Avaliação renal

Avaliação renal


DisciplinaPatologia Clínica Veterinária777 materiais15.364 seguidores
Pré-visualização2 páginas
*
FUNÇÃO RENAL
*
ENFERMIDADES RENAIS
Cães velhos - 60-80% 
Animais de grande porte \u2013 desconhece-se
Causas:
Microorganismos
Leptospira spp
Vírus
hepatite infecciosa canina
Substâncias tóxicas
produtos químicos ou de plantas
Enfermidades metabólicas
Diabetes mellitus
Medicamentos
anfotericina e tetraciclina 
*
URINÁLISE
FINALIDADES
Demonstrar:
Presença de componentes anormais
Presença de componentes normais
Excesso
Deficiência
Presença de componentes normais em formas anormais 
*
Urinálise
Métodos de colheita da urina:
Micção natural
Compressão manual
Cateterismo
Cistocentese
Acondicionamento da amostra
Protegida da luz
Refrigerada (acima de 30 min)
*
Exame Físico
Volume
Cor
Odor
Aspecto 
Densidade
*
Volume
	Água ingerida + água dos alimentos + água metabólica
Menos
	Perda de água pelos intestino, pulmões e pele 
Métodos de medida
Urina eliminada durante 24 horas.
Densidade. Exceções:
diabetes mellitus (ambos estão altos), 
nefropatia aguda e 
doença renal crônica (ambos podem estar baixos).
*
					
