Aula 08 Direito Constitucional
58 pág.

Aula 08 Direito Constitucional


DisciplinaDireito Constitucional I46.118 materiais1.308.217 seguidores
Pré-visualização16 páginas
cargos e serv iços aux iliares, a po lítica rem uneratória 
e os p lanos de carre ira dos seus serv idores cabem ao Poder Jud ic iário .
6. (CESPE / TRE-MA - 2009) O MP da União engloba, entre outros, o 
MPDFT.
7. (CESPE / T J-RR - 2012) Os m em bros do MP gozam de v ita lic iedade, 
após do is anos de exercíc io , e só perderão o cargo por sentença jud ic ia l 
transitada em ju lgado.
8. (CESPE / TJDFT - 2007) Se o M in istério Púb lico não encam inhar a 
respectiva proposta orçam entária dentro do prazo estabe lec ido na lei 
de d ire trizes orçam entárias, o Poder Executivo considerará, para fin s de 
conso lidação da proposta orçam entária anual, os va lores aprovados na 
lei orçam entária v igente, de acoryl o com os lim ites legais.
9. (CESPE / TRT 21a Região - 2010) Aos m em bros do M in istério 
Púb lico, assim com o aos ju ízes, é vedado exercer a advocacia no ju ízo 
ou tribuna l do qual se afastou, antes de decorridos três anos do 
afastam ento do cargo por aposentadoria ou exoneração.
10. (CESPE / ABIN - 2010) Ao MP incum be a defesa da ordem juríd ica , 
do regim e dem ocrático e dos in teresses soc ia is e ind iv idua is 
ind ispon íve is e a observância dos p rincíp ios in stituc iona is da unidade, 
ind iv is ib ilidade e independência funciona l, prev istos na CF.
11. (CESPE / MPU - 2010) São funções essencia is à justiça as do 
M in istério Púb lico, da advocacia pública, da advocacia privada e da 
defensoria pública.
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 48 de 58
Estratégia
r n N r i i R s n s * *
Direito Constitucional p/AFRFB - 2015
Profa. Nádia Carolina / Prof. Ricardo Vale
C O N C U R S O S
12. (CESPE / TRE-MA - 2009) A destitu ição do procurador-gera l da 
República, por in ic iativa do presidente da República, prescinde de 
autorização do Senado Federal.
13. (CESPE / TRE-MA - 2009) Os MPs dos estados e o MPDFT form am 
lista tr íp lice entre in tegrantes da carre ira, na form a da lei respectiva, 
para escolha de seu procurador-gera l, que é nom eado pelo presidente 
do tribuna l de justiça , para m andato de três anos, perm itida uma 
recondução.
14. (ESAF/ CGU - 2006) Se o M in istério Púb lico não encam inhar a 
respectiva proposta orçam entária dentro do prazo estabe lec ido na lei 
de d ire trizes o rçam entárias (LDO), o Poder Executivo considerará, para 
fin s de conso lidação da proposta orçam entária anual, os va lores 
aprovados na lei orçam entária vigente, a justados de acordo com os 
lim ites estipu lados na LDO.
15. (FCC / MPE-RS - 2008) M in istério Púb lico é institu ição
perm anente, essencia l à função ju risd ic iona l do Estado, incum bindo- lhe 
a defesa da ordem juríd ica , do regim e dem ocrático, dos in teresses 
soc ia is e dos in teresses ind iv idua is ind isponíveis.
16. (FCC / T J-P I - 2010) São princíp ios in stituc iona is do M in istério 
Púb lico, prev istos na Constitu ição Federal,
a) Unidade, indivisibilidade e estabilidade.
b) Independência funcional, unidade e indivisibilidade.
c) Inamovibilidade, estabilidade e autoridade.
d) Autoridade, unidade e vitaliciedade.
e) Indivisibilidade, irredutibilidade de subsídio e estabilidade.
17. (FCC / TRE-AL - 2010) É princíp io instituc iona l do M in istério 
Púb lico, dentre outros, a:
a) autodeterminação dos povos.
b) divisibilidade.
c) dependência funcional.
d) unidade.
e) concessão de asilo político.
18. (FCC / TJ-SE - 2009) São p rinc íp ios in stituc iona is do M in istério 
Púb lico a unidade, a ind iv is ib ilidade e a independência funcional.
