Introdução Verminose
23 pág.

Introdução Verminose


DisciplinaDoenças Parasitárias253 materiais697 seguidores
Pré-visualização4 páginas
dilatação 
cardíaca e desenvolvimento de \u201cInsuficiência Cardíaca Congestiva\u201d. Os 
parasitos também podem causar danos mecânicos no coração com 
desenvolvimento de endocardite. Depois de morto, o parasito pode 
migrar para o pulmão, obstruindo vasos e consequentemente, 
causando trombose e/ou pneumonia. Como exemplo destaca-se a 
Dirofilaria immitis . 
(b) Larvas ou formas imaturas fazem passagem pelo coração durante o seu 
ciclo de desenvolvimento. Neste processo podem obstruir o fluxo 
sanguíneo ou lesar a musculatura cardíaca e válvulas. Ex: Ascaris suun e 
todos os helmintos que realizam o ciclo hepatotraqueal. 
\u2022\u2022\u2022\u2022 Sistema Respiratório: 
-Os helmintos que se localizam no sistema respiratório ou por ele passam, podem 
causar patogenia das seguintes formas: 
(a) Parasitas adultos se localizam no pulmão e/ou traquéia. Os parasitas 
irritam o epitélio brônquico o que ocasiona um aumento na produção 
de muco com obstrução da árvore brônquica e redução da área 
respiratória. Clinicamente os animais acometidos podem apresentar 
dispnéia (dificuldade respiratória). Com a obstrução, os alvéolos se 
dilatam e enchem-se de ar causando enfisemas. Além disso, pode 
ocorrer um quadro de pneumonia bacteriana secundária e edema 
pulmonar. Causam a chamada bronquite parasitária ou verminótica. 
São exemplos de parasitos que se localizam nos pulmões o Dictyocaulus 
viviparus (bovinos) e o Metastrongylus sp. (suínos). 
(b) Durante a sua migração biológica, as larvas fazem passagem pelos 
pulmões. No caso dos helmintos que realizam o ciclo hepatotraqueal, os 
alvéolos e bronquílos se rompem devido à presença do parasita e um 
processo infeccioso pode ocorrer nestes locais com a participação de 
bactérias oportunistas (Pneumonia Interticial). Além disso, alguns 
parasitas (Ex: Ascaridieos) fazem a muda na região pulmonar e como 
consequência secretam uma susbtância que pode provocar uma 
resposta alérgica do hospedeiro (Bronquite). 
(c) Helmintos enquanto presentes na circulação sanguínea, ao morrerem 
podem formar êmbolos e ficarem retidos no pulmão. Nódulos ou 
granulomas formam-se devido a uma tentativa do organismo em conter 
esses parasitas. Essas estruturas invariavelmente obstruem a árvore 
brônquica, ocasionando os sintomas decritos acima (ítem a). 
\u2022\u2022\u2022\u2022 Sistema Genito-Urinário: 
-Existem espécies de vermes que se localizam nas vias urinárias dos 
hospedeiros. No Brasil as duas espécies características são Stephanurus 
edentatus (suínos) e Dioctophyma renale (cães). Os adultos formam cistos no 
tecido perirrenal que podem conter pus esverdeado (bactérias). Em casos 
raros os ureteres podem estar estenosados ou fibrosados levando a retenção 
urinária com hibronefrose. Os ovos podem causar obstrução dos ureteres ou 
uretra, com retenção de urina e consequente nefrite ou cistite (inflamação da 
bexiga). 
 
