UC12   Apostila Cooperativismo e Associativismo
127 pág.

UC12 Apostila Cooperativismo e Associativismo


DisciplinaAgroindústria e Agronegócio80 materiais1.346 seguidores
Pré-visualização28 páginas
se desenvolve 
independentemente de território, língua, credo ou nacionalidade\u201d 
(Organização das Cooperativas Brasileiras \u2013 OCB).
Ao final deste tema, espera-se que você desenvolva as seguintes competências:
\u2022 conhecer e definir a sociedade cooperativa e diferenciá-la da associação;
\u2022 identificar o solidarismo e o mutualismo nas relações cooperativas;
\u2022 conhecer o principal objetivo da sociedade cooperativa;
\u2022 conhecer o instituto da cooperação;
\u2022 compreender as condicionantes do desenvolvimento econômico;
\u2022 identificar cada um dos aspectos econômicos na relação com o mercado;
\u2022 diferenciar lucro de sobras líquidas na sociedade cooperativa;
\u2022 identificar as atividades inerentes à sociedade cooperativa de produção agropecuária;
\u2022 diferenciar os negócios realizados pela sociedade cooperativa de produção agropecuária;
\u2022 conhecer o tratamento tributário ao ato cooperativo;
\u2022 conhecer as atividades qualificadas como \u201cato não cooperativo\u201d;
\u2022 identificar as principais relações contratuais realizadas pelas sociedades cooperativas;
\u2022 conhecer as principais estratégicas utilizadas pelas entidades;
\u2022 conhecer as atribuições de cada sistema.
Vamos ao tópico 1?
Tópico 1. Organização das Cooperativas Brasileiras: o Nascimento 
de uma Grande Ideia
No século XVIII, aconteceu a Revolução Industrial na Inglaterra. Com a introdução das 
máquinas que substituíram os trabalhadores, a mão de obra perdeu grande poder de troca e 
de negociação. Os baixos salários e a longa jornada de trabalho resultantes trouxeram muitas 
dificuldades socioeconômicas para a população, que levaram também a protestos populares. 
Associativismo, Cooperativismo e Sindicalismo
41
Fonte: Shutterstock
Diante dessa crise, surgiram lideranças que criaram associações de caráter assistencial. Essa 
experiência não teve resultado positivo na atenuação da situação econômica dos trabalhadores 
e ainda manteve pessoas ociosas nas ruas. 
d
Comentário do autor
Alguns anos de problemas socioeconômicos se passaram sem soluções para 
contornar eficientemente os efeitos colaterais da modernização da indústria. 
Com base nessas experiências, buscaram-se novas formas associativas que 
fossem eficazes para a viabilidade econômica de empreendimentos coletivos até 
chegarem ao que denominaram de cooperativa.
Esse modelo de reunião cooperativa teve início com a reunião de 28 cidadãos ingleses, em 
sua maioria tecelões, que se reuniram para discutir e avaliar suas ideias sobre alternativas de 
empreendimentos viáveis que não repetissem as falhas do modelo capitalista de gestão.
Respeitando seus costumes e suas tradições, e estabelecendo normas e metas para a 
organização de uma cooperativa, após um ano de trabalho, acumularam um pequeno capital 
(28 libras, que é a moeda inglesa) e conseguiram abrir as portas de um pequeno armazém 
cooperativo, em 1844, no bairro de Rochdale, na cidade de Manchester (Inglaterra). 
Curso Técnico em Agronegócio
42
Legenda: Os ingleses da sociedade de Rochdale são reconhecidos como os pioneiros do cooperativismo.
Fonte: Shutterstock
Nascia a Sociedade dos Probos de Rochdale, conhecida como a primeira cooperativa moderna 
do mundo. Ela criou os princípios morais e a conduta que são considerados, até hoje, a base 
do cooperativismo. Em 1848, já eram 140 membros, e, 12 anos depois, chegou a ter 3.450 
sócios com um capital de 152 mil libras. 
No Brasil, conforme dados da OCB, existem 6.827 cooperativas, 
distribuídas em todos os estados, com maior concentração nas 
regiões Sul e Sudeste do país, atividade que envolve diretamente 
11 milhões de pessoas.
