Pietro Ubaldi   Ascese Mística
132 pág.

Pietro Ubaldi Ascese Mística


DisciplinaAstrologia619 materiais2.143 seguidores
Pré-visualização50 páginas
justiça, mas também como salvação. 
Nos séculos de tranqüilidade, também o céu fica tranqüilo. Mas nos momentos de tempestade, o 
céu se abre e entre os raios lança relâmpagos de luz. Quando os tempos estão maduros,
 
uma 
ferida se abre na História e jorra sangue e linfa vitais, sem o que parece a humanidade não teria 
forças para continuar seu caminho. O inimigo está chegando ao centro da fortaleza. Cristo tem de 
recomeçar do princípio. Nos momentos supremos e decisivos, não resiste quem não for 
substancialmente forte e não estiver abastecido de espiritualidade, e não apenas de habilidades 
 
36
 \u201cA letra mata, mas o espírito vivifica\u201d. Palavras do Apóstolo Paulo, em sua Carta aos 
Coríntios. (N. do T.) 
 
Ascese Mística Pietro Ubaldi 
 
 101 
humanas. Mas o mal, se destrói, também purifica e nas mãos de Deus é guiado para os limites do 
bem. 
 
O mal é cego e não o sabe \u2014 mas o bem, que o guia, sabe-o. As tempestades reedificam e 
são bem-vindas. 
 
Deus escolhe os Seus meios em toda parte mas bem raramente entre as fileiras oficiais, 
entre os poderosos e os sábios. Os pobres seres que se fazem admitir neste movimento, arriscam-
se, a cada instante, a ficar pulverizados. Eles terão de fornecer sozinhos, sem apoio, o 
testemunho supremo de sua verdade. E esta não poderá pairar senão mais tarde, sobre um 
consenso de almas,
 
que não se pode formar senão lentamente, por maturação e por vias interiores 
e só por experiência completa e quando a vida encerrar-se, isto é, quando aquele consenso não 
puder mais levar a quem agiu, nenhuma ajuda e nenhum conforto. 
 
Mas também o Alto é avaro de auxílios, não dá sinais nem provas. Estas seriam uma 
espécie de patente de autorização para o exercício pacífico da própria missão. Não. Ele deve ser 
exposto a todos os ventos, golpeado por todos os assaltos. A sua alma deve ser atirada nua na 
poeira das estradas, onde todos possam pisá-la. Nada de posições protegidas e seguras que 
adormentam e ensoberbecem \u2014 mas humilhações, lutas, incerteza; não a alegria da colheita, 
mas a fadiga da sementeira. 
 
Muito mais rude que o da Terra é o selo do Céu! Esta exceção, que é péssimo exemplo 
para a mediocridade ignorante, deve sofrer os mais severos controles, para que a estrada não seja 
escancarada pela rebelião e pelo erro. A lei é que, cada superação de normas não seja lícita senão 
quando se entra em normas humanamente mais rígidas, moralmente mais elevadas. Quem vive 
protegido pela autoridade, cedendo a esta o peso de sua responsabilidade, cairá por este caminho. 
Quem for escolhido, terá uma soma muito maior de deveres e apenas com a ajuda de Deus 
poderá resistir e vencer. Ele o sabe. Uma missão é um caminho que se restringe cada vez mais, 
às vezes até ao martírio. Ele o sabe e não foge. Ele deve dar testemunho. Se Deus não estiver 
próximo, tal caminho não se poderá percorrer. Só quem está ao lado de Deus concorda em arar 
semelhantes campos. Neste clima, nenhuma motivação humana resiste. O verdadeiro chamado se 
faz reconhecer pela ausência de qualquer motivo terreno, por um particular método de luta, por 
uma cor psíquica inconfundível. E só então ele corre e avança, quando os instintos humanos 
foram destroçados pela raiz e nenhuma outra coisa senão Deus pode estar nele. Tudo isto é uma 
peneiração cotidiana, é um controle contínuo de correspondência de capacidade, é um 
permanente exercício, é um equilíbrio de forças que levam a alma até aquele ponto de sua missão 
que ela é capaz de suportar, e não além, porque então ela seria abandonada e cairia. 
 