 
Causas de volume urinário anormal:
Poliúria:
Doença renal crônica 
Doença renal aguda (fase diurética)
Diabetes melito
Diabetes insípido Hiperadrenocorticismo
Diabetes insípido renal 
Glicosúria renal
Piometra
Polidipsia psicogênica
Terapêutica
líquidos, 
diuréticos, 
corticosteróides
*
Causas de volume urinário anormal:
Oligúria
Desidratação
Choque
Obstrução de vias urinárias
Doença renal aguda
Doença renal crônica terminal 
*
Cor
Urina normal
Cor x densidade x volume
Amarelo ao âmbar \u2013 urocromo 
Amarronzada (equinos)
*
*
*
Cor
Pálida ou amarelo-clara
Urina diluída associada à poliúria.
Causas:
Doença renal terminal
Ingestão excessiva de líquidos
Diabetes insipidus
Hiperadrenocorticismo
Piometra
Fase poliúrica da nefrose tóxica
*
Cor
Amarelo-escura ao âmbar
Urina concentrada
Densidade elevada
Oligúria
Causas:
Febre
Desidratação
Diminuição da ingestão hídrica
Nefrite aguda
Nefrose tóxica
*
Cor
Alaranjado-âmbar a amarelo-esverdeada
Forma uma espuma alaranjada ou esverdeada
bilirrubina
*
Cor
Avermelhada
Hemoglobina e/ou
Hemácias
Centrifugação 
Hemácias no sedimento
Sobrenadante límpido
*
Cor
Marrom
Hemoglobina
Mioglobina
Eqüinos pode ser normal
*
Cor
Azul-esverdeada
Azul de metileno (antissépticos urinários)
*
Odor
Sui generis:
Presença de ácidos orgânicos voláteis
Herbívoros
Odor aromático
Carnívoros
Odor picante e aliáceo
Machos é mais acentuado
*
Odor
Pútrido
Adocicado
Amoniacal
*
Aspecto
Límpido
Urina transparente
Eqüino pode ser turva:
Cristais de carbonato de cálcio
Muco
Turvo
Elementos celulares
Bactérias
Sêmen
Avaliar sedimento
*
Densidade
Concentração de sólidos em solução
Normal:
1,025 \u2013 1,045
Retrata:
Reabsorção tubular ou 
Concentração renal
Influenciam:
Peso
Dieta
Exercício
Idade
Condições climáticas
metabolismo
*
Densidade
Isostenúria 
Densidade do filtrado glomerular (1,008 \u2013 1,012).
Indica:
Ausência da capacidade de concentração tubular.
Pelo menos 2/3 dos néfrons estão sem função.
Precede a hiperazotemia, exceto em alguns casos de doença glomerular primária (desequilíbrio glomerulotubular).
*
Exame Químico
Realizado com o auxílio de fitas reagentes de química seca
Baixa densidade:
Diluição dos constituintes químicos
*
Exame Químico
pH
Proteínas
Glicose
Bilirrubina 
Corpos cetônicos
Sangue oculto
Urobilinogênio
*
pH
Influenciado pela nutrição
Herbívoros:
Urina alcalina (bicarbonato de cálcio)
Carnívoros:
Urina ácida (fosfatos ácidos de sódio e cálcio)
Alterações
Problemas sistêmicos
*
pH
Urina alcalina:
Demora (formação de amônia)
Cistite associada a bactérias
Administração de alcalinizantes
Bicarbonato de sódio
Lactato de sódio
Citrato de sódio
Retenção urinária vesical
Alcalose metabólica ou respiratória
*
pH
Urinas ácidas:
Alimentação rica em proteínas
Administração de acidificantes
Cloreto de amônio
Cloreto de cálcio
Fosfato ácido de sódio
Catabolismo de proteínas 
Febre
Jejum
Diabetes mellitus
Acidose metabólica ou respiratória
*
Proteínas
Proteinúria x densidade x dados clínicos x dados laboratoriais
Não detectável
Grau de proteinúria não relacionado à severidade do processo patológico
*
Proteínas
Proteinúria fisiológica
Exercício muscular excessivo
Convulsões
Ingestão excessiva de proteínas
Função renal alterada nos primeiros dias de vida
*
Proteínas
Proteinúria patológica
Origem pré-renal:
Doença primária não renal
Patologias:
Hemoglobinúria
Mioglobinúria
 \uf067-globulinúria
*
Proteínas
Proteinúria patológica
Origem Renal:
Aumento da permeabilidade capilar
Doença tubular com perda funcional
Sangue ou exsudato inflamatório renal
Patologias:
Nefrose
Cistos renais
Glomerulonefrite
Nefrite
Pielonefrite
Neoplasias
hipoplasia
*
Proteínas
Proteinúria patológica
Origem pós-renal:
Infecções do trato urinário inferior
Hematúria pós-renal
Obstrução por cálculos (urolitíases)
Patologias:
Pielite
Ureterite
Cistite
Uretrite
Vaginite
postite
*
Glicose
Toda glicose filtrada é reabsorvida nos túbulos contorcidos proximais
Glicosúria quando glicemia exceder 180mg%
*
Glicose
Glicosúria associada à hiperglicemia
Diabetes mellitus
Tratamento parenteral com glicose ou frutose
Hiperadrenocorticismo
Pancreatite necrótica aguda
Ingestão excessiva de açúcares
Administração parenteral de adrenalina
*
Glicose
Glicosúria não associada à hiperglicemia
Nefropatias congênitas ou hereditárias
Doenças renais com comprometimento da porção tubular proximal
Glicosúria falso-positiva:
Certos antibióticos
Substâncias redutoras de açúcar
*
Corpos Cetônicos
Ácido aceto-acético
Ácido \uf062-hidrobutírico
Acetona
Cetonúria:
Acidose
Jejum
Diabetes mellitus em pequenos animais
Cetose em vacas leiteiras
Cetose em ovelhas prenhes
*
Bilirrubina
Bilirrubinúria x densidade específica
Bilirrubinúria:
Hepatopatias
Hepatite infecciosa canina
Leptospirose
Neoplasias
Colestases intra e extra-hepáticas
*
Urobilinogênio
Kit insensível
Prova de Ehrlich
Ausência ou diminuição do urobilinogênio:
Obstrução das vias biliares
Distúrbios intestinais
Nefrite
Aumento do urobilinogênio:
Hepatite
Cirrose hepática
Icterícia pré-hepática ou hemolítica
*
Sangue Oculto
Hematúria x hemoglobinúria
Centrifugação
Sedimento
Hemoglobinúria x mioglobinúria
Saturação com sulfato de amônio:
Positivo \u2013 mioglobina
Negativo - hemoglobina
*
Sangue Oculto
Hemoglobinúria:
Agentes infecciosos
Leptospirose, babesiose
Agentes químicos
Cobre, mercúrio
Transfusões sangüíneas incompatíveis
Anemia infecciosa eqüina
Doença hemolítica do recém-nascido.
*
Sangue Oculto
Mioglobinúria
Mioglobinúria paralítica dos eqüinos
Acidente ofídico por cascavel
*
Exame do Sedimento
*
Células epiteliais de descamação
Ausentes a raras
Alterações
Células renais:
Degeneração tubular aguda
Intoxicação renal
Isquemia renal
Processo inflamatório
Células da pelve:
Pielite
Pielonefrite
*
Células epiteliais de descamação
Alterações
Células vesicais:
Cistite
Cateterização agressiva
Células uretrais:
Uretrite,
Cateterização agressiva
Células tumorais
*
*
*
*
Hemácias
1 \u2013 5 / campo
Hematúria
Inflamações do trato urinário
Traumas
Cateterização / cistocentecese
Neoplasias
Congestão passiva e infarto renal
Parasitas
Dioctophima renale
Sthefanurus sp
Intoxicação (cobre, mercúrio)
Problemas hemostáticos
Estro e pós-parto
Neoplasias, traumas e inflamações do trato genital.
*
*
Leucócitos
1 \u2013 5 / campo
Leucocitúria:
Inflamações renais
Inflamações