Redes 3ed Morimoto completo
204 pág.

Redes 3ed Morimoto completo


DisciplinaRedes de Computadores20.574 materiais259.100 seguidores
Pré-visualização50 páginas
válido. Neste caso, o PC que está
conectado à Web pode ser configurado (usando um Proxy) para servir como portão de acesso para
os demais. 
Usando o DHCP
Ao invés de configurar manualmente os endereços IP usados por cada máquina, é possível fazer
com que os hosts da rede obtenham automaticamente seus endereços IP, assim como sua
configuração de máscara de sub-rede e defaut gateway. Isto torna mais fácil a tarefa de manter a
rede e acaba com a possibilidade de erros na configuração manual dos endereços IP.
 
Para utilizar este recurso, é preciso implantar um servidor de DHCP na rede. A menos que sua
rede seja muito grande, não é preciso usar um servidor dedicado só para isso: você pode outorgar
mais esta tarefa para um servidor de arquivos, por exemplo. O serviço de servidor DHCP pode ser
81
Guia completo de Redes - Carlos E. Morimoto http://www.guiadohardware.net 
instalado apenas em sistemas destinados a servidores de rede, como o Windows NT Server,
Windows 2000 Server, Novell Netware 4.11 (ou superior) além claro do Linux e das várias versões
do Unix. 
 
Do lado dos clientes, é preciso configurar o TCP/IP para obter seu endereço DHCP a partir do
servidor. Para fazer isso, no Windows 98 por exemplo, basta abrir o ícone redes do painel de
controle, acessar as propriedades do TCP/IP e na guia \u201cIP Address\u201d escolher a opção \u201cObter um
endereço IP automaticamente\u201d.
 
Cada vez que o micro cliente é ligado, carrega o protocolo TCP/IP e em seguida envia um pacote
de broadcast para toda a rede, perguntando quem é o servidor DHCP. Este pacote especial é
endereçado como 255.255.255.255, ou seja, para toda a rede. Junto com o pacote, o cliente
enviará o endereço físico de sua placa de rede. 
 
Ao receber o pacote, o servidor DHPC usa o endereço físico do cliente para enviar para ele um
pacote especial, contendo seu endereço IP. Este endereço é temporário, não é da estação, mas
simplesmente é \u201cemprestado\u201d pelo servidor DHCP para que seja usado durante um certo tempo.
Uma configuração importante é justamente o tempo do empréstimo do endereço. A configuração
do \u201cLease Duration\u201d muda de sistema para sistema. No Windows NT Server por exemplo, pode
ser configurado através do utilitário \u201cDHCP Manager\u201d. 
 
Depois de decorrido metade do tempo de empréstimo, a estação tentará contatar o servidor DHCP
para renovar o empréstimo. Se o servidor DHCP estiver fora do ar, ou não puder ser contatado por
qualquer outro motivo, a estação esperará até que tenha se passado 87.5% do tempo total,
tentando várias vezes em seguida. Se terminado o tempo do empréstimo o servidor DHCP ainda
não estiver disponível, a estação abandonará o endereço e ficará tentando contatar qualquer
servidor DHCP disponível, repetindo a tentativa a cada 5 minutos. Porém, por não ter mais um
endereço IP, a estação ficará fora da rede até que o servidor DHPC volte. 
 
Veja que uma vez instalado, o servidor DHCP passa a ser essencial para o funcionamento da
rede. Se ele estiver travado ou desligado, as estações não terão como obter seus endereços IP e
não conseguirão entrar na rede.
 
Você pode configurar o tempo do empréstimo como sendo de 12 ou 24 horas, ou mesmo
estabelecer o tempo como ilimitado, assim a estação poderá usar o endereço até que seja
desligada no final do dia, minimizando a possibilidade de problemas, caso o servidor caia durante
o dia.
 
