Trabalho - Cartas de Controle e Ciclo PDCA - CEP
17 pág.

Trabalho - Cartas de Controle e Ciclo PDCA - CEP


DisciplinaControle Estatístico de Processos109 materiais514 seguidores
Pré-visualização3 páginas
10,0282 10,0385 9,9747 10,0323 9,986 10,0111 0,0638 
hora 14 9,9836 10,063 9,9824 9,9909 9,9684 10,0575 10,0076 0,0946 
hora 15 10,0317 10,0485 9,9659 10,0675 10,0047 10,0277 10,0243 0,1016 
hora 16 9,9756 9,9174 9,9076 9,9909 10,018 9,9979 9,9679 0,1104 
hora 17 9,9818 9,8962 9,9614 9,9612 9,9694 9,9349 9,95082 0,0856 
hora 18 10,0168 10,0043 10,0029 9,9549 10,0199 9,9691 9,99465 0,065 
hora 19 9,9857 10,0503 10,0381 9,9811 9,9603 9,9123 9,98797 0,138 
hora 20 9,9878 9,9841 9,9496 9,9754 10,025 10,0576 9,99658 0,108 
hora 21 10,0657 9,9838 9,9636 9,9779 10,0423 10,0547 10,0147 0,1021 
hora 22 9,9564 10,0184 9,989 9,9999 10,0146 10,0145 9,9988 0,062 
hora 23 10,0611 9,9443 9,9899 9,9833 9,9947 10,0033 9,9961 0,1168 
hora 24 9,9054 9,9149 9,987 10,058 9,9156 9,9782 9,95985 0,1526 
hora 25 9,9768 9,9954 9,9196 9,9341 9,9162 10,0721 9,96903 0,1559 
Por Gabriel Filizzola & Matheus Gomes Página 12 de 17 
 
 
9.94
9.96
9.98
10.00
10.02
10.04
10.06
Gráfico X-Barra
Peças
M
é
d
ia
s
9.94
9.99
10.04
0.00
0.05
0.10
0.15
0.20
0.25
Gráfico de amplitude
Peças
A
m
p
li
tu
d
e
0
0.105508
0.211438
Por Gabriel Filizzola & Matheus Gomes Página 13 de 17 
7. Na atividade anterior, suponha que o Auditor de Qualidade monitora o processo 
de produção usando X-and S-charts. São tomadas seis amostras a cada hora e 
seus pesos e desvios plotados na Carta de controle. Construa o gráfico utilizado 
pelo auditor. 
 
 
9.94
9.96
9.98
10.00
10.02
10.04
10.06
Gráfico X-Barra
Peças
M
é
d
ia
s
9.94
9.99
10.05
0.00
0.02
0.04
0.06
0.08
Gráfico de desvio padrão
Peças
D
e
s
v
io
 p
a
d
rã
o
0.00121
0.03985
0.07848
Por Gabriel Filizzola & Matheus Gomes Página 14 de 17 
8. A tabela a seguir representa o diâmetro das amostras de parafusos obtidas a 
partir de uma linha de produção. Encontre os limites de controle com a média 
móvel em grupos de 3 elementos. 
Nº DA 
AMOSTRA 
MEDIÇÕES 
1 9 
2 7 
3 11 
4 8 
5 8 
6 7 
7 10 
8 9 
9 12 
10 11 
TOTAL 92 
 
 
 
