UC14   Técnicas de Produção Animal
171 pág.

UC14 Técnicas de Produção Animal


DisciplinaAgroindústria e Agronegócio80 materiais1.346 seguidores
Pré-visualização38 páginas
que possui baixa lotação (ou seja, 
cabeças por hectare) e pouca produtividade.
Sistema 
semi-intensivo
Uso de tecnologias moderado. Como exemplo, temos a pecuária 
desenvolvida utilizando desmame precoce e suplementação a 
campo, além de integração de lavoura e pecuária, com produção de 
carne ainda à base de pastagem.
Curso Técnico em Agronegócio
50 Sistema intensivo
Uso maciço de tecnologias, geralmente em sistema confinado 
ou semiconfinado, onde os animais recebem toda a alimentação 
no cocho, uso intensivo de concentrados e a idade de abate dos 
animais fica entre 1 e 2 anos.
No sistema de produção intensivo, é feita a recuperação da fertilização do solo, ajuste de carga 
animal, planejamento forrageiro, melhoramento dos pastos e manejo intensivo, cujo objetivo 
é ter alta produtividade, já que o custo de produção é mais alto que no sistema extensivo.
No semiconfinamento, a alimentação usa pastagens cultivadas, silagens, concentrados e 
dieta balanceada. Os resultados aparecem, pois há propriedades com sistema intensivo e 
onde a produtividade é de mais de seis Unidades Animal (UA) por hectare, mais de 55 
arrobas (@) por hectare e por ano. Para isso, são necessários controles sanitários baseados 
na prevenção e mão de obra qualificada.
Fonte: Shutterstock
Engorda somente a pasto até pode ser feita, desde que seja em terras férteis, com pastagens 
adubadas e abundantes, preferencialmente com o lote de engorda recebendo a maior 
quantidade possível de folhas tenras e partes superiores das forrageiras que são mais 
nutritivas, possibilitando mais de 600 gramas de ganho de peso diário (GPD) dos novilhos.
Na pecuária de corte a seguinte nomenclatura deve ser observada:
Bezerro
Bovino macho até 1 ano de idade.
Garrote
Bovino macho de 1 a 2 anos de idade.
Técnicas de Produção Animal
51
Novilho 
Macho castrado de 2 a 3 anos de idade.
Boi
Macho castrado acima de 3 anos de idade.
Quanto ao ciclo de produção, encontramos quatro tipos de atividades:
\u2022 Cria: esse sistema é caracterizado pela exploração da venda de bezerros desmamados, 
geralmente com 7 e 8 meses de idade, logo após o desmame.
\u2022 Recria: esses produtores compram terneiros desmamados, agregam peso vivo a esses 
animais sem terminá-los e revendem garrotes entre 1,5 e 2 anos.
\u2022 Terminação e engorda: são as propriedades que fazem a engorda dos animais para 
a venda. Geralmente, compram o boi magro de 11 a 12 arrobas ou vaca de descarte 
ou ainda garotes e engordam esses animais em pastagem e fazem o acabamento com 
suplementação a pasto, semiconfinamento ou confinamento.
\u2022 Ciclo completo: engloba os três sistemas anteriores na propriedade, porém exige grandes 
extensões de terra, já que possui cria, recria e engorda, além das matrizes e reprodutores, 
comercializando boi gordo, geralmente com 17 a 20 @.
Hoje em dia, um conceito novo que se tem trabalhado com o objetivo de obter um boi de 21 
@ em 24 meses é o conceito 777, ou seja, 7 @ na cria, 7 na recria e 7 @ na terminação, assim, 
obtém-se um boi viável e com a qualidade da carne que o consumidor quer em menos de dois 
anos.
A maioria dos frigoríficos exige peso mínimo de 15@, cerca de 430 a 450 kg de peso vivo. 
`
Atenção
Produtividade = Lotação X Desempenho Animal
Produtividade: ganho por área
Lotação: cabeças por área
Desempenho animal: ganho por cabeça
Exemplo: Lotação de três cabeças por hectare, desempenho de 250 kg por 
cabeça e por ano.
