Manual de Auditoria Financeira Edicao2015
232 pág.

Manual de Auditoria Financeira Edicao2015


DisciplinaContabilidade de Custos17.357 materiais467.374 seguidores
Pré-visualização50 páginas
se os procedimentos 
substantivos sozinhos não são aptos a fornecer evidência de 
auditoria apropriada e suficiente no nível da afirmação, a 
equipe encarregada do trabalho do grupo deve testar, ou 
solicitar que o auditor do componente teste, a eficácia 
operacional desses controles. (ISSAI 1600; ISA/NBC TA 
600, 25). 
435. Ao determinar o trabalho a ser executado em cada um dos 
componentes, convém que a equipe encarregada do trabalho 
do grupo elabore documentação para evidenciar o resultado 
do processo decisório e justificar os julgamentos realizados. 
No Apêndice I deste Manual, sugere-se uma matriz para o 
registro dessas informações. 
3.8.6.4.2. Envolvimento no trabalho dos auditores de componentes 
436. Além do envolvimento já mencionado nos parágrafos 426 e 
427, a equipe encarregada do trabalho do grupo, com base 
nas informações mencionadas no parágrafo 429, deve 
determinar outras formas do seu envolvimento no trabalho 
realizado pelos auditores de componentes, bem como a 
natureza, época e extensão desse envolvimento. 
437. Dentre as formas de envolvimento no trabalho do auditor de 
componente, a depender do entendimento sobre esse auditor 
pela equipe encarregada do trabalho do grupo (ver parágrafo 
407 e itens A32 e A36 da ISA/NBC TA 600), incluem-se 
uma ou mais das seguintes: 
a) reunir-se com a administração do componente ou com os 
auditores do componente para obter entendimento do 
componente e do seu ambiente; 
b) rever a estratégia global de auditoria e o plano de 
auditoria do auditor do componente; 
c) executar procedimentos de avaliação de riscos para 
identificar e avaliar os riscos de distorção relevante em 
nível de componente. Esses procedimentos podem ser 
executados com os auditores de componente ou pela 
equipe encarregada do trabalho do grupo; 
d) planejar e realizar procedimentos adicionais de auditoria. 
Esses procedimentos podem ser planejados e executados 
em conjunto com os auditores de componente ou pela 
equipe encarregada do trabalho do grupo; 
Teste de efetividade 
operacional de 
controles do grupo 
Matriz de 
Trabalhos em 
Componentes 
Formas de 
envolvimento 
117 
 
e) participar da reunião de encerramento e de outras 
reuniões-chave entre os auditores do componente e a 
administração do componente; 
f) revisar outras informações relevantes da documentação 
de auditoria do auditor do componente. 
438. Os fatores que a equipe encarregada do trabalho do grupo 
deve considerar na determinação do seu envolvimento no 
trabalho do auditor de componente incluem a relevância 
financeira do componente, os riscos significativos 
identificados no componente que podem causar distorção 
relevante nas demonstrações financeiras do grupo, bem como 
o entendimento da equipe encarregada do trabalho do grupo 
sobre os auditores dos componentes. 
439. No caso de componentes significativos, a equipe encarregada 
do trabalho de grupo, deve: 
a) executar os procedimentos descritos no parágrafo 427; e 
a) se forem identificados riscos de distorção relevante para 
as demonstrações financeiras do grupo num componente, 
a equipe encarregada do trabalho do grupo deve avaliar a 
adequação dos procedimentos de auditoria planejados 
pelo auditor de componente para responder a esses riscos 
e, com base no seu entendimento sobre esse auditor, 
determinar se é necessário o seu envolvimento nos 
procedimentos adicionais de auditoria. 
440. No caso de componentes não significativos, a natureza, época 
e extensão do envolvimento irão variar com base no 
entendimento sobre o auditor do componente. O fato do 
componente não ser significativo torna-se secundário. Por 
exemplo, embora um componente não seja considerado 
significativo, a equipe encarregada do trabalho do grupo 
pode decidir estar envolvida na avaliação de riscos do auditor 
do componente porque tem preocupações a respeito da 
competência profissional auditor (por exemplo, falta de 
conhecimento específico do setor) ou porque ele opera em 
ambiente que não supervisiona ativamente os auditores. 
3.8.6.5. Processo de consolidação 
441. A equipe encarregada do trabalho do grupo deve planejar e 
executar procedimentos adicionais de auditoria sobre o 
processo de consolidação para responder aos riscos avaliados 
de distorção relevante nas demonstrações financeiras do 
grupo, decorrentes desse processo. Isso abrange avaliar se 
todos os componentes foram incluídos nas demonstrações 
financeiras do grupo. 
Envolvimento no 
caso de componentes 
significativos 
Fatores a considerar 
na determinação do 
envolvimento 
Envolvimento no 
caso de componentes 
não significativos 
Procedimentos de 
auditoria sobre a 
consolidação 
118 
 
