Apostila Joel
88 pág.

Apostila Joel


DisciplinaLei de Diretrizes e Base da Educação (ldb)155 materiais5.994 seguidores
Pré-visualização50 páginas
e da sua disciplina.
possibilitar ao professor o conhecimento dos diferentes conteúdos ensinados aos alunos.
introduzir a perspectiva integrada do conhecimento.
Ao comparar uma criança a um adolescente, Piaget destaca que, ao contrário da criança, o adolescente é capaz de construir sistemas e \u201cteorias\u201d. No entanto, de acordo com o mesmo autor, o que mais surpreende no adolescente é:
o interesse por problemas sem relação com o dia-a-dia, como as situações futuras do mundo
o fato de a maioria deles falarem muito de suas produções pessoais
a capacidade e a facilidade de elaborar teorias concretas
o fato de que, em nenhum momento, seus poderes multiplicados perturbem sua afetividade e seu pensamento
o aspecto brusco e descontínuo da obtenção de nova forma de pensamento
Piaget localiza a passagem do pensamento concreto para o pensamento formal no indivíduo por volta dos: 
7 a 8 anos de idade
8 a 10 anos de idade 
11 a 12 anos de idade 
13 a 14 anos de idade 
15 a 18 anos de idade
Das palavras ou expressões abaixo, aquelas que não se podem incluir no vocabulário da abordagem ambientalista do desenvolvimento humano são:
estímulo antecedente / estímulo conseqüente
reforçamento / punição
manipulação / controle
objetivos instrucionais / seqüência de atividades
personalidade / processos mentais de apropriação de conhecimentos
A aptidão, a prontidão e a inteligência passível de medição são conceitos muito usados pelos seguidores da teoria de desenvolvimento:
construtivista
inatista
sócio-interacionista 
comportamentalista 
interacionista
\u201cA constituição dos chamados \u201csistemas nacionais de ensino\u201d data de meados do século XIX. Sua organização inspirou-se no princípio de que a educação é direito de todos e dever do Estado, o que correspondia aos interesses da burguesia \u2013 a nova classe que se consolidara no poder... Para superar a situação de opressão própria do \u201cAntigo Regime\u201d e ascender a um tipo de sociedade fundada no contrato social celebrado \u201clivre- mente\u201d entre os indivíduos ... a escola é erigida no grande instrumento para converter os súditos em cidadãos.\u201d (Dermeval Saviani \u2013 adaptado) Assim, a escola como direito de todos surgiu como o principal instrumento para tirar da marginalidade os grandes contingentes de indivíduos que a ela até então não tiveram acesso. Segundo a visão da classe então dominante, a principal barreira que a escola precisava vencer era: 
a sistematização de conteúdos
a preparação de professores
a carência econômica
a ignorância
as diferenças sociais
\u201cSeus rostos diziam que eram crianças excepcionais. O ano do deficiente as trouxera à nossa contemplação doméstica, até que se voltavam para o telespectador, com sua mensagem: \u2013 Esperamos que, no final de tudo isto, estas crianças possam ser úteis à sociedade.
Nunca ouvi ninguém que dissesse: \u2013 O que a gente deseja mesmo é que as crianças estejam se divertindo e possam vir a ser um pouquinho mais felizes.\u201d
(Rubem Alves in Gadotti \u2013 História das Idéias Pedagógicas) Rubem Alves tem dois livros bastante conhecidos pelos educadores brasileiros \u2013 Conversas com quem gosta de ensinar e Estórias de quem gosta de ensinar. Atualmente, escreve contos para crianças, além de exercer a profissão de psicanalista. Em toda a sua obra destaca-se como principal tema:
o prazer na escola
a explicação biológica da aprendizagem
a arte como fim da educação
a pessoa portadora de deficiência
a disciplina na escola
\u201cO currículo há muito tempo deixou de ser apenas uma área meramente técnica, voltada para questões relativas a procedimentos, técnicas, métodos... O currículo não é um elemento inocente e neutro de transmissão desinteressada de conhecimento social, não é um elemento transcendente e atemporal \u2013 ele tem uma história.\u201d
(Antonio Flávio Barbosa Moreira e Tomaz Tadeu da Silva)
Em seu artigo Sociologia e Teoria Crítica do Currículo, os autores afirmam que, se existe uma noção central à teorização educacional e curricular crítica, essa é a noção de:
realidade
movimento popular
sociedade
poder
cultura
De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais \u2013 Ensino Médio, a parte diversificada do currículo destina-se a atender às características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e da clientela. Ela complementa a base nacional comum e será definida em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar considerando:
as possibilidades de preparação básica para o trabalho, em consonância com os interesses da Prefeitura local.
