Exercícios Comentados de Epidemiologia (Profa. Carla Jorge - epidemiologiaprofessoracarla.blogspot.com/)
17 pág.

Exercícios Comentados de Epidemiologia (Profa. Carla Jorge - epidemiologiaprofessoracarla.blogspot.com/)


DisciplinaEpidemiologia7.308 materiais35.382 seguidores
Pré-visualização5 páginas
cálculos necessários, comente os resultados obtidos.
Respostas:
A TBM de AA é igual a 30 óbitos/3000 pessoas-anos, ou seja a TBM no ano é igual a 10 óbitos por mil pessoas-anos ou, simplesmente, 10 por mil;
A TBM de BB é igual a 40 óbitos/4000 pessoas-anos, ou seja a TBM no ano é igual a 10 óbitos por mil pessoas-anos ou, simplesmente, 10 por mil;
Embora as TBM das duas populações sejam iguais, a mortalidade é um evento muito associado com a idade. Assim, é necessária uma medida mais específica por idade, ou, que leve em consideração as diferentes distribuições por idade para expressar o risco de morrer em cada população.
Sugiro efetuar o cálculo das Taxas específicas de mortalidade por idade em cada população e, em seguida, efetuar o cálculo da Taxa Bruta de Mortalidade Padronizada, escolhendo uma das populações como padrão, conforme tabela na sequência:
e) Os cálculos necessários foram: cálculo das 4 TEM para as populações AA e BB (10/1000; 20/2000; 20/1000; 20/3000); em seguida, utilizando a População AA como população padrão, estimativa do número de óbitos para a população BB se BB tivesse o mesmo número de pessoas-anos por idade que AA (0,02*1000=20; 0,007*2000=13,3); encontrar o total de óbitos em BB estimado = 20+13,3 = 33,3; obter a TBM padronizada de BB pela população padrão AA = 33,3/3000 = 11,1 óbitos por mil pessoas-anos.
A mortalidade da população BB é maior do que a mortalidade da população AA se padronizada pela população de AA.
Q34 O cálculo da proporção de óbitos entre os casos de uma determinada doença representa um indicativo de gravidade da doença. Qual o nome atribuído a este coeficiente?
(A)  Mortalidade geral. 
(B)  Letalidade. 
(C)  Mortalidade neonatal. 
(D)  Mortalidade infantil. 
(E)  Mortalidade materna. 
Resposta: todos os indicadores, exceto letra (B), tem em seu denominador a população exposta ao risco e não os casos de uma doença. A letalidade contém em seu denominador casos de uma doença específica.
Fonte: http://www.qconcursos.com/questoes-de-concursos/provas/sef-sc-2010-fepese-epidemiologista-verde 
Q35 (corrigida agora após comentário em 06 abr 2015) Em determinado município, a letalidade da Doença Meningocócica, em 2013, foi de 10%. Durante este ano, ocorreram 20 óbitos da doença. O número de casos de Doença Meningocócica no município, em 2013, foi igual a:
(A) 2. (B) 10. (C) 50. (D) 100. (E) 200. 
Resolução: Há 10 óbitos a cada 100 casos de doença meningocócica; assim, 20 óbitos correspondem a um numerador de 200 casos.
Fonte:http://www.qconcursos.com/questoes-de-concursos/provas/fgv-2014-susam-epidemiologista
Q36 O coeficiente de mortalidade de uma doenc\u327a especi\u301fica pode informar sobre a incide\u302ncia dessa doenc\u327a quando:
A) a taxa de ataque da doenc\u327a e\u301 fixa.
B) a prevale\u302ncia dessa doenc\u327a e\u301 alta e a durac\u327a\u303o da mesma e\u301 curta.
C) a taxa de letalidade da doenc\u327a e\u301 alta e a durac\u327a\u303o da doenc\u327a e\u301 curta. 
D) o coeficiente de mortalidade na\u303o ajustado dessa doenc\u327a e\u301 alto e a durac\u327a\u303o e\u301 longa
Fonte: FUMARC / 2006 / Prefeitura de Belo Horizonte / Dentista - A\u301rea Cirurgia\u303o Dentista Epidemiologia
Q37 Se a letalidade da doença X é igual a 5% e durante um ano ocorreram 20 mortes por essa doença, o número de caso da doença X nessa comunidade nesse ano foi:
Resposta:
óbitos/doentes = 0,05; número de óbitos = 20; número de doentes = óbitos/letalidade = 20/0,05 = 400 casos da doença no ano.
O número de casos da doença foi 400.
