resumo de anatomia
266 pág.

resumo de anatomia


DisciplinaAnatomia Humana I28.932 materiais1.159.192 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Exemplos: articulações interfalangeanas e articulação úmero-ulnar. 
Trocóide (Articulação em Pivô): quando o movimento é exclusivamente de rotação. 
A articulação é formada por um processo em forma de pivô rodando dentro de um anel 
ou um anel sobre um pivô. Exemplos: articulação rádio-ulnar proximal e atlanto-axial. 
Articulação Biaxial 
Quando uma articulação realiza movimentos em torno de dois eixos (2 graus de 
liberdade). As articulações que realizam extensão, flexão, adução e abdução, como a 
rádio-cárpica (articulação do punho) são biaxiais. Há duas variedades de articulações 
biaxiais: articulações condilar e selar. 
Condilar: Nesse tipo de articulação, uma superfície articular ovóide ou condilar é 
recebida em uma cavidade elíptica de modo a permitir os movimentos de flexão e 
extensão, adução e abdução e circundação, ou seja, todos os movimentos articulares, 
menos rotação axial. Exemplo: Articulação do pulso. 
Selar: Nestas articulações as faces ósseas são reciprocamente côncavo-convexas. 
Permitem os mesmos movimentos das articulações condilares. Exemplo: 
Carpometacárpicas do polegar. 
Articulação Triaxial 
Quando uma articulação realiza movimentos em torno de três eixos (3 graus de 
liberdade). As articulações que além de flexão, extensão, abdução e adução, permitem 
também a rotação, são ditas triaxiais, cujos exemplos típicos são as articulações do 
ombro e do quadril. Há uma variedade onde o movimento é poliaxial, chamada 
articulação esferóide ou enartrose. 
Enartrose (articulação esferóide): É uma forma de articulação na qual o osso distal é 
capaz de movimentar-se em torno de vários eixos, que tem um centro comum. 
Exemplos: articulações do quadril e ombro. 
 
Existe ainda um outro tipo de articulação chamada Articulação Plana, que permite 
apenas movimentos deslizantes. Exemplos: articulações dos corpos vertebrais e em 
algumas articulações do carpo e do tarso. 
 
 
Resumo de Anatomia Humana 
 102 
Estruturas das Articulações Móveis 
Ligamentos 
Os ligamentos são constituídos por fibras colágenas dispostas paralelamente ou 
intimamente entrelaçadas umas as outras. São maleáveis e flexíveis para permitir 
perfeita liberdade de movimento, porém são muito fortes, resistentes e inelásticos (para 
não ceder facilmente à ação de forças). 
Cápsula Articular 
É uma membrana conjuntiva que envolve as articulações sinoviais como um 
manguito. Apresenta duas camadas: a membrana fibrosa (externa) e a membrana 
sinovial (interna). 
A membrana fibrosa (cápsula fibrosa) é mais resistente e pode estar reforçada, em 
alguns pontos por feixes também fibrosos, que constituem os ligamentos capsulares, 
destinados a aumentar sua resistência. Em muitas articulações sinoviais existem 
ligamentos independentes da cápsula articular denominados extra-capsulares ou 
acessórios e em algumas, como na articulação do joelho, aparecem também ligamentos 
intra-articulares. 
Ligamentos e cápsula articular têm por finalidade manter a união entre os ossos, 
mas, além disso, impedem o movimento em planos indesejáveis e limitam a amplitude 
dos movimentos considerados normais. 
A membrana sinovial é a mais interna das camadas da cápsula articular e forma um 
saco fechado denominado cavidade sinovial. É abundantemente vascularizada e 
inervada sendo encarregada da produção de líquido sinovial. Discute-se que a sinóvia é 
uma verdadeira secreção ou um ultra-filtrado do sangue, mas é certo que contém ácido 
hialurônico que lhe confere a viscosidade necessária a sua função lubrificadora. 
Discos e Meniscos 
Em várias articulações sinoviais, interpostas as superfícies articulares, encontram-se 
formações fibrocartilagíneas, os discos e meniscos intra-articulares, de função discutida: 
serviriam à melhor adaptação das superfícies que se articulam (tornando-as 
congruentes) ou seriam estruturas destinadas a receber violentas pressões, agindo 
como amortecedores. Meniscos, com sua característica em forma de meia lua, são 
encontrados na articulação do joelho. Exemplo de disco intra-articular encontramos nas 
articulações esternoclavicular e ATM. 
Bainha Sinovial dos Tendões 
Facilitam o deslizamento de tendões que passam através de túneis fibrosos e ósseos 
(p. ex. o retináculo dos flexores de punho). 
Bolsas Sinoviais (Bursas) 
São fendas no tecido conjuntivo entre os músculos, tendões, ligamentos e ossos. São 
constituídas por sacos fechados de revestimento sinovial. Facilitam o deslizamento de 
músculos ou de tendões sobre proeminências ósseas ou ligamentosas. 
 
