UC12   Apostila Cooperativismo e Associativismo
127 pág.

UC12 Apostila Cooperativismo e Associativismo


DisciplinaAgroindústria e Agronegócio80 materiais1.346 seguidores
Pré-visualização28 páginas
físicas e jurídicas:
1º - Pessoa Física \u2013 a contribuição é calculada com base no Valor da Terra Nua Tributável \u2013 
VTNT da propriedade, constante no cadastro da Secretaria da Receita Federal, utilizado para 
lançamento do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural \u2013 ITR.
2º - Pessoa Jurídica \u2013 a contribuição é calculada com base na Parcela do Capital Social \u2013 PCS 
atribuída ao imóvel.
Estão obrigados a contribuir o empresário ou empregador rural, pessoa física ou jurídica, que 
empreendem a qualquer título a atividade rural, proprietário ou não, mesmo sem empregado, 
ainda que em regime de economia familiar, ou seja, explore o imóvel rural que lhe garanta a 
subsistência, em área superior a dois módulos rurais da respectiva região.
d
Comentário do autor
Dentre as perguntas mais comuns quando o assunto é sindicalismo, está a 
seguinte: \u201cPara onde vai o imposto sindical?\u201d
Acompanhe!
Curso Técnico em Agronegócio
110
A art. 589 da CLT estabelece que, da importância da arrecadação da contribuição sindical, 
serão feitos os seguintes créditos pela Caixa Econômica Federal, na forma das instruções que 
forem expedidas pelo Ministro do Trabalho: 
I - para os empregadores:
a) 5% (cinco por cento) para a confederação correspondente;
b) 15% (quinze por cento) para a federação;
c) 60% (sessenta por cento) para o sindicato respectivo; e
d) 20% (vinte por cento) para a \u201cConta Especial Emprego e Salário\u201d\u2019;
II - para os trabalhadores: 
a) 5% (cinco por cento) para a confederação correspondente;
b) 10% (dez por cento) para a central sindical;
c) 15% (quinze por cento) para a federação;
d) 60% (sessenta por cento) para o sindicato respectivo; e
e) 10% (dez por cento) para a \u201cConta Especial Emprego e Salário\u201d.
§ 1º O sindicato de trabalhadores indicará ao Ministério do Trabalho e Emprego a central 
sindical a que estiver filiado como beneficiária da respectiva contribuição sindical, para 
fins de destinação dos créditos previstos neste artigo.
d
Comentário do autor
Portanto, como você pôde constatar, 60% (a maior parte) vai para o seu sindicato 
no município.
Você sabe como pode ser usada a contribuição sindical?
Os sindicatos poderão destacar, em seus orçamentos anuais, até 20% dos recursos da 
contribuição sindical para o custeio das suas atividades administrativas, independentemente 
de autorização.
A contribuição sindical, além das despesas vinculadas a arrecadação, recolhimento e controle, 
será aplicada pelos sindicatos, na conformidade dos respectivos estatutos, usando aos 
seguintes objetivos:
I - Sindicatos de empregadores e de agentes autônomos: 
a) assistência técnica e jurídica; 
b) assistência médica, dentária, hospitalar e farmacêutica;
c) realização de estudos econômicos e financeiros; 
d) agências de colocação; 
Associativismo, Cooperativismo e Sindicalismo
111
e) cooperativas; 
f) bibliotecas; 
g) creches; 
h) congressos e conferências; 
i) medidas de divulgação comercial e industrial no país e no estrangeiro, bem como em 
outras tendentes a incentivar e aperfeiçoar a produção nacional; 
j) feiras e exposições; 
l) prevenção de acidentes do trabalho; 
m) finalidades desportivas. 
II - Sindicatos de empregados: 
a) assistência jurídica; 
b) assistência médica, dentária, hospitalar e farmacêutica; 
c) assistência à maternidade; 
d) agências de colocação; 
e) cooperativas; 
f) bibliotecas; 
g) creches; 
h) congressos e conferências; 
i) auxilio-funeral; 
j) colônias de férias e centros de recreação; 
l) prevenção de acidentes do trabalho; 
m) finalidades desportivas e sociais; 
n) educação e formação profissional; 
o) bolsas de estudo. 