Q38 A taxa de mortalidade, por uma dada causa, é calculada dividindo o número de indivíduos que morreram por essa causa pela população em risco, num dado período de tempo. A taxa de fatalidade ou letalidade, é calculada dividindo o número de indivíduos que morreram por uma dada patologia pelo número de doentes com essa patologia, num dado período de tempo. Por exemplo, numa população de 100.000 pessoas, verificaram-se 50 mortes por uma dada doença, durante 1 ano. A taxa de mortalidade por essa doença foi de 5 por 10.000. Por outro lado, sabe-se que número de indivíduos com a doença (durante esse ano) era 100, então a taxa de fatalidade da doença foi de 50/100, ou seja 50%. Tendo em vista isso, quais os fatores determinantes para que a taxa de mortalidade por uma dada doença seja elevada? E quais os fatores determinantes para que a taxa de mortalidade por uma doença seja baixa?
Resposta:
Deve haver a seguinte situação para taxa de mortalidade elevada pela doença: prevalência elevada da doença E fatalidade relativamente elevada. Para taxa de mortalidade baixa: doenças com baixa prevalência OU com baixa fatalidade
fonte:http://forpoint.grupokeypoint.pt/docs/newsletters/nl_19.pdf
Q39 Pode-se afirmar categoricamente que uma doença de alta Letalidade é aquela em que:
 a) É grande o risco de haver morte entre os indivíduos por ela acometidos
 b) A taxa de Mortalidade é grande
 c) A probabilidade de os indivíduos por ela acometidos apresentarem complicações é elevada
 d) O risco de um indivíduo adoecer é grande
 e) Há elevado risco de morte entre as pessoas por ela acometidas, desde que não se tomem medidas de tratamento adequado
Comentário: A letra e confunde, mas nunca foi visto em qualquer conceito de letalidade uma condicionante como essa: se não houver... Melhor ficar com a letra a
Q40 População C com TBM=30 por mil; 10% de mortalidade proporcional por Doenças do Aparelho Circulatório (DAC). População D com TBM=15 por mil; 20% de mortalidade proporcional por DAC.
Qual é a Taxa de mortalidade por DAC nas populações em questão?
Nossa forma de pensar: Hipoteticamente, podemos ter uma população C de 1000 pessoas, onde haverá 30 óbitos totais e, destes 3 óbitos por DAC (0,10 X 30=3); Taxa de mortalidade por DAC = 3 por 1000.
Agora pense na população D: 15 óbitos totais numa população (hipotética) de 1000 pessoas; 3 óbitos por DAC (0,20 X 15); Taxa de mortalidade por DAC = 3 por 1000.
Concluímos: apesar do número de óbitos por DAC ser igual nas duas populações e a Taxa de mortalidade por DAC ser igual, a mortalidade proporcional é diferente (maior em D do que em C).Não podemos utilizar a Mortalidade Proporcional para concluir que o risco de morrer é maior em D do que em C.
Q41 Pergunta: Podemos dizer, inequivocamente, que o risco de mortalidade em D é igual ao de C, tendo por base as TBM de D e de C?
Resposta: Não. Por que não? Porque as populações podem ter estruturas etárias (distribuições por idade) diferentes. Para saber sobre o risco, seria necessário padronizar diretamente, principalmente pela idade, um dos principais fatores que 'distorcem' a comparação. A única coisa que podemos dizer, com base, nas duas TBMs é que a saída da população, anual, por óbitos, é igual, ou seja, de 3 óbitos por mil pessoas-ano.
Q42 A evoluc\u327a\u303o da mortalidade proporcional com 50 anos ou mais de idade no Brasil, em 1980, 1990 e 2000 ocorreu da seguinte forma: passou de 48,9% em 1980 para 61,2% em 1990 e 67,1% em 2000.
A partir da ana\u301lise da questão, pode-se concluir que: 
(A) o risco de morte aumentou.
(B) o risco de morte na\u303o se alterou.
(C) a sobrevida diminuiu. 
(D) a sobrevida na\u303o se alterou.
(E) a idade de ocorre\u302ncia da morte aumentou. 
Não podemos falar em risco. A medida do risco é a taxa: (A) e (B) estão incorretas. (C) e (D) estão incorretas pois não podemos falar em sobrevida. Ainda mais que, é muito provável que a sobrevida tenha aumentado e não ficado estável ou diminuído. A idade da ocorrência da morte aumentou. A letra (E) está correta. A cada pessoa que morre, a cada ano analisado, vemos que morrem mais frequentemente com idade mais avançada.
Fonte: http://www.qconcursos.com/questoes-de-concursos/provas/fgv-2010-fiocruz-tecnico-em-saude-publica-vigilancia-em-saude
Q43 Na construção dos indicadores proporcionais de mortalidade para uma determinada localidade e período, o denominador expressa um valor que é
(A) menor que o numerador
(B) divisível pelo numerador
(C) o total dos óbitos registrados
(D) o dobro dos óbitos registrados