FELIX, Fernando Álison M. D. 
 
 103 
SSSSSSSSIIIIIIIISSSSSSSSTTTTTTTTEEEEEEEEMMMMMMMMAAAAAAAASSSSSSSS EEEEEEEESSSSSSSSQQQQQQQQUUUUUUUUEEEEEEEELLLLLLLLÉÉÉÉÉÉÉÉTTTTTTTTIIIIIIIICCCCCCCCOOOOOOOO EEEEEEEE MMMMMMMMUUUUUUUUSSSSSSSSCCCCCCCCUUUUUUUULLLLLLLLAAAAAAAARRRRRRRR 
SISTEMA ESQUELÉTICO 
O sistema esquelético é composto de ossos e cartilagens. É clássico admitir o 
número de 206 ossos. 
Cabeça = 22 
 Crânio = 08 
 Face = 14 
Pescoço = 8 
Tórax = 37 
 24 costelas 
 12 vértebras 
 1 esterno 
Abdômen = 7 
 5 vértebras lombares 
 1 sacro 
 1 cóccix 
Membro Superior = 32 
 Cintura Escapular = 2 
 Braço = 1 
 Antebraço = 2 
 Mão = 27 
Membro Inferior = 31 
 Cintura Pélvica = 1 
 Coxa = 1 
 Joelho = 1 
 Perna = 2 
 Pé = 26 
Ossículos do Ouvido Médio = 3 
Funções do Sistema Esquelético 
o Sustentação do organismo (apoio para o corpo); 
o Proteção de estruturas vitais (coração, pulmões, cérebro); 
o Base mecânica para o movimento; 
o Armazenamento de sais (cálcio, por exemplo); 
o Hematopoiética (suprimento contínuo de células sanguíneas novas). 
Divisão do Esqueleto 
Esqueleto Axial: composta pelos ossos da cabeça, pescoço e do tronco; 
Esqueleto Apendicular: composta pelos membros superiores e inferiores. 
A união do esqueleto axial com o apendicular se faz por meio das cinturas escapular 
e pélvica. 
Classificação dos Ossos: 
Os ossos são classificados de acordo com a sua forma em: 
o Ossos longos: tem o comprimento maior que a largura e são constituídos por 
um corpo e duas extremidades. Ex.: fêmur; 
o Ossos curtos: são parecidos com um cubo, tendo seus comprimentos 
praticamente iguais às suas larguras. Ex.: ossos do carpo; 
o Ossos planos: são ossos finos e compostos por duas lâminas paralelas de 
tecido ósseo compacto, com camada de osso esponjoso entre elas. Ex.: 
frontal e parietal; 
o Ossos alongados: são ossos longos, porém achatados e não apresentam canal 
central. Ex.: costelas; 
Resumo de Anatomia Humana 
 104 
o Ossos pneumáticos: são osso ocos, com cavidades cheias de ar e revestidas 
por mucosa (seios), apresentando pequeno peso em relação ao seu volume. 
Ex.: esfenóide; 
o Ossos irregulares: apresentam formas complexas e não podem ser agrupados 
em nenhuma das categorias prévias. Ex.: vértebras; 
o Ossos sesamóides: estão presentes no interior de alguns tendões em que há 
considerável fricção, tensão e estresse físico, como as palmas e plantas. Ex.: 
patelas. 
Estrutura dos Ossos Longos 
A disposição dos tecidos ósseos compacto e esponjoso em um osso longo é 
responsável por sua resistência. Os ossos longos contém locais de crescimento e 
remodelação, e estruturas associadas às articulações. As partes de um osso longo são as 
seguintes: 
o Diáfise: é a haste longa do osso. Ele é constituída principalmente de tecido 
ósseo compacto, proporcionando, considerável resistência ao osso longo; 
o Epífise: as extremidades alargadas de um osso longo. A epífise de um osso o 
articula, ou une, a um segundo osso, em uma articulação. Cada epífise
Madalena
Madalena fez um comentário
Voce poderia me enviar esse documento no email? Gostaria de imprimir
0 aprovações
Carregar mais