a profissionalização do aluno como prioridade, em consonância com as exigências do mercado.
a inserção dos educandos na construção do currículo da unidade escolar, em consonância com os interesses destes e da comunidade a que pertencem.
o aprofundamento em uma disciplina ou área, de acordo com a determinação dos diretores de escola da região.
que a parte diversificada somente poderá ser desenvolvida em estabelecimento escolar próprio, devidamente equipado e fora da unidade em que o educando estuda regularmente.
Vemos que há, atualmente, na escola, uma tentativa para atender às necessidades que surgem na vida social, o que está relacionado à função:
cultural da educação. 
seletiva da escola.
integradora da escola. 
sociológica da escola.
n.d.a.
Muito seguidamente damos flores já cortadas a nossa gente jovem, quando deveríamos ensiná-los a cultivar as próprias. Enchemos suas mentes com os produtos da inovação, em vez de ensinar- lhes a inovar. Consideramos sua mente como um armazém que deve encher-se, quando deveríamos pensar que se trata de um instrumento para usar. (GARDNER, 1997:37)
Em que fase do planejamento deve, o professor, estar atento para evitar a tendência acima descrita?
Seleção e organização dos conteúdos. 
Determinação dos objetivos.
Seleção e organização dos procedimentos de ensino. 
Seleção dos procedimentos de avaliação.
n.d.a.
Em uma escola de Ensino Fundamental, a professora de Geografia, ao trabalhar um determinado conteúdo, solicitou que os alunos, em grupo, realizassem uma pesquisa a partir do livro didático adotado. Um grupo informou à professora que havia acessado várias fontes, e que encontraram novos conhecimentos sobre o assunto, que contrariavam o que estava no livro. Frente a esta situação qual postura deve o professor adotar?
Impor-se a turma, confirmando que o livro adotado é atual e correto. 
Desqualificar o uso de internet.
Aceitar a informação gerada pelo grupo como verdadeira.
Incentivar a turma a pesquisar mais sobre o assunto para avaliar as novas informações trazidas pelo grupo.
n.d.a.
A professora Clara, durante o recreio de seus alunos, observa uma de suas crianças utilizando um cabo de vassoura para puxar seu brinquedo que rolou para debaixo de um móvel e reflete sobre os diversos aspectos do desenvolvimento humano, destacando o que corresponde àquela situação, a fim de registrá-la no relatório de acompanhamento individual.
Qual aspecto do desenvolvimento é o predominante?
afetivo-emocional. 
intelectual.
social
cultural.
n.d.a.
Em uma escola da rede oficial de ensino, a repetência na 6ª série estava alcançando um percentual muito elevado. Os professores, insatisfeitos, se reuniram com a equipe técnica para selecionar e organizar os conteúdos curriculares, assim como os procedimentos de ensino e de avaliação. Para que isto aconteça, torna-se necessário, primordialmente:
transformar os saberes sociais em saberes escolares.
conhecer e respeitar as possibilidades e limites de cada profissional. 
selecionar livros didáticos que os orientem nessa tarefa.
resignificar as etapas que devem ser percorridas pelos alunos.
n.d.a.
A nova Direção de uma determinada escola apresentou para seus professores a proposta de elaboração