Destas, 1.597 são de cooperativas agropecuárias, com cerca de um milhão de cooperados, com 
um faturamento, em 2014, de mais de R$ 100 bilhões e representando mais de 10% do PIB do 
agronegócio, com 152 mercados de destino, sendo responsáveis por 6% das exportações do 
agronegócio brasileiro 
Acompanhe a simbologia que envolve o emblema que representa o cooperativismo!
O pinheiro é considerado o símbolo da imortalidade e da fecundidade: 
multiplica-se com facilidade, inclusive em terrenos inóspitos. Dois pinheiros 
simbolizam a união e a fraternidade.
O círculo é uma figura geométrica que não tem começo nem fim, simbolizando 
a eternidade do cooperativismo.
O verde-escuro dos pinheiros simboliza o princípio vital da natureza e toda a 
esperança que ela representa.
Associativismo, Cooperativismo e Sindicalismo
43
O amarelo-ouro, cor do sol, fonte de toda energia e calor, significa a fonte de 
toda a vida e de renda.
A combinação desses símbolos resultou na marca mundial do cooperativismo. 
Em qualquer país, em qualquer língua, quaisquer que sejam os princípios 
religiosos ou políticos, o emblema do cooperativismo mostra o círculo 
abraçando os dois pinheiros unidos nos seus princípios, perenes na 
multiplicação de seus ideais. A esperança verde e a energia amarela dos 
adeptos do cooperativismo são marcadas pelas cores dos emblemas.
1. Diferenças entre associação e cooperativa
No primeiro tema desta unidade curricular, você estudou sobre o associativismo. Acompanhe 
as principais diferenças entre uma associação e uma cooperativa.
As associações são instituições que buscam promover a educação, a cultura, a política 
e os interesses comuns de determinadas classes, regiões ou setores. Já as cooperativas 
desenvolvem mais um trabalho comercial e empresarial de uma maneira coletiva. 
Nas cooperativas, os cooperados são beneficiários e administradores do negócio, podendo ser 
beneficiados pelos resultados gerados. Nas associações, os associados não são exatamente os 
proprietários das instituições (elas são de interesse público), e, caso ocorra o seu fechamento, 
o valor que tiver sido acumulado deverá ser encaminhado a uma instituição que realize um 
trabalho semelhante ao seu ou ao governo.
O quadro a seguir mostra as principais características distintivas entre as associações e as 
cooperativas.
Característica/tipo 
de organização Associação Cooperativa
Definição
Sociedade civil sem fins 
econômicos e sem fins 
lucrativos.
Sociedade simples de fins 
econômicos e comerciais sem fins 
lucrativos.
Finalidade
Representar e defender os 
interesses dos associados, 
como prestar serviços e 
viabilizar assistências técnica, 
cultural e educativa aos 
associados.
Prestar serviços, viabilizar 
assistências técnica, cultural 
e educativa aos cooperados, 
bem como promover a venda 
e a compra em comum, 
desenvolvendo atividades 
de consumo, produção, 
prestação de serviços, crédito e 
comercialização.
. . .
Curso Técnico em Agronegócio
44
Característica/tipo 
de organização Associação Cooperativa
Número de sócios
Não existe um número mínimo 
legal de associados. Como 
se trata de uma sociedade, 
exigem-se, no mínimo, duas 
pessoas. 
Mínimo de 20 pessoas físicas 
(mínimo de sete pessoas nas 
cooperativas de trabalho).
Remuneração de 
dirigentes
Os dirigentes não são 
remunerados pelo exercício 
de suas funções, recebendo 
apenas o reembolso das 
despesas realizadas para 
o desempenho das suas 
atividades.
A remuneração dos dirigentes 
é definida na assembleia geral, 
na forma de pro labore, para 
compensar o afastamento do 
trabalho anterior, em valor de 
acordo com a profissão e o 
mercado.
Direito a voto
Cada associado tem direito a 
um voto em assembleia geral.
Cada associado tem direito a um 
voto em assembleia geral.
Receita
Composta por contribuições 
dos associados, taxas, doações, 
legados, subvenções, fundos e 
reservas.
Taxas de serviços sobre as 
operações dos cooperados e das 
operações bancárias, diferenças 
entre custos de produção ou 
compra e venda de produtos.
Capital e patrimônio
Não tem capital social. 
Contribuições dos associados, 
taxas, doações, legados, 
subvenções, fundos