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 49 de 58
Estratégia
r n N r i i R s n s * *
Direito Constitucional p/AFRFB - 2015
Profa. Nádia Carolina / Prof. Ricardo Vale
C O N C U R S O S
19. (FCC / MPE-RS - 2008) São princíp ios in stituc iona is do M in istério 
Púb lico a unidade, a ind iv is ib ilidade e a independência funcional.
20. (FCC / TCE-PI - 2009) Ao M in istério Púb lico é assegurada 
autonom ia funciona l e adm in istrativa, podendo, observado o d isposto 
na Constitu ição e na leg is lação pertinente, propor ao Poder Leg is lativo 
a criação e extinção de seus cargos e serv iços aux ilia res, a po lítica 
rem uneratória e o plano de carreira.
21. (FCC / TCE-GO - 2009) O M in istério Púb lico e laborará sua proposta 
orçam entária dentro dos lim ites estabe lec idos na lei de d ire trizes 
orçam entárias e, caso encam inhada em desacordo com esses lim ites, 
caberá ao Poder Executivo proceder aos ajustes necessários para fins 
de conso lidação da proposta orçam entária anual.
22. (FCC / MPE-RS - 2008) O M in istério Púb lico está finance iram ente 
subord inado à Secretaria de Estado da Justiça, à qual apresentará a sua 
proposta orçam entária , após ter s ido aprovada pelo Colégio de 
Procuradores de Justiça e pelo Conselho Superior do M in istério Público.
23. (FCC / TRT 17a Região - 1999) O M in istério Púb lico abrange o 
M in istério Púb lico da União, que com preende, dentre outros, o 
M in istério Púb lico do Trabalho.
24. (FCC/2010/SEFIN -RO ) O M in istério Púb lico da União tem por 
chefe o Procurador- Geral da República, nom eado pelo Presidente da 
República dentre in tegrantes da carre ira, m aiores de trin ta e c inco anos, 
após a aprovação de seu nome pela m aioria absoluta dos m em bros do:
a) Congresso Nacional, para mandato de dois anos, permitida a recondução.
b) Senado Federal, para mandato de dois anos, vedada a recondução.
c) Senado Federal, para mandato de dois anos, permitida a recondução.
d) Congresso Nacional, para mandato de dois anos, vedada a recondução.
e) Congresso Nacional, para mandato de um ano, permitida a recondução.
25. (FCC / MPE-RS - 2008) De acordo com a Constitu ição Federal 
brasile ira, os M in istérios Púb licos dos Estados e o do D istrito Federal 
form arão lista tr íp lice dentre in tegrantes da carre ira, na form a da lei 
respectiva, para escolha de seu Procurador- Geral, que será nom eado 
pelo Chefe do:
a) Poder Judiciário, para mandato de dois anos, permitida uma recondução.
b) Poder Executivo, para mandato de dois anos, permitida uma recondução.
c) Poder Executivo, para mandato de três anos, vedada a recondução.
Prof. Nádia Carolina www.estrategiaconcursos.com.br 50 de 58
Estratégia
r n N r i i R < ; n < ; * *
Direito Constitucional p/AFRFB - 2015
Profa. Nádia Carolina / Prof. Ricardo Vale
C O N C U R S O S
d) Poder Judiciário, para mandato de três anos, vedada a recondução.
e) Poder Legislativo, para mandato de três anos, vedada a recondução.
26. (FCC / MPE-RS - 2010) A destitu ição do Procurador-Gera l da 
Repúb lica , por in ic iativa do P res iden te da Repúb lica , deverá ser 
precedida de autorização da m aioria s im ples do Congresso Nacional.
27. (FCC / TRT 9a Região - 2010) A destitu ição do Procurador-Gera l da 
República é fe ita pela Câmara dos Deputados, com autorização do 
Senado Federal.
28. (FCC/2010/TRE-RS) No que d iz respeito ao m in istério publico, a 
destitu ição do procurador-gera l da republica, por in ic iativa do:
a) Conselho Nacional do Ministério Publico, devera ser precedida de autorização 
da maioria relativa da câmara dos deputados.
b) Ministro da Justiça, deverá ser precedida de autorização pelo voto da maioria 
absoluta da câmara dos deputados.
c) Presidente do Supremo Tribunal Federal, dependerá de previa autorização do 
conselho nacional de justiça.
d) Conselho Superior do Ministério Público, será precedida de autorização da 
maior absoluta do congresso nacional.
e) Presidente da República, devera ser precedida de autorização da maioria 
absoluta do senado federal.
29. (FCC / MPE-RS - 2010) Os Procuradores-Gera is nos Estados e no 
D istrito Federal poderão