442. O processo de consolidação pode exigir ajustes nos valores 
reportados nas demonstrações financeiras do grupo que não 
passam pelos sistemas usuais de processamento de transações 
e que podem não estar sujeitas aos mesmos controles 
internos a que estão outras informações contábeis. A 
avaliação da adequação, integridade e precisão dos ajustes, 
pela equipe encarregada do trabalho do grupo pode incluir: 
i) avaliar se os ajustes significativos refletem 
apropriadamente os eventos e as transações a eles 
subjacentes; 
ii) determinar se os ajustes significativos foram corretamente 
calculados, processados e autorizados pela administração 
do grupo e, quando aplicável, pela administração do 
componente; 
iii) determinar se os ajustes significativos estão 
apropriadamente suportados e suficientemente 
documentados; e 
iv) verificar a conciliação, a eliminação de transações 
intragrupo, os lucros não realizados e os saldos contábeis 
intragrupo. 
443. Se as informações financeiras do componente não foram 
elaboradas em conformidade com as práticas contábeis 
aplicadas às demonstrações financeiras do grupo, a equipe 
encarregada do trabalho do grupo deve avaliar se as 
informações financeiras desse componente foram 
apropriadamente ajustadas para fins de elaboração e 
apresentação das demonstrações financeiras do grupo. 
3.8.7. Comunicação 
444. As características inerentes aos trabalhos de auditoria de 
demonstrações que incluem informações financeiras de mais 
de um componente ou que agregam informações financeiras 
elaboradas por componentes elevam o nível de complexidade 
do trabalho e implicam muitas vezes uma grande dispersão de 
informação. 
445. Na maioria dos casos, é necessário recorrer a várias equipes 
de auditoria até auditores distintos, em localizações distintas, 
o que eleva o risco de auditoria para o auditor do grupo. Em 
face dessas características, a comunicação assume um papel 
fundamental no trabalho e, portanto, é de extrema 
importância a definição de um plano de comunicação, logo 
no início dos trabalhos. 
446. A definição de protocolos de comunicação é essencial para 
viabilizar uma comunicação clara, transparente, tempestiva, 
Avaliação dos ajustes 
de consolidação 
Avaliação de ajustes 
devido a práticas 
contábeis diferentes 
119 
 
relevante e recíproca. A troca tempestiva de informação 
relevante entre os auditores de componentes e o auditor do 
grupo permite que a auditoria seja mais eficaz e eficiente. À 
medida que os auditores dos componentes desenvolvem seu 
trabalho, estes deverão comunicar ao auditor do grupo os 
aspectos relevantes e impactos nas demonstrações financeiras 
do grupo. Isto deverá ser efetuado de acordo com protocolos 
de comunicação e reporte definidos pelo auditor do grupo no 
início dos trabalhos. 
447. É de todo recomendável a definição de um plano de 
comunicação estabelecendo reportes intermediários, avisos 
antecipados de situações relevantes, principais contatos e 
métodos de comunicação. (NUNES, 2009). 
3.8.7.1. Comunicação com os responsáveis pela governança do grupo 
448.