Sinto, afinal, levantarem-se menores objeções as quais, ocupado com outros problemas, 
não tenho até agora considerado, mas que devo considerar Tudo isto, pode parecer, não é senão o 
eu humano que grita em mim, que se ensoberbece e se agita. Modéstia, modéstia O verdadeiro 
místico é sobretudo humilde e este é o livro do orgulho. Que é isto de subir à cátedra, podem 
dizer-me, e fazer vaidosas afirmações de altíssimos contatos de espírito, não provados pelos 
outros e que implicam numa gratuita posição de superioridade e autoridade decerto não aceitável 
pelos demais. 
 
Ascese Mística Pietro Ubaldi 
 
 102 
Pense-se, porém, no que é este livro. Ele é uma desesperada invocação a Deus, de uma 
alma que, vendo o que é o mundo, e o que o espera, oferece para salvá-lo, não tendo mais que 
dar \u2014 a si próprio. (Ver capítulo XXVII PAIXÃO). Mesmo que seja ameaçado de destruição. 
A psicologia comum dos críticos move-se em outro plano; não seria possível contentar a todas as 
pessoas e divergentes exigências. Mas aqui eu sinto bem diferente: sinto a que imensa 
incompreensão vou de encontro e, no entanto, não posso deter-me. Isso assinala o início do meu 
mais intenso sacrifício. Falo forte e alto, perturbo os que chegam, desfaço os acomodamentos, 
semeio o incêndio nos ânimos. Sou violento no espírito porque devo abalar e salvar. Não me 
iludo: devo pagar pelas minhas afirmativas. Antes morrer que pensar não possa mantê-las. Não 
são coisas que se afoguem no silêncio ou possam desaparecer na indiferença. Chegará a hora do 
testemunho ainda mais evidente, não já de palavra, mas de ação e de dor. O meu caminho se 
estreita, e não posso retroceder. A depuração deve ser severa e exigente na proporção da massa 
de afirmativas feitas. Qualquer um na terra tem o direito de enfrentar quem assim fala e dizer-
lhe: "Exijo provas". E eu devo estar pronto E bem sei que a sociedade moderna, que evita o 
sangue, sabe triturar um homem de forma sutil muito mais dolorosa. 
 
E diante deste pressentimento foi que senti não poder renunciar ao dever de dar testemunho 
de minha verdade. Não cumprir esse dever seria para mim trair minha missão. Não posso. E aqui 
estou para sofrer as conseqüências. Não há alternativa. Espiritualmente, o mundo já está em 
chamas. Não é lícito, neste momento, cruzar os braços e ficar como espectador, porque a 
tempestade vem para todos. Qualquer absenteísmo espiritual é hoje culpa e vilania. O mundo 
deve decidir e escolher seus valores, um princípio deve vencer. Os neutros serão arrastados e se 
tornarão servos. E as palavras que eu digo não poderiam ficar apenas nos altos céus mas 
distantes da universalidade. Devem descer, também, à forma precisa de luta e de conquista que o 
momento histórico impõe, momento de ação tremenda e decisiva. As palavras que eu digo 
devem saber precisar, no seio da universalidade evangélica, o pensamento que temos hoje o 
dever de lançar ao mundo, e neste pensamento específico, feito de vida, devo oferecer minha 
contribuição. E se este livro puder parecer um imperdoável ato de orgulho e de audácia, é justo 
que eu pague. Aqui estou para isso. Para mim, existe um outro prélio no céu, onde a terra não 
chega e estou a postos. Que os sonolentos sejam abalados. O sono é hoje a pior das posições. 
 
Compreendo que, para quem vive no plano normal,
 
no qual o movimento histórico é menos 
sensível, a minha atitude possa parecer, desde logo,
 
exaltação, perigosa audácia, pretensão 
absurda, estranha megalomania, efeito de desmedido orgulho. Mas, eu não posso viver, na hora 
premente de hoje, de acordo com as medidas e as prudências humanas, que são proporcionais a 
fins humanos. Confesso, sim, que sinto tudo isto como um grande dever, um encargo de grande 
responsabilidade. Não se veja em tudo isto, e especialmente na unificação de que falei, uma 
posição elevada e de vantagem conquistada para sempre. Veja-se, ao invés, uma posição de 
trabalho na qual me devo manter a custo de uma contínua tensão de espírito e. que posso perder