Produtividade = 3 cab/ha X 200 kg/ha/ano
Produtividade = 600 kg/ha/ano
Curso Técnico em Agronegócio
52
3. Alimentação e manejo
Com o objetivo da produção de carne à base de pasto, o manejo do pastejo, ou seja a colheita 
pelo animal da forragem produzida, é etapa fundamental e condição indispensável para que 
práticas acerca do uso de corretivos e fertilizantes, irrigação, conservação de forragem e 
suplementação sejam implementadas com sucesso. As condições de solo são decisivas para a 
produção, afinal o cultivo de pasto depende do solo e o gado depende do pasto.
'
Dica
A acidez do solo pode ser resolvida pela calagem, a baixa fertilidade pela 
adubação e a erosão do solo por práticas conservacionistas, para que o foco 
possa ser a produção intensiva de pastagem, ou seja, a lavoura de pasto.
A produção animal em pastagens é reconhecidamente a opção técnica que permite maior 
margem de flexibilidade na idealização e planejamento de sistemas de produção animal que 
sejam competitivos e economicamente viáveis, uma vez que os custos de produção são baixos 
e o produto animal produzido é tido como de melhor qualidade.
Na bovinocultura de corte de resultados, temos que focar nas estratégias para aumentar a 
produtividade com foco em nutrição, genética reprodução e sanidade. Conheça, a seguir, um 
pouco mais sobre cada uma.
Nutrição: com o uso de suplementação mine-
ral, proteinados, concentrados, volumosos, vi-
taminas, além de pastagens melhoradas com 
correção, adubação, rotação, irrigação, e inte-
gração lavoura e/ou florestas.
Genética: com a seleção de animais superiores, 
conforme a precocidade, o rendimento de car-
caça e a eficiência alimentar na transformação 
de carne, com foco no cruzamento industrial 
para garantir a heterose ou vigor híbrido da cru-
za de gado zebu (Bos indicus) com europeu (Bos 
taurus), exemplo: vaca Nelore com touro Here-
ford.
Reprodução: nas fêmeas, com o uso de estação 
de monta, controle de mamada, escore corpo-
ral, protocolos hormonais, exame ginecológico, 
IATF (inseminação artificial em tempo fixo) e nos 
machos com o exame andrológico e a capacida-
de de serviço.
Sanidade: com o uso de vacinação, controle ecto e endoparasitas e cuidados com bezerro, 
principalmente umbigo e diarreias, e calendário sanitário preventivo. 
Fonte: Shutterstock
Técnicas de Produção Animal
53
É importante lembrar que os machos são mais eficientes na 
engorda do que as fêmeas, assim, eles têm maior ganho de peso 
nas mesmas condições. 
Referente à castração, os animais não castrados têm maior ganho de peso que os castrados, 
mas a ação dos hormônios reduz a deposição de gordura na carcaça, o que afeta o seu 
acabamento. Por isso, a maioria dos frigoríficos prefere animais castrados, pois a gordura é 
importante para a conservação e o aspecto da carne. Se possível, castre os machos após os 
250 kg de peso vivo, assim você aproveitará um pouco o efeito de crescimento dos hormônios.
4. Instalações para bovinos de corte
Deve-se lembrar que o objetivo das instalações é facilitar o manejo e abrigar os animais contra 
extremos climáticos, sendo necessário um bom planejamento para que cumpram sua função 
e tenham custos racionais.
A quantidade e o tipo das instalações dependem do sistema de criação, da disponibilidade 
de recursos e da finalidade da exploração, sendo que quanto mais intensivo for o sistema de 
produção maior será a necessidade de instalações.
A primeira necessidade é um centro de manejo que possua:
\u2022 curraletes ou mangueiras;
\u2022 brete;
\u2022 tronco;
\u2022 seringa;
\u2022 balança;
\u2022 farmácia;
\u2022 embarcadouro; e
\u2022 escritório.
O objetivo do centro de manejo é realizar com eficiência as práticas de manejo com o gado, 
com segurança e conforto às pessoas e animais. Neste local, são realizadas a apartação, a 
identificação, a descorna, a vacinação, o embarque e desembarque, a castração, os exames, a 
inseminação artificial e o combate aos parasitas.
A construção de um curral tem alto custo, como referência média pode-se usar o valor de R$ 
37.000,00, com capacidade para 500 cabeças de gado. A necessidade é de cerca de 2 metros 
quadrados por UA (Unidade Animal). Currais mal dimensionados, mal planejados, chegam 
a causar perdas de mais de 5% do peso vivo animal devido ao estresse, por isso, muitos 
pecuaristas têm investido na construção de currais antiestresse