Todos os provedores de acesso à Internet usam servidores DHCP para fornecer dinâmicamente
endereços IP aos usuários. No caso deles, esta é uma necessidade, pois o provedor possui uma
faixa de endereços IP, assim como um número de linhas bem menor do que a quantidade total de
assinantes, pois trabalham sobre a perspectiva de que nem todos acessarão ao mesmo tempo.
Defaut Gateway
Um rede TCP/IP pode ser formada por várias redes interligadas entre sí por roteadores. Neste
caso, quando uma estação precisar transmitir algo a outra que esteja situada em uma rede
diferente (isso é facilmente detectado através do endereço IP), deverá contatar o roteador de sua
82
Guia completo de Redes - Carlos E. Morimoto http://www.guiadohardware.net 
rede para que ele possa encaminhar os pacotes. Como todo nó da rede, o roteador possui seu
próprio endereço IP. É preciso informar o endereço do roteador nas configurações do TCP/IP de
cada estação, no campo \u201cdefaut gateway\u201d, pois sem esta informação as estações simplesmente
não conseguirão acessar o roteador e consequentemente as outras redes.
 
Caso a sua rede seja suficientemente grande, provavelmente também terá um servidor DHCP.
Neste caso, você poderá configurar o servidor DHCP para fornecer o endereço do roteador às
estações junto com o endereço IP.
Por exemplo, se você montar uma rede domésticas com 4 PCs, usando os endereços IP
192.168.0.1, 192.168.0.2, 192.168.0.3 e 192.168.0.4, e o PC 192.168.0.1 estiver
compartilhando o acesso à Web, seja através do ICS do Windows ou outro programa qualquer, as
outras três estações deverão ser configuradas para utilizar o Default Gateway 192.168.0.1. Assim,
qualquer solicitação fora da rede 192.168.0 será encaminhada ao PC com a conexão, que se
encarregará de enviá-la através da Web e devolver a resposta:
Servidor DNS
O DNS (domain name system) permite usar nomes amigáveis ao invés de endereços IP para
acessar servidores. Quando você se conecta à Internet e acessa o endereço
http://www.guiadohardware.net usando o browser é um servidor DNS que converte o \u201cnome
fantasia\u201d no endereço IP real do servidor, permitindo ao browser acessá-lo.
 
Para tanto, o servidor DNS mantém uma tabela com todos os nomes fantasia, relacionados com os
respectivos endereços IP. A maior dificuldade em manter um servidor DNS é justamente manter
esta tabela atualizada, pois o serviço tem que ser feito manualmente. Dentro da Internet, temos
várias instituições que cuidam desta tarefa. No Brasil, por exemplo, temos a FAPESP. Para
registrar um domínio é preciso fornecer à FAPESP o endereço IP real do servidor onde a página
ficará hospedada. A FAPESP cobra uma taxa de manutenção anual de R$ 50 por este serviço.
83
Guia completo de Redes - Carlos E. Morimoto http://www.guiadohardware.net 
Servidores DNS também são muito usados em Intranets, para tornar os endereços mais amigáveis
e fáceis de guardar. 
 
A configuração do servidor DNS pode ser feita tanto manualmente em cada estação, quanto
automaticamente através do servidor DHCP. Veja que quanto mais recursos são incorporados à
rede, mais necessário torna-se o servidor DHCP. 
Servidor WINS
O WINS (Windows Internet Naming Service) tem a mesma função do DNS, a única diferença é que
enquanto um servidor DNS pode ser acessado por praticamente qualquer sistema operacional que
suporte o TCP/IP, o WINS é usado apenas pela família Windows. Isto significa ter
obrigatoriamente um servidor NT e estações rodando o Windows 98 para usar este recurso.
 
O WINS é pouco usado por provedores de acesso à Internet, pois neste caso um usuário usando o
Linux, por exemplo, simplesmente não conseguiria acesso. Normalmente ele é utilizado apenas
em Intranets onde os sistemas Windows são predominantes.
 
Como no caso do DNS, você pode configurar o servidor DHCP para fornecer o endereço do servidor
WINS automaticamente. 
Redes Virtuais Privadas
Mais um recurso permitido pela Internet são as redes virtuais. Imagine uma empresa que é
composta por um escritório central e vários vendedores espalhados pelo país, onde os vendedores
precisam conectar-se diariamente à rede do escritório central para atualizar seus dados, trocar
arquivos etc. Como fazer esta conexão?
 
Uma idéia poderia ser usar linhas telefônicas e modems. Mas, para isto precisaríamos conectar
vários modems (cada um com uma linha telefônica) ao servidor da rede central, um custo
bastante alto, e, dependendo do tempo das conexões, o custo dos interurbanos poderia tornar a
idéia