2
4
6
8
10
12
14
16
Gráfico de Valores Individuais
Peças
V
a
lo
re
s
 I
n
d
iv
id
u
a
is
3.88
9.2
14.52
0
2
4
6
Gráfico de Amplitude Móvel
Peças
A
m
p
li
tu
d
e
 M
ó
v
e
l
0
2
6.534
Por Gabriel Filizzola & Matheus Gomes Página 15 de 17 
9. PDCA 
Uma indústria de cimento, que opera em dois turnos de trabalho, nos últimos meses 
passou a enfrentar problemas em relação ao tempo de pega do cimento por ela 
produzido. Para facilitar o entendimento da situação enfrentada pela empresa, 
apresentaremos a seguir uma descrição resumida do processo de fabricação de cimento. 
O cimento é produzido a partir da queima de argila e calcário, misturados em 
proporções apropriadas. A queima desta mistura é realizada em fornos rotativos e dá 
origem a uma substância conhecida como clínquer. O clínquer é um produto 
intermediário que já apresenta muitas das características do cimento, mas que ainda 
precisa ser corrigido por meio da adição de gesso e também ser reduzido a pó para ser 
transformado em cimento. 
Um dos principais agentes controladores do tempo de pega do cimento é o gesso, o qual 
é moído, juntamente com o clínquer, nos moinhos de cimento. A indústria de cimento 
compra gesso de três empresas fornecedoras, com o objetivo de obter uma maior 
garantia no fornecimento desta matéria prima. Nos últimos dias foi notado um aumento 
na variabilidade do tempo de pega, sendo que algumas partidas do cimento produzido 
não estavam atendendo à especificação, que estabelece o valor mínimo de uma hora 
para este tempo. Além disto, para a moagem do cimento são empregados quatro 
moinhos, com diferentes tempos de utilização, existindo a suspeita de que os moinhos 
mais velhos não estariam produzindo um material com a granulometria adequada, o 
que também poderia estar contribuindo para o aumento da variabilidade do tempo de 
pega do cimento. A indústria também utiliza, para a produção dos clínquer, dois fornos 
rotativos de características bem distintas. Os engenheiros da empresa sabem que uma 
boa qualidade do clínquer, a qual depende principalmente de um funcionamento 
adequado dos fornos, também é muito importante para a produção de cimento com 
tempo de pega apropriado. 
Diante da situação indesejável em relação ao tempo de pega do cimento, a qual acabou 
dando origem a um problema crônico, a indústria, decidiu iniciar o giro do Ciclo PDCA 
para melhorar (Método de Solução de Problemas), com o objetivo de que pudessem ser 
estabelecias as contramedidas sobre as causas fundamentais do problema identificado. 
 
a) Qual foi o problema identificado pela empresa na primeira etapa do Ciclo PDCA 
para melhorar? 
 
O problema identificado pela empresa nesta primeira etapa referente ao ciclo 
PDCA foi a grande variação do tempo de pega do cimento produzido. Este 
problema é responsável por gerar amostras que não estavam atendendo a 
especificação (tempo de pega mínimo estabelecido é de 1 hora). 
 
Por Gabriel Filizzola & Matheus Gomes Página 16 de 17 
b) Identifique os principais fatores de estratificação que podem ser considerados 
na etapa de observação do PDCA, para a investigação das características 
específicas do problema. 
 
\uf0fc Gesso de má qualidade oferecido pelo fornecedor; 
\uf0fc Moinhos antigos causando variação na granulometria do produto em questão; 
\uf0fc O funcionamento não adequado do forno utilizado para queima do produto; 
\uf0fc Identificação de problemas relacionados ao tempo de pega do cimento; 
\uf0fc Observar se o produto atende ou não as especificações; 
\uf0fc Fornos rotativos com características distintas; 
\uf0fc Plano de ação para resolver os problemas em questão: verificação da 
granulometria que são dos moinhos e manutenção dos mesmos, adequação dos fornos, 
análise das características dos gessos que são recebidos; 
\uf0fc Execução do plano de ação: olhar se o produto está dentro das especificações; 
\uf0fc Verificação da execução do plano de ação: verificar se o moinho foi consertado, 
verificar se os fornos encontram-se nas mesmas especificações e características, 
verificar se os gessos atendem as especificações; 
\uf0fc Padronização das características do maquinário: padronização dos moinhos e 
fornos; 
\uf0fc Conclusão dos problemas: caso todos os problemas tenham sido resolvidos; 
\uf0fc Definir metas padrões para a produção do cimento: definir granulometria padrão 
e principais características dos fornos; 
\uf0fc Procedimento operacional padrão (POP) criar pop para a produção: criar POP 
para a granulometria, para as características do cimento e para as condições 
operacionais; 
\uf0fc Execução POP para a produção do cimento: executar POP para a granulometria, 
para as características do cimento e das condições operacionais; 
\uf0fc Verificação do POP para a produção do produto: verificar POP para a 
granulometria, características do produto e condições operacionais; 
\uf0fc Ação corretiva dos erros de produção caso seja necessário. 
 
 
Por Gabriel Filizzola & Matheus Gomes Página 17 de 17 
c) Construa um modelo de folha de verificação que poderia ser utilizado pelo 
pessoal da empresa para a coleta de dados a serem empregados na etapa de 
observação do Ciclo PDCA. 
 
 
 
FOLHA DE VERIFICAÇÃO 
Data: 19/06/2016 
 Rev. 01 
 
 RESPONSÁVEL: 
 
 TURNO: MANHÃ TARDE NOITE 
 
 DATA: 
 
 
EVENTOS 
PRODUÇÃO 
 
TEMPO DE 
PEGA GRANULOMETRIA