III - Sindicatos de profissionais liberais: 
a) assistência jurídica; 
b) assistência médica, dentária, hospitalar e farmacêutica; 
c) assistência à maternidade; 
d) bolsas de estudo
e) cooperativas; 
f) bibliotecas; 
g) creches; 
Curso Técnico em Agronegócio
112
h) congressos e conferências; 
i) auxílio-funeral; 
j) colônias de férias e centros de recreação; 
l) estudos técnicos e científicos; 
m) finalidades desportivas e sociais; 
n) educação e formação profissional; 
o) prêmios por trabalhos técnicos e científicos. 
IV - Sindicatos de trabalhadores autônomos: 
a) assistência técnica e jurídica; 
b) assistência médica, dentária, hospitalar e farmacêutica; 
c) assistência à maternidade; 
d) bolsas de estudo; 
e) cooperativas; 
f) bibliotecas; 
g) creches; 
h) congressos e conferências; 
i) auxílio-funeral
j) colônias de férias e centros de recreação; 
l) educação e formação profissional; 
m) finalidades desportivas e sociais.
d
Comentário do autor
Para poder realizar isso tudo, além da contribuição sindical, os sindicatos podem 
cobrar, ainda, a contribuição social e a mensalidade sindical. Veja a seguir.
6. Contribuição social e mensalidade sindical
A contribuição assistencial ou social, conforme prevê o artigo 513 da CLT, alínea \u201ce\u201d, poderá ser 
estabelecida por meio de acordo ou convenção coletiva de trabalho com o intuito de sanear 
gastos do sindicato da categoria representativa.
Já a mensalidade sindical é uma contribuição que o sócio sindicalizado faz, facultativamente 
(conforme art. 5º, inciso XX da CF), a partir do momento em que opta filiar-se ao sindicato 
Associativismo, Cooperativismo e Sindicalismo
113
representativo. Essa contribuição normalmente é feita por desconto mensal em folha de 
pagamento, no valor estipulado em convenção coletiva de trabalho.
d
Comentário do autor
É importante que o trabalhador e o produtor rural conheçam as contribuições 
obrigatórias. A contribuição sindical, ou o chamado \u201cimposto sindical\u201d, pode ser 
cobrada judicialmente, com a inscrição do débito na dívida ativa.
Todas as penalidades aplicáveis ao não pagamento da contribuição sindical estão previstas 
nos artigos 602 e seguintes da CLT, podendo, inclusive, promover a respectiva cobrança 
judicial mediante ação executiva por falta de pagamento da referida contribuição.
Tópico 5: Sistema Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil 
\u2013 CNA
O Sistema Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil \u2013 CNA é uma organização que 
representa perante o governo federal as federações da agricultura (que trabalham nos 
estados) e os sindicatos rurais no âmbito dos municípios, defendendo de forma unificada 
os interesses dos produtores rurais brasileiros. Além do Executivo, também é papel da CNA 
representar as entidades perante o Congresso Nacional e os tribunais superiores do Poder 
Judiciário, nos quais dificilmente um produtor, sozinho, conseguiria obter respostas para as 
suas demandas.
CNA
27 federações
de agricultura
1949 sindicatos rurais 
1123 extensões de base
1.7 milhões de produtores
rurais associados (voluntários)
Curso Técnico em Agronegócio
114
O Sistema CNA abrange três entidades:
\u2022 a CNA, que faz a representação e a defesa dos interesses dos produtores rurais; 
\u2022 o SENAR, encarregado da formação profissional rural e da promoção social, promovendo 
todos os níveis de ensino para o campo;
\u2022 o Instituto CNA, uma associação civil sem fins lucrativos que desenvolve estudos e pesquisas 
sociais e do agronegócio, atendendo às demandas do Sistema CNA/Senar.
1. A importância da CNA na vida do produtor rural
A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil \u2013 CNA é responsável por congregar 
associações e lideranças políticas e rurais em todo o país. A CNA também apoia a geração de 
novas tecnologias e a criação de agroindústrias responsáveis por aumentar a produtividade 
rural. Outra grande iniciativa da entidade é a cooperação e o apoio aos programas regionais de 
desenvolvimento agrícola, especialmente aqueles que se destinam a reduzir as desigualdades 
geoeconômicas em