Doenças Parasitárias dos Animais Domésticos Prof. Carolina Maria Vianna de Freitas 
Curso de Medicina Veterinária \u2013 Unibh 
 5
\u2022\u2022\u2022\u2022 Sistema Nervoso: 
-Nenhum helminto de importâcia médico-veterinária encontrado no Brasil pode 
causar patogenia no sistema nervoso quando no estágio adulto. Contudo durante 
a migração de suas formas imaturas, alguns vermes podem se alojar no sistema 
nervoso central ou medula espinhal. 
(a) Como exemplo de helmintos que podem acometer o sistema nervoso 
durante a migração larval, destacam-se a Taenia solium e Taenia 
saginata. A presença das formas larvárias desses parasitas no cérebro 
do hospedeiro ocasiona uma doença conhecida por Cisticercose 
cerebral que muitas vezes pode ser fatal. O principal efeito patogênico 
deve-se à compressão causada pelo cisticerco no tecido nervoso e os 
sintomas mais evidentes são aqueles relacionados à falta de 
coordenação e ao comprometimento do funionamento do sistema 
nervoso central: convulsão, paralisia, ataxia, incordenação, entre 
outros. 
(b) Larvas de Stephanurus edentatus são exemplos de helmintos que 
podem migrar erraticamente, alojando-se na medula espinhal. A 
presença desses parasitas no canal medular pode ocasionar uma reação 
local com consequente compressão da medula. Os principais sintomas 
são: paralisia de posterior, disfunção dos esficter anal e retenção ou 
incontinência urinária. 
\u2022\u2022\u2022\u2022 Pele e anexos: 
-Os danos provocados pelos helmintos na pele dos animais podem ser 
classificados como diretos, quando ocorre a ação propriamente dita dos parasitas 
neste órgão ou indiretos. Os danos indiretos são devidos basicamente à 
diminuição da absorção de nutrientes pelos animais acometidos por vermes 
intestinais. Tais nutrientes muitas vezes sãa essenciais para a manutenção da 
integridade e saúde da pele e dos pelos dos hospedeiros. 
(a) Como exemplo dos helmintos que causam lesões diretas na pele e pelos 
dos hospederios, destacam-se as larvas L1\ufffdL3 de Habronema sp. que 
migram pela epiderme/derme dos equinos, causando uma patogenia 
conhecida por \u201cFerida de Verão\u201d. A presença dos parasitas em feridas 
na pele dos animais determina o desenvolvimento de reações 
inflamatórias nestes locais o que compromete a cicatrização normal. 
Clinicamente o que se observa é a formação de um tecido de 
granulação nos locais acometidos. 
(b) Alguns helmintos podem ser transmitidos para os hospederios através 
da via transcutânea (Ex: Bunostomum sp., Ancylostoma sp., Shistosoma 
mansoni). Netes casos, durante o processo de penetração e migração 
pela pele, as larvas induzem o desenvolvimento de reações alérgicas e 
inflamatórias nos locais por onde passam. 
 
(2). PREJUÍZOS ECONÔMICOS: 
-As perdas econômicas devido às verminoses são sentidas principalmente entre os 
animais de produção. Gastos com medicamentos para o controle e/ou tratamento 
das helmintoses no Brasil chegam à cifra de U$ 1 bilhão/ano. Alguns 
medicamentos já têm apresentado eficácia reduzida em campo devido ao 
aparecimento de resistência (Ex: Haemonchus x Ivermectina). Além desse gasto 
direto com insumos, os honorários veterinários também devem ser considerados 
na hora de se calcular os prejuízos. 
-Normalmente os animais acometidos por alta carga parasitária, quando se 
recuperam, não apresentam a mesma rentabilidade de um animal saudável. Isso 
porque as células intestinais que foram destruídas podem ser substituídas por um 
tecido de cicatrização que não apresenta as funções desempenhadas pelas células 
originais. Desta forma a absorção de alimentos fica comprometida e, 
consequentemente, a conversão alimentar e o ganho de peso pelos animais. 
 
(3). IMPACTO NA SAÚDE PÚBLICA: 
Doenças Parasitárias dos Animais Domésticos Prof. Carolina Maria Vianna de Freitas 
Curso de Medicina Veterinária \u2013 Unibh 
 6
-Alguns helmintos são comuns aos homens e animais (zoonoses). Isso se torna um 
problema principalmente nos casos de animais de companhia que vivem em 
contato íntimo com os seus donos. Como exemplo de parasitas responsáveis por 
causar zoonoses destacam-se Taenia solium, Taenia saginata, Echinococcus 
granulosus, Amoebotaenia sp., Strongyloides sp., Acylostoma caninum (larvas 
migrans cutânea), Toxocara canis (larva migrans viceral), entre outros. 
 
Doenças Parasitárias dos Animais Domésticos Prof. Carolina Maria Vianna de Freitas 
Curso de Medicina Veterinária \u2013 Unibh 
 8
III. PRINCIPAIS HELMINTOS DE IMPORTÂNCIA NA MÉDICINA VETERINÁRIA: 
(1). HELMINTOS PARASITAS DE RUMINANTES: 
 
LOCAL DE 
PARASITISMO 
CICLO HOSPEDEIRO 
DEFINITIVO 
HI FORMA DE 
TRANSMISSÃO 
TREMATÓDEOS 
 Fasciola hepatica Fígado e ductos 
biliares 
Caramujo a Ingestão da metacercária Ovinos/ Bovinos 
 Eurytrema coelomaticum