EDUARDO GABRIEL SAAD 0 Direito do Trabalho   CLT comentada
914 pág.

EDUARDO GABRIEL SAAD 0 Direito do Trabalho CLT comentada


DisciplinaDireito do Trabalho I30.324 materiais490.017 seguidores
Pré-visualização50 páginas
os 
Enunciados e de todas as Orientações Jurisprudenciais do Tribunal Superior do Trabalho, 
fazendo-lhes, quando necessário, os devidos comentários, além de termos aumentado, con- 
sideravelmente, o índice analítico e remissivo. Por fim, colacionamos as mais candentes 
decisões atuais dos Tribunais do Trabalho, do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribu- 
nal de Justiça. 
A voz do Autor, portanto, ecoa for te como sempre, no livro e na sua obra para atender 
seus milhares de leitores destes últimos 40 anos. Sem temor de errar, devemos dizer que 
vive ele entre nós agora, como viverá por séculos adiante, e isso pelo singelo motivo de ter 
se dedicado, intensamente, ao ensino de muitos de como trilhar o caminho do justo, como é 
anunciado na profecia de DANIEL (12.3): \u2015Os que tiverem ensinado a muitos o caminho da 
justiça luzirão como as estrelas por toda a eternidade\u2016. 
Agradecendo a gentil acolhida que nos foi dada pelo Doutor Armando Casimiro Costa e 
seus familiares nesta grande \u2015Casa LTr\u2016, aproveitamos para dizer, por fim, que é a todos 
esses leitores que oferecemos a presente edição, revista e atualizada com o espírito de 
quem afia e dá polimento a um poderoso instrumento ar tesanal feito com muito amor. 
São Paulo, fevereiro de 2004 
José Eduardo Duarte Saad 
 
Ana Maria Saad Castello Branco 
 PREFÁCIO DA 36ª EDIÇÃO 
Editou-se, há pouco mais de um ano, a 35ª edição desta obra. 
Nesse espaço de tempo, algumas alterações se fizeram no texto da Consolidação das 
Leis do Trabalho. 
Todas elas, porém, não atingiram a ossatura desse diploma legal, que tem, como com- 
ponentes principais, a ingerência estatal nas relações de trabalho, o casuísmo de suas nor- 
mas, o monopólio da representação sindical e o Poder Normativo da Justiça do Trabalho. 
E, tudo isso, a despeito do empenho dos Operadores do Direito em discutir a flexibiliza- 
ção da legislação trabalhista. 
Coincide o lançamento desta edição com o início do mandato de novo Governo Fede- 
ral, cujo chefe supremo, oriundo das hostes sindicais, já desfraldou a bandeira do 
enxugamento da CLT e a elaboração de um Código mínimo do trabalho, a fim de deixar 
campo mais amplo para as negociações coletivas. 
Silenciou quanto ao anacrônico regime do sindicato único e ao estranho poder de a 
Justiça do Trabalho legislar. 
Podemos alimentar a esperança de que os novos detentores do poder acabem se con- 
vencendo de que, num Estado de Direito, são inconciliáveis: 
a) a liberdade de associação e o unitarismo sindical; 
b) a outorga, a um ramo do Judiciário, de função privativa do Poder Legislativo. 
São Paulo, janeiro de 2003 
 
Eduardo Gabriel Saad 
NOTA DA EDITORA PARA A 36ª EDIÇÃO 
Dizem que a Consolidação das Leis do Trabalho é o diploma legal mais difundido no 
Brasil. Esta asserção é correta porque não há, entre nós, quem não tenha interesse em 
conhecer as normas que regulam as relações de trabalho nela previstas, já que todos somos 
(ou pretendemos ser) ou empregados ou empregadores, ou ambas as coisas ao mesmo 
tempo. Em razão desse interesse é que se vêm fazendo sucessivas edições da CLT, procu- 
radas, todas elas \u2014 o que constitui fato auspicioso \u2014, por ávidos leitores que as encontram 
em toda par te: nas livrarias, nas bancas de jornal, em farmácias, escolas e até mesmo em 
logradouros públicos. 
Nossa experiência no campo editorial nos ensinou que imensa classe de leitores, de 
nível intelectual mais elevado, desejava não só a CLT, porém, seu texto acompanhado de 
comentários, com remissões à Doutrina e à Jurisprudência. Por isso, em 1969, pedimos ao 
nosso eminente colaborador, Dr. Eduardo Gabriel Saad \u2014 já amplamente conhecido pelos 
seus trabalhos anteriores, por nós divulgados \u2014, que preparasse a presente obra, com a 
qual visávamos proporcionar aos interessados aquilo que nos vinham insistentemente soli- 
citando: informações amplas, porém, não excessivas, sobre o entendimento da CLT, artigo 
por artigo, acompanhadas do texto da Legislação Complementar de maior interesse. 
Agora, em 2002, faz 33 anos que o Autor vem, ano a ano, reescrevendo, pacientemen- 
te, muitos dos seus comentários não só por causa da legislação que vai surgindo, como 
também para indicar a nova orientação do judiciário sobre matéria trabalhista. 
 
