legal, isto e, com garantias legais sufi-
cientes (Emenda 5~);
(4) garantia do direito de propriedade, de que nao se podera pri-
var senao para uso publico e com justa compensacao (Ernenda 5~);
(5) direito a juigamento publico e rapido por juri irnparcial do
Estado e distrito ern que 0 crime tenha side cornetido, com direito a
provas de defesa e assistencia de urn advogado (Emenda 6!);
(6) vedacao de exigencies de fianca e multas excessivas, bem
como de infligencia de penas crueis ou inusitadas (Emenda 8~), tal
como ja previa a Declaracao de Virginia;
17. Cf. Thomas Jefferson, Escritos politicos, p. 4.
156 CURSO DE DlREITO CONSTITUCIONAL POSITIVO
(7) proibicao da escravatura e servidao involuntaria (Emends
13~);
(8) garantia de que todas as pessoas nascidas au naturalizadas
nos Estados Unidos sao cidadaos norte-americanos qualquer que seja
sua raca au cor (Emenda 14~);
(9) garantia de igual protecao das leis, ou seja: igualdade peran-
te a lei (Emendas 14~ e 27!);
(10) garantia ao direito de sufragio igual a todos os cidadaos,
que, por isso, nao podera ser restringido par motivo de raca ou cor
(Emenda IS!!); como os Estados segregacionistas contornavarn essa
vedacao por meio de urn imposto eleitoral, em valor tal que os n~­
gros, em geral, nao podiam pagar," vern a Emenda 24!! de 1964, para
declarar que nem os Estados Unidos nem os Estados-membros po-
derao denegar ou cercear 0 direito dos cidadaos ao sufragio em qual-
quer eleicao para presidente, vice-presidente, senador ou .represen-
tante no Congresso, por motivo de nao haverem pago urn imposto
eleitoral ou qualquer outro impasto;
(11) direito de voto as mulheres (Emenda 19!!);
(12) proibicao de leis retroativas, leis ex post facto .(constante do
corpo da Constituicao, n.3 da Secao IX e n.l da Secao X do A-rt. I);
(13) proibicao de bill ofattainder, lei de proscricao, que significa
considerar ilegftima qualquer medida legislativa colocando pessoas
fora da lei, proibindo-as de gozar de qualquer direito (constante do
corpo da Constituicao, n.3 da Secao IX do Art. I);
(14) proibicao de suspensao d-o habeas corpus, amenos que a or-
dem publica 0 exija nos casos .de rebeliao ou 'deirtvasao (corpo da
Constituicao, n. 2 da Secao IX do Art. I);
(15) garantia de que a enumeracao de certos direitos na Consti-
tuicao naoseja interpretada como denegacao ou diminuicao dos ou-
tros direitos que 0 povo se reservou (Emenda 9~).
Cumpre observar que a Emenda 2;! consignou 0 direito do povo
de possuir e portar annas, mas, aevidencia, nao se pode considerar
tal faculdade como urn direito fundamental do homem, e tende mes-
rno a ser revogada nos EVA. A Emenda 3~ tambem veda que qual-
quer soldado seja, em tempo de paz, alojado ern qualquer casa sem a
consentimento do proprietario, nem em tempo de guerra, salvo na
forma estabelecida em lei. Isso era importante naepoca, mas eclaro
que, hoje, a garantia esta consignada na inviolabilidade do domici-
18. Sabre isso, cf. Frederic Ogg e P Orman Ray, Legouuemement des Etats-Unis
d'Amerique, pp. 124 e S5.
FORMA<;Ao HISTORICA DAS DECLARA\:OES DE DIREITOS 157
lio- A Emenda 10~ contem urn principio federativo: ados poderes
rese-rvado~aas Estados.&quot; . .
6. A Declarafiio dos Direitos do Homem e do Cidadiio
as autores costurnam ressaltar a influencia que a Declaraciio dos
Direitos do Homem e do Cidadiio, adotada pela Assernbleia Constituin-
te francesa em 27.8.1789, sofreu da Revolucao Americana, especial-
mente cia Declaracao de Virginia,