É estimulante ver com que dedicação, com que carinho, com que vocação 
São Paulo, janeiro de 2003 
 
Armando Casimiro Costa 
 CLT ÍNDICE GERAL 11 
ÍNDICE GERAL 
DECRETO-LEI N. 5.452 \u2014 de 1º de maio de 1943 \u2014 Aprova a Consolidação das Leis do Tra- 
balho ...................................................................................................... 17 
TÍTULO I \u2014 INTRODUÇÃO \u2014 (arts. 1º a 12) .................................................................................. 21 
TÍTULO II \u2014 DAS NORMAS GERAIS DE TUTELA DO TRABALHO \u2014 (arts. 13 a 223) .............. 75 
CAPÍTULO I \u2014 DA IDENTIFICAÇÃO PROFISSIONAL \u2014 (arts. 13 a 56) ..................................... 75 
Seção I \u2014 Da Carteira de Trabalho e Previdência Social \u2014 (art. 13) ........................................... 75 
Seção II \u2014 Da Emissão da Carteira \u2014 (ar ts. 14 a 24) ................................................................... 77 
Seção III \u2014 Da Entrega das Carteiras de Trabalho e Previdência Social \u2014 (arts. 25 a 28) ....... 80 
Seção IV \u2014 Das Anotações \u2014 (arts. 29 a 35) ................................................................................. 80 
Seção V \u2014 Das Reclamações por Falta ou Recusa de Anotação \u2014 (arts. 36 a 39) ................... 83 
Seção VI \u2014 Do Valor das Anotações \u2014 (art. 40) ............................................................................ 85 
Seção VII \u2014 Dos Livros de Registro de Empregados \u2014 (arts. 41 a 48) ....................................... 86 
Seção VIII \u2014 Das Penalidades \u2014 (arts. 49 a 56) ............................................................................ 87 
CAPÍTULO II \u2014 DA DURAÇÃO DO TRABALHO \u2014 (arts. 57 a 75) ............................................... 88 
Seção I \u2014 Disposição Preliminar \u2014 (art. 57) .................................................................................. 88 
Seção II \u2014 Da Jornada de Trabalho \u2014 (arts. 58 a 65) ................................................................... 89 
Seção III \u2014 Dos Períodos de Descanso \u2014 (arts. 66 a 72) ............................................................. 106 
Seção IV \u2014 Do Trabalho Noturno \u2014 (art. 73) .................................................................................. 114 
Seção V \u2014 Do Quadro de Horário \u2014 (art. 74) ................................................................................. 117 
Seção VI \u2014 Das Penalidades \u2014 (art. 75) ........................................................................................ 119 
CAPÍTULO III \u2014 DO SALÁRIO MÍNIMO \u2014 (arts. 76 a 128) ........................................................... 119 
Seção I \u2014 Do Conceito \u2014 (arts. 76 a 83) ........................................................................................ 119 
Seção II \u2014 Das Regiões, Zonas e Subzonas \u2014 (arts. 84 a 86) .................................................... 126 
Seção III \u2014 Suprimida \u2014 (arts. 87 a 100) ....................................................................................... 126 
Seção IV \u2014 Suprimida \u2014 (arts. 101 a 111) ..................................................................................... 126 
Seção V \u2014 Fixação do Salário Mínimo \u2014 (arts. 112 a 116) .......................................................... 126 
Seção VI \u2014 Disposições Gerais \u2014 (arts. 117 a 128) ...................................................................... 127 
CAPÍTULO IV \u2014 DAS FÉRIAS ANUAIS \u2014 (arts. 129 a 153) ......................................................... 128 
Seção I \u2014 Do Direito a Férias e da sua Duração \u2014 (arts. 129 a 133)